Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Meu melhor amigo!

Meu melhor amigo!
Bom, sou o Luiz, como algumas pessoas que leram meus contos anteriores já sabem. tenho atualmente 22 anos, cabelos e olhos castanhos escuros, pele morena, 1,75 de altura, 72kg.

O que vou relatar não é bem um conto erótico, é mais complicado que isso. Quando você conhece alguém que muda seu ponto de vista da vida, é algo que realmente vale relatar, até porque não posso contar as pessoas mais próximas de mim. Sou bisexual não assumido, tenho uma namorada atualmente e de vez em quando mato minha vontade de ficar com alguns caras, nada sério, e não fico com outras mulheres.
A mais ou menos 5 anos atrás eu ainda frequentava o colégio, e tinha um trabalho de meio período numa lan house perto da minha casa, um amigo meu de infância, que eu não via a muito tempo, passou a frequentar a lan house quase que diariamente e passamos a conversar novamente, vou nomeá-lo de Jéferson. Bom, com o passar do tempo ele passou a trazer um colega de classe junto para acessar os computadores e depois ficávamos a porta do estabelecimento jogando conversa fora. Passei a ter uma amizade também com o amigo de Jéferson, Alan era seu nome; muito simpático, sorriso sempre no rosto, ingênuo num olhar geral; Branco, cabelo até os ombros, frequente na academia, exibia um físico invejável, estatura baixa, no máximo 1,65. Nossa amizade foi quase que instantânea, passamos a frequentar a casa um do outro, ele tinha um irmão menor, e um primo, que na época tinha 14 anos.
Passamos a sair juntos todas as noites, com o resto dos amigos, para lugares onde adolescentes se reuniam aqui na minha cidade para tocar violão, tomar vinho e curtir: pegação e estas coisas de jovem! Naquela época eu também tinha namorada ( é muito raro eu estar solteiro )e ela sempre estava agarrada comigo. Acontece que Alan passou a estar sempre ao meu lado também, e não demorou muito para nos tornarmos melhores amigos e minha namorada ficar com ciúmes da minha aproximação com ele.
Eu saia da escola ao meio dia, e ele ia me buscar, ainda fardado, no portão da escola, me acompanhava até a porta da minha casa e ia para a sua, passamos a ter essa rotina que perdurou um ano, Alan sempre brincalhão e sorridente, vinha conversando amenidades comigo durante todo o percurso.. falávamos de garotas do colégio, da minha namorada e das mulheres em geral. Ele sempre me pedindo conselhos sobre uma ou outra guria que ele ficava ou deixava de ficar. Com o tempo minha namorada foi intensificando os ciúmes da minha relação de amizade com Alan e passamos a brigar, até um dia fatídico em que eu acabara de voltar da rua e estava me arrumando para ir para casa dela, quando Alan me liga, me pedindo ajuda com uma comida (sei cozinhar e ele é capaz de incendiar a cozinha só por tentar esquentar uma água), fui ligeiro até sua casa tentei ajudar o mais rápido possível sabendo que teria que ir.
nesse meio tempo ele ligou para minha namorada e disse a ela que eu não ia poder sair da casa dele porque o estava ajudando. Foi a gota d´agua que precisava para ela brigar comigo a noite toda e eu não aguentar e terminar o nosso namoro.
Eu até então não tinha qualquer maldade ou desconfiança de sentimento em relação a Alan, e isso pode até significar que sou ingênuo, mas é a verdade. Nossa dependência um do outro se tornava maior a cada dia, e a unica vez em que nos separamos mais de um dia foi quando ele viajou para passar uma semana na casa dos avós no interior do estado, e mesmo assim nos falamos todos os dias pelo celular.
A coisa só foi começar a esquentar uma linda tarde de verão (hahaha)em que estávamos em sua casa, como de costume, e ele pediu para que eu fizesse uma massagem em suas costas, pois ele estava com dor, tínhamos acabado de voltar da praia. Não vi qualquer problema em fazer o que ele me pediu, seguimos para seu quarto, ele fechou a porta e deitou, já sem camisa, na sua cama. eu estava de shorts curtos e ele de cueca samba canção (ele sempre fica assim em casa), sentei na sua bunda, já rindo, e comecei a massagem, não sei porque, mas aquilo foi me dando um nervoso, Alan ali deitado de bruços com a cabeça pousada entre seus braços e os olhos fechados. comecei a intensificar a massagem e de vez em quando o ouvia suspirar, pior que aquilo estava se manifestando em mim.
No meu torpor percebi que ele abriu os olhos e sorriu pra mim, como sempre fazia:
- agora é sua vez, deita que vou fazer uma massagem gostosa em você
- hm...tudo bem - eu estava meio nervoso
- tira a camisa e deita como eu estava - ele disse isso já se levantando e se posicionando nas minhas costas.
- se quiser pode ficar sem short também - eu gelei
- não precisa - foi a única coisa que consegui dizer.
ele sentou da minha bunda, assim como eu tinha feito com ele, e começou a massagem lenta e firme. acho que meu stress foi se esvaindo do corpo e eu fui relaxando, ouvia ele sorrindo levemente, como se fosse uma tv bem distante. Aquela massagem estava tão boa que acabei pegando no sono.
Acordei e vi que estava com meu corpo colado com alguém, olhei para o lado e estava de conchinha com Alan, deitado com a cabeça em seu braço direito, enquanto o esquerdo me envolvia. demorei um pouco para processar aquela informação: eu ali com meu melhor amigo, de conchinha, com a respiração dele, lenta, na minha nuca.
Aquele pensamento fez um arrepio percorrer todo o meu corpo. fui rapidamente me desvencilhando dele, com medo de o acordar, graças a Deus ele tinha sono pesado, consegui levantar e sai de mansinho para a sala, seu irmão estava jogando vídeo game e me juntei a ele.

~ continua ~
Bom, quem gostou e quiser saber o que rolou nessa minha situação, que foi real, sem tirar nem por, curte ai e comenta!

Sobre este texto

lsouza

Autor:

Publicação:7 de fevereiro de 2015 19:21

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 07/02/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • kaio
    Postado porkaioem28 de abril de 2015 00:33

    Kde o restante? Super curioso aqui.

  • Diego.
    Postado porDiego.em14 de fevereiro de 2015 00:23

    Nossa...muito excitante...continua por favor.

  • Cristiano
    Postado porCristianoem13 de fevereiro de 2015 13:24

    Muito bom, curioso para saber no que vai dar.

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*