Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

O Negão me enrabou...Eu gostei !

O Negão me enrabou...Eu gostei !
O Negão me enrabou...Eu gostei !




Fiquei com negão ele retribuiu com muito gosto e prazer...
A idéia que eu tinha de gays era totalmente errada. Eles chupam divinamente é claro mas se entregam de corpo e alma numa relação.Se comportam como madames ou putinhas.
Cada pessoa é um caso.
Depois da minha aventura que tive com um gay e paguei um boquete, eu fiquei com muita vontade de dá. Queria mesmo saber se recebendo um bom cacete teria tanto prazer como sinto quando estou comendo uma xoxotinha ou um rabinho.
Pensei muito e na falta de opção procurei o gay, que me induziu a fazer um boquete.
Liguei para ele marcando um encontro, eu não queria correr o risco de ser flagrado em um terreno baldio atracado com um negro bem dotado com cacete todo enfiado no meu rabo. Então o convidei a ir no motel.Ele concordou mas foi logo dizendo que queria também...Safado tanto quanto eu,só que ele tinha experiência em dá e eu não.
Assim fui ao encontro marcado com o meu fetiche “AGUENTOCACETUDOS”, assim que ele entrou no meu carro começamos um bate papo legal.
Bem no inicio eu estava meio nervoso, mas o cara foi alisando meu cacete eu com as mãos no volante nada podíamos fazer a não ser acelerar o carro.
Já perto do motel o safado abriu minha calça e começou a chupar meu cacete.
Fiquei super excitado, controlando para não perder o rumo. Afinal uma boa chupada tira qualquer um do sério.
Meu cacete parecia que era um porrete de tão duro.
Assim entramos no quarto do motel e Diogo rapidamente veio tirando minhas roupas dizendo que estava ansioso, desde dia que nos encontramos.
Sentei em uma cadeira o moço ajoelhou a meus pés e tome chupada, parecia que ia engoli meu cacete, tinha momentos que só ficava de fora os culhões.
Caramba estava muito gostoso mesmo a chupada o safado sabia muito bem o ponto fraco, a todo o momento engolia o cacete todo demorando na cabeça latejante. Depois de mais de dez minutos Diogo pediu leitinho na garganta.Ora como eu estava ali para dá e senti prazer não titubeei comecei com longos espasmos despejando grande quantidade de esperma em sua garganta.O safado gemia gostoso bebendo todo meu leitinho.Claro que eu dava uma ajuda segurando com firmeza sua cabeça para não deixar desperdiçar nada.
Uma verdadeira explosão de êxtase e prazer.
Diogo levantou ficando em pé a minha frente e assim pude ver com exatidão o tamanho de seu mastro, que mesmo comprimido mostrava ser enorme dentro da calça apertada.
Engoli em seco, pois a ficha caiu sabia que a parti daquele momento não poderia voltar atrás. Ia dá sim meu cuzinho virgem para ele.Fui e direção ao banheiro ele me seguindo ,eu tomando meu banho ele só me observando.
Assim quando eu ia saindo ele na minha frente nos tocamos e com uma rapidez imensa me abraçou acariciando meu corpo, deixando-me com sensações desconhecida e prazerosas se apossarem dos meus pensamentos.
Fiquei ali entregue os seus carinhos, ele sempre dizendo não pense em nada só no prazer que vou te dá, não forçarei, não vou te machucar e você vai gostar, relaxe em meus braços que você vai gostar.
E levando uma de minhas mãos a seu cacete, que estava super... Super latejante de tesão.caramba era enorme ,grosso uma tora negra me enlouquecendo de desejo .
Diogo acabou o banho e fomos para cama, depois riu falando que tinha certeza desde a primeira vez que eu seria dele.
Mas eu lhe disse que o medo o preconceito faz sempre que deixamos de curtir os prazeres da vida.
E afirmamos que não gostamos de algo que nunca provamos, deitados ambos iguais gato e rato esperando o momento inicial do grande momento. Assim que ele falou:
Deixa-me te dá mais uma chupada pra compensar o tempo perdido. Se entregue porque daqui para frente não tem volta,estamos entendidos?
-Ahhh. Claro.
É claro que eu meio tímido porque nunca tinha experimentado fazer nada assim, na cara limpa e com um homem muito bem fisicamente, que já demonstrou o que quer e gosta.
Só posso mesmo é rezar para seu cacete não me arrombe totalmente, mas que vou me entregar a dá e sentir prazer isto eu vou.
Pensando assim eu senti meu cacete aumentar de volume cada vez mais, mudei de posição e abocanhei seu mastro, começando um sessenta e nove (69).
A reação de Diogo foi de pura alegria, por eu ter tomado a iniciativa, não perdeu tempo e começou me chupar novamente.
Ele gemia gostoso,mas meu pau era médio,acho até pequeno apenas 18 cm estava bem duro.Comparado ao dele que não cabia em minha boca.O cara chupava mais gostoso que minha namorada.
Engolia todo cacete com uma destreza que nem engasgava nem nada.E sempre com um dedo alisando meu rabinho ,em alguns momentos colocava quase o dedo todo no meu cuzinho,caramba ai meu cacete ficava mais duro ainda.
Uma delicia de repente gozei montes na boquinha dele.Poxa eu nunca tinha gozado duas vezes seguidas em tão pouco tempo.
Eu adorei é claro.
Diogo mamou gostoso mesmo e saiu de baixo de mim.

Dizendo que queria despejar toda sua seiva no meu rabo.
Estremeci de leve sabendo que o tão almejado momento estava próximo.
Logo assim que ele me colocou de quatro(4) abriu a minha bunda dando pinceladas com sua língua quente e molhada, era gostoso senti a submissão do meu corpo aos prazeres da carne.
Quando ele se afastou um pouco colocou camisinha,e começou a untar o cacete com Ky passando no meu rabo uma quantidade.
Alisava com os dedos fazendo contornos,sem forçar,eu sentia como se tivesse com as pregas piscando.
Pedindo implorando para se penetrado.
Olhava de relance aquele cacetão preto grandão com uns 22cm.
Diogo alisava pra me mostrar que estava morrendo de tesão, o cacete dele era grandão e grosso.
Apalpava minha bunda,dava leves tapas,encostava cabeçorra.Preparava o momento.
Caracas eu fiquei morrendo de vontade de receber logo seu mastro,estava super excitado.
-Quando Diogo encostado a mim disse-me:Esta com vontade meu putinho está?
-Quer ver Dioguinho dentro do seu rabinho é?
-Vai gemer gostoso vai meu putinho safadinho?
-Quer que teu Dioguinho bote a cabecinha quer?
-Pede vai ...Implora por teu cajado no seu rabo meu putinho.
Caramba era gostoso ouvir sua voz, enquanto encostava seu cacete no meu rabo e sempre acariciando meu anel.
O psicológico pedia,implorava.
- Hum...eu gemia querendo ele.
-Quando falei em sussurro Diogo bota um pouquinho vai...Até eu aguentar.
-Vou colocar aos poucos meu putinho e tu vai gemer pedindo até os culhões ,meu puto safado.E vai virar meu freguês.
Era seu aperitivo preparar a ansiedade.
Quando Diogo começou empurrar de leve a cabeçorra ,vi estrelas no céu ,era uma dor,empurrava falando palavras suaves.
A dor deu lugar ao prazer e o êxtase.
A cabeça o passou ele parou ficou só acariciando ,punhetava ,até meu cacete ficou mais duro,minhas pregas latejavam.
Quando começou com um ritmo metendo e tirando o cacete todo não sentia mais dor ,sentia convulsões de prazer.
Diogo me segurava pela cintura puxando - me ao seu encontro.
Não segurei os gemidos pedindo que metesse com vontade, ora eu queria aquilo tudo dentro de mim pedia implorava que metesse gostoso.
Só tinha que aproveitar os momentos e sentir muito tesão.
Quando Diogo começou acelerar os batimentos cardíacos sua voz ficou rouca previ o mais sublime dos momentos o orgasmo.
Ambos chegando ao ápice do prazer.
Explodi em um intenso gozo molhando todo lençol, sem nem me tocar, ele segurava meu cacete com mãos suaves e protetoras.
Ficamos atracados com a respiração ofegante por alguns minutos depois senti seu membro sair de dentro de mim.
Depois de algum tempo meus olhos pareciam hipnotizados olhando aquele porrete preto,descansando como um guerreiro depois de uma longa batalha.
Um vencedor que soube sucumbir minha vontade aliando aos prazeres de ambos.
Depois deste fato eu me conservo no direito de dá quando acho conveniente.
Afinal meu corpo me pertence e fico no direito de usar como acho que devo.
Nem por este motivo deixei de comer as xoxotinhas da vida que adoro.
E ponto final.
Dou recebo e adoro.


Docecomomel(hgata)

21/02/2013.

Sobre este texto

Docecomomel

Autor:

Publicação:9 de outubro de 2014 23:20

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 2.385 vezes desde sua publicação em 09/10/2014. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*