Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Unindo o útil ao agradável

Camila a muito tempo estava batendo pernas atrás de serviço. Precisava trabalhar para ajudar o marido, que ganhava muito pouco e sonhava alto. Ela era uma dona de casa ainda jovem, sem filhos, bonita e que tinha um fogo muito grande quando se tratava de ser paquerada.Tinha a intenção de trair Amarildo, seu marido não por não gostar dele, ao contrario, amava desesperadamente o homem que escolheu para marido. Só que tinha um sonho a se realizar na vida sonsa que leva-va.Queria trair. Sentir o gosto de estar com alguém que não fosse o seu marido e dar á vontade.Com fome parou num daqueles churrasco grego e pediu um, O cheiro estava tão bom e o aspecto também que o encarou com um suco grátis, que ajudou a aliviar o estômago. Estava no finzinho do samduba, quando percebeu a presença de um homem, que de dentro do bar onde o churrasco era vendido, não tirava os olhos dela. A principio achou que ele olhava para alguém atrás de si, tanto que se virou para ver quem era. Não encontrando ninguém teve a certeza de que ela era o alvo dele. Ficou sem saber como agir e ao olhar novamente o mesmo levantou o copo lhe oferecendo.Sorriu agradecida. O Estranho veio até ela e pagou o que ela havia consumido e a convidou para lhe fazer companhia. Camila analisou a situação e concluiu que estava em boas mãos, ainda mais sendo as daquele homem gentil e charmoso. Enquanto comiam e bebiam, ficaram sabendo muitas coisa da vida de ambos. Ele se prontificou a arrumar-lhe um emprego onde ele era gerente. Trabalhava em famosa rede de loja e a colocaria na ocupação de vendedora. Ela achou que não daria certo pois nunca lidara com vendas, mas ele a convenceu.Quando sairam dali foram para o setor de contratação da empresa e lá ela teve a interferência favorável de Mário, o gerente. Foi contratada e seguiu para a loja que Mário trabalhava.Com a ajuda das colegas de trabalho Camila termina o seu meio período e com vendas efetuadas. Chegou em casa antes do marido e foi preparar a janta.Contou a sorte que tivera e ambos comemoraram. A noite ao lado dele, que contente a acariciava por baixo da coberta, ela começou a rememorar o dia que se findava.Surpreendeu-se pensando em Mário, o homem que a tinha colocado no mercado de trabalho. Sen-tiu a mão do marido levantar sua camisola e começar a alisar suas coxas e imaginou que fosse as de Mário. Se remexeu toda, quando dedos ansiosos se insinuaram pela lateral da calcinha e lhe tocou a xoxota. Seu marido era sempre previsível quanto as preliminares sexuais, mas gostava, ainda mais naquele momento em que fantasiava que aquela mão era de outro macho. Abriu um pouco mais as pernas, para que os dedos brincassem com seu grêlo e foi se virando de lado e abraçando o marido beijou-o ardorosamente. O mesmo se empolgou e levou a mão á bunda da espôsa procurando seu rêgo onde encontrou o que tanto gostava de achar. Adorava cutucar o cú dela, apesar de nunca o ter comido. Para ele mulher dele não dava o cú. Só as putas faziam isso. Fizeram sexo naquela noite com ele se satisfazendo nela e a mesma tendo um gozo satisfatório pensando em Mário. No dia seguinte lá estava ela esperando a loja abrir quando o gerente chegou. Beijou seu rosto e quis saber como tinha passado a noite e ela disse que muito bem. Entraram e marcaram o cartão de ponto e quando estavam se dirigindo para a loja Mário a interpelou:
" Camila, hoje eu vou lhe mostrar onde fica o estoque."
"Sim sr Mário "
"Nada de sr. Sou só Mário."
Camila o segiu até o estoque, diante dos olhares e sorriso tendênciosos das demais vendedoras. Era um salão atrás da loja, muito amplo, onde se viam muitas
prateleiras nas paredes com indicações por ordem alfabética de todos os itens que havia na loja. Montanhas enormes de caixa e muitas araras de roupas faziam o cenário daquele lugar. Passaram entre uma estreita fileira de caixas que formavam um corredor e foi inevitável o contato dos dois corpos. Camila recebeu uma encoxada que ela notou ter sido proposital. Algo dentro de si a alertou de um possivel ataque.Ela olhou para Mário e sorriu, aquilo foi o estopim que se acendera e Mário entendeu que o caminho estava livre. Ela se juntou mais em seu traseiro e a abraçou pela cintura trazendo-a fortemente de encontro a sí fazendo-a sentir a dureza de algo em sua bunda. Para provocar mais ela deu uma reboladinha. Mário levou as mãos por baixo da blusa dela e tocou no soutien que protegia os seios. Procurou coloca-los para fora dos bojos da peça. Camila levou as mãos ás costa e soltou os colchetes libertando os pomos sensuais.Dedos apertaram os bicos dos seios delicadamente transmitindo ao corpo um prazer pouco sentido por Camila em todos aqueles anos de casada. Uma mão desceu se insinuando dentro da calça dela em busca de seus pelos e depois descendo mais alcançou o sexo entre os lábios vaginal inseriu um dedo e brincou com o grelinho que se mostrava duro e muito sensível ao toque. Camila gemeu gostosa-mente e separou um pouco mais as pernas. Teve a sua vagina invadida por dedos ansiosos que se lambuzaram na umidade intima que ela fluia. Afogueada ela se voltou e teve a boca beijada. Mário ainda com a mão no sexo dela a virou de frente para si e se abaixando um pouco tomou os seios dela na boca chupando os bicos que se mostravam duros e sensiveis. Camila enfiou a mão dentro da calça dele e agarrou o pau duro apertando-o. Depois de muitos apertos e chupação os corpos se separaram um pouco e Mário se ajoelhando desceu a calça e calcinha de côr vermelha retirando as peças pelos pés. Separou as pernas da mulher e caiu de boca no sexo molhado. Camila teve que se agarrar nas caixas para não cair devido ao desespero que teve ao sentir a boca de Mário chupando sua buceta. Ela levantou uma das pernas e a colocou sobre o ombro do homem se abrindo o mais que pode. A lingua de Mário se insinuava dentro do canal da mulher recebendo o seus suco intimo que parecia jorrar como uma fonte. Ele foi retirando a sua roupa e pouco depois ostentava um pau durissimo que ia de encontro a vagina sedenta queo recebeu em meio a muita umidade. Camila gemeu alto ao sentir a pica invadir-lhe o intimo estremecendo gozou sobre a rola do homem. O homem a carregou para uma mesinha que estava no meio daquele corredor e a colocou sobre tampo. com o corpo apoiado nos braços ela olhava para seu baixo ventre e via a pica entrar e sair de sua xana. Gemia muito e queria mais. Mário suava e sentia o pau cada vêz mais duro, tendo a visão da mulher semi núa, que tinha um belo corpo sem contar com a buceta apertada. Estava louco para comer o cú dela e com esse pensamento saiu de dentro dela e a fêz se levantar da mesa. Colocou ela de costas para ela e mandou que ela se curvasse para frente procurando se apoiar na mesa. Camila suspirou e na expectativa de ter o cú invadido se apoiou na mesa e separou as pernas. Mário pincelou o pau na buceta lubrificando a cabeça na seiva que molhava abundantemente os lábios vaginal e depois a depositou sobre as pregas do belo cú pressionando-a para que entrasse naquele canal. Camila sentiu a pressão e com a cabeça sobre a mesa levou as mãos para trás e separou as nádegas para facilitar mais a penetração anal. Gemeu de dor quando a glande passou e logo atrás o corpo do membro. Lágrimas de emoção e dor desceram pelas faces. Sentia-se satisfeita por estar finalmente sendo enrabada e por um homem que não era seu marido. Mário acelerou as investidas naquele rabo e segurando-a pelos quadris a segurou com firmeza e descarregou sua porra no cú da jovem e bela mulher que por sua vêz gozava muito. Se vestiram e pouco depois ela estava na loja atendendo os clientes. Olhares maldosos se cruzavam entre as colegas de trabalho que como ela tinha passado pela prova do estoque quando começaram. Camila estava feliz, com o cú ardendo e vendendo bem. Estava ansiosa para estar a noite nos braços do seu verdadeiro amor dando a ele muito amor e torcendo para que muito em breve o presenteasse com o seu arrombado cú.
Daria a ele o mesmo direito de estar unindo o útil ao agradável.

Sobre este texto

Erótico

Autor:

Publicação:16 de dezembro de 2014 23:19

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Pulando a Cerca

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 16/12/2014.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Cutty of sack
    Postado porHelgaem1 de março de 2015 14:10
    Helga é uma autora no História Erótica

    Super super excitante!! Beijinhos

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*