Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Uma morena gemendo na biblioteca da faculdade...

Uma morena gemendo na biblioteca da faculdade...
Amanda era aquele tipo de amiga que você precisa ter na sua vida. Além de ser uma completa safada e gostosa, que vive na academia, era piriguete e piriguete que usa aquelas roupas que todo homem adora! Fizemos faculdades juntos e digo à vocês, ela é doida! E tem mais, se quiser arrumar umas transas inesquecíveis, tem que entrar no esquema dela, pois ela tinha várias amigas gatas e tão doidas quanto ela. Cito um exemplo de como nossa amizade ficara mais forte.

Na faculdade de Jornalismo, onde eu fiz algumas matérias, ela sempre sentou nas cadeiras que ficam nos cantos e sempre ia vestida para "chocar", onde até professor se perdia nas explicações quando ela entrava nas aulas atrasada. Uma vez, eu sentei no canto, quando ela chegou novamente atrasada. Usava uma minissaia jeans supercurta, que quando se sentou, encurtou mais ainda. Uma blusa preta transparente que dava para ver seus sutiã, igualmente da mesma cor e salto alto preto. Usava uma corrente no tornozelo, de ouro e tinha algumas tatuagens. Assumo, ela não era linda de rosto, mas sabia provocar.

Sentou atrás de mim e começou a falar para si mesma, que os homens eram uns bostas, que só sabiam falar putarias, mas que na hora agá eram um frouxos e blá blá blá. Dava raiva de ouví-la falar e perguntei o que houve. Ela me explicou que estava doidinha para realizar uma fantasia na biblioteca da faculdade e o cara que passou o semestre todo provocando-a, broxou com medo de serem pegos transando. Ainda falou que o cara mentira bastante sobre o tamanho e a grossura do pau. Ri dessa história, ao mesmo tempo que fiquei de pau duro. Ela percebeu e até me disse:

-Hummmmmmmm, ficou animadinho, que delícia. E assim ela começou a passar sua mão esquerda na minha perna, alisando com as unhas minhas coxas, até chegar perto da virilha, me fazendo ter calafrios. Sabem aquela sensação gostosa que temos na barriga? Eu estava quase não suportando. Não olhei para o resto da sala, primeiro que não conhecia ninguém mesmo, segundo, quero que se fodam!

Trocamos nossos nomes e depois disso, foi a minha vez de colocar minhas mãos nas suas coxas torneadas de academia. Sua bolsa grande estava em cima das pernas abertas. Alisei com delicadeza e ela não fez nada para me impedir, continuei até descobrir que aquela safada estava sem calcinha, continuei com a mão, agora alisando com meus dedos sua bucetinha peludinha e molhada. Ela olhava para mim com cara de puta e meu pau latejava forte dentro da cueca. Comecei a masturbá-la na sala, metendo meus dedos dentro dela e enfiando hora devagar e fundo, hora com metidinhas rápidas. Olhei para o professor, como se eu estivesse mesmo prestando atenção. Percebi que uma loirinha magra da outra cadeira, quase em frente nos olhava com admiração.

Amanda abria cada vez mais as pernas, aumentando ainda mais meus movimentos, mas não podia ficar sem nada e por fim, tirei meus dedos de dentro da sua buceta e na sua frente, lambi. Que bucetinha gostosa. Eu disse a ela que daria sua fantasia na biblioteca, mas ela teria que ter alguém para distrair o senhor bibliotecário, que eu conhecia bem por sua fama de ser chato. Ela então pegou seu celular e mandou uma mensagem por whatsapp, justamente para a loirinha que nos observava.

Me levantei primeiro e fui para a biblioteca. Chegando lá, disfarcei que estava apenas procurando alguns livros de jornalismo e fui para uma estante afastada. Me tremia todo de tesão. Cinco minutos depois, Amanda e sua amiga entraram na biblioteca e meu pau disparou em latejar. Elas me procuraram e quando me acharam, Amanda me apresentou sua amiga Aninha, que logo em outras histórias, ela iria entrar deliciosamente. Agarrei a Aninha pela cintura, esfregando meu pau duro nela e disse no seu ouvido que fosse distrair o cara da biblioteca e se desse alguma coisa errada, que ela telefonasse para Amanda.

Antes de ir embora, Aninha nos viu beijar e ficou chocada quando eu me ajuelhei na frente da Amanda, levantei sua perna direita e comecei a chupá-la. Não sei que momento ela se foi, pois as coxas deliciosas da Amanda tamparam toda a minha visão. Pensei que aquela safada se depilasse, mas havia pelos deliciosos e bem cuidados naquela buceta. E que buceta. Era de me deixar louco de tesão. Tinha im gosto delicioso e forte. Passei minha língua bem dentro dela, depois comecei a lamber seu clitoris, deixando-a trilouca e rebolando na minha boca.

Ela agarrava minha cabeça, como se quisesse que eu entrasse todinha nela. Mas ela começou a gemer gostoso, quando coloquei meu polegar dentro da sua vagina. Enfiava devagar, aumentando o ritmo e chupando sua buceta. Amanda então puxava meus cabelos com força, gemendo cada vez mais alto, movimentando sua buceta mais rápido na minha boca. Achei que ela iria gritar quando gozou, agarrando forte a minha boca para dentro dela. Senti seu líquido quente e gostoso entrar e continuei sugando até ela não se aguentar mais em pé e a deitar no chão com as pernas abertas.

Olhei entre os livros e estantes que não havia quase ninguém na biblioteca. Notei que a Aninha estava chegando e a Amanda, deitada no chão estava completamente rendida. Coloquei meu cacete duro para foda da calça e penetrei a bucetinha encharcada daquela safada. Não precisava me demorar muito pois estava praticamente gozando.

Aninnha parou onde estávamos e ficou ainda mais chocada, falando:

-Ai gente, também quero! E ficou nos olhando enquanto eu comia Amanda, que agora me abraçava e lambia meu pescoço. Minha porra entrou forte e gostoso dentro dela. Enfiei com força pela última vez, com minhas mãos no chão e levantei minha cabeça olhando nos olhos safados de Aninha. Me arrepiei por completo. Saí de dentro daquela buceta mais por estarmos brincando com a sorte, pois se fosse por nós mesmo, iríamos ficar naquela posição por mais tempo. Eu e Aninha tivemos que ajudar Amanda a se levantar, pois suas pernas estavam literalmente fracas. O senhor da biblioteca apareceu de repente e quando nos viu eu disse que ela não estava muito bem, ele se apressou em pegar uma cadeira para Amanda se sentar e perguntou se precisava chamar alguém da enfermagem. Ela disse que não, que tinha ficado tonta porque não havia comido o dia inteiro e que com os esforços físicos que ela teve hoje a fez ficar meio fraca. Eu e Aninha nos olhamos sorrindo, entendendo muito bem o que ela falava.

Depois de ela ficar boa e tudo mais, saímos da biblioteca e fomos lanchar. Foi quando Amanda olhou para Aninha e disse que havia finalmente achado um amigo para as nossas fantasias. Sorri e continuei a imaginar, que fantasias seriam essas...

Sobre este texto

challenger seven gallardo

Autor:

Publicação:7 de julho de 2014 12:07

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Jovens

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 615 vezes desde sua publicação em 07/07/2014. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Amanda
    Postado porAmandaem18 de outubro de 2016 01:10

    Fiquei molhadinha de ler

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*