Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Imagina na cops

Imagina na cops
Mais ou menos no meio de Maio do ano passado, estava eu levando minha vida normalmente quando de repente eu recebo no meu e-mail uma mensagem um tanto quanto inesperada.
Era um convite de uma amiga, para que eu a encontrasse durante a copa do mundo e como eu estava muito na seca nessa época tenho que dizer que essa mensagem me deixou muito contente.
O e-mail era da Bianca, uma amiga italiana que aqueles que leem meus contos já conhecem e nele ela dizia que viria ao país com alguns amigos e familiares no fim de junho para acompanhar a copa e que ficaria até o final dos jogos e que adoraria me encontrar, eu adorei a notícia e mal podia esperar.
O tempo passou, Bianca havia me dito que viria no finzinho de junho e faltando poucos dias para o fim do mês eu já estava todo empolgado, estava trabalhando quando meu celular tocou, não reconheci o número, mas mesmo assim decidi atender.
-Olá Mad.
Aquela voz efusiva em um português meio “italianado” não deixou dúvida de quem era.
-Olá minha bela “ragazza”, como vai, não sabe como fico feliz em ouvir sua voz.
-Rsss, você não serve para “parlar italiano”, cheguei a seu país, junto com alguns primos e amigos, cheguei ao hotel hoje cedo e estou muito cansada, estamos no nordeste do seu país, mas na outra metade da viagem estaremos em “São Paolo” e minha viagem não será completa se eu não ver meu bambino
-Rsss, eu estou me esforçando, fico chateado por você não vir direto pra cá, mas estarei ansioso esperando sua chegada.
-Non preoccuparti prometo que serei bem generosa com o presente quando chegar.
Ouvir isso era tudo que eu precisava para ter certeza que minha seca não duraria muito tempo.
Enfim o dia chegou, conversando com Bianca pelas redes sociais ele me disse que estaria com os primos e alguns amigos lá no vale do Anhangabaú em um daqueles eventos oficiais para ver os jogos então estava na hora de reencontrar minha amiga de intercâmbio, chegando lá tive que estacionar um pouco distante, o local estava lotado demorou um pouco até orientar Bianca a me encontrar em um local específico, mas toda essa demora valeu muito a pena, lá estava ela loira com uma camiseta regata florida que valorizava bem seus seios e deixava seu umbiguinho à mostra, calça jeans bem colada e seus belos olhos azuis.
-Maaadd que saudade de você! –Disse ela com aquele sotaque que já me dava um baita tesão.
-Também sentia sua falta ragazza!
-Demorei pra chegar, fomos para o mais alto do país ver os jogos, infelizmente a Itália não ficou, mas vamos ficar até o fim e curtir a festa.
E como curtiam festas esse pessoal da Itália, ela estava toda elétrica, me apresentou para seus amigos e parentes que vieram ao Brasil falando muito bem sobre mim a todos, bebemos e bagunçamos muito, do inicio da tarde até um pouco além do anoitecer.
-E como estão as outras meninas? Eu falo com elas apenas via Skype às vezes.
-Ah, bom você lembrar.
E após isso ela me deu um selinho e eu fiquei sem entender nada.
-Giulia e Liliana pediram pra te entregar.
-Ah já que é isso então são dois não é?
Segurei suavemente seu rosto e lhe taquei um beijo lento e molhado.
-Desde que cheguei estava esperando por isso. –Sussurrou ela no meu ouvido.
-Então não vamos perder mais tempo.
A peguei pela mão e a levei até onde estava meu carro, um pouco distante, debaixo de um árvore perto de um daqueles prédios velhos ali da região, varias pessoas estavam passando, mas não me importei, encostei ela contra a porta do carro que estava virada pra arvore, onde a escuridão nos dava o mínimo de discrição e começamos nosso amasso.
Talvez por ser totalmente liberal, Bianca me dava um tesão diferente, nosso beijo já foi de cara molhado e intenso, minhas mãos estavam ensandecidas no seu corpo, pegava com firmeza em seu belo traseiro enquanto nossas línguas surravam uma a outra, passava a mão em sua barriguinha para sentir sua pele lisa e macia como seda e os seios, ahhh os seios, firmes branquinhos, massageava bastante o esquerdo por cima da blusa e por vezes jogava minha cabeça naquele decote para sentir ambos em meu rosto.
Bianca fazia sua parte, segurava com ternura minha cabeça entre seus seios, roçava sua coxa entre a minha perna provocando meu membro já ereto, me arranhava, mordia, meu lambia, esfregava meu tórax e gemia baixinho, foi abrindo meu cinto e quando dei por mim sua mão esquerda já segurava firme no meu mastro, senti uma leve dor e por reflexo agarrei seus seios, massageando ambos com certa firmeza, ela arfou e disse:
-Vem te quero em mim.
Já não ponderando a situação, abri a porta do carro e ela logo se sentou no banco, fui abrindo minha calça e ela tirando a sua, virou sua bunda pra rua ficando de bruços, deixei a porta aberta para no mínimo disfarçar meus atos, mas acho que pouco adiantou, abaixei um pouco sua calcinha rosa e minha primeira reação foi encher minha mão e estalar um tapa naquele bundão branco e gostoso.
-Aiiiiiii.
Ela deu um gritinho, então eu repeti, várias e várias vezes, até que a nádega direita dela ficasse bem vermelha e ela sempre respondendo com gritinhos e palavras em italiano .
Sua boceta já escorria e a cabeça do meu pau também já brilhava então delicadamente como se esquecendo de toda a brutalidade fui introduzindo meu membro em sua caverninha quente.
-Ahhhhhhh, issooooo, é isso o que eu quero.
-Então terá!! Respondi lhe dando ao mesmo tempo mais um tapa, só que agora do outro lado da bunda.
Após iniciar minha mais nova incursão em terras estrangeiras e sentir aquela temperatura gostosa comecei a bombar, movimentos rápidos e ritmados, deixei a coisa fluir solta, estava muito excitado.
Bianca batia na própria bunda com uma mão e acariciava o grelo com a outra e não fazia questão de manter a discrição ao gemer.
Eu estava totalmente fora de mim, olhar pra Bianca me enlouquecia então olhava muito pra cima para não gozar rápido já que estava a mil, mas era impossível desviar o olhar daquela deusa loira se satisfazendo loucamente no meu pau, em certo momento voltei a mim, muitas pessoas se aproximavam e só ai notei que estava com a bunda pra fora na rua metendo que nem um louco.
-Linda, vai pro outro banco.
Ela sem falar nada se moveu, entrei no carro e tranquei a porta e esse foi o tempo necessário para Bianca por sua cabeça entre minhas pernas e iniciar um boquete delicioso.
Começou de forma meiga, segurando o pinto pela base e colocando deliciosamente dentro de sua boca cheia de saliva.
-Ohhhhhh.
Seus belos olhos olhando pra mim, coloquei uma mão sobre sua coxa e fiquei alisando, a outra fazendo carinho em sua orelha enquanto ela me chupava devagarzinho, depois pulou pra um garganta profunda delicioso, forcei a cabeça até ela engasgar e tossir duas vezes esperava uma bronca pelo meu ato, mas enquanto pegava folego ela apenas sorriu, voltou a me mamar, começou a me punhetar rápido e forte, em sincronia com os movimentos da sua cabeça, agora estava mais selvagem e me deixando louco.
Reclinei um pouco mais meu banco, seus movimentos não paravam e sua saliva estava extremamente quente, ela era muito boa no boquete conseguia ficar muito tempo no movimento sem parar e quando parava rapidamente voltava a fazer deliciosamente a minha cabecinha passear por toda sua boca, agora eu apertava sua tetinha por dentro da blusa, sentindo o mamilo rígido entre os dedos e a maciez do toque, seios maravilhosos.
Movi meu corpo pro banco onde ela estava, logico que deixando o quadril dela sobre meu colo, dei mais uma alisada, mais uns tapinhas e depois com minha mão esquerda comecei a introduzir e o dedo indicador no poço de gozo que era sua bocetinha rosada
-Ahhhhhnnwnnn MAADD
O prazer era intenso, meu dedo entrava e saia velozmente, e em pouco tempo o dedo do meio foi em seu auxilio nessa árdua tarefa e pouco antes do grande clímax ainda coloquei o anelar pra finalizar.
-AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH
Ela gozou bem gostoso com meus dedos, deixando minha mão encharcada com seu mel, porém eu ainda estava em ponto de bala e aquela situação estava longe de terminar.
Reclinei mais o encosto do meu banco, enquanto arfava ela balbuciou algo em italiano que não consegui distinguir, porém ela distinguiu sem dificuldades minhas ideias quando me viu mais a vontade no banco e novamente sua única resposta a isso foi apenas um sorriso sexy e safado.
Ela se ajeitou e foi sentando bem devagar, sentir sua boceta gotejando no meu pau me levou ao delírio, mas nada comparado pelo que ainda estava por vir quando ela sentou de vez e meu pau se aventurou novamente em um misto de calor e a sensação de molhado que sua cetinha me proporcionava.
De automático minhas mãos foram tomar sua bunda, segurava firme enquanto ela cavalgava devagar, apoiando as mãos no vidro ela começou a me beijar loucamente enquanto fazia sua tarefa, o beijo foi tão gostoso, seus lábios molhados juntos com os meus que larguei sua bundinha e com uma mão em sua nuca e outra em suas costas me entreguei por completo ao momento.
A mão que estava em suas costas retornou para aquele belo rabo e agora a mão dava ritmo aos movimentos de sua cavalgada que ficou mais intensa e rápida, com uma mão ela levantou sua camiseta sobre seus deliciosos seios e com a mesma mão forçava minha cabeça contra eles, ficou tudo tão insano que novamente tapas estalavam em sua bundinha e se ainda existia em Bianca algum pingo de vergonha de gritar de prazer, ele se foi naquele momento.
Ela gemia alto, rebolou, subiu e desceu no meu membro nas mais variadas velocidades por um bom tempo, enquanto eu pirava em seus seios, tudo deliciosamente safado e excitante já que a qualquer momento um guarda poderia bater no vidro do carro e trazer muitos problemas pra minha vida.
-“Seiiii molto bravo Maaad”
Bianca caiu em gozo novamente, respirava rápido, saliva escorria pela lateral de seus lábios sua pele estava vermelha e seu corpo imensamente quente caia mole sobre mim, mas nem com isso ela parava de mexer, agora em um ritmo bem lento, mas mesmo após explodir em gozo ela pensava em parar de me agradar.
-Você é a melhor Bi. Eu falei enquanto tirava de vez sua blusa já que ambas as mangas já estavam caídas e o tecido enrolado sobre seus seios.
-Eu quero que você goze Mad, goze quente e em mim. Ela disse e depois segurou meu queixo e me deu mais um beijo.
Deitei de vez os encostos dos bancos frontais, apoiei cada perna em um deles e deixei meu corpo deitar também, não sei de onde ela tirava tanto gás que logo começou a quicar forte no meu pau, gritando meu nome tamanho seu prazer, os bicos dos seus seios agora livres apontavam pra mim enquanto balançavam com nosso forte movimento, segurava firme suas nádegas e ela mandava ver apenas com os movimentos dos quadris, meu pau quase entrava e saia quase todo com seus movimentos, eu enfiava meu dedo no seu cuzinho sem hesitar quando por vezes ela sentava gostoso e rebolava apertando tudo, nesse ritmo não demorou muito.
-OHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH Bianca, safada...
Lembro apenas de uma forte pressão na ponta do meu membro e depois uma sensação de plenitude e dormência tomou meu corpo quando gozei deliciosamente ejaculando forte dentro dela.
Foi tudo tão surreal que após gozar ficamos alguns segundos abraçados, sentindo o corpo suado um do outro, depois ela começou a rir feita boba, me elogiando e falando coisas que eu não entendia, achei muito engraçado, porém tinha esquecido que ela estava bêbada.
-Vou deixar seu leitinho dentro de mim Mad. Ela falava puxando minha porra com o dedo de dentro de sua boceta até sua boca, nos curtimos mais um pouco, carinhos, beijinhos e depois a levei pro hotel.
Ela foi nua durante todo o caminho, hora dormia hora acordava e falava algo sem sentido, chegando ao hotel a ajudei a se vestir e subi com ela até seu quarto, ela não estava em condições de falar nada então a deixei com um de seus primos e fui embora.
No dia seguinte recebi várias mensagens rasgando seda para a minha performance e marcamos de nos despedir no aeroporto e assim foi feito no seu embarque lá estava eu trocando um beijo de língua delicioso na frente de todos no saguão. E assim mais uma transa maravilhosa se foi atravessando o atlântico.

MAIS EM: https://contosdomad.wordpress.com

Sobre este texto

Mad Guy

Autor:

Publicação:29 de julho de 2015 22:32

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Heterossexual

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 29/07/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*