Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Uma é bom, mas duas são demais

O que se passava na tímida cabeça de Elisângela, chegava a ser cômico se não fosse tão trágico. Ela era uma garota que deseja se apresentar a sociedade como entendida, mas quê temia ir em busca da sua primeira experiencia, por pouco saber dos tramites lésbicos. Era uma gracinha de menina e todos gostavam dela , menos para namorar. Para mim, que já tinha Juliana, ficava difícil ficar com ela, apesar de ter dado uns amasso que deixou-a em ponto de bala, mas fora muito rapidinho para não dar bandeira afinal eramos apenas grandes amigas nada mais.Eu tinha prometido a mim mesma que iria dar uma solução para o caso dela. Eu tinha duas velhas conquistas que se tornaram excelentes amigas, honrando tudo que havíamos vividas juntas e então resolvi que seriam elas que iriam introduzir a nossa famosa Elisa no mundo da putaria lésbica. Jordana era um negra maravilhosa que sabia chupar uma xoxota como poucas, inclusive, eu havia aprendido com ela , muito do que eu sabia. Sua língua era portentosa e deixava qualquer uma explodindo de satisfação. Paula, era boa nos dedos e colocava a nocaute qualquer uma que ousasse ficar em seu caminho. Quem os experimentava os sentia por uma eternidade em cada buraco que os mesmo se inserira. Achei que a tímida garota iria ficar em boas mãos. Juliana, minha companheira teve que viajar para o interior do estado e eu vi ali a oportunidade de por em prática o meu plano. Comuniquei a vitima e suas algozes, que daria um comes e bebe em casa e queria que elas fossem. Elisângela, não sabia de nada do que eu planejara, mas as outras duas sim.Concordaram e no sábado, já pela tardinha chegaram. Eu e Elisa estávamos na cozinha preparando alguns petiscos quando a campainha tocou. Fui atender e deparei com elas. Trocamos selinhos e as introduzi onde a nossa iniciante estava.
Ao apresenta-las. percebi que rolara um clima entre Jordana e Elisa e o que poderia ficar bom se transformou em uma disputa. Elisa passou a ser o centro das atenções das duas. Quando terminamos de preparar tudo, pedi licença e puxei Elisa para o banheiro afim de saber o que ela tinha achado das minhas amigas.
__Gostei delas. Mas me parecem meio taradas. Você viu como a Jordana me olhava?
Confesso que me assustei um pouco. Paula é mais discreta, mas me lançou cada olhar de me deixar sem saber onde ir.
__Um delas vai ficar com você hoje.
__Sério?
__Sim. Quem você prefere?
__Eu não sei de nada, estou inocente em tudo isso. Acho que não quero estar com ninguém.
__Que é isso menina. Vamos aproveitar a maré.
__Você fica com a Jordana e eu com a Paula, pode ser?
__Claro, tolinha. Agora tome um banho bem gostoso e depois se enrole numa toalha e vá para a sala.
__Você não vai tomar banho também?
__Vou, mas não agora. Prefiro vir acompanhada.
__Aah, entendi.
Saio e fui falar coma meninas. Comuniquei a elas a decisão de Elisa, que frustrou as ideias de Jordana. Prometi a ela que ela não ficaria na mão e a mesma sorriu adivinhando que relembraríamos os velhos tempos. Disse a Paula que fosse até o banheiro se banhar com Elisângela, assim o clima ficaria mais interessante entre as duas e ela toda alegre partiu para o mesmo. Jordana se aproximou de mim e passou a mão em minhas perna, que estavam a descoberto, já que minha saia era curtíssima. Sua mão estava quente e foi se encaminhando para a minha xoxota. Sua boca gulosa se apoderara da minha e eu sentia aquela língua tão poderosa me rebuscando até a garganta. O dedo dela se insinuou entre o tecido da calcinha e meus pentelhos. Como fazia nos nossos tempos de transa, ela com dois dedos os prendia e dava pequenos puxões começando a me deixar elétrica. Me deitou em seu colo e além de levantar mais a saia aproveitou para descer a minha blusinha que ficou abaixo dos seios nus, já que eu não usava um sutiã. Ela massageou minhas tetas e se curvou sobre ela as chupando. Com o bico dentro da boca ela o circundava com a língua. Sua mão foi se enfiando dentro da calcinha e sem pensar duas vezes desceu entre os lábios da vagina e depois de dedilhar meu grelinho, me fazendo gemer surdamente, introduziu um dedo dentro de mim.Seus lábios, molhavam todo o meu rosto e desciam para o pescoço e depois os seios os recebiam. Eu soluçava de prazer e dois dedos foram inseridos dentro de mim. Separei as pernas o máximo que pude e ela se aproveitou para me foder. Resolvemos ir para o quarto e lá eu a despi e a empurrei sobre a cama, caindo sobre ela que se abriu para que eu pudesse chupar sua bela boceta rosa choque. Seu grelo era enorme e eu nunca me esquecera dele, por que era um instrumento de prazer que me levava a loucura. Estava mamando esse montículo, quando no quarto, Paulo com Elisa. As duas estavam nuas e Paula a beijava ardorosamente e ela se entregava. Ficamos as quatro na mesma cama e nossos corpos se roçavam a todo momento. Vi Paula se posicionar sobre Elisa e meter quase que a mão inteira dentro dela.Elisa gemia tão alto que podia se dizer que Paula a estava machucando, naquela investida. Jordana quis inverter a posição, me pondo de costas e se enfiando entre minhas pernas me alcançando a xoxota, onde meteu seus dedos e a longa língua, me levando a ter um tremendo orgasmo. Ao me debater no ápice do prazer uma de minhas mãos pousou sobre o traseiro e Paula que de joelhos chupava a xoxota de Elisa.Não perdi a noção do que poderia fazer e metendo os dedos em seu rego toquei em seu cu. Ela se ajeitou e trouxe a bunda mais para trás permitindo que eu pudesse a penetrar no fiofó. Jordana percebeu e deu risada, me chamando de safada. Saiu de cima de mim e foi para o lado de Elisa, que mal percebera a troca a não ser quando a língua entrou em ação a penetrando tão fundo que ela arregalou os olhos e vendo Paula e eu a olhando fechou os olhos e se derreteu na boca da bela negra.Engatamos um trenzinho que ficou assim. Eu chupava o rabo de Jordana que chupava Elisa e eu tinha o meu cu penetrado por Paula. Aos pouco fomos nos posicionando até que formamos um quase circulo fechado e todas se tocavam ao mesmo tempo. Elisa estava extenuada, mas tinha o semblante suavizado pela integração que estava tendo no nosso fantástico mundo do lesbianismo. Era mais uma lésbica no mercado.

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:2 de março de 2015 18:53

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Lésbicas

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 02/03/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*