Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

A4 Uma tarde inesquecível

A4 Uma tarde inesquecível
A 4 – UMA TARDE INESQUECÍVEL

Ahhh... Como é bom ter amigos e amigas... Bom o que vou relatar aqui foi uma experiência que poucas pessoas poderão ter e sentir em toda a sua vida, por isso não posso deixar de relatá-la.

Através de um site de contos eróticos Bia (nome fictício) me escreveu um e-mail dizendo que gostou muito de meus contos e que queria fazer um contato para me conhecer melhor. A partir daí, começamos a trocar mensagens via What’s Zap, depois algumas fotos então as conversas foram ficando mais quentes até que começaram a aparecer as primeiras fotos de partes intimas... Hummm. Bia é uma ninfetinha de 21 anos aproximadamente 1,60m em seus talvez 48 quilos, seios de médios a grandes com bicos deliciosamente rosados e uma bucetinha deliciosa. Conforme nossas conversas foram ganhando confiança e intimidade Bia revelou-se Bissexual dizendo que adorava ficar com uma mulher e se esbaldava chupando uma bucetinha. Confessei a ela que também era bissexual com isso nossas conversas ficaram ainda mais quentes, até o dia em que comentei sobre ela com uma amigo (veja os contos “armei para dar pra um amigo I e II”)Ele ficou doido com as fotos dela, ela é realmente uma delícia. José (nome fictício) disse conhecer uma garota na faculdade chamada Sam (nome fictício) com quem ele estava transando e que ela havia dito que curtia garotas também. Pronto, daí em diante minha mente começou a viajar, imagina se a Bia e a Sam aceitam sair conosco, os quatro num quarto de motel, totalmente entregues ao sexo e sem regras... José adorou a ideia e já foi ligando pra Sam, que disse sim na hora, pois além de gostar de transar com José e curtir garotas, ela também havia dito que queria um dia experimentar uma dupla penetração. Liguei para a Bia e ela aceitou de imediato também, principalmente quando eu descrevi como é a Sam, loira, 23 aninhos, em seus 1,65 de altura e seus 45 quilinhos seios médios bundinha delicada e redondinha... toda branquinha... Combinamos dia e hora e fomos ao nosso encontro com muito tesão e ansiedade.

Entramos numa suíte num bom motel aqui no alto Tietê região metropolitana de São Paulo, começamos a bebericar um pouco e conversar sobre experiências e vontades, foi quando Sam e José que já eram bem íntimos começaram a se beija e se amassar loucamente, olhei para Bia e não teve jeito, nos atracamos também. Era interessante como enquanto Bia e eu nos beijávamos dava muita curiosidade de observar Sam e José se pegando, por conta disso nos beijávamos de olhos abertos. Sam e José também não tiravam os olhos de nós, fui tirando a blusinha da Bia até deixar aqueles lindos seios à mostra, chupei-os com vontade, Sam olhava para Bia com água na boca, segurei um dos seios de Bia e ofereci para Sam, sem dizer uma só palavra, somente com gestos intencionais, imediatamente ela deixou meu amigo e veio em direção à Bia, pegou àquele seio e meteu a boca, sem pudor algum... com muito tesão, ficamos ali por algum tempinho eu e Sam cada um num peito da Bia que gemia feito louca, pois enquanto a chupávamos eu a masturbava. Sam interrompeu sua “mamada” e foi subindo pelo pescoço da Bia até chegar em sua boca onde iniciaram um beijo muito ardente.

Aquele beijo as fez explodir num tesão incontrolável, sai de cena e as deixei a sós, ficamos eu e José somente as assistindo, e que espetáculo delicioso. Elas terminaram de despir-se e beijavam-se e chupavam-se os seios uma da outro num ritmo frenético e com muito tesão, aproveitei minha pausa para preparar a banheira, quando voltei as duas estavam num “69” maravilhoso, chupavam-se como se fosse o último dia do mundo, José somente as observava sentado numa poltrona totalmente nú tocando uma punhetinha bem de leve. Quando cheguei no quarto, Sam virou-se para nós e disse:

_Porque vocês não estão se divertindo também?

José e eu nos olhamos meio constrangidos, afinal, embora já tivéssemos transado várias vezes, isto nunca havia acontecido na frente de mulher nenhuma, mas ver aquela rola deliciosa apontando pra cima em uma clima onde o único pensamento era o prazer, sem rodeios, abaixei-me e comecei a chupar aquela maravilha, lambia-lhe a cabecinha, chupava o tronco, abocanhava as bolas, enfim, estava me deleitando com aquela delicia. Isto excitou ainda mais as meninas que pediram para que colocássemos a poltrona de lado para que elas me vissem chupando. Fizemos melhor, fomos para a cama com elas e fizemos um “69” ao lado das garotas, e ficamos ali, todos se chupando, elas entre elas eu e meu amigo, mas enquanto eu chupava José, fiquei bolinando Sam que estava ao meu lado sobre a Bia alisando sua bundinha redondinha, passando o dedo em seu cuzinho que piscava alucinadamente, José fazia o mesmo com Bia. Parei de chupar José e me coloquei atrás da Sam, que estava praticamente de quatro sobre a Bia, enquanto Bia a chupava fiquei passando a ponta da minha rola na portinha de seu cuzinho, aí a menina endoideceu, começou a ter uns tremeliques, uns espasmos, e ficou doidinha gemendo e dando uns gritinhos. Foi aí que José me revelou que ela adora dar o cuzinho. Não pensei duas vezes, dei umas boas lambidas naquele cuzinho lindo e alternei com uns beijos na Bia, coloquei a cabecinha da minha pica em posição e entrei bem devagarinho . Seu cuzinho parecia engolir a minha rola, a Visão da Bia era privilegiada estava a alguns centímetro da minha rola enquanto não largava a bucetinha da Sam. Meti bem gostoso naquela putinha que gritava e rebolava feito louca na minha rola, José comia a bucetinha da Bia que dizia não aguentar tudo aquilo no cuzinho. Ficamos ali todos interligados eu comendo o cuzinho da Sam que chupava a bucetinha da Bia que era fodida por José enquanto ela continuava a chupar a Sam. Eu olhava para os espelhos das paredes e do teto e não acreditava no que estava acontecendo, o tesão era demais. Bia pediu para que eu tirasse o pau do cuzinho da Sam e o colocasse em sua boca, eu a obedeci de imediato enquanto ouvi Sam dizer à José que queria ser totalmente preenchida, José saiu de dentro do cuzinho da Bia deitou-se de barriga pra cima apontando aquela tora de 19cm e muito grossa, Sam deu um salto em direção a ela e sentou sem cerimônias com sua bucetinha que estava pingando e iniciou uma cavalgada maravilhosa, a visão que eu tinha ali a menos de um metro do rabão da Sam me deixou com a rola quase explodindo, foi quando ela deu uma paradinha olhou para a Bia que ainda me chupava e disse:

_ Bia, empresta ele pra mim só um pouquinho, quero que ele entre em meu cuzinho de novo, sempre quis duas rolas dentro de mim.

_ Claro Sam, vai lá Kkareka, come aquele cuzão gostoso, mas não se acabe ali, porque eu também quero ser enrabada com as duas picas.

Deixei a Bia me encaixei atrás da Sam e enfiei sem dó. Podia sentir a rola do Joé encostando na minha através do fino tecido que divide o interior da bucetinha e do cuzinho da Sam. Ali metemos com muita força, Ela simplesmente comandava a foda conforme ela rebolava seu rabo lindo a minha rola alternava com a do meu amigo dentro dela que gritava de prazer, Bia que via tudo se masturbando veio até nós e beijava um e outro, chupava os seios da Sam, estávamos muito íntimos e ligados. Até que Sam anunciou o gozo e começou a tremer-se toda, esfregava a bucetinha em cima do meu amigo com muita força e as vezes parecia que ia arrancar meu pau, seu cú piscava muito e o tesão era incrível, então ela começou a gritar até desfalecer sobre José, fiquei até preocupado, pois, ela ficou pálida e muito fraca, mas como José já a conhecia, disse que logo logo ela estaria pronta pra outra, então escutamos uma voz muito sexy dizendo:

_ Agora é a minha vez, mas antes eu quero ver se o Kkareka aguenta mesmo esta rola enorme na bunda, se ele aguentar eu também aguento!

Fiquei constrangido mais uma vez, mas agora foi José que estava louco para comer o cuzinho da Bia, e veio pra cima de mim sem cerimônias e me colocou de frango assado e já foi logo apontando aquele mastro no meu reto e com um pouco de KY, foi me arrombando até que praticamente sumiu dentro de mim, olhei para o lado e Sam já estava se recuperando, pois alisava sua bucetinha enquanto nos observava e ouvi um comentário da Bia:

_Humm, que cuzinho guloso. Que cena tesuda, vc merece um prêmio por aguentar esta rola linda.

Dito isso ela abaixou-se na minha frente e voltou a me chupar. A sensação de ser chupado com uma tora no rabo é indescritível e para apimentar a brincadeira, Sam levantou-se e sentou na minha cara para eu a chupar. E a chupei com muito gosto, sua bucinha ainda tinha o gosto da rola do meu amigo o que me dava ainda mais tesão. Sam sentou-se de forma que ficava de frente para José e ora o beijava muito gostoso ora ficava impressionada com a cena da minha bunda sento invadira por aquela tora Bia também aproveitava-se da posição e as vezes parava a chupeta para chupar os seios de Sam, beijá-la e ao José também, eu já estava ficando doido de tesão, quando Sam desafiou a Bia:

_ Agora quero ver se vc também aguenta esta rola enorme no seu cuzinho delicado Bia.

_Só se for agora!

Nos desfizemos de nossas posições mas desta vez fui eu quem ficou com a pica apontada pra cima, Bia sentou-se sobre ela e cavalgou bem gostoso, me olhou no olhos e disse:

_Não sei se vou aguentar?

_É só ter calma e relaxar, vou ficar te excitando a bucetinha enquanto ele entra em você.

Disse isso com tanto carinho que ela me beijou apaixonantemente, olhou para trás e deu permissão para José entrar. Eu podia sentir a rola de Jose invadindo o lindo rabinho da Bia, ele foi muito carinhoso com ela (ele sempre é) a rola entrou bem devagarinho, enquanto eu mexia minha rola bem lentamente dentro dela e apertava seu clitóris para a excitar. Sam também veio ajudar a amiga alisando-a, beijando-a e chupando-lhe os seios, o tesão foi tanto que em pouco tempo José já estava enterrando toda sua jeba no cuzinho de Bia que rebolava feito louca gritando e gemendo muito, não demorou muito para que ela gozasse e relaxasse ao nosso lado. Sam olhou para José e disse:

_Sò tem uma pessoa que ainda não levou rola no rabinho aqui hoje...

José deu uma risadinha e já foi se colocando de quatro, Sam encarregou-se de chupar-lhe o rabinho, ao ver aquela cena eu não pensei duas vezes e me engatei na bucetinha da Sam que estava de quatro atrás do meu amigo. Ela deu uma olhadinha pra trás com a cara mais safada que eu já vi na vida:

_Tarado sem vergonha, hummm. Gostoso! Só não gaste toda a sua energia em mim, porque eu ainda quero ver meu amor aqui sendo enrabado. Só por vingança. (todos rimos)

Sua bucetinha era a mais apertada que eu já havia comido e olha que a tora do José já havia entrado ali há poucos minutos.

_O rabinho do teu amigo está pronto! Deixa eu ver vc fodendo ele.

Fui atrás do meu amigo, coloquei minha rola com carinho e enfiei até a metade, quando ele reclamou que estava doendo, então as meninas que estavam se chupando e assistindo disseram pra eu foder com força. Obedeci, mesmo sem colocar tudo eu colocava e tirava a rola do cuzinho dele com muita vontade enquanto assistia Bia chupando a bucinha da Sam, aquilo me dava um tesão incontrolável que logo a minha rola já estava toda dentro de José que já gemia de prazer. Sam arrastou-se para debaixo dele e iniciou uma bela chupada ao mesmo tempo em que Bia a chupava.

Anunciei que iria gozar, José também. As meninas colocaram-se de joelhos na cama e pediram para que gozássemos nelas. Levantamos e com uns poucos movimentos na rola José soltou um forte esguicho de porra na cara da Bia o resto caiu sobre seus fartos seios, quase que simultaneamente eu soltei um esguicho bem na boca da Sam, mas minha porra parecia não acabar, e foi porra na boca, pescoço, nos seios. Sam e Bia ficaram espantadas com tanta porra que saia da minha pica. Elas começaram a se chupar aos seios uma da outra misturando nossas porras em suas bocas. Uma cena maravilhosa...

Ali transamos eu e a Sam, José e Bia, alternamos entre eu e Bia José e Sam, eu e José Bia e Sam, os quarto juntos, enfim, não há como descrever tudo o que ocorreu naquela tarde. Mas sem sombra de dúvidas, foi a melhor e mais completa experiência sexual que já tive.

Contatos: Kkareka – [email protected]

Bjs

Sobre este texto

Kkareka

Autor:

Publicação:13 de julho de 2015 21:21

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Jovens

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 13/07/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Samires
    Postado porSamiresem12 de janeiro de 2016 09:25

    Delícia!!! Amei, gozei.. Bjs com carinho
    em todos

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*