Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

O Vizinho



Morava em um condôminio de casas.
Como existia toda a infraestrutura de segurança as casas não tinha muros na frente, somente nas laterais e fundos.
Quando eu mudei pra esse condôminio nem todas as casas estavam ocupadas como era o caso da casa em frente a minha, até certo dia.
Acordei e pela janela da sala vi o movimento de uma camionete e um caminhão de mudança. Como eram várias pessoas indo e vindo eu demorei pra saber quem seria o novo morador.
Nos dias seguintes apenas a camionete permanecia e eu ainda não tinha visto o morador misterioso.
Uma noite eu estava chegando por volta das 03h00 da manhã depois de uma festa com minhas amigas e o alcool me fez derrubar as chaves de casa num arbusto ao lado da entrada da garagem.
Comecei, descoordenadamente, a apalpar o arbusto e vi uma brasa de cigarro na escuridão da garagem em frente. Continuei a busca da chave como melhor podia e ajoelhei pra conseguir procurar por quer eu estava de salto alto. Percebi o vulto do vizinho atravessando a rua em minha direção e no meio do caminho ele acendeu uma lanterna e eu mal conseguia enxergar ele quando perguntou:

- Posso ajudar?
- Eu tenho quase certeza que ela fugiu..mas pode tentar..

Ele riu, que voz gostosa.

Ele abaixou na minha direção e quando estava o meu lado disse:

-Vamos ver se essa malandra aparece.
Olhei pra ele tentando ver seu rosto enquanto ele procurava minha chave.
Estava observando ele e ouvi o tilintar da fujona e ele virou pra mim segurando elas e portando um sorriso lindo!
- Achei!
Quase fiquei sem reação de como ele era lindo, pele branca e cabelos pretos grossos, me parecia ter olhos claros e o sorriso perfeito emoldurado pelo maxilar quadrado que me deixa louca.
- Ah...Nossa... Você merece uma recompensa!
Peguei a chave da mão dele e ele ficou sorrindo pra mim.
- Pode deixar, depois eu cobro. Ele disse dando uma piscadinha. Eu vi a piscadinha? Ou eu estava saidinha?
Ele se levantou enquanto, eu estava sentada em cima das minhas pernas e as tinha feito dormir tentava encontrar um pouco de coordenação para conseguir levantar sem outro bafão bêbada.
Então ele me pegou pelos braços e me levantou e em seguida senti a dor das pernas dormentes voltando a circulação. Encostei no carro tentando me segurar até que aquilo passasse e disse
- Ai minhas pernas dormiram..
Ele abaixou na minha frente e as massageou de baixo em cima até as coxas e eu parei de falar com o toque dele, firme massageando minhas pernas e a medida que ele subia, um calor também subia com ele. Ele começou a flexionar elas e me olhou:
- Melhor..?
- Sim..ótimo.. eu respondi meio sem fôlego.
Ele levantou e confirmou se eu estava bem e confirmei que sim. Fui até a porta e sorri e quando fui por a chave na porta acabei a derubando.
Abaixei pra pegar e quando levantei ele estava denovo do meu lado pegando as chaves da minha mão, me segurou pela cintura e disse.
- Acho melhor me certificar que você chegue dentro de casa.
Ele manteve o braço ao meu redor, talvez me segurando pra não cair...e eu sentia seu corpo atras de mim enquanto ele abria a porta.
Ele me conduziu com o seu corpo até a sala e segurou minha cintura com as duas mãos e me virou, dei de cara com um homem ainda mais lindo que consegui enchergar lá fora. Ele sorriu e disse:
- Sã e salva.
Eu ainda estava sorrindo como besta com o fato de eu estar nos braços daquele homem todo
- é..Obrigada. Você me salvou hoje.
- Tem certeza que consegue chegar ao quarto sozinha? Ele perguntou elevando uma sobrancelha preta acima de seus olhos verdes..
Tá..mais um pouquinho pedia pra ele me por na cama..me jogar na cama sei la..
- Sim...tudo bem.. - Eu ri...
- Então tá.. Se quiser ajuda é só falar, então venha fechar a porta
Ele pegou a minha mão e foi até a porta. Colocou a chave na maçaneta e disse pra eu trancar.
- Qual o nome do meu cavaleiro de armadura reluzente? Perguntei.
- Carlos. Ele que ainda estava segurando minha mão a beijou. - Boa Noite Carly. Ainda segurando minha mão me deu um beijo no rosto e fechou a porta repétindo "Tranque". Eu tranquei e apaguei as luzes da sala pra que ele achasse que eu tivesse subido mas fiquei olhando pela janela ele atravessar a rua e entrar em sua casa que permanecia toda apagada, pouco tempo depois a janela de cima se abriu e o vi de relance.
Me deitei e dormi pensando em toques bem mais intensos com as mãos de Carlos.
No dia seguinte ao acordar lembrei da minha situação. Ah... não foi nada demais... falta de equilibrio, coordenação e classe...imagina...naaada demais..
Estava ainda deitada na casa quando ouvi o barulho da camionete do Carlos e olhei discretamente pela janela o vi saindo acompanhado de uma mulher.
Será que ele tem namorada? Será que ela estava em casa? Hmmm..
Mais tarde minhas dúvidas foram confirmadas. Eles retornaram juntos e no início da noite eles saíram de mãos dadas e ele voltou sozinho. Putz.. que pena.
Alguns dias depois eu estava em casa, era final de tarde e eu tinha chegado do trabalho a pouco tempo, ouvi Carlos chegando. Vi ele entrar e logo em seguida a luz do seu quarto se acender, ele abriu a janela, ligou a tv e apagou novamente a luz.
Fui para meu quarto e decidi por testar uma encenação.
Acendi minha luz, fui até o som e o liguei, depois disso comecei a tirar minha roupa ficando só de calcinha e sutiã torcendo para que ele tivesse vendo.
Andei pelo quarto fazendo algumas coisas, levantando, abaixando.. até que fui tomar banho. Parei de costas pra janela eu soltei meu sutiã, passei as mãos sobre meus seios e os acariciei deixando com os mamilos duros e arrepiados. Acariciei o resto do meu corpo e passei uma mão por cima da minha calcinha. Já começava a ficar molhada e fui pro banheiro.
Voltei pro quarto já de calcinha, passei creme pelo corpo todo, bem calmamente. Uma perna depois a outra até as coxas, bumbum, barriga, seios.., os acariciei com o creme, virada pra janela.
Ainda passei pelo quarto com os seios a mostra. Em seguida coloquei um short jeans e uma regatinha folgada e apaguei a luz do quarto e acendi a do banheiro e voltei para ver se via alguma movimentação.
Vi ele levantar e olhar pra minha casa pela janela. Ele tirou a camiseta e saiu do quarto.
Apaguei a luz do banheiro e desci, peguei meu livro e deitei num sofá da varanda. Vi a janela do banheiro dele acesa. Então ele voltou ao quarto, passou pela janela e olhou pra mim, acenou e acho que foi se vestir.
Não demorou muito até que ele saísse e viesse conversar comigo.
Sentou comigo e ficamos conversando, rindo da minha situação aquele dia e vez ou outra soltávamos frases do tipo: Fiquei te agradecendo hoooras... Só queria me certificar que você conseguiu deitar..bem..
Conversamos outras bobeiras até a noite e eu disse "Se me lembro corretamente eu te devo uma recompensa"...
Fui até a geladeira e peguei duas cervejas.
Bebemos e já estávamos cheios de toques. Estávamos falando sobre música e ele disse que gostava de uma banda e eu disse que tinha o cd deles e ele disse que não acreditava, eu levantei e peguei na mão dele e disse que mostraria.
Entramos em casa, de mãos dadas subimos as escadas até meu quarto e mostrei o hack de cds, parei e procurei o cd e tirei dizendo "Aqui está..."
Ele pegou da minha mão e disse:
- Não acredito..! Posso? ele apontou para o som e eu concordei.
Ele colocou o cd e eu sentei na cama. O som tomou o quarto e ele sentiu a musica e me tomou pela mão para dançar com ele.
De encontro com seu peito nu eu era pequena perto dele que me envolveu com braços fortes e me levantou dançando comigo. Sorrimos um pro outro.Ele passou a mão pelo meu cabelo até a minha cintura e eu cheguei um pouco mais perto sentindo o cheiro dele e ele respirando no meu pescoço.
Senti seus lábios pousarem no meu ombro e eu suspirei no seu ouvido fazendo com que ele me apertasse no corpo dele quase tirando meu ar, ele parecia receoso mas virou e me beijou.
Sua boca era quente na minha, ele lambeu e sugou meus lábios antes da sua língua penetrar minha boca e ir de encontro com a minha.
Era um toque intenso e devagar e tirava meu fôlego.
Logo ele me levantou e andou comigo até a cama e deitou por cima de mim.
Ele tinha uma mão embaixo da minha cabeça e a outra no meu rosto.
Senti no meu ventre o volume duro na bermuda dele e pressionei meu quadril fazendo ele me apertar ainda mais em resposta se tornando mais urgente cada toque nos nosos corpos.
Ele começou a beijar meu pescoço e orelha alternando entre dentes e línguas segurando meu cabelo o que me fez gemer no ouvido dele e isso o deixava transtornado aumentando a intensidade de cada beijo e mordida e ele colocou sua perna no meio das minhas massageando minha buceta que estava molhadinha.
A mão que estava na lateral do meu rosto desceu pra minha cintura por baixo da minha regatinha e ele começou a beijar meu colo indo em direção aos meus seios. Meu tronco estava arqueado, pedindo a boca dele e ele fazia tudo muito calmamente até seu telefone tocar.
Nós travamos, eu imaginando e ele sabendo que era ela. Ele colocou a testa no meu tórax e atendeu o telefone.
"Ooi..ahan.." Fiz menção de sair e ele me segurou "Tomando banho..Onde você ta?..Chegando ? tá...não...tudo bem..também...outro"
Fiquei parada olhando e ele não conseguia me olhar
- Desculpa...desculpa...eu preciso ir...desculpa..
- Relaxa...pode ir..
Ele me olhou.. com as sobrancelhas bem juntas, "Estamos bem?"
- Tudo bem..
Ele me deu um beijinho nos lábios e levantou.
Acompanhei ele até a porta e outro beijinho
- Depois a gente conversa..
Atravessou a rua correndo e entrou em casa.
Logo em seguida ouvi barulhos e um pequeno importado estacionou. ELe foi atendê-la com um beijo e fechou a cortina. Malandro.
Não demorou muito até que fossem para o quarto. Ele a abraçou e beijou e puxou o vestido que esta estava vestido por cima de sua cabeça. A moça tinha cabelos curtos, estilo chanel e era linda de corpo. Sem o vestido seus seios médios, empinados ficaram a mostra e ele começou a chupá-los com muita intimidade enquanto ela segurava em seu cabelo. Eu tinha uma mesa encostada na janela, a puxei pra não ficar tão a vista e me sentei assistindo ao espetáculo. Ele desceu a calcinha dela e olhou em direção a minha janela, acho que me viu por que beijava o pescoço dela olhando pra mim.
Ela o encostou na parede, se ajoelhou e tirou a cueca dele revelando um pau duro que ela abocanhou sem demora. Nessa hora eu levantei minha camiseta pra ele e comecei a acariciar meus seios. Apertando eles, que eram maiores que os dela comecei a chupar meu dedo médio e a cara de satisfação dele foi visível. Ele segurava o rosto dela com força fodendo a sua dela que o chupava.
Desci o dedo que eu chupava pra dentro do meu short e comecei a me tocar. Minha buceta estava molhada e quente e ele limpou a boca me olhando.
Eu tirei meu short e fiquei só de calcinha e continuei e enfiar meus dedos em mim. Dei a imagem a ele mas não tirei minha calcinha, seria algo para ele vir atras depois. Vendo isso ele a sentou sobre uma cômoda abriu as pernas dela e a chupou assim como se fizesse comigo e pelo jeito dela acho que ela gozou na boca dele.
Peguei meu vibrador, virei minha bunda pra ele e comecei a penetrar ele em mim e como se ele me comesse ele a virou e colocou ela de bruços na cômoda e enfiou nela e a comeu com força.
GOzamos os três.
Tirei o vibrador de mim e passei a lingua na ponta dele e ele abriu a boca..
Ela o abraçou e eu fechei a cortina.
Dormi Satisfeita.
Na manhã seguinte quandoeu saia para o trabalho ela também saiu.
Ela estava com uma camisa branca muito leve que mostrava o sutiã de renda por baixo, uma saia lápis justa contornando o belo corpo que ele havia desfrutado.
- Bom dia! Ela sorriu pra mim.
- Bom dia! Fui até ela para que pudesse comprimenta-la - Você se mudou recente né? não tive a chance de conhece-la
-Ah sim, não...na verdade é meu namorado que mora aqui a pouco, eu só venho de vez em quando...
- Ahhh entendi. Mas que bom! Vamos marcar defazer um churrasco depois
- Ah sim! claro!... O Carlos vai fazer um pros amigos verem futebol hoje. Se você quiser vir, provavelmente estarei sozinha...sabe como é?
- Claro...será um prazer! Ah meu nome é Carly
- Lúcia.
- Bom, melhor eu ir senão me atraso. Te vejo mais tarde Lúcia!
- até.

Ora veja...acho que sou mais ardilosa que pensava.

A noite chegou e a minha coragem oscilava.
Tomei banho, coloquei um short jeans curto e desfiado, uma frente única branca, que constratava com minha cor bronzeada e o decote que deivaxa margem pra imaginação.
Não tive escolha, Lúcia veio me buscar.
Na frente da casa de Carlos tinha varios carros e ao entrar na sala dele ouvi várias vozes masculinas que estava no fundo.
Acompanhei ela até a cozinha onde ela foi buscar algumas coisas que ajudei ela levar para o fundo.
Quando saímos para a parte externa havia cerca de outros cinco caras, além de Carlos que estava mexendo na churrasqueira.
Quando saímos a minha presença chamou atenção e diversos olhares e a conversa que antes corria alta se transformou em alguns cochichos.
- Meninos, sejam educados, essa é a Carly, vizinho do Carlos.
Eles todos muito educados levantaram e me cumprimentaram com beijos. Quando me virei pra churrasqueira Carlos, com os olhos arregalados, veio me cumprimentar.
- Acho que você não devem ter se conhecido ainda. Lúcia começou
- Ora Lú, já fez amizade com minha vizinha.
Beijo no rosto
A noite seguiu com muitas risadas, os meninos me galanteavam toda hora e vira e mexe Carlos falava pra eles pararem de me encher o saco.
No final da noite Lúcia ja estava bêbada e eu engatei num papo maravilhoso com o Mauro que era gostoso pra caralho e inteligente enquanto Carlos me olhava bravo.
Resolvi me oferecer pra levar ela pra cima e Carlos gentilmente se ofereceu pra levar o amigo até a porta.
Com algum esforço levei ela até o quarto. Tirei os sapatos dela e ela mesma tirou sua roupa, ajudei ela deitar e ela segurou meu rosto edeu um selinho dizendo que tinha me adorado! Dormiu quase que ao mesmo tempo.
Quando me virei pra descer o Carlos estava na porta. Sorriso sacana na cara
- Você é louca..
Nos atracamos, famintos pelo que tinhamos deixado sem conclusão.
Ele me segurou na parede e me beijava enquanto suas mãos buscavam meus seios.
Ele tirou minha blusa e chupou e lambeu me devorando.
Eu Tirei a camiseta dele e passei minhas unhas no peito dele fazendo que ele me segurasse pelos pulsos e os colocasse acima da minha cabeça.
Acabamos descendo e fomos lá pra fora. Ele me deitou em um sofá e beijou minha barriga abrindo meu short que tirou junto com a calcinha de uma vez só.
Ele começou a me chupar. Começou primeiro deslizando sua lingua quente, me deixando ainda mais molhada, ele massageava meu clitóris e eu me contorcendo na boca dele. Então ele começou a enfiar a lingua em mim que en seguida trocou pelo dedo enquanto me chupava.
Eu estava completamente enlouquecida e puxei ele para beija-lo.
Tirei a cueca dele que revelou um pau duro maravilhoso...subi nele e deslizei ele todo pra dentro de mim e gememos de tesão.
Comecei a cavalgar nele enquanto ele segurava minha bunda eu desci e beijei o peito todo dele.
Ele sentou no sofá e eu sentei de costas pra ele. Enqanto ele me fodia suas mãos me tomavam toda pra ele.
Finalmente ele veio por cima e continuou, a cada estocada eu soltava pequenos gritos abafados que eu tentei segurar mas não aguentava mais, entao ele, tampou minha boca com uma mão e com a outra segurava minha cabeça. Não sei como mas aquilo me deixou com mais tesão e gozamos.

Continua...

Sobre este texto

Carly Green

Autor:

Publicação:5 de fevereiro de 2014 20:18

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Pulando a Cerca

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 1.227 vezes desde sua publicação em 05/02/2014. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Delícia
    Postado porDelíciaem22 de fevereiro de 2015 22:31

    Seu texto é uma delícia, igual ao meu nome já o seu é burlesco, amei.

  • João Pedro Garcia
    Postado porJota.Pem11 de março de 2014 15:48
    Jota.P é um autor no História Erótica

    Queria ter você como vizinha..

  • Carla Juliana Silva
    Postado porCarly Greenem20 de fevereiro de 2014 12:24
    Carly Green é uma autora no História Erótica

    Oi Bill!
    Adorei que você tenha gostado...tem continuação sim! Foi uma delicia
    Postarei em sua homenagem.. ;)

  • Bill
    Postado porBillem19 de fevereiro de 2014 13:04

    Oi Carly,

    já tem a continuidade deste conto?
    Esta muito bom, com certeza gostaria de ver o desenrolar deste que promete muito.

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*