Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Ousadia

Estava parada no ponto de ônibus, de um lado da rua, bem em frente a outro no lado oposto. Não havia ninguém por perto, a não ser o cara que do outro ponto me olhava. Era bonito, apesar da distancia, dava para se perceber, forte, trajando uma calça jeans surrada e uma camisa polo. No pé, trazia um belo par de tênis. Seu olhar insistente, estava me deixando incomodada e ao mesmo tempo excitada. Olhei para o lado que minha condução viria, e nada. Olhei para o outro lado da rua e o cara ainda continuava a me olhar. Comecei a ficar invocada com aquela situação e passei a encara-lo. Vendo que ele se mantinha firme em seu olhar, eu o inqueri com um gesto de cabeça e mãos como querendo saber o que ele pretendia me olhando daquele jeito. Para minha surpresa, ele levou uma das mãos até a braguilha e esfregou-a ali e depois apertou todo o conjunto. Achei aquele gesto uma ousadia sem fim e muito constrangedora. Porém dentro de mim subiu uma ânsia de o desafiar, só para ver se o cara era marrudo mesmo. Levei a mão para dentro do meu decote e ostensivamente, retirei um seio para fora e abaixando a cabeça passei a língua no bico dele.Ele, colocou a dele para fora e a passou sobre os lábios. Quando eu ia fazer uma nova apelação o ônibus dele apareceu, me obrigando a me compor. O meu não aparecia e agora eu ficaria só, sem a companhia do cara do outro lado. Para minha surpresa, quando o ônibus partiu, vi o cara lá, parado me olhando. Fiquei alegre. Ele fez um gesto para que eu continuasse com o seio de fora, mas para o descontentar, me sentei no banco e depois de levantar a saia, desci a calcinha a retirei, fiz uma bola da mesma e a arremessei para o meio da avenida. Ele se deslocou para a mesma e pegando a peça voltou para o lugar que estava. Olhando para mim, levou a peça as narinas e a cheirou fechando os olhos. Sorri, divertida. Cruzei as pernas por diversas vezes e depois as escancarei para que visse minha xoxota. Ele arregalou os olhos e sentou no banco atrás de si. Levantei as pernas e apoiei os calcanhares na ponta do banco me abrindo mais ainda. Vendo que ela estava muito perturbado, comecei a passar a mão sobre o meu sexo e com dedos abri-lo mais do que já estava. Ele, tirou o pau para fora e começou a se masturbar. Para não ficar atrás, inseri dois dedos dentro da minha boceta passando a movimenta-lo num entra e sai frenético. Para o excitar mais ainda, me levantei e virando de costas, curvei-me e levantando a saia, exibi para ele a minha bunda, que todos diziam que era muito bonita, deliciosa de se ver. Virando a cabeça de lado, pude ver que ele acelerava os movimentos da mão sobre seu pau. Separei as nádegas com as mãos e para apimentar mais introduzi um dedo no meu cuzinho que piscava de ansiedade. Ele vendo que eu estava o olhando, fez sinal de que desejava me ter e eu estava disposta a ter uma aventura ousada com um estranho, que me era simpático e tinha uma bela pica. Ele, ainda com o pau na mão, tornou a pedir para que eu permitisse que ele viesse até mim. Pensei! Que mal pode haver numa rapidinha para encerrar bem o dia. Permanecendo na mesma posição o convidei, com o dedo, a se aproximar. Ele, colocou o pé no meio fio, mas o som de algo se aproximando o fez recuar. Olhei para o outro lado da avenida e vi, não só o meu ônibus chegando, como algumas pessoas que vinham correndo para o pegar. Passei pela catraca e me instalei em um banco do lado que o cara estava. Ele me viu surgir na janela do coletivo, e a expressão do seu rosto foi pesar. Com um gesto de mãos e um sorriso sádico no rosto, fiz tchauzínho para ele e o fiz entender, que um outro dia quem sabe, poderíamos completar o que mal tínhamos iniciado. Ele acenou de volta exibindo sem querer a calcinha, que logo que percebeu a escondeu, o que me provocou um acesso de riso.
Prometera a mim mesma, que se topasse com aquele cara novamente, iria dar para ele, ali naquele ponto de ônibus, na maior ousadia possível. Era só surgir a oportunidade!

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:22 de setembro de 2015 08:26

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Exibicionismo

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 22/09/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*