Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

A vida sexual de Nicolas e Marisa

Nada acontece por acaso, não é mesmo? As vezes estamos em conjunção com o universo e temos a chance de poder fazer o que bem entendermos e dar certo. Isso acontece na maioria das vezes. Mas e quando isso não acontece, o que podemos esperar?
Depois de uma noite agitada, que passou ao lado da bela esposa, Nícolas,acordou
acordou naquela manhã, achando que estava vivendo um momento de indecisão. Marisa, sua esposa tinha lhe anunciado que sua irmã cacula viria passar uma temporada com eles. Não tinha nada contra a adolescente vir ficar em companhia da irmã, porém não achava que seria um bom anfitrião. Além do maios tinha um trabalho que lhe absorvia muito tempo. Olhou novamente para o corpo nu da esposa e analisou as formas perfeitas que ela mantinha depois de tantos anos de casada. Gostava de vê-la assim despojada de roupas exalando aquele perfume natural de corpo satisfeito após os jogos do amor da noite que passara. Passou o dedo sobre a pele dourada e percebeu que a mesma ficara eriçada. Marisa se remexeu e ficou de costas exibindo os seios perfeitos que el tanto admirava. Tinha formatos bem coníficados, encimados por duas cerejas, que vulgarmente se chamava, mamilos. O olhar desceu para o ventre liso e se fixou logo abaixo no triângulo de pelos que ornamentavam seu monte de vênus, em cuja depressão estava localizada a preciosa caverna do prazer e seus mistérios. Passou de leve a costa da mão sobre os pelos, sentindo a sua sedosidade. Quase que instintivamente as coxas, que estavam unidas, se abriram e ele pode ver os lábios, daquele santuário, surgir.Estavam entumescidos e muito convidativos. Nícolas sentiu uma fisgada no membro que já estava duro. Olhou o rosto da esposa e o viu sereno, satisfeito, com um leve sorriso nos lábios. Marisa tinha tudo que um homem desejava em uma mulher, mas ele achava que a apatia tomava conta do relacionamento do casal. Queria ter mais desejo e assim desfrutar o que ela tinha de melhor para oferecer. Parecia que a rotina estava atrapalhando sua vida com Marisa. Ela era evoluída, não cabedo em si qualquer tipo de preconceito, A única coisa que ainda permanecia um verdadeiro tabú entre eles era o sexo anal. Ela temia uma relação anal,com medo de ficar com dilaceração, devido o membro de seus marido ser muito grosso. Tentaram várias vezes mas ela sempre recuava. Sua amigas contavam que viviam momentos de pleno prazer no sexo anal, mas ela não se desapegava da ideia que ia ser desastroso se tentassem. Tantas foram as vezes que tentaram, sem concluir nada, que desistiram.Nícolas olhou mais uma vez para o sexo e o rosto da esposa, suspirou e se levantou.Tinha o costume de fazer exercícios pela manhã antes de ir para o trabalho e naquela manhã não fora diferente. Vestiu um agasalho, calçou um tênis, pegou uma toalha de rosto e desceu para a garagem, onde pegou sua bike de duralumínio e saiu com ela para dar umas pedaladas. Achou que o dia ia ser bem abafado. Queria dar umas vinte voltas antes de regressar. Montou e começou a pedalar. Gostava daquele tipo de descontração, pois o ajudava a por a mente em dia e até procurar um meio de colocar sua vida sexual em dia. Adorava a esposa e faria de tudo para vê-la feliz, mas e ele, o que faria por ele mesmo.
Estava em sua terceira volta, quando passou por ele um casal pedalando em suas bikes de alto custo. Cumprimentaram-se e ele não pode deixar de notar a beleza exótica da mulher. Sua postura sobre o veiculo se destacava. A pele negra, brilhava sob os raios de sol que passavam pelas copas das arvores, demonstrando que de a muito vinham pedalando. Só que para Nícolas,que sempre fazia o mesmo trajeto pelas manhãs, eles eram desconhecidos. Nunca os tinham vistos por ali. Curvada sobre a bicicleta ela deixava que se apreciasse seu volumoso bumbum que a roupa de malhar mal podia disfarçar.Viraram na esquina e quando Nícolas a ela chegou não os viu mais. Estavam pegando pesado, pensou. Parou um pouco e olhou para todos os lado e nada do casal. A beleza negra o tinha impressionado. Nos dia subsequentes, pela manhã tentou ver se encontrava o casal, mas fora em vão. Para Nícolas a imagem da mulher negra ficara marcada em sua retina. Não sabia porque estava tão ansioso por encontra-la. O dia da cunhada chegar veio mais depressa do que ele desejava. Marisa iria espera-la no aeroporto. A tarde, quase noite ele passou em uma floricultura que ficava em uma praça a frente de uma estação de metrô e comprou dois buquês de flores, um para Marisa, que era já um costume e outro para sua cunhada que já devia aquela altura estar instalada em casa. Estava para entrar no carro quando pareceu ver alguém atravessar a rua e caminhar pela calçada rumo as escadarias do metrô.Entrou apressadamente e deu partida no carro seguindo na mesma direção que a pessoa caminhava com algumas sacolas nas mãos.Não estava enganado. Aquele traseiro era por demais conhecido. A mulher da bike. Freio o carro e gritou:
___Ei você de saia branca - disse vendo que a pessoa parou e com a mão com sacola voltada para si quis saber se era com ela. Nícolas saindo do carro foi em sua direção, que ao vê-lo mais de perto, o reconheceu.
___Ora, ora se não é o branquelo da bike. - disse ela abrindo um sorriso debochado e maravilhoso aos olhos de Nícolas que a achou mais linda ainda que antes.O que a deixava mais sobrenatural eram os incríveis olhos azuis. Vestida da forma que estava, permitia que se visse através do generoso decote, seios volumosos que pareciam querem saltar sobre quem os olhasse.
__Sim, sou eu mesmo. Que coincidência. Vai para onde.
__Vou para casa.
__Ia pegar o metrô?
__Ia, não, vou.
___Estou de carro e posso leva-la, afinal somos vizinhos.
___Acho que não somos não. Fora a primeira vez que fomos para aqueles lado.
___Mesmo assim eu faço questão de lhe dar uma carona até sua casa. Não me custa nada.
___Tem certeza de que q

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:5 de fevereiro de 2015 15:19

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Swingers

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 739 vezes desde sua publicação em 05/02/2015. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Jandira
    Postado porJandiraem6 de fevereiro de 2015 14:18

    Já passamos por algo parecido, na época nós começamos por sites de relacionamento e ficamos amigos de uma mulher que acabou por nos tirar do ostracismo sexual que nos encontrávamos. Durou algum tempo, depois escrevo essa historia que publico aqui. tchau!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*