Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Um momento, uma chance, aquele prazer!

Laura estava despreocupada naquela tarde linda, queria se divertir e por isso mesmo decidira ir ao shopping, ver vitrines e depois talvez pegasse uma sessão de cinema. Parou diante de uma loja de lingerie e ficou olhando os preços absurdos que estavam nas etiquetas das peças. Eram bonitas, mas o preço era um assalto a mão armada. Passou para a loja do lado e as roupas pareciam estarem sendo vendidas a peso de ouro. Por muito tempo ficou pesquisando e achando inviável comprar qualquer coisa, pois tudo estava muito caro. Achando que nada valia os preços expostos ela resolveu ir até a praça de alimentação onde pediu sanduíche e suco natural e foi para umas das mesinhas se sentar. Estava ali compenetrada, analisando a própria vida, quando alguém se aproximou e pediu licença para sentar na cadeira que estava vazia bem a sua frente. Achou estranho, pois existiam inúmeras mesas todas vazias, o que não encaixava com aquela intromissão. Ia se levantar e deixar a visitante sozinha, mas diante do sorriso e da beleza estonteante da pessoa, ficara sem ação. Diante de si, com uma bandeja na mão, onde trazia o mesmo pedido dela, estava uma lindíssima, mulher. Laura não era de se encantar com ninguém, principalmente mulher, mas aquela era de chamar a atenção de qualquer mortal, era uma mulher maravilha. Sua roupa era de um bom gosto, que servia para realçar mais a sua beleza exterior. Quando se sentou começou a falar:
__Você deve estar estranhando o fato de eu querer me sentar junto de você, com tantas mesas sem ninguém, não é? Sabe o que é? Eu tenho fobia de ficar isolada. Tenho que estar com alguém senão me apavoro. Você não ficou chateada por ter que dividir seu mundinho comigo, não é?
__Claro que não. - mentiu Laura - Sempre é bom ter um companhia, mesmo que seja para um breve lanche.
__Que bom. Acho que foi o céu que enviou você. - continuou conversando - Briguei com meu caso e ela me deixou aqui e foi embora.
__Brigaram por quê?
__Por ciumes. Achou que eu estava dando em cima de uma frequentadora do local.
__E você estava? - quis saber Laura começando a rir.
__Só um pouquinho, nada de mais. - concluiu levando o canudo do refresco aos lábios carnudos a lá Jolie.
__E você não acha que ela estava certa em sentir ciúmes?
__Não vejo o por que. Sempre fui fiel a ela. Agora só por que dei uma olhadinha para o rabo da garota ela fez um baita escândalo. O que é bonito não tem que ser visto? - perguntou dando uma mordida no sanduíche.
__Sim! Tem mesmo. - principalmente quando aparece uma garota como você a nossa frente, pensou Laura.
__Pois então, eu olhei. Se você estivesse passando por mim, eu olharia também.
__Eeeu? Mas por quê, eu? - se espantou Laura naturalmente.
__Por que você? Já se olhou no espelho? Você é linda...por que olhou para trás?
__Você não pode estar falando isso para mim, só isso.
__Desculpe, mas qual é seu nome?
__Laura.
__Bruna a seu dispor, Mas como estava dizendo, você é muito gostosa mulher. - disse Bruna sem medir as palavras, dando a entender que estava dando em cima de Laura.
__Se eu pudesse ou tivesse a metade do que você tem em beleza, só a metade, eu seria lindíssima. - disse Laura, sentindo o olhar de fogo da outra sobre o seu busto que aparecia pelo decote.
__Caramba! Você agora pegou pesado hein?
__Ué, por quê? Estou apenas dizendo o que vejo diante de mim.Compreendo até o ciúmes de sua companheira. Queria ver a garota que você olhou o rabo, que resultou na briga com o seu caso.
__Esta diante de mim. -sorriu levando o canudo outra vez a boca.
__Você é humorista, não é? - perguntou Laura rindo.
__Não. Você não estava vendo uma peças de lingerie e depois foi para a loja do lado?- quis saber, vendo que ela ficara enrubescida.- Você já se viu de costas?
__Ah, para com isso? Você esta me deixando sem jeito.
__Tesuda! - disse Bruna com um sorriso brincalhão. Percebeu que mexera com Laura e procurou deixar o ambiente mais leve.
Laura ficou a pensar se tinha ouvido mesmo ela chama-la de tesuda.
__Desculpe se fui indelicada com você. Vou me retirar. - Bruna fez menção de se levantar, mas Laura a impediu.
__Fique. Mas me diga a verdade, você inventou aquela conversa de fobia, não foi?
Bruna concordou com a cabeça e ambas riram muito.
__Por que fizeste isso criatura. Sua garota...espere um pouco. Sua safada, você não brigou com ninguém. Você estava me seguindo?
__Estava! - confessou Bruna, olhando Laura por baixo - Brava?
__Não sei. - disse Laura tendo agora a certeza de que estava sendo paquerada por uma mulher belíssima, o que a deixava muito lisonjeada.
Todos que passavam pela praça de alimentação perto delas as olhavam pois a beleza de uma era o complemento da outra. Dois rapazes se sentaram numa mesa perto da dela e começaram a olhar para as duas.Com os olhos ela, Bruna, deu a entender a Laura o que estava acontecendo e quando esta olhou para eles um deles envio-lhe um beijo. Então sem pensa duas vezes e nas consequências do que estava por fazer, depositou sua mão sobre a de Bruna. Esta entendendo a deixa, colocou a outra mão sobre a de Laura. Os rapazes entenderam o gesto. Sabiam que com duas belas lésbicas não tinham vez e com isso se retiraram, sob o riso debochado das duas, que no entanto ficaram de mãos dadas. Quando seus olhares se encontraram, faíscas saíram e queimaram as ultimas reservas de pudor que pudesse haver. Bruna ainda não estava convencida de Laura já era sua presa. Tinha que testa-la de alguma forma. A fome que estava roendo seu intimo, era de desejo de ter aquela bela morena sob seu jugo. Laura por sua vez, não acreditava que esta flertando com uma mulher, por mais bela que fosse, pois era uma mulher igual a ela. Ou não? Estava encurralada, não sabia como entrar ou sair daquela situação inusitada. Nunca sentira desejo de estar com uma mulher, mas...Bruna, estava mexendo com seus brios. Em seus 30 anos de altos e baixos, sempre estivera enganchada com macho. Adorava sentir a presença de um homem perto de si, a envolvendo da cabeça aos pés. Gostava do cheiro masculino, da essência do macho dominador, daquele machista genuíno que a fazia se dobrar ás suas necessidades, esquecendo que era também um ser humano que precisava ser dominadora em certas horas e não só subjugada.Talvez com um homem fosse mais fácil lidar do que com uma mulher. Mas como ter certeza se nunca saíra com uma? Aquele poderia ser a sua oportunidade de experimentar qual era diferença. Mas estaria a belíssima Bruna interessada nela?
Audaciosa e pronta para o que desse e viesse, depois de se certificar de ninguém estar olhando, Bruna esticou uma das pernas e tocou de leve na de Laura, que assustada olhou para os lados e depois sorriu nervosamente. Bruna a olhava fixamente analisando sentindo cada reflexo comportamental da sua vitima e quando teve certeza de que ela não escaparia deu o bote:
__ Vamos ao cinema?
__Cinema?
__ Sim. Cinema. Aquela sala que tem muitas poltronas para se sentar e que ficando escura começa a passar filme numa tela bem grandona. Cinema!
__Estupida! Eu sei o que é cinema. - fez beicinho que a outra achou encantador.
__Se estivesse nesse tal cinema e você fizesse esse biquinho para mim eu ia te engolir com meus beijos. Quer arriscar?
__Você sempre é direta assim?
__Quando vale a pena, sim sou.
__Então você acha que valho a pena?
__Pode apostar que sim. Vamos?
Laura nada respondeu, apenas afastou a cadeira e se levantou e para sua surpresa, Bruna a pegou pela mão e se dirigiram para a escada rolante que as levariam para a ala das salas de exibição. Bruna escolheu a bilheteria que estava passando o filme mais sem noção e Laura logo sacou o por que. A sala estava as escuras, apenas os indicadores do corredor orientava as pessoas no primeiro momento. O filme era escuro e isso era excelente para se ter privacidade. Sentaram na última fileira e repararam que estavam penas com mais um casal, que muitas fileiras abaixo, se pegavam. A bela Bruna, passou um braço sobre os ombros de Laura e a fez pender a cabeça para si. Com a outra mão acariciou o rosto dela e depositou um beijo em seus lábios.
__Sabia que eu tinha a certeza de que iria encontrar hoje a mulher mais gostosa da minha vida? - disse beijando-a com mais pressão- Que iria sentir lábios adocicados contra os meus?
__Suco de morango com leite. - provocou Laura toda excitada.
__Morango, a fruta do desejo, como você. Vou te devorar todinha.Quer?
__Faça o que você tiver von... - não pode terminar a frase por que a boca de Bruna impedia, enquanto a mão livre massageava seu seios sobre a blusa fina, sentindo que os bicos, deles, se enrijeciam e se tornavam tateáveis mesmo sobre a roupa. Sentiu a boca de Bruna se direcionar para seu pescoço e ficou toda arrepiada. Bruna beijou-o nos dois lados e depois voltou a atacar os lábios de Laura a deixando sem folego, tal era a volúpia que ela se apoderava deles. Dedos ansiosos, penetraram dentro do decote e tocaram na pele acetinada dos dois bojos preciosos que Laura tinha. Procuraram os bicos, para os sentir tugidos e quando achou que devia os torceu de leve, arrancando gemidos de Laura. Puxou para fora do sutiã uma das mamas e se curvando sobre ela a tomou entre os lábios. Laura nunca sentira tamanho choque em seu corpo, como fora naquele instante. A boca quente de Bruna a estava deixando embriagada e sua mente voava para o nirvana em meio a tremores e gemidos incontroláveis. Com os seios, agora expostos, Laura recebia toda a atenção da boca faminta daquela mulher, que estava lhe dando um prazer, que nunca sentira na vida até aquele momento. Bruna sugava os bicos dos seios de Laura, e com a outra mão procurava abrir-lhe a calça descendo o zíper da mesma. Laura não acreditava, que estava se deixando desnudar por uma pessoa estranha e o mais curioso é que estava gostando. Sentia que dentro de si, muitas coisas procuravam um lugar para se encaixar. Parecia que estava vivendo uma nova qualidade de vida, que nunca imaginara existir.
Bruna com seu jeito de conseguir o que desejava, estava com a mão nos pelos de Laura. Não deixava de beija-la por nada e sabia que esse ato a estava levando a ter orgasmos repetidos. Podia sentir, no arrepio da pele que ela estava erotizada, pronta para posse, por isso desceu a mão e os dedos escorregaram pelas dobras do sexo que estava pulsando sequioso por aquele toque. Não conseguia avançar mais pois a calça ainda impedia que tudo ficasse livre, por isso foi com jeitinho e pediu a ela que descesse a peça para os pés. Laura se assustou, mas não pode deixar de atender o pedido de Bruna, descendo a calça. A mão foi para o centro do seu sexo e se introduziu entre suas partes intimas, Laura levou a mão a boca e a mordeu para conter o grito que estava para sair da sua boca.
__Minha gostosa fruta do pecado. Como você é deliciosa e bela. Seus seios e essa sua xoxota são de tirar o folego. Já pensou quando a ver no claro? Olha como esta seu grelo, durinho. - disse alisando o clitóris que se destacava.
Laura, não conseguia articular uma só palavra pois estava tremula tendo mais um gozo. Bruna desceu a calcinha de sua amiga e se debruçou sobre o colo dela chegando com a boca até os pentelhos para depois procurar com a língua o botãozinho do prazer feminino. Não deu para conter aquele gemido forte que lhe veio a boca. Uma onda avassaladora de calor intenso tomou conta do seu corpo e ela se deixou cair sobre o encosto da poltrona e com o mesmo arqueado ofertava despudoradamente a boceta quente e úmida. Sentia, quando dava, a língua passeando por toda a extensão do sexo e nele penetrar. Era demais para Laura, a sensação de querer pedir socorro para que se permitisse raciocinar em meio aquele turbilhão de prazer. Vendo que não podia lutar contra aquele força poderosa, se entregou ao deleite de ser possuída por uma mulher na sala de um cinema. E que posse foi aquela. Laura jamais podia imaginar que ficasse despida em um lugar público, porém, também nunca tivera tanto prazer em toda sua vida de mulher desejada, cortejada e possuída.
Os créditos do filme começaram a ser exibidos, pegando as duas em sua intimidade visceral. Quando se deram conta de que a sessão estava acabando, mal deu tempo se se ajeitarem e as luzes se acenderam. Estavam sós na sala de exibição, até o casal de namorados já tinham ido embora.
Laura e Bruna se olharam e trocaram um beijo para depois se levantarem e saírem do cinema. As duas estavam risonhas , saciadas e iriam viver aquele romance até onde fosse possível.





Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:12 de maio de 2015 15:20

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Lésbicas

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 12/05/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*