Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Tentação em família

Estava entediada e carente. Meu namorado, tinha ido viajar e um amiguinho que eu tinha para um alívio real e imediato, estava de caso com minha melhor amiga e eu não seria fura olho de jeito algum.Portanto, tinha que me contentar com um a siririca e nada de pau entrando e saindo dos meus buracos. Caralho, aquilo não estava correto. Eu precisava de uma pica. Queria gozar com uma, onde quer que fosse, mas tinha que ser com uma pica. Deitei na cama e suspendi a saia até a barriga e passei a me acariciar e pensar nos amasso que eu dava com meu namorado ou com quem me desejasse. Adorava fazer uma bela chupeta neles até a porra espirrar no fundo da boca, chegando a garganta. Eu gostava daquele gosto diferente que ela tinha. Me deixava mais afogueada e ai eu partia para o que desse ou viesse. Porém uma coisa eu não admitia, apesar de ser vadia, era me pedirem para por no meu cu. Eu deixava bem claro que na bunda não ia entrar nada, e eles meio que a contra gosto, não forçavam a barra. Eu tinha em casa um admirador fervoroso desta parte de minha anatomia.Marcos. Marcos era meu irmão querido e não tínhamos vergonha de dizer um para o outro o quanto achávamos que era gostoso. Na verdade ele era um tesão de homem e ele sabia que eu o desejava. Nunca tínhamos chegado as vias de fato, por puro preconceito, medo e falta de necessidade. Eu gostava de mostrar a ele o meu corpo, bem como eu apreciava muito quando ele estava de pau duro e não deixa de me mostrar aquela beleza.Um dia eu pedi a ele para toca-lo, queria sentir a diferença dos outros caralhos que eu tivera a oportunidade de ter em mãos ou dentro de mim. Foi emocionante sentir entre os dedos a pulsação das veias que o revestia e a vontade de o colocar na boca era grande, mas me contive. Deixei também que ele visse a minha xoxota, onde ele despejou muitos elogios. Mas quando virei a bunda para ele, o danado endoideceu e não se contendo encostou aquele pau em mim, fazendo leve pressão entre minha nádegas que voluntariamente se uniram impedindo que ele avançasse mais. Sai correndo do seu quarto e fui para o meu onde toquei uma siririca violenta tendo um dos mais deliciosos orgasmo. Deixando de lado o meu devaneio, me levantei ajeitei a saia e saí do meu quarto.No quarto do meu irmão a porta estava trancada. Bati na mesma e pouco depois se ouvia o barulho da chave na fechadura. A porta se abriu e ele apareceu, só de cueca, expondo o belo busto nu. Parecendo adivinhar o que eu queria, ele se afastou me deixando passar, caminhando depois para a cama onde se deitou de barriga para cima.
__Não esta com sono, maninha? - perguntou sorrindo.
__Pelo que vejo você também não. - retruquei sentando ao seu lado.
__É. Estou sem sono. Acho que é o calor. -disse pousando a mão em minha coxa. Porque ele fez aquilo. Eu ainda não tinha me decidido o que ia fazer, mas diante daquele gesto inocente eu desabei.
__Estava se masturbando? - perguntei pousando a mão sobre sua cueca, onde estava seu pau, que ainda mantinha uma dureza que não podia ser ignorada. Apertei aquele volume que começava a aumentar sua presença. Marcos gemeu e tentou tirar a minha mão, no que não permiti, forçando mais sobre aquela deliciosa dureza.
__Mana, mana. Não brinca com isso.
__Não estou brincando.- respondi apertando mais a rola dele. Ao mesmo tempo fui me deitando sobre ele virando o corpo para que ele pudesse ver a minha bunda, cuja saia erguida não ocultava. Ele parou
de tentar me impedir de o acariciar e logo senti sua mão apertando uma das minhas nádegas. Como estava sem calcinha, tudo estava fácil para ele alcançar seu objetivo. Eu por minha vez estava preste a ter na boca aquele pau que eu libertava da cueca. Estava pulsando forte junto do meu rosto e eu o cheirava, sentindo aquele odor de pica. Virei mais o corpo e passei uma das pernas sobre o peito de Marcos, jogando assim minha xoxota em sua cara. Os dedos dele separaram meus lábios vaginal e sua língua tocou o meu grelo.Abocanhei a cabeça da pica e quase a mordi quando ele me chupou o grelinho. Estava me derretendo na boca de Marcos, que me enfiava um dedo na boceta e o fazia ir e vir. Chupei seus ovos e os tomei dentro da boca. Mas eu estava elétrica e não queria perder tempo. Por isso me virei para trás e murmurei:
__Come o meu cu.
Marcos me olhou, não acreditando no que tinha ouvido. Repeti, agora me posicionando de quatro sobre a cama:
__Você come o meu cu?
Marcos se aproximou de joelhos e ficando atrás de mim, passou cuspe em meu rego e depois enfiou um dedo. Comecei a gozar. Retirou o dedos para enfia-lo com mais um. Dois dedos dentro do meu cu estava me deixando ansiosa e por isso pedi que colocasse o pau logo.
Marcos foi muito delicado comigo. Ele sabia que eu nunca dera a bunda antes e por isso foi carinhoso enquanto forçava o pau para dentro do meu cu. Eu estava adorando a experiencia e estava me preparando para uma dor terrível, mas esta não fora maior do que quando eu perdi o cabaço. Segurou-me pelos quadris com firmeza e foi penetrando o meu cu, me fazendo ficar sem folego. Me senti entupida. O que mais eu estava gostando era saber que aquilo que estava dentro de mim, era a pica do meu irmão. Só de pensar naquilo, eu sentia que o gozo se aproximava intenso . Minhas pernas estavam sem força e meus braços tremiam. Comecei a suar. De todas as fodas que tivera, aquela estava sendo a mais plena. A prova, escorria pelas minha pernas, com uma certa abundância. Marcos gemia e socava com cadencia a pica em meu cu e quando anunciou que iria gozar eu o arrastei sobre mim, caindo de bruços na cama. A pica entrou mais fundo e eu senti os primeiros jatos me regarem o intestino. Era uma porra farta que me alagava e que se juntaria com a minha seiva, quando escorresse do meu cu. Estava dolorida, mas não mais nervosa. Tinha finalmente aberto um canal para ter uma válvula de escape quando estivesse precisando me aliviar, sexualmente falando. O sexo com meu irmão era muito gratificante. Ajudava a mim e ajudava a ele. Aquele que fora para mim uma tentação em família, agora era a minha parceria, minha salvação.

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:11 de março de 2015 17:11

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Jovens

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 1.569 vezes desde sua publicação em 11/03/2015. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Jô
    Postado porem25 de abril de 2015 16:22

    Também gostei muito.Abraços

  • Cutty of sack
    Postado porHelgaem12 de março de 2015 00:21
    Helga é uma autora no História Erótica

    Esplendido conto erótico! Beijinhos

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*