Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Bem longe dos olhos mas perto do sexo

Quando o amor está no ar, nada nos impede de contaminar tudo que esta ao redor com esse radiante vírus.Eu amava aquela menina como nunca havia amado outra em toda minha existência de entendida. Pâmela era um sonho de mulher que me fazia sucumbir aos seus encantos. Era inteligente, brincalhona e muito companheira, principalmente nas horas difíceis que enfrentamos. Quando perdi o emprego por não ceder aos "encantos" do meu patrão e nele sentei a mão, sendo mandada embora por justa causa, já que plantaram coisas em minha bolsa e eu não soube explicar como tinha ido parar lá, ela me ajudou financeiramente sem eu pedir.Eramos amigas até então, mas com o passar do tempo começamos a nos sentir atraídas uma pela outra.O primeiro beijo veio sem querer, quase que acidental. Foi assim:
O tempo estava escaldante e nada melhor que e uma piscina para refrescar o corpo. De posse de um maiô, passei na casa de Pâmela e a convidei para dar uns mergulhos e ela prontamente aceito e lá fomos para o clube. No vestiário trocamos de roupa e pouco depois exibíamos os nossos corpos, para o deleite da rapaziada.De fato eramos bonitas de corpos e sabíamos disso. As cantadas que levávamos comprovavam que eramos atraentes. Depois de alguns mergulhos nos estiramos a beira da piscina e ficamos vendo as pessoas se divertirem na água. Havia um grupo de rapazes que não tiravam os olhos de nós desde que chegamos e eu não estava afim de nada com ela e ela menos ainda, no entanto os mesmo, penso eu, fizeram alguma aposta para ver quem ganhava nós duas ou pelo menos uma de nós. Deu para perceber isso. Dois chegaram até nós e com conversas surradas tentaram a sorte. Pâmela se divertia com aquilo, mas eu não, e estava já me prontificando a dar no pé, quando ela se saiu com essa:
___Aqui vocês estão perdendo tempo rapazes, vão procurar outras por que da fruta que vocês gostam nós chupamos até o caroço, não é amor. - disse ela para mim que não demorei muito a entender a jogada dela.
___Realmente vocês estão perdendo tempo. - completei vendo que eles ficaram meio em dúvida.Eles riram demonstrando que não acreditavam no que falávamos. Então Pâmela nos surpreendeu ao me agarrar puxar para si e me dar um tremendo beijo.Foi como se uma ducha fria se abatesse sobre os cara que resmungando que eramos sapatas se afastaram. Eu ainda estava olhando para ela sem entender, não o beijo , mas o que causou dentro de mim aquele beijo. Vendo-me parada a olha-la sem reagir ela se desculpou:
___Desculpe, mas só vi essa solução para nos livrarmos deles. -disse tocando minha mãos que estavam frias. - Você está bem Bruna?
__Oh, claro, sim estou bem e você fez o que devia. - acrescentei ainda me sentindo bem desconfortável. Quando fomos para casa e eu sozinha em meu quarto em meu quarto comecei a recordar daquele episódio, comecei a ficar com tesão. O beijo dela fora muito gostoso e mexera com alguma coisa adormecida dentro de mim. Me vi com as mãos entre as coxas sentindo minha própria quentura e lentamente comecei a massagear o meu sexo. A cama começou a ranger quando os movimentos foram ficando cada vez mais vigorosos e quando o ápice chegou, meu corpo dava chicotada sobre a cama, como seu estivesse possuída por uma entidade do mal. Passei a ter ilusão com a possibilidade de ter um caso com aquela bela e ousada mulher. Um dia nos encontramos como que por acaso em frente a um supermercado onde ela tinha ido comprar produtos para fazer uma lasanha pois sentia vontade de comer uma. Ela me convidou para ir até sua casa e assim eu lhe faria companhia. Topei mas ela teria que esperar um pouco pois tinha que comprar algo para levar. Mesmo sob protesto, comprei duas garrafas de um bom vinho e fomos para sua casa. Ela na cozinha era tão boa quanto beijando pois preparou uma comida deliciosa que apreciamos com muito vinho. Depois fomos para a cozinha lavar a louça e enquanto ela enxugava eu movida pelos vapores de baco puxei o assunto que estava me deixando louca:
__Então amiga, aquele dia no clube não me sai da cabeça. Sonho com aquilo e estou querendo entender por que estou assim. - comecei sem encara-la.
__Você fala do beijo?
__Sim, daquele beijo.
__Você não gostou não é? - perguntou como que se sentindo uma pecadora.
__Não.Não reside ai a questão, eu queria saber por q

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:14 de janeiro de 2015 15:58

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Lésbicas

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 377 vezes desde sua publicação em 14/01/2015. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*