Conto Erotico | Historia Erótica
Pedofilia Nao
Conto Erotico | Livro erótico Contos Eróticos para ler a dois
Imagens Eróticas
Vídeos

Mulheres que se encaixam...

A tarde ensolarada refletida no espelho do quarto deixava a sensação de aconchego. No meio dos lençóis amassados duas mulheres se olhavam embevecidas.


Luana e eu nos encontramos sem querer, era um dia nublado e eu estava num bar quando a vi pela primeira vez; no mesmo dia nos encontramos no shopping, depois nos esbarramos na garagem... No meio de seis andares e milhares de carros, o dela estava do lado do meu e tudo isso no mesmo dia, então resolvemos conversar, rindo muito ela me falou que não existia consciência no seu mundo, tudo era obra do destino, já estava traçado. No mesmo dia bem mais tarde nos amamos no seu apartamento, descobri que Luana era uma mulher perfeita, cheia de vontade de viver, cheia de histórias divertidas de sua vida, suas viagens, seu trabalho como porta voz da presidência de um famoso clube de futebol... Ela me fascinou no primeiro encontro, eu sou Fernanda tenho 30 anos e faço faculdade de direito à noite, durante o dia trabalho duro com propaganda. Mas naquela tarde, recebi a ligação de Luana e corri pro seu apartamento assim q tive um tempo livre. Ela me disse que precisava de mim, então n poderia deixar de atender.
Agora olhava para ela deitada com um lençol fino sobre o corpo, deixando ver os seios perfeitos, firmes arredondados. Sentia o seu perfume invadindo minhas narinas, e isso aumentava o meu grau de excitação. Ela sorriu para mim, eu senti meu sexo arder, me aproximei do seu rosto e a beijei. Nossas línguas se tocando, se enroscando, sua saliva na minha... Tudo com ela era intenso, fiquei por cima sem largar a boca... Sentindo que ela parava de respirar por um momento, me separei dos lábios tentadores... Nossas coxas estavam unidas, nossos sexos colados... Acariciei a lateral do seu corpo bem devagar sem pressa, ela fechou os olhos, eu fiquei de lado, toquei a parte interna da coxa macia, e minha mão foi na direção do meu presente, o presente mais puro e delicioso que alguém pode ganhar. Toquei em seu sexo quente e molhado com meus dedos ávidos, ela gemeu baixinho quase implorando pelo toque firme. Mas eu não tive pressa, acariciei gentilmente toda extensão molhada, ela apertava minha mão com sua coxa, impossibilitando os movimentos, forcei um pouco e ela abriu as pernas com delicadeza, massageei o clitóris firmemente arrancando mais gemidos, olhando em seus olhos... Foi uma experiência perfeita. Minha boca beijava seu rosto, pescoço, enquanto com a outra mão eu segurava seus cabelos que ficavam um pouco abaixo do ombro. Minha língua sedenta percorria o mesmo caminho várias vezes... Abandonei seu sexo por alguns instantes, ouvindo a reclamação dela baixinho, ficando por cima eu pude beijar o vale entre os seios, passando a língua bem devagar, enquanto segurava seus braços e ela iniciava movimentos perfeitos, cadenciados, com gemidos que me faziam flutuar- confesso que algumas vezes eu gozei só ouvindo seus gemidos. Minha boca então se apossou do bico de um seio, suguei bem devagar, mas o tesão já era incontrolável e nesse estagio é difícil controlar as emoções. Segurei seus ombros e tomei os seios para mim, sugava com força ora um, ora o outro, minha língua rolava neles, sentia seu gosto e ela segurava minha cabeça com força puxando meus cabelos. Voltei para sua boca que já me esperava, nosso beijo foi intenso, molhado... Meus dedos apertando os bicos intumescidos seguravam cada um entre os dedos e passava a língua, ela arqueava o quadril na minha direção, pedia baixinho: -Fernanda entra em mim...
Desci beijando todo corpo daquela mulher que me enlouquecia, a cor, a textura da pele, tudo nela me deixava fora do normal. Cheguei nas coxas e ela já empurrava minha cabeça pro meio das pernas, dobrando-as e encostando a coxa na barriga, ela me dava toda liberdade para ver, tocar, penetrar, ela era naquele momento, toda minha. Enterrei meu rosto nela, seu sexo quente, molhado e rosado, minha língua passeou por toda extensão, mordendo levemente as laterais da coxa... Segurei o seu clitóris com os lábios e suguei-os, ela suspirava e gemia, empurrando a minha cabeça e pedindo pra ser penetrada. Penetrei a língua primeiro, uma, duas vezes... Depois coloquei um dedo, ela gritou quando acelerei os movimentos, eu passava a língua no clitóris e meus dedos iam no fundo de Luana, ela mexia o quadril sem parar, -enlouqueci. Levantei e pedi que ela se virasse, segurando na cabeceira da cama. Logo acima a janela aberta deixava ver o céu agradeci por estar no ultimo andar, longe de olhares indiscretos, a paisagem que se descortinava era de montanhas verdes e ao longe o mar. Com Luana ajoelhada e apoiada, encostei-me nela, beijei sua nuca e desci beijando as costas, minha mão n parava de acariciá-la, penetrá-la, com firmeza e delicadeza, devagar e rápido, ela jogava o corpo pra trás, e eu a pressionava mais e mais de encontro à janela. Marquei sua nuca, várias vezes, em seus ombros apareciam as marcas do meu desejo. Apertando com a mão livre o seu seio direito, intensifiquei os movimentos de entra e sai em sua vagina estreita e quente. Enquanto esfregava o meu próprio sexo em suas nádegas firmes. Com uma perna levantada eu sentia que ia gozar primeiro que ela... Descemos da cama e ficamos em pé, ela ainda agarrada a cabeceira, uma perna em cima do colchão, assim pude penetrá-la com mais firmeza, por trás, segurando ora sua cintura, ora seu seio, não abandonei seu sexo em nenhum momento, esqueci o meu prazer pra me dedicar totalmente ao dela. E foi como se o mundo parasse por alguns segundos quando senti as contrações do seu sexo, segurei-a com força, pois senti que ela dobrava as pernas, seu corpo tremia, os espasmos eram fortes e incontroláveis, sentia seu liquido escorrendo pela minha mão. Virei-a e coloquei-a sentada na cama, me ajoelhei e abri um pouco as pernas dela, enfiei minha cabeça ali no meio e saboreei cada cantinho, ela tremia e me pedia pra parar, mas eu não queria, ela começou a gemer novamente, enfiando as unhas nos meus ombros, me arranhando forte. Lambi seu sexo até sentir que ela ai gozar novamente, agarrei seus seios e enfiei a língua nela, chupei muito aquela mulher que me atormentava de desejo. Até que ela n agüentando mais gozou novamente... Empurrando-a mais para o meio da cama, levantei sua perna e encaixei meu sexo no dela, uma tesourinha perfeita, lambi sua coxa e esfreguei meu sexo contra o seu, olhando em seus olhos eu gozei como nunca. Continuei ali, longos minutos sentindo minhas contrações vaginais se acalmarem e desejando que n se acalmassem nunca. Deitei sobre ela, devorei sua boca sem pressa, sentindo suas mãos escorregando livre por minhas costas, apertando minha bunda, puxando-me pra ela. Ela me virou na cama, e ficando por cima devorou meus seios e foi descendo pela barriga, coxa... Resolvemos tomar uma ducha, porque os lençóis estavam molhados de suor e amor. Ela me ensaboou os seios com leveza, a barriga, as coxas, sua mão veio de leve por dentro de minhas pernas, forçando... Beijando meu pescoço, boca, olhos, tudo q via pela frente. Encostou-me na parede e me comeu com graça, com avidez, e com amor. Sexo e orgasmo com Luana são os mais quentes e mais intensos da minha vida. Faz um tempo que estamos juntas, sempre que dá, corremos para um motel ou para o apartamento mais próximo. Ela me completa é minha metade, somos tão iguais que não poderia ser diferente.

Sobre este texto

Lia

Autor:

Publicação:6 de agosto de 2011 17:55

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Lésbicas

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Popularidade: 4.50/5
4 votos no total
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 06/08/2011.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Joana
    Postado porJoana em12 de agosto de 2011 16:55

    Nossa, que delícia, quero uma amiga assim

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*
*