Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Um estranho onde eu desejava estar

Nova semana, mesmos acontecimentos... Pra variar nosso dia de folga era chato. Todo mundo trabalhando e eu e Denise de folga. Ter folga nos dias de semana e ótimo pra quem precisa fazer carta de motorista ou ir ao banco mas acima disso e uma merda do caralho. Na rua as pessoas pensam que voce não passa de um vagabundo que não faz nada da vida, balada não rolava então fatidicamente acabávamos em casa mesmo.
A rotina seguiu-se a mesma... La vinha Denise com seu biquíni de crochê que era um escândalo... Novamente eu de pau duro com o coração pulando... Dessa vez o programa era ir DE FATO na piscina. Estava começando a ficar perigoso a gente juntos e sozinhos... não dava pra ter certeza absoluta de que cumpriríamos nosso acordo.
Terça feira, piscina do condomínio nos dois e uns gatos pingados... Uma vovo com seus netinhos e aquele sol da florida em pleno verão. Tinha um cara que nunca tínhamos visto tomando sol meio longe da gente. Esse cara parecia ser hispano de cabelos compridos nem feio nem bonito. Claro que eu e a De logo começamos a falar de sacanagem. A Denise me contava de sua ultima transa com Juliano. Eu não gostava muito de ouvir esses papos, tinha crescido ao lado de Juliano e ouvir as intimidades dele não me deixavam com tesao e me lembravam do tamanho da cagada que eu estava fazendo com meu amigo.
Denise não tinha a menor vergonha na cara (como toda mulher que trai) ela tava pouco se lixando e se divertia com a situação. O fato de não nos tocarmos pra ela era a justificativa plena de que nada acontecia com a gente, sendo assim não existia traição nenhuma. Como e bom ser jovem e estúpido!
Entramos na água e ficamos bem próximos conversando baixinho. Denise com a mao dentro do biquíni se masturbando e eu idem. Ela me pediu para irmos a uma sex shop pois queria comprar um vibrador para brincar na minha frente... soltou o laço do lado do biquíni e depois o outro ficando sem a parte de baixo.. mergulhei pra ver.. linda visão... voltamos pra nossas cadeiras a mil por hora... Denise me dizia que não agüentaria a chegada de Juliano naquela noite, que ia acabar com ele pois precisava urgente de um pau dentro dela...
Não... voce não vai esperar ate a noite, voce vai resolver seu problema agora!
Paulo... para... não pede que voce sabe que eu não vou resistir...
Não vai dar pra mim não... vai dar praquele cara ali. Eu vou subir, entrar no seu closet e voce vai esperar 5 minutos e vai levar ele pro seu quarto e dar pra ele la mesmo.
Denise ficou calada me olhando, uma cara meio de brava meio de safada meio de desafiada.
Ta bom... vou chegar la, sentar do lado do cara e dizer o que pra ele? Vamos la no meu apartamento pois quero dar pra voce? O cara vai pensar que e assalto.. que sou doida...
Sei la o que vc vai dizer pra ele... estou subindo, não demora!
E la fui eu, passei do lado do cara e cumprimentei, ele nem me deu bola. Subi com aquela dorzinha de barriga, aquela sensação de estar fazendo merda, aquele nervoso gostoso que sempre tentei sentir nos dias de hoje mas que nunca mais senti.
Entrei no apartamento e fui pro closet dela. Era tipo um quartinho dentro do quarto com uma porta sanfonada. Denise usava uma cortininha de tecido fino na porta e como era escuro dentro não dava pra ver nada la dentro. Entrei sentei e fiquei esperando. Mil coisas se passavam na minha cabeça, nervoso, com tesao e sem a menor noção do que acontecia. O tempo foi passando e nada de ninguém aparecer. Comecei a imaginar que de fato ela não tinha convencido o cara a subir... Nos Estados Unidos o povo e meio doido mesmo... quais as chances de uma gostosa de biquini de crochê enfiado na bunda chegar em voce te convidando pra comer ela? Pensando bem eu também ficaria desconfiado...
Resolvi esperar mais um pouco mas já perdendo as esperanças de que alguma coisa ia rolar... quando estava saindo do closet escuto a porta abrindo e a risada inconfundível da Denise.
Voltei pro meu esconderijo com o coração a mil, os dois entraram no quarto meio se atropelando. O cara não falava uma palavra de inglês e pra completar era colombiando, portanto o espanhol do cara era todo enrolado. Era disso que Denise ria... eles não conseguiam se comunicar... mas foder... essa língua e mundial... o cara falava, falava.. e Denise dançava sensualmente na frente dele rindo sem parar. Como me encantava aquela mulher! Sua risada nervosa era inconfundível!
Se abaixou na frente dele e começou sem muita cerimônia a abrir o short do sortudo. Logo tirou o pau dele pra fora, dava pra ver tudo super bem. O cara tinha o pau curto mas muito, muito grosso. Denise não conseguia colocar direito na boca e também não conseguia punhetar devido ao cumprimento... O cara partiu pro ataque e o biquíni pequeno zuniu longe. A cama ficava exatamente do lado do closet e ela foi pra borda da cama com a cabeça de ponta cabeça pra fora da cama enquanto o sujeito chupava Denise vigorosamente. Denise ficou olhando pra dentro do closet gemendo alto segurando a cabeça do cara no meio das pernas. Não sei porque mas vi uma certa tristeza no olhar de Denise.
De costas pra mim Denise virou o jogo e sentou com força naquele caralho curto e roliço... começou a rebolar e ir se ajeitando naquele encaixe. A cena era muito sexy eu via ela de costas pra mim e a rola do cara entrando nela. Seus cabelos compridos jogavam pra lá e pra cá. não demorou o cara gozou. Acho que Denise gozou com ele ou fingiu... sei la...
Como a Denise era meio cara de pau disse que o namorado dela estava chegando e que o cara tinha que ir embora... ele atendeu imediatamente, se vestiu rápido e foi embora.
La estava a Denise deitada na cama, nua , cheia de porra...
e ai gostou do show? perguntou Denise lambuzando seus dedos em seu grelhinho vermelho e molhado...
Não sentiu ciúmes?
Ciúmes do que não é meu? como poderia? Acho que foi por isso a tristeza dela.
Nossa brincadeira tinha passado de todos os limites e o sentimento já tinha invadido tudo. Eu estava apaixonado por ela e ela por mim.

Sobre este texto

acrobat

Autor:

Publicação:10 de janeiro de 2014 17:27

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Fetiches

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 366 vezes desde sua publicação em 10/01/2014. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*