Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

MÉNEGE À TROIS

Aconteceu durante uma festa na faculdade. Reunião de adolescentes sempre rola um clima diferente. Garotos e garotas procurando aventuras sexuais. Depois que a bebida desinibe os preconceitos e a timidez, tudo é possível. Não vejo problema algum estar em um quarto com duas mulheres ao mesmo tempo. É preciso haver um sincronismo e uma atração entre eles para que a aventura se torne completa.
Interagir com duas mulheres ao mesmo tempo tem seus encantos e ao mesmo tempo os cuidados necessários para o programa ser bem sucedido. De cara já vou adiantando que nunca deve usar a mesma camisinha nas duas garotas. Além de ser uma questão de higiene pessoal, evita o contágio de certas doenças transmissíveis.
Para evitar o constrangimento de dar mais atenção a esta ou aquela por estar em seus domínios, preferi ir para meu apartamento que era um lugar neutro. As duas sentiriam à vontade e eu não estaria beneficiando ninguém por ser proprietário do imóvel.
Chegamos num clima de grande excitação. Era minha primeira vez e acredito que para elas também. Apesar de sermos colegas de faculdade e convivermos diariamente na sala de aula, ali era um momento de compartilharmos os mesmos desejos e as mesmas emoções. Nada de preconceitos e vergonhas.
Sempre tive vontade de assistir duas mulheres transando. Era uma fantasia antiga e pedi a elas que se despissem e começassem com os preliminares. As mulheres sempre fazem as coisas com mais calma e paciência, ao contrário dos homens que são afoitos e querem resolver a brincadeira de uma vez.
Como as duas estavam no auge da excitação, rolaram abraçadas na cama com beijos de língua e lambidelas nas tetas. O que uma fazia a outra repetia e o prazer era mútuo. A loira lambia a vaginha úmida da morena que rebolava e se contorcia na cama agarrando os lençóis até alcançar um orgasmo impressionante. Fiquei fascinado com o espetáculo proporcionado.
Com a morena não foi diferente. A loira, mais excitada, passava as mãos e a língua em sua vulva e ao mesmo tempo se masturbava gemendo baixinho e me deixando em estado de graça. Ao chegar ao orgasmo, a morena segurou firme a cabeça da loira e meteu com força em movimentos desuniformes de sobe e desce para que ela lambesse com vontade a bucetinha latejante.
Deitaram lado a lado, a loira com as mãos nos seios da morena. Podia escutar a respiração ofegante das duas ao aproximar-me e ficar de joelhos entre elas. Notava-se nitidamente o pulsar de seus corações agitados e descompassados depois do esforço físico despendido.
Não demorou para a loira ceder-me o lugar na cama. Ajoelhou por cima e lambeu minha rola que estava ardendo de excitação. Enquanto a loira mamava, beijei a morena e lambi seus seios carnudos e fartos. Trocaram de posição e senti os lábios sedosos da morena engolindo minha pistola, enquanto mordia com força os seios da loira que gemia alto.
Não suportando mais aquela situação, pedi que deitassem juntas e complementei a ereção com uma gostosa punheta, dando um banho de esperma nos seios das duas. Passaram a língua entre elas para ver o gosto do leitinho quente e a morena se posicionou de quatro esperando pela penetração. A loira cortou a embalagem do preservativo com os dentes, colocou carinhosamente no meu pau e relou na bunda da morena, enquanto eu beijava seus lábios sensuais e provocantes.
A rola deslizou pela vulva melada da morena e adentrou de uma vez, fazendo com que ela rebolasse na vara e gemesse alto. A loira ajoelhou a sua frente e ordenou que ela mamasse na sua buceta. Enfiava a língua à medida que sentia o vai e vem que eu fazia na sua vagina. Já perto da ereção, tirei o pau e a camisinha, voltaram a ficar juntas deitadas e soltei outro jato de esperma, desta vez no rosto das duas que fecharam os olhos a espera do leite quente.
Como já estávamos extenuados e suados com o esforço físico despendido não meti na loira naquela noite. Resolvi deixar para outra oportunidade onde repetiríamos aquele programa ao sair da faculdade.
Depois de um demorado banho à três, nos vestimos e fomos a uma pizzaria para comemorar nosso primeiro Ménage à trois, uma experiência a mais para enriquecer nossa vida sexual.




Sobre este texto

charliefica

Autor:

Publicação:23 de julho de 2015 18:34

Gênero literário:Crônica erótica

Tema ou assunto:Encontro a Três

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 23/07/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*