Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Cada Vez Mais Fundo - Parte 3 (Final)

Entramos no carro e Ricardo começou a acelerar, doido pra chegar na casa de Vinicius. Enquanto isso, no banco de trás, Vinicius e eu nos beijávamos. Literalmente queriamos devorar um ao outro. A língua de Vinicius fazia coisas maravilhosas na minha boca. Ela se enroscava na minha, ele chupava minha lingua... AAH! Como era delicioso. Vinicius me beijava e passava a mão na minha barriga, subia a té o peito e depois descia até perto do meu pênis. Ele começou a fazer boas pegadas no meu pau por cima da calça. Eu gemia com a boca grudada na dele.
- Eu estou tentando dirigir, porra! Será que dá pra vocês esperarem até a gente chegar lá? - Disse Ricardo.
Nós olhamos pra ele e rimos e depois continuamos. Tirei a blusa de Vinicius e desci meus lábios quente até seu pescoço. Chupei seu pescoço, dei umas mordidinhas de leve e depois desci com a lingua até seu mamilo. Eu chupei seu mamilo e chupei com muito gosto. Depois desci, brinquei com a lingua em seu umbigo e Vinicius se inclinou. Ele gemia e eu ia descendo e desabotoei sua calça.
- Eu vou fuder vocês dois com muita brutalidade senão pararem agora! - Avisou Ricardo.
Eu ri, Vinicius também e então eu chupei Vinicius ali dentro do carro. Vinicius gemia alto dentro do carro, Ricardo tentava se concentrar e eu... Eu namorava o pau de Vinicius. Eu ia descendo com a lingua até a base, depois subia e chupava a cabecinha. Depois eu passava a lingua na dobra da cabecinha e abocanhava o pau, dava umas chupadas rápidas e depois subia lentamente e sugando ao meus tempo. Vinicius se contorcia todo dentro do carro. Que bom que demorava pra chegar na casa dele.
- Eu não aguento mais! Por favor, esperem! - Pediu Ricardo.
- Se você acelerar primo, prometo te chupar desse jeitinho.
E eu sugava aquela cabecinha e como um sorvete de casquinha fui lambendo a base e chupando suas bolas. Eu masturbava Vinicius e chupava as bolas dele e Vinicius começou a enfiar sua mão dentro da minha calça. Ele cuspiu nela e foi enfiando um dedo no meu cu. Parei de boquetar ele e gemi. Ele enfiou três dedos olhando nos meus olhos. Nos beijamos de novo e voltei a abocanhar aquele pauzinho com muita vontade de receber leitinho na minha boca.
- Chegamos! - Avisou Ricardo.
Todos saímos do carro correndo. Entramos dentro da casa e Vinicius avisou que a festa seria no quarto dos pais dele e que eles nem notariam que estivemos lá. O quarto dos pais de Vinicius era enorme e a cama era redonda e bem grande. Ficamos ali um tempo encarando a cama até que Ricardo disse sem tirar os olhos da cama:
- E aí? Quem começa a me chupar primeiro?
Vinicius e eu ajoelhamos e nós dois arriamos juntos a calça de Ricardo. Eu chupava a cabeçona de Ricardo enquanto Vinicius devorava as bolas. Olhando pra gente, Ricardo não gemia muito, apenas apreciava aquele momento, mas de vez em quando, ele soltava uns gemidos. Ricardo acariciava a minha cabeça e a cabeça de Vinicius, enquanto nós dois chupavamos com gosto o pau daquele nosso macho. Depois trocamos, Vinicius com a boca no tronco enorme de Ricardo e eu chupando as bolas dele. Eu lambia as bolas de Ricardo e depois as sugavas e eu parei e observei Vinicius abocanhar aquela jeba e fazer uma perfeito vai e vem. Já havia sentido a boca deliciosa de Vinicius no meu pau, então eu imaginava o que Ricardo estava sentindo. Vinicius parou e foi a minha vez de fazer um rápido boquete em Ricardo. Enquanto eu abocanhava seu ganso, Eu passava a lingua por todo seu tronco ao mesmo tempo. Isso quem me ensinou foi meu padrasto querido. Meu ébano. Ficamos nesse troca troca por bastante tempo, até que levantamos. Ricardo mandou a gente tirar a roupa e ficar de quatro com a bunda bem empinada na cama. Ricardo tirou sua blusa e se aproximou.
Ricardo então cuspiu no cu de Vinicius e começou a chupar aquele cuzinho apertado e gostoso de Vinicius. Vinicius urrava de prazer. A cabeça de Vinicius girava com o que ele sentia. Vi Ricardo fuder o cu dele com a lingua. Ricardo tirava e depois enfiava a cara, esfregando sua face naquele cu rosinha. Depois Ricardo veio até a mim e fez o mesmo. O que senti foi incrivel, algo inexplicável. Meu primo sabia fazer um perfeito cunete. Depois ele começou a enfiar seu pau enorme no meu cu. Ele foi entrando e entrando devagarinho e quando chegou lá no fundo, Ricardo começou a bombar e com força. A fome de gozar de Ricardo era tão grande que ele dispensou qualquer movimento fraco e foi enfiando forte no meu rabo. Ele enfiava e com vontade. Depois ele trocou e foi pra Vinicius, ele literalmente devorou o cu de Vinicius. Sem protestar, Vinicius recebia aquele pau durão no seu cu com muita vontade. Os gemidos de Ricardo ficaram mas alto. Ele tirou o pau do cu de Vinicius e botou nós dois de cara a cara no seu pau e gozou nos nossos rostos. Depois Ricardo se deitou. Vinicius começou a beijar Ricardo, que sentia o gosto de sua goza naquela boquinha deliciosa. Enquanto os dois se beijavam eu parti para o cu de Vinicius.
Eu dei umas lambia rápidas no cuzinho de Vinicius, lubrifiquei bem meu pau e enfiei. Eu fui fundo e com vontade. Eu enfiava meu cassete com força naquele cu. Eu então fui chegando bem fundo. Me lembrei do que Ricardo havia feito comigo no banheiro e fiz no cu de Vinicius. Eu enfiei bem fundo o pau e depois rebolei e tirei. A sensação foi maravilhosa que todo tesão tomou conta de mim. Eu fiz de novo e de novo e Vinicius parou de beijar Ricardo pra gemer e pedir pra eu fazer mais. Como na primeira vez que o comi, o viado ria de prazer e gosto. Ele fazia umas caras de dor e depois ria. Ricardo ali deitado observando nós dois e sorrindo.
- Isso priminho. Come ele gosto! Vai! - Dizia Ricardo.
E eu fazia isso. Depois eu não respondia por mim e comecei a bombar naquele pau. Ricardo veio por trás de mim. Enquanto eu bombava com força indo bem fundo naquele cu maravilhoso, Ricardo acariciava o meu corpo e me beijando. Ricardo apertava meus mamilos e eu urrava de prazer. Estava suando e bombando aquele cu gostoso. Ricardo beijava meu pescoço e depois começou a alisar seu pau que estava duro de novo no meu cu. Ele me beijava e me roçava delicioso, apertando meu mamilo. Vinicius gemia muito. Vinicius então ficou de frango assado. Me inclinei e beijei Vinicius na boca e depois voltei a bombar seu cu. peguei no pau de Vinicius e enquanto eu metia, bati uma pra ele, que se contorcia todo. Logo em seguida, senti uma dor estrondosa no meu rabo.
Abraçado comigo, me beijando no meu pescoço e no mesmo ritmo, Ricardo bombava o meu cu. O prazer tomou conta do meu corpo, ignorando completamente a dor.
- A priminho! Eu te amo tanto. - A voz de Ricardo em meu ouvido era ainda mais excitante. - Você gosta disso priminho. - Ricardo gemia baixinho no meu ouvido.
Vinicius gemia alto enquanto eu o comia e o masturbava e eu... Eu urrava de muito prazer. Então o corpo de Vinicius tremeu e o meu também. Os gemidos abafados no meu ouvido me deram muito tesão. Gozei dentro do cu de Vinicius, que também gozava. Esguichei tudo lá dentro e o pau de Vinicius espirrou muita porra. Sai de dentro de Vinicius que recuperava o folego e Ricardo estava bombando meu cu. Agora Ricardo estava mais veloz. Ele agarrou meu cabelo e seu ritmo aumentava. Ricardo ia tão fundo que sentia seu pau chegar no meu pâncreas. Eu só gemia e gemia e gemia e meu pau latejava e latejava. Até que Ricardo soltou um grito, bombou duas vezes e depois lá no fundo gozou dentro de mim. Senti seu liquido percorrer todo meu corpo. Nos deitamos.
Eu gemia cansado. Vinicius gemia cansado e Ricardo também. Eu estava sorrindo apesar de cansado. Eu fudi um cu pela primeira vez. Transei com o meu primo gostoso, algo que sempre quis. Depois trepei com os dois ali, no quarto dos pais dele. Eu não parava de sorrir.
- Vamos se amigos pra sempre? - Vinicius me abraçou.
- Eu quero fuder vocês pro resto da minha vida, seus putos. - Ricardo me abraçou.
- Eu quero... Eu... Ai! Eu to cansado demais pra falar. - Eu disse.
- Então não fale. Apenas relaxe e goze. - Disse Vinicius dando um sorriso malicioso. Ele e Ricardo foram descendo e descendo até chegar no eu pau.
- AAAh! - Eu gemi.

Sobre este texto

Doce Menino

Autor:

Publicação:28 de dezembro de 2014 12:37

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 806 vezes desde sua publicação em 28/12/2014. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*