Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

UMA NOVA EXPERIENCIA

Eu e minha esposa somos muito liberais e gostamos de experimentar coisas novas no nosso relacionamento sexual. Um dia, lemos num conto erótico (que adoramos ler), a experiência vivida por um cara e isto nos chamou a atenção, era uma coisa que nunca havíamos feito e pela narrativa do conto, tinha sido muito bom. Para esta experiência seria necessário que eu comprasse um consolo com vibrador. Comprei e fomos experimentar.
Quando fomos fazer sexo, nas preliminares, que gostávamos muito, além do normal que fazíamos nos acariciando, minha esposa começou a acariciar também a minha bunda e o meu cuzinho, coisa que nunca tinha feito. No início, achei estranho, porém como havíamos concordado em experimentar fui deixando e a carícia foi se prolongando, até que eu me vi gostando daquilo, me excitando ainda mais do que o normal, meu pau ficou mais duro ainda e cresceu na outra mão dela.
Fizemos um 69 comigo por cima e ela continuou com a carícia, aí, tudo seguindo o que tínhamos lido no conto, ela lambuzou os dedos com vaselina e tentou penetrar o meu cu com um dedo, com a lubrificação, não foi difícil introduzir um dedo, começou um vai e vem com o dedo enfiado e eu comecei a sentir uma sensação diferente, mas admito, gostosa, senti o dedo penetrar-me e meu pau pulsou, mas forte em sua boca. Depois disso, ela introduziu um segundo dedo e meu cu aceitou. Deixou os dois dedos enfiados pro meu cu acostumar com a circunferência por um tempo.
Paramos o 69 e nos deitamos, eu por cima dela, comendo sua bucetinha gostosa, porém numa posição nova, ou seja, deitados em cruz, o que facilitaria continuarmos com a experiência. Primeiro eu comi gostoso aquela buceta rosada e carnuda dela, fazendo com que ela vibrasse sobre o meu corpo, entrei no meio de suas pernas naquela posição que estávamos e a penetração foi fundo.
Aí, veio o restante da experiência, ela pegou então o consolo vibratório, lambuzou em sua buceta e começou a introduzir em meu cu que naquela posição em que estávamos, foi presa fácil para a penetração.
No começo, doeu um pouco, mas ela foi introduzindo com carinho e calma, aos poucos foi entrando e começando a vibrar dentro de mim.
Confesso, nunca tinha sentido uma sensação assim, estranha pra mim e ao mesmo tempo muito prazerosa.
Ficamos um bom tempo fazendo sexo desta maneira eu comendo a sua buceta e ela comendo o meu cu.
O interessante de tudo isso, é que eu fiquei tão excitado com a situação e o consolo no rabo mexendo, que meu pau crescia cada vez mais e pulsava gostoso dentro de sua gruta
Eu a invadia com força, e ela pra se vingar fazia o mesmo com o consolo, gozamos como nunca havíamos gozado antes. Vamos continuar fazendo esta experiência que eu até recomendo e eu também vou querer fazer outra com minha mulher, é fazer ela sentir dois cacetes ao mesmo tempo, mas esta já é uma outra história que contarei depois.
Esclareço que nunca fui gay, porém esta experiência foi demais.

Sobre este texto

excitado

Autor:

Publicação:19 de junho de 2013 18:03

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Casal

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 420 vezes desde sua publicação em 19/06/2013. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Olavo
    Postado porOlavoem20 de junho de 2013 08:59

    Ser Gay significa que você sente tesão por alguém do mesmo sexo. Não tem nada com prazeres anais. Eu por exemplo sou Gay mas faço tipo ativo.

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*