Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Meu marido e sua secretária (corna)

Bom, antes de tudo, como todo conto os nomes serão fictícios. Este é meu primeiro conto e espero que consiga expressar da melhor maneira possível. O conto é real e já adianto que será grande, bem detalhado.
Meu nome é Julia, tenho hoje 32 anos mas o que vou contar aqui aconteceu 3 anos atrás quando eu tinha 29.
Sou ruiva, cabelos lisos, 1,74 de altura, olhos castanhos, malho desde cedo e sim, sou bonita e gostosa. Nunca fui modelo mas já fiz algumas propagandas aqui na minha cidade local como comerciais anúncios para algumas lojas.
Meu marido, Douglas têm a mesma idade que eu, malha também, têm olhos castanhos, um pouco mais alto do que eu e diria que ele é o típico homem comum. Bonito, mas nada de mais.
Sempre fui muito confiante pois sou atraente vaidosa e me cuido para isso por tanto nunca fui ciumenta acreditando que seria difícil ter concorrência e mais difícil ainda meu marido conseguir alguma garota mais atraente.
Certa vez, fui levar um relatório para meu marido na empresa onde ele trabalha. Nunca fui lá mas como era algo importante que ele esqueceu dei uma escapadinha do meu serviço para levar para ele. Logo na entrada uma recepcionista me indicou a sala dele e lá fui entregar o relatório. Quando chego a sala dele eis que me deparo com ele sentando em uma poltrona e uma loira de cabelos compridos, olhos claros, malhada, muito atraente em pé encostada na sua mesa de frente pra ele bem descontraída em um papo qual atrapalhei quando cheguei. Rapidamente ela saiu, me deu apenas um leve sorriso tímido. Entreguei o relatório pra ele e sai já que tinha horário pra voltar.
Na saída, pergunte sobre a loira pra recepcionista e ela me disse que era uma secretária novata, seu nome é Michele e ela disseque ela estava mexendo com a cabeça dos homens na empresa. Até meio enciumada disse que o Douglas era casado (ela não sabia que eu era esposa) e que era falta de respeito ela ficar na sala dele de papinho (argumento sem sentido né?) e a moça da recepção me fez um comentário que mexeu com minha cabeça: casado ou não, que homem iria desperdiçar uma loira dessa? Até sua esposa (no caso eu) deveria liberar o maridão pois quando que um homem teria chance de comer uma loira daquelas? Ok, fui embora com raiva mesmo sem certeza de nada pois só vi os dois conversando bem a vontade.
A noite depois do serviço, mesmo enciumada pela primeira vez transamos gostoso. Durante a transa a frase da recepcionista não saia da minha cabeça e imaginei Douglas com Michele transando. Para minha surpresa gozei gostoso imaginando a situação e Douglas me comeu gostoso terminando com uma farta gozada na boca. Depois da transa conversei com ele sobre a loira e insistindo ele disse que ela dava em cima dele mas que nada aconteceu.
Tempo se passou e teve uma festa de fim de ano da empresa, em uma chácara muito grande e foi a primeira festa realizada pela empresa. Fui com Douglas, estava um clima gostoso, tinha uma mini discoteca com boa música e muita bebida. Logo chega Michele, muito sexy e atraente com todos olhares voltados a ela com um vestido preto e curto. Vi que ela ficava sem graça comigo por perto mas em um momento, quando ele timidamente conversava com Douglas a sós cheguei e me apresentei de forma bem extrovertida deixando ela a vontade e a chamei para sentar conosco. Papo vai papo vêm Douglas me chama para dançar e prontamente eu recuso com a desculpa que estou cansada e dou um empurrãozinho na Michele para iro no meu lugar. Ela ficou constrangida mas topou e foi ao banheiro antes. Nesse momento dei um beijo no Douglas e disse pra ela aproveitar. Ele me olhou surpreso mas não deixei ele falar nada e repeti para ele aproveitar já que ela claramente estava a fim dele. Nisso ela chegou e foram dançar. Era um ambiente fechado e bem escuro e sem os dois perceber fui atrás espiar. Logo, mais precisamente na segunda música vejo os dois aos beijos e Douglas com a mão por baixo do vestido dela. Mas o clima foi cortado com as luzes acessas com um intervalo para o DJ. Rapidamente voltei sem eles perceber para a mesa onde estávamos. Voltaram como se nada tivesse acontecido e fomos embora e convidei Michele para ira a nossa casa tomar um vinho conosco. Ela relutou no início mas acabou topando. Douglas quieto só observava e concordava. Em casa batendo papo descontraído eis que me virou para Michele e pergunto: a festa estava boa né? Dançaram bastante? Timidamente ela disse que sim. Concordei dizendo que pra ela deveria ter sido bom já que boa parte ela ficou aos beijos com Douglas. Ela e Douglas também ficaram sem ação e muito constrangidos sem nada falar. Quebrei o clima ruim e disse para irmos ao quarto e mesmo sem saber o que fazer ela concordou.
Já no quarto disse para eles continuarem que no clima que eles estavam não podia parar na metade mas que tinha uma condição: eu iria filmar pra guardar de recordação. Espantados (Douglas nem tanto já que imaginava que algo iria acontecer) ela apenas balançou a cabeça concordando. Logo peguei a câmera e comecei a filmar os dois que estavam bem tímidos ainda. Sentei na poltrona e deixei os dois na cama e logo o tesão começou a falar mais alto.
Logo os dois já estavam semi nus com Douglas chupando os peitos dela. Estavam totalmente entregues e nem lembravam que eu estava ali com a câmera. Logo ela tirou a cueca dele e começou o boquete. Parecia que o pau de Douglas iria explodir de tão duro que estava. Não aguentei e comecei a me tocar vendo aquilo tudo mas nunca esquecendo de filmar.
Michele lambia o pau dele e chupava com vontade. Logo ela ficou de quatro e Douglas meteu sem dó (de camisinha claro) e ela gemia igual uma puta. As batidas das bolas do Douglas eram frenéticas e logo ele pegou ela pelos cabelos e montou e mais em seguida deitou para ela cavalgar. Ela pulava gostoso e nunca vi o Douglas tão enérgico como desta vez. Ele ainda com uma pontinha de maldade (ou não) a colocou em pé, de frente pra mim, com os dois braços dela apoiados na poltrona onde eu estava e a fodeu forte por trás e os dois transavam como se eu nem estivesse ali. Cansados, eu filmando tocando uma gozando gostoso vendo aquilo ela se ajoelhou de frente pra mim e ele gozou muito na boca e no rostinho lindo dela. Ela chupou mais um pouco o pau todo gozado e me olhou pela primeira vez durante a transa com olhar que dava a entender que ela pensava: corna, seu marido me comeu na sua frente como nunca fez com você. Gozamos os três, eles tomaram um banho e Douglas a levou embora pois cedo ela tinha que viajar.
No outro dia na empresa Douglas teve a notícia de que ela foi transferida e por isso ela tinha que viajar no outro dia. Nunca mais ouvimos falar dela mas a gravação está aqui e sempre assisto até durante as transas minha e do Douglas. Jamais imaginei que ser corna daria um prazer que nunca imaginei de tão bom e espero repetir a dose o quanto antes.
Bom, este foi o conto e espero que tenham gostado.

Sobre este texto

drianinha

Autor:

Publicação:17 de julho de 2014 13:38

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Pulando a Cerca

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 1.108 vezes desde sua publicação em 17/07/2014. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*