Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

É dando que se recebe

Vitor, Mariana e Viviane são três amigos que sempre estão juntos para o que dar e vier, como se fossem um o guardião do outro. Vitor era um rapaz que pelo porte, lembrava um daqueles garotos de academia, onde só se preocupava em cultuar a beleza corporal. Era bonito, não se podia negar e certo desse predicado ele se esbanjava em chamar para si toda a atenção do sexo feminino. Já havia tido curtição no mundo gay agindo na atividade. Mariana, era uma jovem com qualidades que explorava no campo sexual. Tinha seios enormes e naturais e se dizia bissexual. O que mais encantava nela, era seu tom de voz muito calmo. Viviane, talvez fosse a que mais fugia dos ideais do grupo. Quieta ao extremo, ficava até difícil convoca-la para quaisquer tipo de evento, não se sabendo se estava agradando-a ou não. No entanto se sabia que ela apreciava sexo, como se fosse a sua sobrevivência na terra.
Os finais de semana era para eles o que se podia dizer ser a válvula de escape para saírem da rotina dos dias normais. Estavam se preparando para saírem no domingo afim de participarem da grande manifestação que as redes sociais haviam conclamado, em repúdio ao que estava acontecendo no país, na famosa avenida Paulista as 14 horas. As camisetas, bandeiras e vuvuzelas estavam todas no jeito, faltava apenas chegar o grande dia do amanhã. Os três viviam na casa que alugaram na zona sul da cidade, com todo o conforto possível. Tinham, no inicio, quando resolveram morar juntos, jurados que nunca haveria envolvimento entre os três, para que tudo ficasse bem entre si. Estavam conseguindo, apesar dos hormônios estarem sempre em ebulição, a saciedade, ficava para os casos que conseguiam em outros lugares. Por isso sempre procuravam nos fins de semana irem as baladas para fazer uma caçada apurada que lhes rendessem uma transa satisfatória.No entanto as coisas não estavam indo bem neste quesito e ficavam a ver navios por semanas. Isso, vinha deixando-os irritados, pouco sociais. Como lobos famintos, já se olhavam de maneira estranhas desejando uma chance para atacar. Mariana saiu do banheiro enrolada em uma toalha e passou por onde estavam os dois amigos conversando. O cheiro do sabonete chamou atenção dos dois, que perguntaram a ela onde o tinha comprado. Mariana se voltou e disse que o tinha conseguido em um sex shop e que tinha comprado mais coisas para seu entretenimento. A curiosidade dos dois ficou estampada em seus rostos. Mariana trouxe uma caixa e ao abri-la mostrou que estava mais necessitada que eles pudessem imaginar. Tirou um massageador, bolas tailândezas e um pênis vibrador que tinha 19,0 por 5,0, além de lubrificante a base de água e uma camisola com abertura para os seus seios volumosos.Vitor e Viviane ficaram boquiabertos, por não terem percebido quando ela chegou com aquelas coisas. Marina confessou que, fora a camisola as demais coisa sim. Usava quando estava só ou quando ia ao banheiro, era uma forma de descarregar as emoções. Para surpresa de Vitor e dela própria Viviane se manifestou perguntando por que não falar do assunto entre eles e que talvez não precisasse ter gasto nada:
__O que você quer dizer com isso? - quis saber Mariana guardando as coisas.
__Ora, você não se diz bi? Eu e Vitor estamos aqui. Eu pelo menos estaria aberta a negociações - concluiu ela diante do casal.
__Você diz o mesmo Vitor? Toparia transar entre nós? - quis saber Mariana.
__Olha para ser sincero, é duro ver vocês duas, tremendas gatas correndo atrás de pica e a minha aqui sem ter onde se esconder. Vou falar a verdade, sempre quis transar com vocês.
__E por que não nos disse cara? - quis saber Mariana se acercando mais dos dois.
__Achei que o melhor seria ficarmos longe de fazer sexo entre nós, para preservar a amizade nosso que é tão bonita. - explicou, não muito convencido do que dizia e escolhendo bem as palavras para não dizer que tinha mais tesão por uma que por outra. Diante de sua palavras, Mariana foi a primeira que se deixou levar pelo clima e abrindo a toalha mostrou seu belo corpo nu e ousadamente veio se sentar no colo de Vitor.
O rapaz que estava empolgado com a conversa, vendo os belos e enormes seios da jovem rente a seu rosto ficou sem saber se tomava a iniciativa ou não. Mas foi mais uma vez a cândida Viviane quem surpreendeu vindo a tomar na boca a boca da amiga que ficou excitada e enquanto era beijada, puxou a cabeça de Vitor em direção aos seus seios. Vitor abocanhou um seio e chupou o mamilo por diversas vezes alongando-o mais que o normal. Sobre o peso do corpo nu de Mariana o seu pau endurecia e ele não estava cabendo em si, quase não acreditando que os problemas dos três, em termos de companhias sexuais estava sendo resolvido entre eles.Apertou os seios da moça que gemia , com Viviane a masturbando freneticamente com seus dedos inseridos na xoxota da amiga. Chupava os seios da amiga, quando Vitor deixa de os apertar e se deixava despir pelas mãos de Viviane que não via a hora de sentar na pica de Vitor e sugar a boceta da moça a que abrira um leque de perspectivas ao trio.
Os três estavam nus e utilizavam as técnicas de manipulação que usavam em seus encontros, para darem vazão aos instintos que estavam represados em cada um. Sabiam o poder de sedução que cada um despertava no outro e logo foram tornando o clima super erótico. Mariana estava de pé diante Vitor, segurando o pau dele enquanto o beijava e tinha a bunda lambida por Viviane que agachada , corria a língua pelo rego da amiga titilando o cu dela. Se masturbava inserindo seus dedos na própria xoxota. Mariana foi descendo a boca pelo corpo do rapaz e ato continuo foi se curvando, dando mais liberdade a Viviane que a chupava por trás. Chegou ao pau que estava super duro e sem querer perder tempo o tomou na boca o levando até encostar em sua garganta. Viviane saiu de trás da amiga e se posicionou ao seu lado e quando esta deixou o pau escapar da boca, ela o tomou para si, chupando com prazer o falo do rapaz. Vitor vibrava, olhando para as duas deusas nuas que o devoravam com suas bocas sedentas de sexo. Curiosamente as camas deles, pois dormiam os três no mesmo quarto, não foram desejadas, mas sim o tapete que forrava o piso frio. Estavam embolados dividindo as bocetas, as bocas e o pau privilegiado de Vitor. Os arrepios de os gemidos eram sucessivos. Estavam se saciando um no corpo do outro num rodizio onde o sexo era principal prato daquela tarde chuvosa. Vitor deitado de costas no tapete se deixava beijar por um e com a perna levantada por outra, tinha o seu cu lambido, as vezes penetrado , pela língua de Mariana, que aproveitava também para chupar sua pica como se fosse um delicioso picolé de frutas. Já não sabia mais se tinha mesmo uma preferencia entre as garotas, pois as duas estavam lhe dando o maior dos prazeres que era ter duas ao mesmo tempo. Viviane se juntara a amiga e ambas disputavam a primazia de chupar alternadamente o volumoso caralho que sempre estivera perto das dua e que por um acordo bobo, elas não o tinham desfrutado antes. Viviane com o corpo esparramado sobre o de Vitor, enquanto o chupava com a amiga, de pernas abertas ela esfregava a boceta na cara do rapaz que a chupava e dedilhava seu cuzinho. As duas paravam de chupa-lo para se entregarem a beijos ardentes, e depois uma se ocupava de chupar seu ovos e a outra a cabeça da pica. Mariana olhou para Viviane e apontou com a cabeça em direção a pica de Vitor, a moça entende eu fez que sim.
Viviane deixou a boca do rapaz em paz e se arrastou até a rola, que Mariana segurava alisando e a mantendo em riste, e depois de Se virar de frente para Vitor, acocorada sobre o pênis o teve encaminhado para o buraco da boceta perlas mão de sua amiga. Inclinou um pouco o corpo e logo estava de joelhos , subindo e descendo a boceta na vara dura. Mariana aproveitou e levou o polegar até o cu da amiga e o introduziu, ficando a movimenta-lo dentro dela. Vitor mexia em, seus seios puxando os bicos deles ou metendo dedos na boca da mulher para ela os chupar. Tirando o dedo Mariana passou a chupar o cu da amiga, sentindo-o se contrair.
__Que língua deliciosa você tem. Mete ela todinha dentro do meu cu. Eu adoro isso. Vem minha putinha, deixa eu te beijar para sentir o gosto do meu cu, vem. - pedia incessantemente, no que foi atendida e pode desfrutar da boca amiga. Embaixo Vitor se mantinha tento a todos os detalhes daquela que estava sendo uma transa escaldante. Mariana, após beijar Viviane reclamou a sua vez de sentir aquela pica dentro de si pois tinha necessidade de fazer algo que gostava, em uma transa, que era em primeiro lugar dar a bunda.Vitor ao vê-la se estirar ao lado dele, de bruços ,levando as mãos para as nádegas e as separando
expondo o seu botão piscante, não acreditou. Viviane foi até as coisa que Mariana tinha comprado e pegando o gel lubrificante, espremeu uma boa quantidade do mesmo sobre o cu da outra e massageou o pau de Vitor com mais um pouco. Foi ela que deitada ao lado da amiga, em sentido contrário, encaminhou a cabeça da pica, para o lugar certo. Viu com que facilidade o cu se abriu e a pica entrou, deixando de foras só os ovos.
__Uau! Gulosa! - exclamou ao ver a façanha da amiga que não deu um só gemido de dor. Sentiu a mão dela posar em sua bunda e mexer em seu rego alcançando o seu cu. Foi mais para trás com o corpo e teve o dedo dentro do cu. Olhava a pica do amigo, entrando e saindo daquele belo buraco que a agasalhava. Quando a pica escapou, devido a uma arrancada mais brusca ela se aproximou e a tomou na boca
chupando a cabeça que trazia o gosto do reto da amiga. Tornou a coloca-la no seu devido lugar vendo-a desaparecer entre as nádegas empinadas. Suas bocetas estavam todas meladas de néctar que haviam escorridos de suas aberturas, resultante dos diversos gozos que tiveram, e quando Vitor acelerou as estocadas, esmagando a bunda de Mariana de encontro ao seu pentelho, Viviane sabia que era hora de se preparar para do creme desfrutar, por isso quando retirou a pica do cu da amiga um dos jatos de porra, já tinha sido lançado lá dentro, mas os demais ela os recebeu na boca, bebendo com prazer a ponto de gozar com eles. O quarto ficou cheio de gemidos, era a sinfonia do prazer, onde ficava provado mais uma vez que é dando que se recebe.
Os três amigos, mais unidos do que nunca, estavam preparados para a etapa do dia seguinte, onde participariam, felizes, da passeata de protesto.


Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:18 de março de 2015 13:55

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Encontro a Três

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 1.530 vezes desde sua publicação em 18/03/2015. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • laurinha
    Postado porlaurinhaem21 de março de 2015 01:49

    Que dlc de conto.... gozei muito lendo ele..... quero mais... esse acho que é o desejo de muitas mulheres e homens

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*