Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Tesão e sexo muito além do chat. Parte II

O aeroporto cheio, o vai e vem de passageiros, atraso na entrega da bagagem, nada tirava o sorriso do meu rosto. Do outro lado do vidro grosso eu via o homem que tinha feito com que eu saísse do Rio direto pra Salvador sem escalas. Era Fernando um amigo super querido, que da última vez que viajou pra conhecer o Rio, passou dias trancado comigo e com minha amiga Letícia. Nos amamos como loucos e rolou o meu primeiro ménage. Eu sou a Luiza, tenho verdadeira paixão pelo Fernando, ele tem o dom de me deixar doida, só com um sorriso.
Quase corri pra chegar perto dele, o abraço apertado revelava a falta que ele também sentia de mim. Ele estava lindo, uma camiseta preta, revelando o corpo atlético e queimado de sol, e uma bermuda branca.
Eu viajei com uma calça e blusa simples, voar me deixa nervosa, fico completamente sem vontade de me arrumar.
Fernando me puxou pela mão e me disse que seria o fim de semana mais lindo da minha vida, me mostraria tudo que eu tivesse vontade de ver, e eu experimentaria tudo que tivesse disponível pra comer.
Eu disse em seu ouvido, que só pensava ser a comida. Ele riu, risada cristalina, vibrante, me fez sentir coisas. No caminho pra casa dele, dentro do taxi, finalmente senti sua boca em mim. Um beijo longo e cheio de promessas, quando nossas bocas separaram-se o sorriso morreu, o olhar dele era escuro, cheio de desejo;
Até a casa dele levou uns vinte minutos, nossas mãos se tocavam de vez em quando, um sorriso brotava a cada toque.
Conheci a avó dele, uma senhora adorável dona de um senso de humor bem peculiar, me fez rir com suas histórias sobre a infância de Fernando... Ele próprio era tão bem humorado, tão carinhoso com sua avó. Apaixonei-me mais ainda. Saímos para dançar numa boate super popular de salvador, Fê me apresentava aos amigos como minha “namorada carioca” isso me envaidecia, o jeito que ele me apertava a cintura enquanto circulávamos por entre a pista de dança e as mesas me fazia lembrar que a volta pra casa prometia ser quente. Muitas horas depois e muitos copos também, pegamos um taxi e rumamos pra casa, durante o trajeto nos beijamos de uma maneira enlouquecedora, a língua quente, o hálito de gim, ele me tomava de assalto, senti sua mão no meu seio por baixo da camiseta, e gemi... Talvez alto demais, porque ele meio a contra gosto se recompôs, me colocando sentada normalmente. Mal entramos em casa, Fê deu vazão ao seu tesão, fechando a porta ele me encostou nela e começou a me beijar...pescoço, o colo, o rosto empurrando a alça da blusa, as mãos passeando nas minhas costas, me espremendo contra a porta e pressionando o seu corpo no meu. A boca sedenta encontrou a minha, a mão passeou pelo meu quadril, puxando a saia pra cima e tocando o elástico da calcinha, seus dedos firmes tocaram no meu sexo que a essa altura já estava molhado, sentia alem dos dedos o seu membro firme encostado em mim. Ansiando pelo momento da penetração, do gozo... Ouvimos um barulho na parte da casa onde a avó dormia, e resolvemos subir as escadas pro andar de cima onde ficavam nossos quartos. Foi difícil subir a escada, a cada degrau que subíamos eram beijos e amassos... Ele me virou fazendo com que eu sentasse no degrau e descendo alguns, ficou numa posição privilegiada. Beijou minha boca enquanto sua mão puxava minha calcinha, que deslizou pelas coxas bem devagar. Fernando empurrou a saia e meteu a cara no meio das minhas pernas, tive que me controlar pra não gritar, quando senti a língua em mim... Ele fazia isso com uma prática que me enlouquecia, ele sabia onde colocar, como chupar, o barulhinho me deixava louca... Segurei no corrimão da escada e com a mão livre apertei a cabeça dele de encontro ao meu sexo. A língua escorregava em toda extensão me enlouquecendo, me fazendo gemer alto, sentia tanto a falta dele que queria q ele me penetrasse ali mesmo onde estávamos. Falei isso alto, e ele levantando a cabeça me olhou com seus olhos turvos de desejo... Na mesma hora me levantei e virei de costas pra ele, segurando minha saia na altura da cintura, ouvi o zíper de sua calça abrir, senti seu pênis atrás de mim... Quente, firme, eu estava muito excitada, ele ficou esfregando levemente da entrada da minha vagina até o meu clitóris pulsante. Um desespero tomou conta de mim, implorei que ele me invadisse e ele atendeu. Senti seu membro firme entrar de uma vez só em mim, era delicioso senti-lo entrar e sair de mim várias vezes, minhas mãos na escada, os gemidos ficando cada vez mais altos,as mãos dele segurando meu quadril apertando,marcando, senti toda sua força pulsar dentro de mim na hora que ele gozou, senti seu liquido quente se derramando em mim, escorrendo pelas minhas pernas... Minhas pernas tremiam, e ele ainda ficou apoiado em mim uns segundos, até que reclamei um pouco da posição incomoda em que eu me encontrava, ele me puxou enlaçando minha cintura, beijou minha nuca e abaixou minha saia com gentileza... Subimos o restante da escada, e fomos direto ao banheiro. A água fria e forte do chuveiro foi muito bem recebida por nós, ele me ensaboou, lavou meus cabelos, meus seios, acariciou delicadamente um e depois o outro. Virando-me ele sugou meu mamilo com força, a língua correndo entre eles, subindo até o pescoço, dando mordidas, chupando...
Fomos para a cama, eu desejando o orgasmo que ainda não tinha sentido e ele me querendo novamente... Disse baixinho em meu ouvido que iria me comer sem pressa, me comer inteirinha... Senti um arrepio percorrer meu corpo e me entreguei.
Sua boca percorreu meu corpo inteiro, não teve uma parte que não tivesse sido queimada por seus lábios sedentos... Senti-me invadida várias vezes por sua língua, me sentia mole, não conseguia me segurar, só esperava a hora de morrer e nascer novamente. Então ele separou minhas pernas com sua coxa e entrou no meio delas, seu sexo ali na entrada, ameaçando e saindo novamente, me torturando... Senti a cabeça entrar, abracei seu corpo com força e fui de encontro a ele erguendo o quadril, ele entrou em mim, deslizando em meu sexo molhado. Entrou e saiu muitas vezes, até que eu pedi pra sentar... Ele encostado na cabeceira da cama, olhando com sua cara safada pra mim... Sentei e deixei seu pênis entrar devagar em mim... Milímetro a milímetro sentindo Fernando se tornar parte de mim, um só corpo, dois corações... Meus movimentos começaram bem cadenciados, sentia as mãos dele passeando em minhas costas, meus seios subindo e descendo no peito dele. Ele dobrou as pernas e desceu um pouco no travesseiro, com isso senti seu membro bem mais fundo em mim, dor e prazer se misturavam, levantava um pouco e sentava com força, o orgasmo era questão de tempo. Fernando segurou meus seios com força, a língua tocando cada um deles, eu cavalguei horas nele, o suor escorria pelo meu corpo, nossas salivas se confundiam, nossos fluidos misturavam-se, na tentativa de encontrar o fim eu me via no começo... Na tentativa de me dar prazer eu o fazia gozar vezes repetidas. Testamos outras posições naquela noite inesquecível, a que me deu maior prazer foi quando num momento de paz, fui até a janela sentir o ar enrolada no lençol, ele veio por trás, levantou o lençol, segurou uma de minhas pernas, e me penetrou com ímpeto, a outra mão no meu seio esmagando, a boca na minha nuca me marcando... Eu gozei, gozei tão forte que tive medo de morrer. Foi tão intenso que me senti num outro mundo... Ele teve que me carregar pra cama depois. Minhas pernas não obedeciam.
Fernando junto com Letícia foram as grandes paixões de minha vida. Passamos anos nos encontrando... Todos intensos, todos deliciosos.

Sobre este texto

Lia

Autor:

Publicação:26 de janeiro de 2012 19:52

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Casal

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 26/01/2012.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*