Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Confissões de um devasso - O outro lado de Mariana

Após um repouso merecido, onde comemos algo leve e bebemos champanhe, ainda estavamos nus e eu para variar mantinha o meu pau em riste, o que me deixava orgulhoso, e Mariana com aquele desejo estampado no rosto. Eu observava aquela mulher que alimentava o meu tesão, querendo saber como ela reagiria quando soubesse que eu estava com a intenção de pedir algo que a maioria da mulheres não gostam de ouvir. Sabia que o tamanho e grossura do meu membro poderia causar uma certa apreensão quando lhe pedisse aquela forma de amar mais arrojada. Estavamos na copa onde, sobre a mesa estava as coisa que nos fortalecia. Me levantei e fui até Mariana que colocava no balcão as taças e antes que se virasse a segurei por trás e espetei com meu pau duro, bem no meio de suas nádegas. Mariana deu uma remexida nos quadris, encaixando me a cabeça da pica, procurtando ver se a posicionava sobre o que eu desejava penetrar. Reclinou a cabeça em meu ombro e levando a mão atrás segurou meu pau e o colocou no local que desejava. Seus olhos procuraram os meus e sua respiração estava tropega. Minhas mãos estavam coladas em seus seios, massageando-os. Virei-a e a levei, ainda com o pau entre suas nádegas, de encontro a mesa. A fiz se reclinar sobre a mesma e separando suas pernas me posicionei por trás dela, mas não me encostei em seu corpo, apenas molhei os dedos com saliva e fui lubrificar seu rego e assim inseri um dedo em seu cu. Ela ficou na ponta dos pés e se agarrou as bordas da mesa. Fui para a geladeira e lá peguei o famoso lubrificante do filme Ultimo tango em Paris, e generosamente o passei em todo o pau, bem como o ânus da minha companheira. Eu tinha que ser cuidado, pois era muito dote para ocupar tão pequeno e estreito canal. Sabia que devia deixa-la relaxada e por isso mesmo passei a inserir dedos alternadamente entre suas pregas até poder colocar três dedos de uma só vez e ela se sentir confortavel. Alisei muito suas nádegas e costas, tocando nas laterais dos seios o que a deixava com o fogo aceso. Quando senti que ela estava bem relaxada, me postei com a pica em riste sobre em seu rego, colocando a glande de encontro a suas pregas, passando a fazer força, sentindo uma certa resistencia, mas também notando que uma parte da cabeça da pica, estava além das pregas.Me agarrando aos seus quadris, passei a forçar mais a pica , que via ir deslizando para dentro daquele cú que eu desvirginava e ia me instalando em toda sua extensão, quebrando qualquer resistência que pudesse haver por parte de Mariana. Ela porém, se entregava prazerosamente a investida e me recebia de bom agrado dentro do seu corpo. Quando me vi encostado em sua bunda, depois de um momento de acomodação, iniciei o vaivém, onde meu pau sentia a pulsação daquele canal estéril. Mariana abria as pernas o mais que podia, parecia que sentia prazer em assim o fazer e eu a estocava,lentamente, para não provocar, com o atrito, nenhuma laceração no canal penetrado.
Mariana me surpreendia, ao se deixar ser sodomizada. Não soltara um só gemido até aquele momento, onde alguns sons passaram a ser emitidos por ela:
__ Humm, humm, humm.- enquanto remexia a bunda e dava ligeira empurrada de encontro ao meu pau.
__Minha deliciosa cadelinha. Você tem a bundinha mais deliciosa que eu já comi.- disse ao me debruçar sobre seu corpo, no que ela perguntou:
__Por que demorou tanto para foder ela? Sabia que estava louca para que você me penetrasse aí, onde esta?
__Achei que você não deixaria.
__Pois saiba que vou te querer sempre.
__Estarei sempre com a bunda pronta para você foder.
__É uma promessa?
__Claro , meu gostoso. Agora me enche o cu de porra quentinha, que quero ter um delicioso gozo com ela me queirmando por dentro.
Mariana, sabia como me incentivar e provocar o meu orgasmo quando desejava, só que naquela posição, ao ter a mesa sob si, estava impossibilitada de me excitar com manipulação manual e por isso eu era senhor da situação.Por mais alguns minutos, consegui me movimentar dentro do cu de Mariana a levando a ter gozos que a preparavam para o maior de todos.Meti uma mão entre nossos corpos e alcancei o seu clitóris, que estava duro, passando a dedilha-lo enquanto estocava, agora com mais rapidez, ouvindo Mariana gemer e se requebrar como que querendo sentir mais ainda, a tora que a estava empalando. Olhei para baixo e vi o pau entrando e saindo, depois visualisei todo aquele belo corpo nu e sem poder mais me conter, gritei que ia goza e me lancei mais de encontro ao seu corpo. Segurei em sua cintura e num só e violento golpe, fiquei enterrado dentro dela tremendo, enquanto gozava mais uma vez naquela mulher maravilhosa, que um dia eu encontrara, perdida na noite selvagem de sampa e que me encantara se transformando em minha mulher, de corpo, alma e sexo.
O gosto do meu relacionamento com Mariana, era que o dia seguinte nos fazia criar uma nova rota de prazer sem que comentassemos o que haviamos feito na noite anterior. Na verdade eu sentia falta de comentar os nosso feitos na cama. Queria introduzir esse costume em nosso relacionamento, pois achava que deixava a relação mais prazerosa. Mariana era tudo que minha ex mulher não havia sido, apesar de a ter amado intensamente, podia dizer que ela nunca seria igual a Mari. Um dia ela me perguntou o que ocorrera que desgastara o meu relacioamento com Paty. Olhei-a, até que meio surpreso com a pergunta. Achando que tinha mexido em algo proibido, procurou encerrar o fato, mas disse-lhe que a poria a par de tudo, com todos os detalhes, pois não devia haver segredos entre nós.
__Tem certza de que deseja me contar mesmo?
__Claro que tenho. Você é minha mulher e tem que participar da minha vida, seja ela passada, presente ou futura.
__Te amo muito. Agradeço por me por a par de sua intimidade com outra mulher, principalmente com ela.
__Sintop uma ponta de ciúmes?
__De um homem como você, me acho no direito de ter ciúmes. Nãop entendo como essa Paty pode deixa-lo.
__Talvez depois que lhe contar toda a minha hitória, ou , a nossa história, você mude seu conceito quanto a minha pessoa.
__Esta me deixando mais curiosa por saber de tudo.
__Vamos para a varanda, que lá começarei a contar minha vida com Patricia.
Caminhamos para a varanda onde uma rede nos esperava. Até breve.

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:18 de novembro de 2015 00:50

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Heterossexual

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 18/11/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*