Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Desejos ocultos

Regina, com seu short preferido, onde sua bundinha ficava de fora em sua totalidade, estava deitada em sua cama folheando um livro de receitas. Procurava ver como era confeccionar um belo bolo de aniversário, que ela desejava fazer para seu irmão mais velho. Iria contar com a ajuda de sua intima amiga Patricia. Pati, como era chamada, arrastava uma carreta por Bruno, irmão de Regina. O rapaz que não se importava muito e ter contato com garotas, ficava distante das indiretas, dos esbarrões, que ocorriam, quando ela ia até sua casa. A Campainha tocou e Regina gritou para o irmão atender. Muito contra a sua vontade ele se dirigiu a porta a abrindo dando de cara com Pati, toda sorridente, com sua minissaia que deixava ela bem á vontade, e aquela blusa que tinha um decote bem ousado, diante dos dois seios, que eram super grandes. Ela se orgulhava de os ter de um tamanho nada convencional, pois chamava mais atenção dos macho sobre si.Só que para Bruno, o efeito era exatamente ao contrario, não o deixando preso a ela.
Mandou que ela entrasse e fosse para o quarto de sua irmã, depois se dirigiu ao seu. Pati entrou no quarto da amiga, com uma cara , que a amiga logo percebeu o que tinha se passado.
__Mais uma vez ele te ignorou? Paciência! Eu te avisei que ele não estava interessado em namorar.Procura outro!
__Negativo! Eu quero e vou dar para ele.
__Do jeito que vocês estão se entendendo eu duvido.
__Você bem que poderia me ajudar, não acha?
__Você quer mesmo que eu entre nessa briga? Já me conhece e sabe que eu sou da pá virada.
__Que nada. Você é legal. Me ajuda vá.
__Ok! Você pediu.BRUNO- gritou.- Oh, BRUNO, venha aqui, preciso lhe dizer algo importante.
__O que você vai fazer? - quis saber Pati
__Você não pediu minha ajuda? Pois vai te-la,. o resto é com você.
Na porta do quarto, apareceu a figura do rapaz chamado.
__O que foi, agora?
__Entre, maninho - disse Regina se levantando da cama, indo em direção do irmão. - A Pati ali, quer dar para você.
__Como é que é?
__Seu idiota, não entendeu? Pati quer que você meta nela. Olha vou deixa-los a só para que possam se entender. - dito isso saiu e fechou a porta.
Pati e Bruno mal se olhavam. Ela estava encabulado com o que a amiga lhe aprontara e ele, sem saber se era real ou uma piada. Ele foi até a janela e ficou olhando para fora e Pati permaneceu sentada na cama da amiga.
__Por quê Regina disse aquelas palavras? - perguntou Bruno sem se voltar.
__Por que talvez seja verdade! - respondeu ela acariciando os seios que tinha tirado para fora da blusa.
__Não sente vergonha em dizer isso?
__O que foi que eu disse demais? Que é verdade que quero transar com você? Sim, é verdade. Te desejo não é de hoje. Penso em ser sua desde a primeira vez que te vi. Mas você parece não me notar, como agora.
Diante das últimas palavras, Bruno se vira e depara com ela acariciando dos melões. Ele mal acredita que possa estar vendo aquela cena tão provocante. Olhou mais para baixo e viu que na posição em que ela estava, era possível ver sua diminuta calcinha, enfiada na vulva, se oferecendo a ele. Seu pau começou a crescer e logo era visível ver o volume formado na frente da calça, o que deixou Pati radiante. De joelhos, ela procurou se aproximar do ponto onde ele a olhava, bem nos pés da cama.Bem debaixo dele, ela olhou para seu rosto e passou a língua nos lábios.
__Não gostaria de sentir o sabor dos meus lábios? Eu queria saborear o seu. - disse ela toda oferecida.
Bruno, levou a mão aos seios dela e brincando com seus mamilos a fez ficar em pé sobre a cama. Abraço-a pela bunda e colou a boca num dos seios dela, arrancando-lhe um suspiro de prazer. Passou para o outro seio e metendo a mão sob a saia dela, desceu-lhe a calcinha.Levou o nariz até seu sexo e depois de aspirar o forte odor de sexo escaldante, ele olhou para ela e lhe perguntou num murmúrio:
__Posso beijar primeiro teus lábios de baixo?
__Vou adorar se você fizer isso. -disse ela afastando as pernas, oferecendo a ele sua intimidade. Sentiu a boca dele tentando abocanhar toda sua genitália. Não se conteve e gemeu alto, apertando com energia a cabeça dele. A língua começou a percorrer toda aquela parte que se molhava, sem ser com a saliva, mas com um delicioso líquido viscoso, até que encontrou aquele ponto sobressalente que titilou com vontade, deixando a garota toda tremula. Chupou e lambeu bem aquele ponto, até que a sentiu verter mais líquido. Encarou-a e procurou sua boca. O beijo no inicio fora tímido, mas aos pouco a tensão aumentou e acabou ficando alucinante. Pati, estava devorando a boca de Bruno, enquanto esfregava os seios , numa caricia que a levava ao mais alto grau de tesão.Assim que pode lhe pediu:
__Deixa eu chupar seu pau? Tira ele da calça e me deixa ver a beleza que ele é.
Bruno se despiu rapidinho e ostentou um pau de 20cm que enlouqueceu a garota, que sem pensar em mais nada caiu de boca nele. Passou a língua em todo o cabresto, chupando a cabeça e depois se apossando dos ovos dele. Acabando de ter mais um gozo com aquelas caricias no macho feita, ela se deixou cair para trás e abrindo as pernas, quase implorou que ele a penetrasse e com violência. Era uma forma de se punir, por não ter sido direta com ele e então estar usufruindo a mais tempo daquele prazer. Bruno a obedeceu. Penetrou de uma só estocada a boceta melada, fazendo as suas bolas baterem na bunda dela. Mordia os bicos dos seios dela a deixando mais alucinada.
__Acaricia a minha bunda e mete um dedo no meu cu. Vai meu tesão, enfia o dedo bem fundo. Isso, assim mesmo. Que gostoso. Diz que vai comer meu cu depois, diz!
__Vou adorar entrar em seu cu com o meu pau. Você é uma delicia...quero te comer todas as vezes que vieres aqui em casa.
__Vou adorar. Agora não fala e chupa meus seios que eu enlouqueço com essas chupadas.
Bruno, estava contente por sua irmã ser tão desbocada. Iria agradecer a ela, pela amiga, que empurrara para ele.
Saiu da boceta de Pati e a virando de costas para ele, se plantou atrás de sua bunda e com a ajuda dela que afastou as nádegas com as mãos, não precisou nem de lubrificante, já que seu pau estava todo melado do gozo dela. Empurrou a pica, que não encontro dificuldades para penetrar naquele orifício e ir alargando do aquele corredor cujas paredes se contraiam. Pati, esmurrava o colchão e vociferava palavrões, que excitavam a ambos. Puxou ela de encontro ao seu corpo, para ficar mais fundo dentro dela, que passou a rebolar como se bamboleasse.Depois de se conter, para que ela pudesse gozar mais, Bruno anunciou que estava para esporrear e quase que de imediatamento começou a esguichar dentro do cu de Pati, que corcoveava como se fosse uma potranca selvagem. Quando tudo terminou, ela pediu a ele que a deixasse sentar em seu colo com o pau dentro do cu.
Quando Regina, abriu a porta do quarto, os dois ainda estavam na mesma idealização, ou seja ela com o pau dele no cu se beijando melosamente. Ela olhou e sorriu. Sentou´se na outra ponta da cama e começou a folhear o livro de receitas. Tinha que pensar qual daquele bolos faria para seu querido irmão!

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:22 de setembro de 2015 17:26

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Jovens

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 22/09/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Neil
    Postado porNeilem25 de janeiro de 2016 09:27

    está muito bom, mas ficaria muito melhor e mais excitante se ele sentisse um desejo inexplicável pela irmã,ao ponto de ver o rosto dela , enquanto comia sua amiga.

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*