Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Confissões de um devasso - Mariana mon amour

Minha vida estava maravilhosa na companhia de Mariana, a deliciosa ex moradora de rua. Amorosa e com uma série de idéias, pertinentes a uma vida sexual diversificada, ela que chegara à mim, virgem, estava se tornando uma amante especial.Desde que começara a trabalhar, ela se empenhava em se produzir para me agradar. Suas roupas, eram sempre de griffe e estilo super sensual, que realçava mais suas curvas, que a cada dia que passava se acentuava a tornando uma mulher, bela e sensual. No nosso grupo de amizades, eu notara que muitos estava notando a transformação, que ela Mariana, vinha tendo em seu corpo. O rosto dela, chamava a atenção de todos, pois irradiava a sensualidade que eu despertara dentro de si. Comentavamos, sempre, que este ou aquele, estava invadindo a nossa casta amizade, que não visava um intercâmbio de relacionamento, mas que aguçava a nossa psique e eu notava que ela, ficava, sempre acesa quando tocavamos naquele assunto e em nosso relacionamento a coisa pegava fogo.
Gabriel, era um cara, que tinha uma cabeça muito boa em relação a ser altruísta. Todos gostavam dele em nosso meio. As garotas dos grupo, não escondiam que o desejavam. Saiam com ele e o mesmo não acabava a noitada, sem estar entre sedosas coxas, estocando as bocetas que estavam no vértice das mesma. Porém, o que ele queria, era ficar com Mariana. Volto a falar sobre os dois em outra oportunidade.
Quando cheguei em casa, naquela quente noite primaveril, abri a porta da sala e após fecha-la e acender a luz, notei no piso, pétalas de rosas vermelhas, indicando um caminho a seguir. Pelo corredor com fraca iluminação, segui o caminho das pétalas, que entravam porta adentro do nosso quarto, cuja porta semi aberta deixava filtrar uma luminosidade que indicava onde eu deveria entrar.Empurrei a porta e tive aquela bela visão, de um corpo semi nú, que de bruços, ostentava a maravilhosa parte da anatomia feminina, que era a paixão nacional. Portando apenas, a parte superior do baby doll e parecendo ressonar, com o rosto voltado para o lado contrário ao que eu estava, Mariana, com sua parca nudez, iluminava o meu desejo. Por instantes fiquei olhando-a e sentindo o pau crescer, a ponto de se tornar visivel á frente da calça.Ia me acercar dela, mas resolvi, fazer outra coisa e por isso me encaminhei para o banheiro, lá tomei um revigorante banho e sem deixar de pensar no que me esperava no quarto, mantinha o pau durissimo.Me enxuguei e adentrei ao quarto indo para a cama.Levei a mão até a perna dela e a fui subindo, alcançando a coxa e depois uma das nádegas. Forcei, para que se separasse um poucop mais e com isso eu pudesse ver seu rego e o que mais me excitava, naquele momento, que era ver seu cuzinho. Uma fisgada, dolorida, fez meu pau latejar, quando vi as pregas se contrairem. Me debrucei sobre o corpo de Mariana e conseguindo separar bem suas nádegas, comecei a beijar aquela parte deliciosa, até que a lingua tocou aquele enrugadinho de cheirinho característico, que me excitava cada vez mais. Lambi, com delicadeza aquele recanto que me deixava fissurado e o corpo de Mariana começou a reagir com pequenos tremores. Firmei-me no que fazia e acabei por provocar verdadeiro terremoto com gemidos e unhas arranhando tecido, o que indicava que Mariana estava acordada. Se remexeu sobre a cama e separou mais as pernas me facilitando a chegada do meu apendice até tocar mais abaixo em sua vulva, onde aproveitei para cheirar aquele pedaço de fruto maduro. Os gemidos se intesificaram, dando a entender que tudo se encaixava para faze-la gozar. Mesmo por trás, abocanhei os lábios daquela vulva que exalava um odor que me entorpecia. Mariana se contorceu toda e a dizer coisa sem nexo, mas carregad de pornografia:
__Puta que pariu, amor, que chupada gostosa. Enfia um dedo no meu cu enquanto me chupa. Vai seu filha da puta, me enfia logo esse dedo no meu cu. Porra, que gostoso. Morde minha boceta, vai morde, quero sentir ela mordida. Uuuiii! Você me mata. Enfia a lingua aí no meio e entra na minha gruta. Aaahhh! Mais, mais...bem fundo. Deixa eu empinar, para você me chupar mais fundo.-disse empinando a bunda e separando mais as coxas. Me postei atrás dela e passei a lamber com sofreguidão, todo aquele conjunto de prazer.
Mariana se virou e me empurrando para trás, veio e se apossou do meu pau, colocando a boca nele, passando a chupa-lo com gosto.Em dado momento, não me contendo, comecei a urrar, pois não estava suportando toda aquela comichão que subia pelo meu mastro e se distribuia por todo o corpo. Segurei a cabeça dela e passei a foder sua boca. Via seus olhos se revirarem e quando ela se agarrava a mim era sinal de que estava tendo um violento orgasmo.Tirava a boca do meu pau e eo ficava alisando com admiração total na peça que se expunha a sua frente, brilhante devido a saliva que ela deixara nele e depois o beijava até atingir as bolas. Quando as tinha na boca, ela as mastigava bem de leve me proporcionando um prazer enorme. Já via saindo pela uretra, aquele liquido incolor que brotava imponente. Mariana, a viu também e me olhando esticou a língua até ela, a colhendo. Brincou com a glande, onde beijava, chupava e até mordiscava, observando as minha reações, que devia estar a satisfazendo plenamente. Sabendo que não suportaria por mais tempo aquela deliciosa tortura, fui em busca da posse daquela fêmea. Me coloquei entre as pernas de Mariana e levei o pau para dentro dela até que senti a glande tocar no fundo daquela vagina, que estava super alagada. Era delicioso o mastigar da mesma em minha pica e me deixava louco para despejar a minha semente naquele canal encarnado.Mariana, elevou bem as pernas e levando as mãos por baixo do corpo até onde podia tocar em minha bolas, passou a manipula-las e para mim foi impossivel conter o bombardeio que se seguiu, naquele mundo intimo. Gritamos juntos, pois atingiamos o orgasmo ao mesmo tempo. Bombava com rapidez, cada vez maior e nos agarrávamos, ela me arranhando e eu a mordendo onde podia e sabia que ela gostava. Num ultimo tremor, acabamos com aquele ato gostoso e quedamos, suados, Meu pau ainda estava em riste e Mariana, o tomou na mão alisando-o, espremendo-o até que a ultima gota de porra saiu. Passou o dedo sobre ela e levou a boca chupando sorrindo. Passei a mão sobre seus seios, cujos bicos estavam rijos, e ela estremecendo, me olhando sorriu dizendo:
__ Quero você dentro de mim novamente.
__ Te desejo muito Mariana e posso lhe garantir que vou lhe dar tudo o que você merece.
Tomamos um banho, eu mais um, e ela com certeza também. Depois Mariana, alegando fome, foi para a cozinha preparar algo leve para comermos antes do segundo tempo do embate amoroso. Com Mariana era sempre assim, sua fogosidade, a dominava e me contagiava. A sequencia vira com a história onde Gabriel aparece. Esperem!

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:17 de novembro de 2015 22:16

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Heterossexual

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 17/11/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*