Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

consulta hospitalar

consulta hospitalar
CONSULTA HOSPITALAR

Acordei cedo hoje, tremenda quinta feira, manhã de sol e eu pegando meu carro tendo que me deslocar ate o bairro de Acari, onde fica localizado o hospital em que meu medico esta atendendo. Já que não tinha jeito, partirmos pra lá, fomos bem atendidos pelo pessoal da recepção que logo nos encaminhou a meu médico, sei que quando deu 10.00 horas eu já estava liberado e já me programando em pegar uma praia, quando passo pela lanchonete e vejo uma criatura La dentro bebendo uma coca cola, parei, olhei, senti que a criaturinha me olhou também e resolvi entrar e tomar um café. Sentei em uma mesinha, pedi a atendente um café e disfarçadamente fiz sinal a criaturinha para sentar-se comigo, fiz disfarçadamente pois não sabia se ela estava acompanhada com alguém ou não, ela imediatamente veio caminhando na direção de minha mesa, perguntou se podia sentar-se, eu disse que se ela quisesse poderia mais do que sentar-se, ela ali na minha mesa mandava, ela poderia ate se deitar que eu iria adorar, ela sorrindo disse que não seria uma má ideia, mais eu teria que espera-la um pouco, pois ela teria uma consulta em poucos minutos. Disse-lhe que por ela eu esperaria a tarde toda, ela sorriu, levantou-se e pediu sorrindo que eu a esperasse, falei-lhe que ficaria por ali mesmo, mais antes dela ir, anotei num pedaço de papel meu telefone, e disse-lhe que se ela tivesse qualquer problema que me ligasse, ela pegou o papel e foi-se.
Esperei aproximadamente por uma hora, mais fiquei tranquilo, que neste ínterim ela me ligou e achei engraçado quando ela disse que tinha ligado só para que eu ficasse com o telefone dela também, mais que logo, logo estaríamos juntinhos, caso eu quisesse mesmo, falei baixinho que o que eu mais queria ali naquele momento era ela todinha, ela sorriu e desligou.
E algum tempo depois, ela se fez aparecer na porta da lanchonete e fez sinal que eu a acompanhasse, levantei-me e sai em sua direção, pela primeira vez pude observar a linda criaturinha, pequenininha, deveria ter no Maximo 1.55 de altura, toda certinha, cabelinho cortado em Chanel, os peitinhos pareciam dois botaõzinhos de limão, uma pernocas lindas, uma bundinha linda, certinha e durinha. Estava ela de shortinho de lycra bem justinho ao corpo, com uma camisetinha também justinha e sandália baixinhas, de verdade olhando-a por traz fiquei com muito tesão, ela caminhando na frente e eu coordenando seu caminho, pedindo a ela que fosse para o estacionamento pois meu carro estava no mesmo e já sairíamos dali diretamente para o pecado, quando falei assim ela sorriu e disse que eu era muito tarado, e que quando estivesse no carro ela conversaria comigo.
Quando já acomodados no carro, ar condicionado ligado, vidros fechados, exterior4 não nos veria La dentro, mais nos veríamos todo o movimento pelo lado de fora, puxei-a pelos cabelos e beijei sua boca, logo senti sua língua entrar em minha boca e ela gemer gostosinho, aproveitei a deixa de seu gemido e passei os dedos em seus peitinhos, ai ela endoidou de vez e disse que eu era muito canalha, que a estava tesando para poder fude-la, falei que não, porque de qualquer jeito, mesmo sem tesa-la em iria fude-la inteirinha, quando fui com a mão em direção a sua xotinha, ela segurou minha mão, e disse baixinho que ali não tinha uma xotinha não, pois ela não era ela, era ele, como eu já estava acostumado a fuder meus viadinhos, não mostrei nenhum repudio ao fato, pelo contrario, puxei novamente sua cabecinha em direção a minha boca e engoli toda a sua linguinha, ela ficou tão feliz que eu não a tivesse rejeitado que falou que faria comigo o que eu quisesse, mostrei a ela que não tinha motivos de rejeita-la, afinal era apenas um detalhe, pois ela apresentava-se totalmente como menina, e quem não a conhecesse e ela não falasse nada, com certeza compraria gata por lebre, ela sorriu e me beijou, perguntando, e agora você vai fazer o que comigo...
Eu brincando disse que seria o seu lobo mau, e que iria come-la inteirinha, iria faze-la gozar e que queria que ela se sentisse bem putinha, pois eu adorava menininha como ela, e gostava quando ela se tornavam bem putinhas em nome da sacanagem que iríamos fazer.
Entramos no hotel, lá dentro, fomos tom ar um banho de banheira e ai eu comecei a brincar com todo aquele corpinho, ela era extremamente passiva, o que eu gosto muito, pois deixa de se criar expectativas que as vezes podem atrapalhar o desenrolar das coisas, com meus dedos bati uma siririca anal nela, colocando-a de quatro na banheira e brincando com três dedos dentro de sua olhotinha apertadinha, ela se esfregava todinha, se alisava, a dizia entre soluços que amava ficar bricando com seu piruzinho, que ela apelidava de grelinho e que ela chegava ate a gozar, adorava se sentir meladinha e adorava lamber sua mão quando gozava pelo seu grelinho e queria agora beber do meu leitinho, pois ela queria começar a beber para depois poder tomar leitinho no cuzinho. Nosso a criaturinha era decidida e ali naquela hora, minha caceta doía de tão dura que estava, afinal de contas eu tinha tomado um cialis para que eu pudesse deixar o cuzinho dela bem fudido.
E assim foi toda nossa tarde, fudi seu cuzinho diversas vezes, fiz ela gozar outras tantas, fotografei ela extendida na cama, filmei ela levando minha caceta no cuzinho pedindo que eu fizesse ela minha putinha, dei-lhe um banho de porra pelo corpo, que ela catou com os dedos e introduziu em sua boquinha de taradinha. Já cansados, fui leva-la ate próximo a sua casa, onde no caminho ela foi mamando minha caceta e dizendo que se eu quisesse ela estaria sempre a minha disposição, era só eu ligar que ela seria minha.
Claro que vou ligar, ate porque nesta brincadeira toda acabei esquecendo de perguntar-lhe a idade, e sei que ela tem a idade que eu gosto nas minhas criaturinhas, gosto de vê-las crescer ao meu lado, sendo as putinhas tesudas em dar seus cuzinhos e fazer-me muito satisfeito com os resultados.
Vamos aguardar, com certeza vou ligar e marcar com ela, e ai vou traze-la aqui para casa e montar uma putaria, tendo ela como prato principal... tenho certeza de que ela vai amar.

Sobre este texto

hoteleiro

Autor:

Publicação:17 de dezembro de 2015 18:44

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 17/12/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*