Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

O MUNDO CÃO DE CELINA - 1ª PARTE

O MUNDO CÃO DE CELINA – 1ª parte

Lucia, Shirley e Elizabeth, são três jovens, que estudam no mesmo colégio e são amigas inseparáveis. Tem praticamente a mesma idade, 16 anos, feitos na semana passada, com diferença de poucos dias. São jovens muito tímidas e que as condições financeiras de suas famílias, não lhes permitem “acompanhar” o estilo de vida das demais colegas de escola. São meninas estudiosas e de comportamento exemplar que apesar de serem muito bonitas, até esta data, ainda não tinham arrumados namorados firmes. Em parte por serem tímidas e em parte, porque os ficantes do colégio, queriam ir logo metendo as mãos bobas nelas. As meninotas só tinham um defeito. Tinham inveja da boa vida que alguns de seus colegas levavam. Enquanto que elas, viviam numa penúria de dar pena. Nunca tinham dinheiro para nada.
Esse pessoal, que elas tanto invejavam, era um grupo de filhinhos e filhinhas de papais ricos, que se julgam os maiorais e que ignoram os demais mortais. Só andam de “carrões” e dão grandes festas, em que só são convidados o pessoal da sua patota.
As três garotas, olham com um pouco de inveja para aquela turma, pois bem que gostariam de usufruir do vidão que eles levam. Mas o jeito é se contentar com as suas vidinhas, um cineminha uma vez ou outra, com uns trocados para um lanche e nada mais.
- Lucia, você viu aquele gostosão do Ricardo... O cara é lindo demais! - Só ele não, Beth, mais os amigos dele também, são todos uns gatões. – Meninas, tirem o olho... todos eles têm donas! – Nós sabemos disso Shirley! – O Ricardo tá firme com a dondoca da Celina. – Também, não é para menos, ela tem um corpão. - Esqueçam amigas, eles vivem em um outro mundo... não é para o nosso bico. - Sonhar não custa nada, nê!
Celina e Ricardo, estavam no maior amasso na suíte do motel. Ele por cima dela, com o caralho todo enterrado no cuzinho da jovem, que gemia, embriagada de tanto gozo. A relação dela com o garotão era mais de submissão do que de amantes. Ele fazia com ela “gato e sapato”, até a emprestando para os seus amigos. Celina, aceitava tudo numa boa, pois além de gostar do sexo com todos eles, ainda recebia uma nota preta, muito dinheiro, que lhe permitia levar a boa vida, com o grupo de “elite do colégio.
- Ricardo... eu não quero fazer mais isso, Ainda vai dar bode! – Que nada, Celina! Depois de tanto tempo, queres bancar a covarde! - Não é bem isso, querido, mas levar garotinhas para as festas de vocês...é muito perigoso! - Perigoso merda nenhuma! Até hoje nenhuma delas abriu o bico! E demais a mais, na hora de embolsar a grana, você não tem esses escrúpulos.
- Mas todas as garotas que levei, para a turma de vocês, eram furadas e sabiam o que ia rolar... mas agora você está me pedindo que leve três garotinhas do primeiro ano, elas são umas bobocas, provavelmente ainda virgens. – É por isso que as queremos, elas são umas gracinhas e já a algum tempo, noto que elas me olham com cobiça. –
- Os meus amigos também estão de olhos nelas! As três cabritinhas são muito gostosas estão prontas para o “abate” – Já tenho uma turma muito grande que querem participar do banquete com elas e eu prometi isso a eles. Nós queremos trepar com as três garotinhas e você as trará para a gente... senão vamos te cortar da nossa folha de pagamento. Sabes muito bem o que acontece com aqueles que deixam o nosso grupo!
- Não necessita vir com ameaças, eu farei o que pedes. Mas o meu receio é que algumas das meninas que levei para vocês, nunca mais voltaram para suas casas…o que vocês fizeram com elas? - Isto não é da tua conta, Celina.... Você leva uma vida de gente rica, esbanjando o dinheiro que lhe pagamos e para você nada mais deve lhe interessar. Continue trabalhar para a nossa turma, não tens mais volta!
- você vai nos trazer as três garotinhas, está decidido. Aqui está o teu dinheiro. Nós as queremos para o próximo fim de mês. Terás muito tempo para armar a tua armadilha pra cima delas. És muito astuta e sabemos que não terás nenhuma dificuldade. – Nem tanto assim, Ricardo... pois eu mal conheço as bobinhas, elas vivem em outro nível – O problema é teu Celina, já estas com a grana no bolso! Um mês e dias é tempo mais do que suficiente. Não me venhas com desculpas, pois sabes do que sou capaz, se me desobedeceres.
Na segunda feira, quando saiam da escola, as garotas foram surpreendidas, com um “boa tarde” muito amistoso de Celina. – Minha nossa! Vocês viram... a Celina falou com a gente! –Ela foi muito simpática...não é tudo aquilo que parecia ser! – Amanhã, se ela nos saudar de novo, vamos tentar bater um papinho com ela.
Durante todo o mês, Celina surpreendeu as meninas, com a sua “simpatia” e até convidou as três para um passeio no shopping, fazendo questão de pagar por tudo. Finalmente, Lucia, Shirley e Elizabeth tinham uma amiga da “elite, quem sabe que com isso, poderiam se aproximar de Ricardo e de seus amigos!
E isso foi o que aconteceu, mas cedo do que imaginavam... pois Celina as convidou, para uma festinha em sua casa, para o próximo fim de semana. Só para poucos convidados, alguns rapazes e moças, todos da escola. Elas ficaram encantadas com a oportunidade... uma festinha com a “elite”, era tudo o que sempre tinham sonhado!
Na noite agendada para a tal festinha, saíram de casa mentindo para seus pais, uma dizendo que ia dormir na casa da outra. Na hora exata, lá estavam as ansiosas jovenzinhas, na porta da casa de Celina. Mas alguma coisa estava errada, pois a casa toda as escuras, não parecia um local onde haveria uma festa. Celina, parecendo estar constrangida, foi se encontrar com as três ainda no portão e explicou o que tinha acontecido:
- Amigas, deu merda com a festa... minha mãe não permitiu que eu fizesse a reunião aqui em casa! Eu telefonei para todo mundo, cancelando, mas não tinha os telefones de vocês! Lucia, Shirley e Elizabeth, só faltaram chorar, decepcionadas, pois tinham sonhado com isso durante toda a semana.
- Meninas, nem tudo esta perdido... Ricardo, meu namorado, telefonou dizendo que se a gente quisesse, podia ir para a casa dele! Ele convidaria algumas pessoas e pronto a nossa festinha estaria armada, mesmo que muito restrita. – Vocês aceitam em ir até a casa de Ricardo, meninas?
Isto era tudo o que as garotas tinham sonhado... uma festinha, na casa do lindo garotão, com a turminha dele. Nada poderia ser melhor do eu isso! As três, até parecendo que tinham combinado, responderam em uníssono: - Sim, aceitamos, Celina!
Este foi o grande erro de Lucia, Shirley e Elizabeth. Celina estava levando as inocentes garotinhas, para o covil dos lobos, a troco de dinheiro, onde elas seriam estupradas por um bando de sádicos e cruelmente torturadas e depois, provavelmente condenadas à morte.
As garotas ficaram abismadas com o luxo da casa de Ricardo, na verdade uma verdadeira mansão. No amplo salão, pouco iluminado, tocava um som gostoso e Celina, tratou de apresentar as jovens aos presentes. Beth e suas duas amigas, só estranharam que eram quase vinte rapazes e nenhuma outra moça. Quando cochilaram isso com Celina, ela parecendo estar de acordo com a situação, apenas retrucou: - De garotas, seremos só as quatro...vocês vão gostar muito desta festinha meninas, um montão de gatos, só para a gente! – Pode haver coisa mais excitante... seremos o centro de atenções deles e nenhuma sirigaita para se intrometer!
Constrangidas e com um pouco de receio, mas sem opção, aceitaram numa boa, e resolveram não se preocupar com isso. A música gostosa, a penumbra, as quatro foram convidadass a dançar. Eram tantos caras que Lucia, nem tinha tempo para descansar, mal saia dos braços de um, logo vinha outro. Um pouco inibida, não recusava o gostoso drinque que lhe era oferecido a todo instante, por um ou outro cara. Estava tudo tão bom, dançando bem agarradinha e sentindo entre suas coxas, o volume deles, nem tinha como impedir o “encaixe” de suas coxas nas deles, pois os caras a seguravam bem forte pela cintura
Nunca tinha sentindo coisa igual, parecia que estava nas nuvens. Um pouco ansiosa, com aquela coisa gostosa, roçando lá embaixo, mesmo por cima das roupas, foi amolecendo nos braços... nos braços de quem... eram tantos os caras! Virou o rostinho um pouco de lado com o par de momento, beijando sua orelha e viu que o salão estava quase totalmente às escuras, mas pode ver que Shirley também dançava com um rapaz, que a segurava pela cintura e beijava seu pescoço, enquanto um outro, a agarrava por trás e fazia movimentos com a cintura, na bunda da amiga.
Elas não tinham noção, mas junto com as bebidas, estavam ingerindo, também uma droga, que estava pouco a pouco, minando suas vontades.
Sua outra amiga, Beth, não dançava, mas pode ver que estava sentada num amplo sofá, quase deitada, rodeada por dois rapazes, que lhe beijavam com volúpia seus ombros e seios, com a blusa rasgada caída no chão, enquanto as mãos deles percorriam o corpo da menina, por baixo de sua calcinha. Beth tentava impedir, mas rodeada pelos caras pouco podia fazer com a investida das quatro mãos, que lhe tocavam a bucetinha e o ânus. Não viu mais Celina, mas percebeu que quem estava dançando com ela, no momento, era Ricardo, o namorado dela. Ficou com muito medo que Celina a visse dançar tão apertado com ele. – Ricardo onde está Celina? – Ela foi para um dos quartos, com o Beto, um amigo meu! –Minha nossa, Ricardo! O que ela está fazendo no quarto com o teu amigo?
- Bobinha, meu amigo a está fodendo …ela adora dar a boceta para ele! Lucia ficou escandalizada com a naturalidade com que Ricardo, disse que sua namorada estava fazendo sexo com seu amigo, parecia não dar nenhuma importância para isso... Mas nem teve tempo para nada, pois ele a segurou pela nuca, lhe aplicou um violento beijo, enfiando a língua em sua boca, tentando chupar a sua língua. Tentou resistir, mas aos poucos foi gostando e passou a correspondeu, num beijo intenso e longo. Nunca em sua vida tinha sido beijada e o seu primeiro beijo a estava deixando toda entregue, nos braços dele, em grande parte efeito da bebida, mas principalmente da droga, que estava agindo sobre a libido dela e de suas duas amigas.
Beth, sentada entre os dois caras, não queria beber mais, pois não estava acostumada ao álcool e estava bem tonta, mas eles insistiam tanto, quase que a forçando, com o copo encostado nos seus lábios, que se viu coagida a beber. Em pouco tempo estava totalmente embriagada e inerte, começou a ser despida pelos dois sujeitos, não paravam de meter às mãos em todos os seus buracos. Quis resistir, mas se sentia quase sem forças.
Shirley se debatia com uma louca, no meio do salão, sendo agarrada por dois rapazes, que a seguravam firmemente, um por trás outro pela frente, sua saia estava levantada e a calcinha abaixada no meio das coxas. Tentava sair do meio deles, mas não tinha como, eles a seguravam com muita força. Quase sem energias, sentiu entre suas coxas, os membros endurecidos deles, um em sua bunda e outro roçando sua bucetinha e os dois a beijando com violência.
Lucia, apavorada com o que estava acontecendo com ela e suas amigas, tentou sair do beijo de Ricardo, mas se viu agarrada por muitos pares de mãos e suas roupas sendo rasgadas Em instantes estava totalmente nua, enquanto mãos ávidas percorriam seu corpo.
Quando tentou gritar, recebeu um tabefe tão forte na orelha direita que ficou totalmente zonza. – Fique quieta menina! Não adianta resistir.... Vocês são as nossas convidadas especiais para este fim de semana. Estamos loucos para as provar. Quando tentou se levantar, ainda teve tempo de ver Shirley e Beth, inconscientes, sendo levadas por um bando de caras, escada abaixo, provavelmente para o porão da casa. Lucia se sentiu sufocada por uma mão em seu pescoço e gritou de dor, com a violenta torsão de seus braços em suas costas. Antes de desmaiar, ainda pode ouvir: - Venha com a gente... vamos nos divertir bastante com estas cabritinhas gostosas.
Ricardo foi até o quarto, onde Celina estava fodendo com Beto. – Garota, não estamos mais necessitando dos seus serviços. Aqui tens mais uma boa bolada.... Guarde tudo e vá embora! – Mas Ricardo, eu ainda não terminei com Beto... está muito gostoso! Não interessa mulher, vá logo embora para tua casa. - As três garotinhas? Elas poderão ir comigo? – Você tá maluca Celina! Não achas que a gente encheu o teu rabo com tanto dinheiro, para nos trazer as gostosinhas, pra só dançarmos um pouco com elas! –Não banques a boba... sabes muito bem o que queremos com as três!
- Se sabes o que é bom para a tua saúde...fique de boca fechada. As três vão ficar com a gente este fim de semana todo. talvez um pouco mais. Se o país delas perguntarem alguma coisa para você, responda que não sabes de nada. Que a festinha em tua casa foi cancelada e que elas voltaram para casa. Você sabe mentir muito bem, tal qual como das outras vezes. Agora dê o fora.... e não se esqueça bico calado!
- Os pais delas não sabem que elas foram se encontrar comigo, as garotas mentiram para eles, dizendo que uma ia dormir na casa da outra. Que maravilha Celina, assim você não estará associada ao sumiço delas. Vá para casa e fique na tua. – Vamos ter muito tempo para nos divertir com elas.


Continua em: MUNDO CÃO DE CELINA – 2ª parte

Sobre este texto

Marcela

Autor:

Publicação:23 de outubro de 2014 02:16

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:BDSM

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 23/10/2014.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*