Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Nada importa se não for você-5 o final

__Você esta me dando a chance, de saber, se posso ser o que você quer.
__Eu sei que pode. Desde o primeiro momento que á vi, tive essa certeza. Mas vamos deixar isso de lado, vamos nos divertir.
Fomos para o Ibirapuera, onde nos divertimos como criança.Assistimos, shows, andamos de bicicleta que alugamos, sentamos debaixo de árvores floridas e assim passamos o dia. Quando anoiteceu, fomos assistir o espetáculos das águas dançantes. Na volta para casa, paramos em uma pizzaria e adquirimos uma bem grande que seria o nosso jantar. Tomamos um bom banho e depois fomos para o quarto onde coloquei um filme para assistirmos. O tema era bem sugestivo, ou seja, o amor entre duas mulheres. Devoramos a pizza e depois nos encostamos em uma das paredes a qual a cama estava encostada e com Suzana em meu colo, ficamos a olhar as cenas picantes do belo filme de lesbianismo. Quando terminou, Suzana foi para o banheiro e eu tratei de preparar o meu lugar, no colchão que colocara no piso ao lado da cama, para dormir. Assim que ela chegou fora minha vez de ir. Quando voltei vi com surpresa que o colchão estava encostado na parede e que meu travesseiro, estava junto ao seu.
__Tem certeza de que é isso, mesmo que você deseja?
__A menos que você não queira, sim- foi a resposta dela.
Me enfiei debaixo da coberta e pouco depois ela jogava um braço sobre mim e me puxava para ficar de conchinha comigo. Imagine como eu estava me sentindo, com o calor dela me aquecendo ? Ficamos naquela posição, quietas, até que ela ergueu a cabeça e a projetou para a frente e eu comecei a sentir seu hálito quente na nuca. Não demorou para que sua boca tocasse a pele e a ponta da sua língua umedecesse o local. Um arrepio acompanhado de tremor forte, sacudiu meu corpo. Para me espicaçar mais ainda, ela como menina travessa, procurou alcançar a minha orelha e passou a mordiscar o lóbulo dela. Esperneando, mas presa a ela eu procurava sair daquela deliciosa agonia. Com muito custo, e muito riso de ambas as partes, consegui me livrar dela, lhe mostrando como estava com os braços arrepiados. Como ela caíra em forte gargalhada, passei a ataca-la, lhe fazendo cócegas. Ela se revirava de um lado para o outro tentando fugir, até que subi sobre seu corpo e passando uma perna de cada lado, a imobilizei. Nos olhamos ficando cada uma perdida em seus pensamentos. Mas depois de breve trégua, ele levou as duas mãos a barra da regata e foi suspendendo-a até que seus magníficos seios, ficaram de fora. Meu olhar se prendeu naquela obra de arte encimada por dois bicos cereja, que me desafiava a toca-los.
__Você não os espiou esta madrugada? Quase não os tocou? Pois estão ai livres para você.
__Quer dizer que você, estava acordada então?
__Acordei com você me acariciando a face. Fiquei quieta, porque me senti tão bem com seu carinho.
Vendo que eu não tomava uma atitude, ela pegou minhas mãos e as colocou sobre aquelas duas jóias. Senti a maciez do bojos acetinados, como a rigidez dos bicos tesos. Ela fechou os olhos procurando curtir os movimentos dos meus dedos em torno de suas mamas. Eram tão durinhas. Sem que eu pudesse me recuperar de tanta emoção, ela pegou uma das mãos que estava sobre seu seio, e a levou, para dentro da calça do pijama, fazendo descer, entrar em contato com seus pelos pubianos, e ficar entre suas coxas que se abriram e fecharam sobre ela. Sentia a quentura da sua vulva e confesso que fui tomada por uma tremedeira tão grande que ela me olhou assustada, mas diante do meu sorriso, ficou mais passiva. Começou a menear as coxas, com isso forçando que dedos ficassem presos em seus lábios vulvares.Entre eles uma oleosidade era palpável e quando subi com um dedo, tocando o badalo do prazer, Suzana soltou um gemido longo passando a estremecer o corpo, demonstrando que estava gozando. Não querendo me deixa isolada, ela levou a mão para dentro da minha calça e sob a calcinha, chegou ao meu sexo, que devido a posição que eu estava, se encontrava totalmente aberto. Os dedos delicados daquele mão, foram fundos. Fungávamos violentamente, quando meu corpo derreou sobre o dela e acabamos ficando a trocar respiração, o que aproximava muito as nossas bocas. O beijo fora inevitável e aquela troca de saliva, a textura daqueles lábios delicados, mais o que as mãos faziam, me levaram ao paraíso. Posso dizer que gozamos diversas vezes, melando nossos dedos no líquido que escorria do sexo manipulado.
Aquela noite ficou para a história e abriu o caminho para depois de dois meses, Suzana dizer que desejava ficar comigo, pois estava me amando, com uma frase que dizia tudo:
__Nada importa se não for você!

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:15 de setembro de 2015 16:07

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Lésbicas

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 15/09/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*