Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

SOBRINHA I

Estes fatos realmente ocorreram por volta dos anos de 1990. Sou casado há mais de 35 anos, e na época já tinha 3 filhos. Nunca fui pedófilo, pois o pedófilo é o cara que abusa de crianças ameaçando-as fisicamente ou mentalmente e não foi isso que ocorreu comigo.
Minha cunhada, irmã de minha esposa, tinha uma filha de seus 16/17 anos mais ou menos que era uma garota bonita e bem desenvolvida, uma garota que quando andava pelas ruas, era cobiçada por muitos.
Essa sobrinha, sempre foi muito apegada comigo e minha esposa, muitas vezes, ia lá em casa auxiliar minha esposa no serviço doméstico. Ás vezes, eu saía de carro pra fazer alguma comprinha rápida no supermercado perto de casa, e ela sempre se oferecia pra ir junto, sentava-se ao meu lado e eu já tinha reparado que ela sempre procurava sentar-se bem perto da alavanca de cambio, porém eu sempre evitava o contato com sua perna, até um dia que eu cismei de testá-la para ver a sua reação e numa mudança de marcha, rocei em sua coxa do joelho para cima deslizando a mão no sentido da quarta marcha. Ela deu uma estremecida, mas não disse nada. Aí eu então disse. – E aí Belinha, como vão os namoricos por aí? – Namoricos? Que namoricos tio, eu não namoro não.- Não acredito que nenhum garoto até agora não tenha reparado em você, bonita assim, com este corpinho todo saradinho, essas coxinhas bonitas que você tem.- Você acha tio? – Acho sim, suba um pouquinho esta saia pra eu ver melhor estas suas coxinhas, afinal olhar não tira pedaço né.
Ela sorriu e obedeceu e subiu um pouco a saia mostrando-me as bonitas coxas que tem, nesta hora eu não agüentei e acariciei deliberadamente sua perna, olhando pro seu rosto para ver a reação.
Ela fechou os olhos, prendeu a respiração e segurou minha mão dizendo. - Não tio pára vai. Eu parei e ficamos por aí, pois já estávamos chegando de volta do mercado. Esta situação repetiu-se várias vezes e eu sempre tirava uma casquinha de suas coxinhas lindas. Ela sabia o que eu iria fazer, mas nunca deixava de acompanhar-me quando eu estava sozinho, sinal que ela também gostava das carícias né.
Um dia, estava em meu escritório, quando ela entra pela porta, vestindo uma minissaia curta e uma blusinha decotada pedindo. – Tio, dá pra você me ajudar num trabalho de ciências que eu tenho que entregar segunda feira na escola? – Dá sim, vamos ver, sente-se aqui. Ela sentou-se ao meu lado e sua mini subiu ainda mais, olhei suas coxas sem me preocupar em disfarçar, ela percebeu e nem ligou pra esconder.
O trabalho era sobre o aparelho reprodutor, aí já viu né, conforme iam aparecendo as explicações e as imagens( do cacete e da buceta) sobre o assunto, o clima ia esquentan
-do, e eu aproveitei que o escritório fica na parte de cima do sobrado e nós estávamos sozinhos lá em cima e comecei a alisar-lhe as coxas roliças e até arrisquei a acariciar-
-lhe os seios durinhos de tesão, sempre atento a qualquer barulho que indicasse que tivesse alguém subindo pelas escadas. Fiquei de pau duro e percebendo que ela estava deixando e gostando de minhas carícias, peguei sua mão e a fiz segurar em minha rola dura, ela apertou um pouco e segurou gostoso, mas com medo dizia. – Ahhh tio, a tia pode subir, páaara.. ahhh.... e apertava ainda mais a minha pica que saltava em sua mão.
Levantamos, eu a fiz encostar na estante e a encoxei por trás, segurando-a com uma das mãos pela cintura e com a outra bolinava seus peitinhos. Comecei um movimento de vai e vem encoxando-a e fui aumentando, tudo isso por cima das nossas roupas, até que de tanto tezão eu gozei, só de ficar me esfregando, esta sobrinha é muiiiiito gostosa. Por nossa sorte, ninguém subiu naquela hora. Larguei-a e fui ao banheiro me lavar e me trocar. Quando voltei ela tinha ido embora. Desci e perguntei dela e minha esposa disse que ela voltaria no dia seguinte, um sábado para terminar o trabalho. C O N T I N U A.

Sobre este texto

excitado

Autor:

Publicação:22 de junho de 2013 10:06

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Jovens

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 558 vezes desde sua publicação em 22/06/2013. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*