Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Ao mestre com tesão...

Logo de manhã eu fui correr em volta de uma lagoa linda que tem na frente de casa.
01:20 de corrida, fui passar na padaria e quando estava entrando bati de frente com um cara que saía.. Pedi desculpas e fui ajudar ele pegar os pacotes e percebi que o conhecia.
Era Marco Antônio, tive aulas com ele na faculdade, deu um semestre de direito do consumidor ... Realmente especialista em ser dono da verdade ... Ser intragável.

- Aluninha.. Quanto tempo!
- tudo bem Marco?!
- tudo ótimo.. Acabei de me mudar, você mora por aqui?
- Ah, legal...moro, Você vai gostar daqui..
- Você malha por aqui? Preciso de uma academia nova..
- Ah .. Nao malho.. Prefiro correr na lagoa..
- Puxa, legal.. Com certeza vamos nos encontrar bastante... Então ja vou querida...

Ele veio em minha direção, colocou a mão na minha nuca e beijou meu rosto, o que me fez arrepiar.
Marco tem em torno de 45/ 47 anos, um corte moderno pra essa idade e um cabelo grisalho... Seu rosto é normal mas é dono de um charme inquestionááável...
Apesar de que como professor tinha sido mala, impossível de discutir, dono da verdade, mas um charme em pessoa que fazia eu oscilar vertiginosamente entre raiva e tesão.
Hoje ele tinha sido simpático mas nao me fez esquecer a ridícula discussão que tivemos em sala que fizesse que o senhor da verdade que perdeu a razão pedisse que, com licença, eu me retirasse da sala..
Depois do final das aulas eu nunca mais tinha visto ele e apesar dos pesares ele continua uma delícia...
Comprei pão e decidi ficar trabalhando em casa hoje. Trabalhei em uns modelos de manha, almocei e fiquei vendo tv até dormir.
Era começo da noite quando eu acordei, tomei banho e a Madá veio pra cá.. Como estava quente a gente sentou na calçada e ficou conversando e tomando uma...curtindo papo besta e olhando as pessoas na lagoa..
Já era umas 23h e pouca gente ainda andava. Tinha um cachorrão marrom correndo na grama .. Ele atravessou a rua e veio até a gente, tipo filhotão com uma bola na boca. Cheirou a gente.. Largou a bola.. Lambeu a térmica e sentou. Eu liguei a mangueira e ele veio correndo tomar agua... Então alguém ainda do lado da lagoa assobiou e ele ficou atento então viu o dono e correu até ele e ele continuou em nossa direção.. Então eu vi o Marco Antonio... Ele sorriu a atravessou a rua..

- Cachorro bom é assim, novo e inexperiente mas já encontra moça bonita.
- acho que estava com sede. Eu disse.
- por isso que ele é bom... Te fez acreditar nisso. Ele disse mostrando a agua portátil ... - Marco.. Muito prazer... Ele beijou a mão da Madalena
- Madalena... Ela disse sem jeito... O prazer é meu..
Ele continuou segurando a mão dela.. Olhou pra ela em silencio por uns dois segundos e beijou denovo e disse - nao.. É todo meu..
Agora ele me lembrava melhor das épocas da faculdade... Mais cheio de si.. Paquerando as meninas e casado..
Ele conversava e nao tirava os olhos da Madá... Que se derretia.. De vez em quando ele fazia alguma graça comigo e eu respondia rápida sem deixar ele sentir como me irritava...
Conversamos um pouco e logo a Madá levantou...
- Ai gente preciso ir.. Ja é uma e meia..
Levantei e acompanhei ela até o carro...
- Deus do céu.. Eu podia ficar até amanha com esse delicia!!!
- ele ta sendo o tipinho típico de sempre
- mas que tipo gostoso
Então ela foi embora e voltei até ele... Aí ele me perguntou
- Posso usar seu banheiro antes de ir?!
- Claro. Entra na sala, primeira porta a esquerda.
Enquanto ele ia eu peguei as cadeiras e guardei as garrafas...logo ele voltou..
- Então zee.. Ele disse pro cachorro. Hoje de pegar o caminho de volta.
- você ta de carro?
- nao trouxe ele pra andar...
- mas você mora aonde?!
- na rua da padaria..
- ta tarde, entra no carro e eu levo vcs...
- Nao precisa.. Imagina..
- Ta tarde e vc mal mudou pra cá pra ficar andando as 2h da manha por ai..
- Bom, neste caso.. Se vc está preocupada comigo..
- imagina.. Preocupada com Zee.. Um filhotão desse nao pode correr perigo... (Ah! Ponto!)
Peguei as chaves e saímos... No caminho ele se tornou um pouco mais normal me contando que havia saído da faculdade e apesar de nesse momento estar de ferias tinha aberto seu próprio escritório... Isso tudo após se divorciar e finalizando com a mudança pra cá...
Chegamos em frente a sua casa e ele sorriu pra mim:
- Bom, obrigada Carly...
Então ele colocou a mão na minha coxa, apertou e beijou meu rosto com os lábios úmidos e eu senti a respiração dele ... Tentei disfarçar mas minha coxa arrepiou e acho que ele viu..
Ele sorriu malandro e doce pra mim, deslizou os dedos fazendo uns movimento aleatório circulares.
Eu estava olhando pra ele e elevei uma sobrancelha.
Ele sorriu, a mão dele que estava no encosto da minha cabeça já estava no meu pescoço.. Ele continuou me olhando e apertando meu pescoço e eu percebi que ele esperava que eu tomasse alguma iniciativa.
Adoro essas questões de quem sucumbe.
Ele segurou firme meu pescoço e me trouxe até ele e eu fui.
Ele beijou o canto da minha boca e suspirou e o próximo beijo foi nos lábios.
Ele colocou as duas mãos segurando minha cabeça e me trouxe até ele, tive que apoiar nele sem muito jeito, segurei na coxa dele e sem querer minha mão passou pela bermuda que demonstrava o quão duro ele estava.
Ele terminou com meu lábio inferior entre os dentes mordiscando e sugando...Sem querer, eu gemi. Nessa hora ele me puxou pro banco dele e acabei sentada no colo dele e embaixo de mim ele estava uma rocha
A mão dele já quase subia minha coxa e tudo bem por que de verdade eu estava já toda molhada.
Logo tive muita consciência de que estávamos em frente a casa dele.
Coloquei as mãos no peito dele, enquanto ele me beijava e consegui entre beijos dizer que não era seguro estar ali... Ele parou e me olho...logo em seguida me beijou denovo, me colocou sentada no banco do motorista, puxou minha saia no lugar, disse: "Definitivamente perigoso pra vc" me deu um selinho e saiu do carro.
Voltei, fechei a casa, tirei a roupa e deitei...
Fiquei imaginando o Marco e meu corpo respondendo a minha imaginação. Levei dois dedos aonde ele havia me beijado a bochecha... Esses dedos desceram aonde senti a respiração dele e eu me arrepiava... Do pescoço, desci minha mão em cima dos meus seios que estava duros e arrepiados também. Enquanto uma das mãos desceu mais além onde minha calcinha ja estava molhada..
Imaginei a boca dele por onde minhas mão iam.. Eu estava molhada e quente e nao demorou muito que eu gozasse pensando no Marco me devorando. Dormi sem nem ver.. Nua.

Sobre este texto

Carly Green

Autor:

Publicação:3 de fevereiro de 2014 11:16

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Fetiches

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 613 vezes desde sua publicação em 03/02/2014. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • João Pedro Garcia
    Postado porJota.Pem11 de março de 2014 15:33
    Jota.P é um autor no História Erótica

    Gostaria de ver essa cena..

  • Bill
    Postado porBillem24 de fevereiro de 2014 13:04

    Gostosa demais.........
    Você consegue fazer a minha imaginação dar sequencia em todo o seu relato.
    Tem como escrever para você?

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*