Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Eu Minha Mãe e o Pedrão Parte - 2 Continuando o conto um. Aquele clima continuava minha mãe mal me

Eu Minha Mãe e o Pedrão Parte - 2  Continuando o conto um. Aquele clima continuava minha mãe mal me
Eu Minha Mãe e o Pedrão Parte - 2

Continuando o conto um. Aquele clima continuava minha mãe mal me olhava nos olhos, falava só o necessário, e eu agia do mesmo jeito com ela. Com o Pedrão eu continuava evitando encontra ele tinha vergonha e medo. Mas numa sexta feira final de tarde eu estava em casa na sala vendo TV e minha mãe na cozinho, meu pai estava lá fora. Meu pai a porta e me chama. Carlinho o Pedrão chegou aqui. Quando levantei a cabeça o meu pai já tinha abrido a porta e mandando-o entrar. Oi Carlinho! Oi Pedrão. O que tu faz aqui essa hora? Estava passando aqui e como mal tenho te visto, resolvi entrar. E foi sentando no sofá. Que jogo estas vendo? Eu respondi, mas eu estava muito envergonhado com a presença dele ali na minha casa. Conversamos um pouco sobre o jogo e ficamos assistindo. Eu notava que ele olhava pra cozinha e pro quanto da minha mãe.

Minutos depois minha mãe apareceu na sala vinda da cozinha. Oi Dona Carla tudo bem? Pedrão falou e se levantou pra cumprimenta-la. Minha mãe só assentiu com a cabeça e cumprimentou ele também. Pedrão sentou-se, olhei pra minha mãe e ela estava toda vermelha e perguntou também. E você estas bem? Eu estou ótimo Dona Carla e melhor ainda quando venho aqui. Que bom! Dão-me licença esta indo pro meu quarto. Minha mãe saiu e eu é que fiquei ainda mais envergonhado com a situação de constrangimento de minha mãe. Nossa tua mãe ficou roxa mal me olhou. Querias o que cara que ela achasse que tudo foi normal. Vamos lá na lanchonete, não quero falar disso aqui e é melhor tu da um tempo se vi aqui. Saímos sem falar nada, até por que meu pai estava ali na rua, entramos no carro dele e sem nada falamos chegamos na lanchonete.

Pedimos uma cerveja, o primeiro com entrou num gole só. Deixa-me ver se entendi direito Carlinhos, tu não queres que eu venha mais na sua casa? Não é isso Pedrão. Só por um tempo até minha mãe esquecer e nós também. Olha vou respeita a sua vontade, mas acho que ela nunca vai esquecer. Ah Pedrão mais é melhor ela mal fala comigo. E tu já tentaste falar com ela sobre o que aconteceu? Não. Eu também tenho vergonha. Queres que eu fale com ela te garanto que numa conversa tudo se resolve. No momento só quero um tempo. Acabamos mudando de assunto. Passando uma semana era uma quinta fera à noite no clube a gente se encontrou lá. E ai Carlinho tudo bem? Tudo sim e contigo? Bem também. E as coisas com sua mãe? Ah vai indo. Com tempo se ajeita. Já posso ir lá quebra esse gelo e todos seguir melhor. Deixa assim. Só quero ajudar. Eu sei. Eu sei, só não quero falar mais disso.

O Pedrão conhecia um pouco a rotina lá na minha casa, foi no Domingo seguinte ao encontro com ele no clube que ele apareceu na minha casa bem na hora que meu pai saia como era costume ele sair aos Domingo. Ele buzinou no portão e assim que cheguei e falou pra mim abri o portão. Como não tinha o que fazer eu o deixei entra. O que tu faz aqui? Não falasse nada que vinha e te pedi pra da um tempo. Ah Carlinhos eu estava na lanchonete tomando uma pra ver o jogo, mas não tinha mais ninguém ai vim aqui te convida pra ver e, podemos ver aqui na tua casa mesmo e, qualquer coisa eu falo com tua mãe. Não precisa fala com ela, mas vamos entra que estou vendo os jogos do espanhol. Entremos e fomos pra sala e ficamos vendo os jogos. Uns 10 minutos depois minha mãe apareceu, vinha do seu quarto. Eles se cumprimentaram como da outra vez e notei que minha mãe continuava com vergonha do Pedrão. Depois ela foi para a cozinha.

Queres que eu vá falar com ela e resolvermos isso tudo? Não cara fica ai e vamos ver o jogo. Com tempo a gente esquece. Não eu vou lá. Deixa-a lá cara. Espera aqui que vou lá. E se levantou e foi. Eu fiquei ali tentando ver o jogo, mas não conseguia. Depois de uns 5 minutos que pareceram 5 horas eu não consegui espera mais sem saber o que podia esta acontecendo. Quando cheguei na porta da cozinha minha mãe estava encostada do balcão de costa e o Pedrão atrás dela. Falava no ouvido dela e eu não conseguia ouvi, ao mesmo tempo em que seu corpo estava encostado no dela como se estivesse encoxando ela. Eu já fiz barulho e ele desencostou dela. Minha mãe estava com cara de quem esta envergonhada.

Oi Carlinhos eu estava falando com sua mãe sobre o aniversario dela. E ela esta com medo e vergonha por que acha que eu ia contar para alguém sobre a festinha. Pode dizer pra ela que sou de confiança, já que era isso que esta dizendo, que o que rolou é nosso segredo, só não da de esquecer por que foi gostoso demais. Minha mãe até riu timidamente. É mãe eu já falei com ele e ele prometeu-me que nunca vai contar pra ninguém. Eu fico sossegada, eu nunca trair seu pai, nunca fiz nada que alguém pudesse falar de mim. Relaxa Dona Carla que é segredo e eu nunca ia prejudicar vocês. Mas que foi uma tarde inesquecível isso foi. Minha mãe sorriu pra ele e concordou com a cabeça. Ele aproveitou o clima de brincadeira e botou as mãos no ombro dela e brincou. Quer outra massagem? Eu já cortei na hora. Pedrão não começa com essa história. A senhora não gostou da massagem? Uma massagem tu faz bem demais, eu nunca fiquei tão relaxada.

Aquilo pro Pedrão foi um convite. Ele voltou a massageá-la e foi pra trás dela e sussurrou algo no seu ouvido. Ela sorriu. Ah Pedrão não sei. Não sabe o que mãe? E Pedrão vamos pra sala ver o jogo. Não foi nada filho. Ah Carlinhos antes de tu chegar eu e sua mãe estávamos lembrando-se do aniversario dela, tem muitas coisas que ela não lembra bem, por isso anda tão pensativa quanto tu falou. Ai estava convidando-a pra mostra-la tudo que a gente fez e que ela gostou demais. Minha mãe me olhou esperando uma resposta minha mais nada conseguir falar. Pedrão aproveitou o silencio e puxou a cintura de minha mãe contra seu corpo, encoxando-a outra vez. Melhor para isso mãe. Só hoje filho e tudo voltaram ao normal eu prometo. Pedrão ouvindo aquilo a apertou ainda mais contra ele e passou a massagear seus seios por cima da blusinha. Mãe! Vem cá filho só hoje. Pedrão tirou sua blusinha e ela que estava sem sutiã, saltou dois peitões com os bicos duro e arrepiado mostrando como ela já estava excitada.

Ele foi abocanhando um e ela gemeu aaaaaaaaaa e puxou minha cabeça pro outro. Aquilo a fez gemer mais aaaaaaa nossa como isso é bom. Pedrão tirou a camisa e jogou em cima da mesa e foi deslizado a boca nas costas de minha mão que não parava de gemer. Eu continuei chupado seus peitos e ela arrancou minha camisa. Pedrão desabotoou o short dela e puxou pra baixou e ficou brincando com a bunda dela, depois a virou e eu pode ver aquele rabão com uma pequena calcinha toda enterrada em sua bunda. Meu pau latejou dentro da bermuda. Tirei minha bermuda, enquanto o Pedrão deslizava sua calcinha por suas pernas até passa pelos seus pés. Essa sena de minha mãe peladinha ali em pé na cozinha até hoje quando entro na cozinha, parece que a vejo ali pelada. Pedrão que estava ajoelhado no chão passou a chupar sua buceta ali em pé. E eu voltei a encoxala e a massagear seus seios. Aaaaaaa Pedrão aaaaaaaaa isso me chupa aaaaaaa como isso é bom aaaaaaaaaaaa depois de uns minutos nessa chupaceira toda Pedrão se levantou e tirou a bermuda e a cueca e seu pauzão moreno saltou e minha mãe o segurou com as duas mão, enquanto ele a chupava os seios. Eu também me livrei da minha cueca e fiquei esfregando o pau no meio de seu rabão.

Vem Dona Carla deita aqui em cima da mesa. Minha mãe peladinha em cima da mesa era outra sena linda. Vem Carlinho chupa a buceta carnuda de sua mãe que ela adora uma língua. Eu fui pro meio de suas pernas e cai de boca. Que buceta cheirosa e carnuda ela tinha. Pedrão foi pra onde estava a cabeça dela e mandou-a chupar. Ela gemendo com minhas chupadas não perdeu tempo. Eu chupava ela e quando a olhava via ela com aquele pau na boca fazendo que ele dissesse. Isso Dona Carla chupa meu saco e depois vai até a cabeça aaaaaaaa boca safada depois eu só a escutava engasgando. Isso pra baba bem. Que senti ele bem babado nessa buceta não quer? Ela tirou o pau da boca e disse quero. Vem Carlinho troca de lugar comigo. Fui pra onde ele estava e minha mãe começou a me chupar. Ele abriu suas pernas e ficou esfregando a cabeça na buceta dela que gemeu aaaaaaaaaaaa e se abriu mais ainda. Quando ele meteu a cabeça e quase mordeu meu pau, e gemeu e parou de me chupar. Ele começou a meter parte do pau e tira isso a deixava louca e eu voltei a chupar seus seios. Aaaaaaaa Pedrão aaaaa não faz assim mete, mete aaaaaaaa e ele mete mais meteu tudo e ela imprensou minha cabeça em seus seios e gritou. Aaaaaaaaaa devagar seu cachorro relaxa que a senhora acostuma, mas que buceta apertada a senhora tem. Ah Cachorro é você que tem um pinto grande demais. Ele deu uma risada irônica e passou a meter e ela a gemer.

Eu voltei a da o pau pra ela chupar. Enquanto ele levantava suas pernas e metia. Ela gemia e me chupava e estava quase gozando. Pedrão parou de meter e tirou seu pau de dentro, estava melado e a cabeça até brilhava. Aaaaaaa Pedrão não tira mete vai quero goza nesse pintão. Pedrão fez minha mãe se levanta da mesa e a puxou pro chão. Quer gozar é? Então vem. E sentou em uma cadeira com o pau apontado pra cima e a fez senta. Eu vi seu pau moreno sumindo na sua bucetinha branca. Ate esqueceu que eu participava, ele segurava-a com as duas mãos na bunda dela e a fazia subir e descer, o pau saia até a cabeça e entrava ate o saco e cada vez que ela descia era um tapa na bunda. Aaaaaaaa Pedrão aaaaaa isso aaaaaaa eu cheguei do lado e dei o pau pra ela chupar, mas no sobe e descer no pau dele ela mal conseguia me chupar. Vamos lá pra sala Pedrão assim não da pra mim chupar o Carlinho.

Pedrão a segurou pelas e ela abraçou seu pescoço e sem tira o pau de dentro ele foi levando ela até o sofá, ainda me deu uma piscada com um sorriso cínico. Eu fui atrás vendo ele caminha e minha mãe com as pernas nas costas dele. Na sala eu sentei no sofá e o Pedrão a mandou fica de quatro no carpete com a cabeça no meu das minhas pernas. Eu me encostei-me ao sofá e minha mãe começou a me chupar, o Pedrão começou a chupa-la de quatro, depois deu um belo tapa na bunda e voltou a meter. Empina bem essa bunda Dona Carla que te quero ver rebolando no meu pau. Minha mãe empinou o que deu e ele começou a meter em sua buceta. O tezão nos dominava eu estava preste a gozar, vendo minha mãe me chupar, enquanto o Pedrão metia e fala tudo que é sacanagem pra minha mãe. Vai safada rebola. E batia naquele rabão, minha mãe rebola do jeito que dava e gemia, aaaaaa aaaaaaaaa Pedrão mete, mete esse pintão, e ficava me punhetando e olhando pra trás.

Eu não aguentei mais e avisei que ia gozar. Minha mãe parou de chupar e me punhetou com vontade. Eu gozei meu abdome todo aaaaaaaaaaaa e cai para o lado deitado no sofá. O Pedrão segura a cintura de minha mãe e a levava pra frente e puxava contra seu pau, eu escutava o barulho do saco na bunda. Aaaaaa Pedrão aaaaaa não para. Não para aaaaaa minha mãe gritou e se torceu toda no pau dele. Ele continuou metendo mais forte e a mandado rebolar. Ela gozou e pelo que vi gozou muito. Pedrão deu mais umas metidas e tirou aquele pau moreno de sua buceta branquinha e ficou em pé. Puxou minha mãe que ficou de joelho na sua frente e mandou-a chupar. Vem safada. Vem que quero gozar. Na boca não Pedrão, nunca deixei meu marido gozar na boca. Esta na hora de apreender a gostar. E mal acabou de falar segurou sua cabeça e gozou seu rosto todo e a fez abri a boca e meteu o pau gozado nela. Isso safada acostuma que vou te vicia nesse pau e na minha porra.

Pedrão caiu sentado na outra parte do sofá e minha mãe sentada no carpete com a cara toda melecado. Assim ficamos os três se recuperando sem nada falar. Minha mãe se levantou e falou: vou tomar um banho que estou precisando. Vou junto pra ajuda à senhora. Minha mãe riu. Vamos nos três que vocês dois estão mais soados que eu e, temos um tempo ainda antes do teu pai chegar. No box ficava meio apertado e minha mãe ficava no meio, começou a se lavar pelo rosto que estava melado. Pedrão pegou o sabonete e começou lavar sua bunda. Minha mãe também me ensaboava e eu a ela e, minutos depois eu e o Pedrão estávamos de pau duro. Minha mãe segurou nossos paus e disse: vitalidade da juventude é bom já estão excitados de novo. Pedrão guiou sua cabeça pras baixo e ela ficou acocada e começou a chupar nos dois. Chupava um e punhetava o outro e, assim revezava. Ela esta bem mais solta e chupava do saco a cabeça e depois a abocanhava. O Pedrão fazia questão de fazê-la engasgar, como se tivesse fodendo sua boca.

Minha mãe chupou nos dois por um bom tempo, parecia que gostava, eu estava gostando era muito excitante, mas eu tinha ciúme do Pedrão e, quando ela ficava mais tempo chupando ele, eu ficava vendo ela com o pau dele na boca, isso me dava um ciúme grande. Minha mãe ficou em pé se3gurando nossos paus e falou para o Pedrão. Pedrão me come de nono! aquilo me deu ciúme, raiva e vergonha. Queria que ela estivesse pedido pra mim era minha vez. Será um prazer fuder essa bucetinha Dona Carla! E já foi virando ela de costa pra ele. Ah mãe é minha vez! Ah filho deixa o Pedrão comer a mamãe que eu te chupo. Ela se curvou e pegou meu pau, enquanto o Pedrão se abaixou e caiu de boca no meio da bunda dela. Eu estive que me contenta com mais uma chupada, apesar de que minha mãe cada vez chupava melhor.

Pedrão se levantou ajeitou bem o pau e enterro aquela vara preta nela, ela chegou e engasgar no meu pau. Eu e o Pedrão ficávamos de frente um pro outro, com minha mãe curvada me chupando e o Pedrão estocando deixando-a na ponta do pé. O Pedrão parecia um animal, batia na bunda dela e enterrava forte seu saco estralava em sua bunda e o pau fazia poc poc poc. Minha mãe estava alucinada e até parava de me chupar e olhava pra trás. Aaaaaaaaaaaa Pedrão aaaaaaaa mete. Mete esse Pintão aaaaaaaa como é bom aaaaaaaaa isso safada rebola. Rebola que hoje te arregaço essa buceta toda, não vai mais se esquecer desse pau né? É aaaaaaaaa mete aaaaaaaa vou gozaaaaaaa e me abraçou forte e o Pedrão não para de soca e bater em seu rabão. Dona Carla esse cuzinho esta me deixando louco, já deu ele? Já mais faz tempo e hoje nem pensa. Por que? Só a cabeça! Outro dia Pedrão não estou preparada pra esse pau. Vou cobra então. Pedrão voltou a mete na buceta dela. Aos pouco ela voltou a me chupar e dessa vez sem avisar eu gozei. Nossa gozei muito o primeiro jato foi na boca o pelo banheiro, minhas pernas amoleceram e eu deslizei pela parede e cai sentado no piso.

Minha mãe apoiou as mãos na parede e o Pedrão continuava a mete, chamando-a de safada e mandado ela rebola. Eu sentado em baixo dela eu tinha uma visão que não sai da minha mente. Eu via aquele pau todo sair e entra até o saco. E ela apoiada na parede na ponta do pé. Isso safada rebola que vou te encher de porra! Aiiiiiiii aiiiiiiiiiiiiiiiiiii Pedrão mete, mete aaaaaaaaa me enche de porra que vou gozar nesse pintão aaaaaaa aaaaaaa Pedrão mete forte e quase a empresou na parede. Aaaaaaaa Loira safada sente minha porra nessa buceta aaaaaaaaaaaa hummmmm isso. Isso me goza toda.

Eu já estava em pé quando o Pedrão tirou o pau de dentro de sua buceta. Aos poucos nos recompomos e acabamos o banho. Agora vocês se sequem e vão se vesti que eu preciso tomar um banho mais dessa vez sozinha por que estou acabada. Minha mãe nos levou até a porta, ela caminhando pelada na nossa frente dava de ver a marca da mão do Pedrão na bunda dela. Pedrão adorei a tarde! Deu um selinho e ele saiu. Filho obrigado também. Guarda minha roupa que ficou lá na cozinha, que vou tomar um banho e deita-me um pouco. Quando cheguei na sala o Pedrão estava se vestindo e faltava 5 minutos pro fim do jogo. Guardei a roupa dela que estava na cozinha vesti a minha e voltei pra sala. Carlinhos vou indo depois a gente se fala. Levei-o até o portão e voltei e me joguei no sofá e adormeci. Acordei era 8 horas com a vóz de minha mãe e meu pai conversando

No meio da semana eu cheguei meio ligado em casa e meu pai estava vendo TV na sala, fui pra cozinha e minha mãe estava lá com roupa de dormi, aquilo me deu um tezão e eu a abracei por trás. Sai filho estas ficando louco. As mãe estou cheio de vontade e, a senhora domingo não me quis Da. Filho eu e você é errado, mas se um dia acontecer entre nós três de novo eu vou te recompensar, mas promete que nunca mais vai tenta algo comigo quando estiver só nós. Prometo mãe e fui tomar um banho pensado naquelas palavras.
Para quem pediu esse e-mail também é meu skyp [email protected]
Vou parado por aqui que já ficou muito extenso e da próxima conto mais.
Continua...Eu Minha Mãe e o Pedrão Parte - 2

Continuando o conto um. Aquele clima continuava minha mãe mal me olhava nos olhos, falava só o necessário, e eu agia do mesmo jeito com ela. Com o Pedrão eu continuava evitando encontra ele tinha vergonha e medo. Mas numa sexta feira final de tarde eu estava em casa na sala vendo TV e minha mãe na cozinho, meu pai estava lá fora. Meu pai a porta e me chama. Carlinho o Pedrão chegou aqui. Quando levantei a cabeça o meu pai já tinha abrido a porta e mandando-o entrar. Oi Carlinho! Oi Pedrão. O que tu faz aqui essa hora? Estava passando aqui e como mal tenho te visto, resolvi entrar. E foi sentando no sofá. Que jogo estas vendo? Eu respondi, mas eu estava muito envergonhado com a presença dele ali na minha casa. Conversamos um pouco sobre o jogo e ficamos assistindo. Eu notava que ele olhava pra cozinha e pro quanto da minha mãe.

Minutos depois minha mãe apareceu na sala vinda da cozinha. Oi Dona Carla tudo bem? Pedrão falou e se levantou pra cumprimenta-la. Minha mãe só assentiu com a cabeça e cumprimentou ele também. Pedrão sentou-se, olhei pra minha mãe e ela estava toda vermelha e perguntou também. E você estas bem? Eu estou ótimo Dona Carla e melhor ainda quando venho aqui. Que bom! Dão-me licença esta indo pro meu quarto. Minha mãe saiu e eu é que fiquei ainda mais envergonhado com a situação de constrangimento de minha mãe. Nossa tua mãe ficou roxa mal me olhou. Querias o que cara que ela achasse que tudo foi normal. Vamos lá na lanchonete, não quero falar disso aqui e é melhor tu da um tempo se vi aqui. Saímos sem falar nada, até por que meu pai estava ali na rua, entramos no carro dele e sem nada falamos chegamos na lanchonete.

Pedimos uma cerveja, o primeiro com entrou num gole só. Deixa-me ver se entendi direito Carlinhos, tu não queres que eu venha mais na sua casa? Não é isso Pedrão. Só por um tempo até minha mãe esquecer e nós também. Olha vou respeita a sua vontade, mas acho que ela nunca vai esquecer. Ah Pedrão mais é melhor ela mal fala comigo. E tu já tentaste falar com ela sobre o que aconteceu? Não. Eu também tenho vergonha. Queres que eu fale com ela te garanto que numa conversa tudo se resolve. No momento só quero um tempo. Acabamos mudando de assunto. Passando uma semana era uma quinta fera à noite no clube a gente se encontrou lá. E ai Carlinho tudo bem? Tudo sim e contigo? Bem também. E as coisas com sua mãe? Ah vai indo. Com tempo se ajeita. Já posso ir lá quebra esse gelo e todos seguir melhor. Deixa assim. Só quero ajudar. Eu sei. Eu sei, só não quero falar mais disso.

O Pedrão conhecia um pouco a rotina lá na minha casa, foi no Domingo seguinte ao encontro com ele no clube que ele apareceu na minha casa bem na hora que meu pai saia como era costume ele sair aos Domingo. Ele buzinou no portão e assim que cheguei e falou pra mim abri o portão. Como não tinha o que fazer eu o deixei entra. O que tu faz aqui? Não falasse nada que vinha e te pedi pra da um tempo. Ah Carlinhos eu estava na lanchonete tomando uma pra ver o jogo, mas não tinha mais ninguém ai vim aqui te convida pra ver e, podemos ver aqui na tua casa mesmo e, qualquer coisa eu falo com tua mãe. Não precisa fala com ela, mas vamos entra que estou vendo os jogos do espanhol. Entremos e fomos pra sala e ficamos vendo os jogos. Uns 10 minutos depois minha mãe apareceu, vinha do seu quarto. Eles se cumprimentaram como da outra vez e notei que minha mãe continuava com vergonha do Pedrão. Depois ela foi para a cozinha.

Queres que eu vá falar com ela e resolvermos isso tudo? Não cara fica ai e vamos ver o jogo. Com tempo a gente esquece. Não eu vou lá. Deixa-a lá cara. Espera aqui que vou lá. E se levantou e foi. Eu fiquei ali tentando ver o jogo, mas não conseguia. Depois de uns 5 minutos que pareceram 5 horas eu não consegui espera mais sem saber o que podia esta acontecendo. Quando cheguei na porta da cozinha minha mãe estava encostada do balcão de costa e o Pedrão atrás dela. Falava no ouvido dela e eu não conseguia ouvi, ao mesmo tempo em que seu corpo estava encostado no dela como se estivesse encoxando ela. Eu já fiz barulho e ele desencostou dela. Minha mãe estava com cara de quem esta envergonhada.

Oi Carlinhos eu estava falando com sua mãe sobre o aniversario dela. E ela esta com medo e vergonha por que acha que eu ia contar para alguém sobre a festinha. Pode dizer pra ela que sou de confiança, já que era isso que esta dizendo, que o que rolou é nosso segredo, só não da de esquecer por que foi gostoso demais. Minha mãe até riu timidamente. É mãe eu já falei com ele e ele prometeu-me que nunca vai contar pra ninguém. Eu fico sossegada, eu nunca trair seu pai, nunca fiz nada que alguém pudesse falar de mim. Relaxa Dona Carla que é segredo e eu nunca ia prejudicar vocês. Mas que foi uma tarde inesquecível isso foi. Minha mãe sorriu pra ele e concordou com a cabeça. Ele aproveitou o clima de brincadeira e botou as mãos no ombro dela e brincou. Quer outra massagem? Eu já cortei na hora. Pedrão não começa com essa história. A senhora não gostou da massagem? Uma massagem tu faz bem demais, eu nunca fiquei tão relaxada.

Aquilo pro Pedrão foi um convite. Ele voltou a massageá-la e foi pra trás dela e sussurrou algo no seu ouvido. Ela sorriu. Ah Pedrão não sei. Não sabe o que mãe? E Pedrão vamos pra sala ver o jogo. Não foi nada filho. Ah Carlinhos antes de tu chegar eu e sua mãe estávamos lembrando-se do aniversario dela, tem muitas coisas que ela não lembra bem, por isso anda tão pensativa quanto tu falou. Ai estava convidando-a pra mostra-la tudo que a gente fez e que ela gostou demais. Minha mãe me olhou esperando uma resposta minha mais nada conseguir falar. Pedrão aproveitou o silencio e puxou a cintura de minha mãe contra seu corpo, encoxando-a outra vez. Melhor para isso mãe. Só hoje filho e tudo voltaram ao normal eu prometo. Pedrão ouvindo aquilo a apertou ainda mais contra ele e passou a massagear seus seios por cima da blusinha. Mãe! Vem cá filho só hoje. Pedrão tirou sua blusinha e ela que estava sem sutiã, saltou dois peitões com os bicos duro e arrepiado mostrando como ela já estava excitada.

Ele foi abocanhando um e ela gemeu aaaaaaaaaa e puxou minha cabeça pro outro. Aquilo a fez gemer mais aaaaaaa nossa como isso é bom. Pedrão tirou a camisa e jogou em cima da mesa e foi deslizado a boca nas costas de minha mão que não parava de gemer. Eu continuei chupado seus peitos e ela arrancou minha camisa. Pedrão desabotoou o short dela e puxou pra baixou e ficou brincando com a bunda dela, depois a virou e eu pode ver aquele rabão com uma pequena calcinha toda enterrada em sua bunda. Meu pau latejou dentro da bermuda. Tirei minha bermuda, enquanto o Pedrão deslizava sua calcinha por suas pernas até passa pelos seus pés. Essa sena de minha mãe peladinha ali em pé na cozinha até hoje quando entro na cozinha, parece que a vejo ali pelada. Pedrão que estava ajoelhado no chão passou a chupar sua buceta ali em pé. E eu voltei a encoxala e a massagear seus seios. Aaaaaaa Pedrão aaaaaaaaa isso me chupa aaaaaaa como isso é bom aaaaaaaaaaaa depois de uns minutos nessa chupaceira toda Pedrão se levantou e tirou a bermuda e a cueca e seu pauzão moreno saltou e minha mãe o segurou com as duas mão, enquanto ele a chupava os seios. Eu também me livrei da minha cueca e fiquei esfregando o pau no meio de seu rabão.

Vem Dona Carla deita aqui em cima da mesa. Minha mãe peladinha em cima da mesa era outra sena linda. Vem Carlinho chupa a buceta carnuda de sua mãe que ela adora uma língua. Eu fui pro meio de suas pernas e cai de boca. Que buceta cheirosa e carnuda ela tinha. Pedrão foi pra onde estava a cabeça dela e mandou-a chupar. Ela gemendo com minhas chupadas não perdeu tempo. Eu chupava ela e quando a olhava via ela com aquele pau na boca fazendo que ele dissesse. Isso Dona Carla chupa meu saco e depois vai até a cabeça aaaaaaaa boca safada depois eu só a escutava engasgando. Isso pra baba bem. Que senti ele bem babado nessa buceta não quer? Ela tirou o pau da boca e disse quero. Vem Carlinho troca de lugar comigo. Fui pra onde ele estava e minha mãe começou a me chupar. Ele abriu suas pernas e ficou esfregando a cabeça na buceta dela que gemeu aaaaaaaaaaaa e se abriu mais ainda. Quando ele meteu a cabeça e quase mordeu meu pau, e gemeu e parou de me chupar. Ele começou a meter parte do pau e tira isso a deixava louca e eu voltei a chupar seus seios. Aaaaaaaa Pedrão aaaaa não faz assim mete, mete aaaaaaaa e ele mete mais meteu tudo e ela imprensou minha cabeça em seus seios e gritou. Aaaaaaaaaa devagar seu cachorro relaxa que a senhora acostuma, mas que buceta apertada a senhora tem. Ah Cachorro é você que tem um pinto grande demais. Ele deu uma risada irônica e passou a meter e ela a gemer.

Eu voltei a da o pau pra ela chupar. Enquanto ele levantava suas pernas e metia. Ela gemia e me chupava e estava quase gozando. Pedrão parou de meter e tirou seu pau de dentro, estava melado e a cabeça até brilhava. Aaaaaaa Pedrão não tira mete vai quero goza nesse pintão. Pedrão fez minha mãe se levanta da mesa e a puxou pro chão. Quer gozar é? Então vem. E sentou em uma cadeira com o pau apontado pra cima e a fez senta. Eu vi seu pau moreno sumindo na sua bucetinha branca. Ate esqueceu que eu participava, ele segurava-a com as duas mãos na bunda dela e a fazia subir e descer, o pau saia até a cabeça e entrava ate o saco e cada vez que ela descia era um tapa na bunda. Aaaaaaaa Pedrão aaaaaa isso aaaaaaa eu cheguei do lado e dei o pau pra ela chupar, mas no sobe e descer no pau dele ela mal conseguia me chupar. Vamos lá pra sala Pedrão assim não da pra mim chupar o Carlinho.

Pedrão a segurou pelas e ela abraçou seu pescoço e sem tira o pau de dentro ele foi levando ela até o sofá, ainda me deu uma piscada com um sorriso cínico. Eu fui atrás vendo ele caminha e minha mãe com as pernas nas costas dele. Na sala eu sentei no sofá e o Pedrão a mandou fica de quatro no carpete com a cabeça no meu das minhas pernas. Eu me encostei-me ao sofá e minha mãe começou a me chupar, o Pedrão começou a chupa-la de quatro, depois deu um belo tapa na bunda e voltou a meter. Empina bem essa bunda Dona Carla que te quero ver rebolando no meu pau. Minha mãe empinou o que deu e ele começou a meter em sua buceta. O tezão nos dominava eu estava preste a gozar, vendo minha mãe me chupar, enquanto o Pedrão metia e fala tudo que é sacanagem pra minha mãe. Vai safada rebola. E batia naquele rabão, minha mãe rebola do jeito que dava e gemia, aaaaaa aaaaaaaaa Pedrão mete, mete esse pintão, e ficava me punhetando e olhando pra trás.

Eu não aguentei mais e avisei que ia gozar. Minha mãe parou de chupar e me punhetou com vontade. Eu gozei meu abdome todo aaaaaaaaaaaa e cai para o lado deitado no sofá. O Pedrão segura a cintura de minha mãe e a levava pra frente e puxava contra seu pau, eu escutava o barulho do saco na bunda. Aaaaaa Pedrão aaaaaa não para. Não para aaaaaa minha mãe gritou e se torceu toda no pau dele. Ele continuou metendo mais forte e a mandado rebolar. Ela gozou e pelo que vi gozou muito. Pedrão deu mais umas metidas e tirou aquele pau moreno de sua buceta branquinha e ficou em pé. Puxou minha mãe que ficou de joelho na sua frente e mandou-a chupar. Vem safada. Vem que quero gozar. Na boca não Pedrão, nunca deixei meu marido gozar na boca. Esta na hora de apreender a gostar. E mal acabou de falar segurou sua cabeça e gozou seu rosto todo e a fez abri a boca e meteu o pau gozado nela. Isso safada acostuma que vou te vicia nesse pau e na minha porra.

Pedrão caiu sentado na outra parte do sofá e minha mãe sentada no carpete com a cara toda melecado. Assim ficamos os três se recuperando sem nada falar. Minha mãe se levantou e falou: vou tomar um banho que estou precisando. Vou junto pra ajuda à senhora. Minha mãe riu. Vamos nos três que vocês dois estão mais soados que eu e, temos um tempo ainda antes do teu pai chegar. No box ficava meio apertado e minha mãe ficava no meio, começou a se lavar pelo rosto que estava melado. Pedrão pegou o sabonete e começou lavar sua bunda. Minha mãe também me ensaboava e eu a ela e, minutos depois eu e o Pedrão estávamos de pau duro. Minha mãe segurou nossos paus e disse: vitalidade da juventude é bom já estão excitados de novo. Pedrão guiou sua cabeça pras baixo e ela ficou acocada e começou a chupar nos dois. Chupava um e punhetava o outro e, assim revezava. Ela esta bem mais solta e chupava do saco a cabeça e depois a abocanhava. O Pedrão fazia questão de fazê-la engasgar, como se tivesse fodendo sua boca.

Minha mãe chupou nos dois por um bom tempo, parecia que gostava, eu estava gostando era muito excitante, mas eu tinha ciúme do Pedrão e, quando ela ficava mais tempo chupando ele, eu ficava vendo ela com o pau dele na boca, isso me dava um ciúme grande. Minha mãe ficou em pé se3gurando nossos paus e falou para o Pedrão. Pedrão me come de nono! aquilo me deu ciúme, raiva e vergonha. Queria que ela estivesse pedido pra mim era minha vez. Será um prazer fuder essa bucetinha Dona Carla! E já foi virando ela de costa pra ele. Ah mãe é minha vez! Ah filho deixa o Pedrão comer a mamãe que eu te chupo. Ela se curvou e pegou meu pau, enquanto o Pedrão se abaixou e caiu de boca no meio da bunda dela. Eu estive que me contenta com mais uma chupada, apesar de que minha mãe cada vez chupava melhor.

Pedrão se levantou ajeitou bem o pau e enterro aquela vara preta nela, ela chegou e engasgar no meu pau. Eu e o Pedrão ficávamos de frente um pro outro, com minha mãe curvada me chupando e o Pedrão estocando deixando-a na ponta do pé. O Pedrão parecia um animal, batia na bunda dela e enterrava forte seu saco estralava em sua bunda e o pau fazia poc poc poc. Minha mãe estava alucinada e até parava de me chupar e olhava pra trás. Aaaaaaaaaaaa Pedrão aaaaaaaa mete. Mete esse Pintão aaaaaaaa como é bom aaaaaaaaa isso safada rebola. Rebola que hoje te arregaço essa buceta toda, não vai mais se esquecer desse pau né? É aaaaaaaaa mete aaaaaaaa vou gozaaaaaaa e me abraçou forte e o Pedrão não para de soca e bater em seu rabão. Dona Carla esse cuzinho esta me deixando louco, já deu ele? Já mais faz tempo e hoje nem pensa. Por que? Só a cabeça! Outro dia Pedrão não estou preparada pra esse pau. Vou cobra então. Pedrão voltou a mete na buceta dela. Aos pouco ela voltou a me chupar e dessa vez sem avisar eu gozei. Nossa gozei muito o primeiro jato foi na boca o pelo banheiro, minhas pernas amoleceram e eu deslizei pela parede e cai sentado no piso.

Minha mãe apoiou as mãos na parede e o Pedrão continuava a mete, chamando-a de safada e mandado ela rebola. Eu sentado em baixo dela eu tinha uma visão que não sai da minha mente. Eu via aquele pau todo sair e entra até o saco. E ela apoiada na parede na ponta do pé. Isso safada rebola que vou te encher de porra! Aiiiiiiii aiiiiiiiiiiiiiiiiiii Pedrão mete, mete aaaaaaaaa me enche de porra que vou gozar nesse pintão aaaaaaa aaaaaaa Pedrão mete forte e quase a empresou na parede. Aaaaaaaa Loira safada sente minha porra nessa buceta aaaaaaaaaaaa hummmmm isso. Isso me goza toda.

Eu já estava em pé quando o Pedrão tirou o pau de dentro de sua buceta. Aos poucos nos recompomos e acabamos o banho. Agora vocês se sequem e vão se vesti que eu preciso tomar um banho mais dessa vez sozinha por que estou acabada. Minha mãe nos levou até a porta, ela caminhando pelada na nossa frente dava de ver a marca da mão do Pedrão na bunda dela. Pedrão adorei a tarde! Deu um selinho e ele saiu. Filho obrigado também. Guarda minha roupa que ficou lá na cozinha, que vou tomar um banho e deita-me um pouco. Quando cheguei na sala o Pedrão estava se vestindo e faltava 5 minutos pro fim do jogo. Guardei a roupa dela que estava na cozinha vesti a minha e voltei pra sala. Carlinhos vou indo depois a gente se fala. Levei-o até o portão e voltei e me joguei no sofá e adormeci. Acordei era 8 horas com a vóz de minha mãe e meu pai conversando

No meio da semana eu cheguei meio ligado em casa e meu pai estava vendo TV na sala, fui pra cozinha e minha mãe estava lá com roupa de dormi, aquilo me deu um tezão e eu a abracei por trás. Sai filho estas ficando louco. As mãe estou cheio de vontade e, a senhora domingo não me quis Da. Filho eu e você é errado, mas se um dia acontecer entre nós três de novo eu vou te recompensar, mas promete que nunca mais vai tenta algo comigo quando estiver só nós. Prometo mãe e fui tomar um banho pensado naquelas palavras.
Para quem pediu esse e-mail também é meu skyp [email protected]
Vou parado por aqui que já ficou muito extenso e da próxima conto mais.
Continua...

Sobre este texto

dudu1128

Autor:

Publicação:17 de abril de 2015 16:05

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Heterossexual

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 538 vezes desde sua publicação em 17/04/2015. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Dagmar
    Postado porDagmarem18 de abril de 2015 11:36

    Essa história deixaria Édipo com vergonha... rsssss. gostei da história hoje em dia tem coisa falando sobre incesto parece que ta na moda. Acho que tem a ver com o seriado Guerra dos tronos sei lá...

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*