Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Sara escravizada pelo sexo sádico

Sara escravizada pelo sexo sádico

Sara é uma moça muito bonita, com seus 23 anos e com um corpo maravilhoso de arrancar suspiros por onde passa. Cintura fina, coxas grosas bem torneadas, e bunda arredondada, levemente empinada, e seios lindos, tão firmes que parecem maiores que o normal, com mamilos eretos. Uma verdadeira beldade. A faculdade inteira cobiça aquela universitária. Cabelos loiros compridos e olhos azuis, 1,65 m de pura tentação. Muito alegre e simpática, consegue atrair as atenções em qualquer lugar que esteja. Mas ela só tinha olhos para o seu noivo o jovem Henrique.
Os dois estão só esperando terminarem a faculdade para marcarem a data do casório. Nesta noite de sexta, em especial, Sara está eufórica, pois dirigindo o seu sedan vermelho, está indo para o sitio do seu querido. Eles planejaram passar o fim de semana só se amando, esquecidos dos estudos e trabalhos. Ela fica excitada só em pensar em ter Henrique dentro dela.
Sara sabe que está atrasada, já passa das 21 horas, mas não conseguiu se livrar dos seus compromissos no escritório no horário normal. Ainda bem que são pouco mais de 60 quilómetros até o sitio de Henrique. 40 de asfalto e 20 de terra batida. Ela conhece bem o caminho e não vê a hora de cair nos braços do seu noivo.
Mas o inevitável sempre acontece, aproximadamente a 2 quilômetros estrada a dentro, seu carro resolveu pifar. Ela que de mecânica não entende nada, ficou em pânico, pois sabia que naquela estradinha de terra, não havia quase nenhum movimento de veículos.
Só para constar, abriu o capô e ficou olhando o motor. Tinha 4 opções: Ligar para Henrique pelo celular, seguir a pé os 18 quilômetros, até chegar ao sítio dele, ficar no carro e aguardar improvável ajuda ou ir a pé, até a rodovia, pois o movimento, numa sexta-feira é razoável, mesmo a esta hora da noite. Fez inúmeras tentativas de contatar o noivo, todas sem sucesso, fez o mesmo para a casa de seus pais com igual resultado.
Felizmente, já com a bateria do seu aparelho quase no fim, conseguiu fazer contato com Marta, sua colega de trabalho e melhor amiga. Muito nervosa e choramingando, explicou para Martinha sua situação. - Calma amiga, eu estou na casa do meu namorado, vamos resolver o teu caso...só um momentinho, enquanto eu falo com ele....
- Tudo certo Sara! Eu e Thiago vamos te buscar. Vá até a rodovia e fique nos esperando. Thiago tem uma camionete Van branca. Não dê bobeira, pois você sozinha numa rodovia, numa noite de sexta...é atrair os "gaviões".
- Pode deixar amiga, vou ficar, atrás de umas árvores, quando a Van branca apontar, eu me mostro.
Tudo resolvido, com o coração mais sossegado, seguiu o conselho da amiga e retornou para a rodovia. Dois km não são nada, Mas com a escuridão da noite, estava se borrando toda de medo e a cada pio de coruja ou o "grito" de um bicho, acelerava os passos, olhando assustada para o matagal em volta.
Respirou aliviada quando viu ao longe o brilho de alguns faróis. Pela graça de Deus, estava chegando à rodovia. Lá ela poderia aguardar a chegada de Marta e de Thiago. Já passava das 23 horas e a escuridão da noite envolvia tudo. Alguns veículos, cruzaram o local onde estava, mas "escondida" por um grosso tronco de árvore, não a notaram.
Verdade que eles estavam demorando muito e Sara já estava ficando em pânico e ainda por cima os mosquitos a estavam comendo viva e o seu celular ficou sem carga. Pelo tempo decorrido, eles já deveriam estar chegando. Tudo nesta noite estava dando errado para ela.
Estava envolta em seus pensamentos e quase deixou passar a Van branca de Marta. Só deu tempo de pular para o meio do asfalto e abanar, desesperada, com as duas mãos para o alto. O carro só parou a uns 50 metros à frente. Sara deu pulos de alegria e ficou esperando o seu retorno, mas para sua surpresa, a van ficou parada e então, resolveu ir em passos rápidos até lá, mas nem avançou uns 5 metros, o veículo também, avançou uns outros 10.
Que merda é essa? Marta quer gozar com a cara dela! Exausta e com os pés doendo de tanto andar, não estava para brincadeiras. - Marta...sua diabinha, pare de "zoar" comigo! Estou em "pandarecos".
Quando as portas da van se abrirem e dois homens saíram, foi que percebeu o seu engano...a van branca, não era a de Marta. Pensou em recuar, mas já era tarde, pois duas potentes lanternas a enquadraram. - Meu Deus do Céu! O que eu fiz? Tremendo dos pés à cabeça, ficou estática, sem coragem para nada.
- O que você está fazendo aqui moça, sozinha, a esta hora da noite? Foi o que lhe perguntou um dos homens.
Com voz trêmula e indecisa, conseguiu dar umas explicações atrapalhadas: - Desculpem, mas é que pensei que vocês fossem os meus amigos...o meu carro quebrou e eles me prometeram vir me buscar.
- Se isso é verdade, onde está o teu carro? - Está a uns 2 quilômetros, nesta estradinha secundaria...eu ia para o sitio do meu noivo. Quando mais dois homens saltaram da van, Sara se sentiu morrer e quase em pânico, vocês podem irem embora…meus amigos já devem estar chegando.
- Achamos que os teus amigos não vão chegar tão cedo. Acabamos de ouvir no rádio, que a ponte, na saída da cidade, foi interditada e que a alternativa é um desvio de muitos quilômetros. Provavelmente, só pela manhã, eles vão conseguir vir te socorrer.
- Não tem importância, eu fico aqui esperando por eles. - De jeito nenhum, nós não vamos deixar uma moça tão bonita, perdida neste mundão de Deus. Não necessitas ter medo da gente.... Nossas mulheres estão na van Vamos te deixar no posto de abastecimento, a uns 10 quilômetros adiante. Lá você poderá ligar para os teus amigos e dizer onde está.
Sem opção, aceitou a proposta dos caras, mas só ficou tranquila, quando percebeu que os passageiros da van, eram 4 casais, todos eles beirando entre os 30 e 40 anos. Todos bem gentis e as senhoras, elegantes e bonitas, se mostraram simpáticas e comovidas com o "aperto" de Sara.
Logo quiseram saber de tudo a respeito de Sara. Nome, idade, onde morava, se era casada ou não. Sentada no meio de duas delas, Sara muito cansada, foi respondendo a todas a indagações, quase que automaticamente. Queria chegar logo ao tal posto, beber alguma coisa, telefonar e descansar um pouco.
Nem percebeu que já tinha passado a muito tempo o posto. Quando uma das mulheres, que se apresentou como Estela, passou as mãos em seus cabelos e rosto e lhe disse: - Você é uma jovem muito linda, Sara...muito gostosa mesmo!
Estranhou bastante estas afirmativas, mas foi o diálogo que se estabeleceu entre eles, que a assombrou bastante. - O que você acha dela, Pedro? É bem apetitosa e tem um corpo lindo! Acho que serve!
Sara, meu nome é Adelaide e eu sou a líder do nosso clube e agora mesmo estamos indo para a nossa sede, passarmos o final de semana e estamos convencidos que você é digna de ser a mais jovem sócia da nossa associação e que caiu como por acaso em nossas mãos.
- Agradeço muito o convite, mas não posso aceitar, tenho de esperar os meus amigos no posto e depois ir para o sitio do meu noivo. Foi o que respondeu Sara, nesta altura, já achando que entrou numa fria.
Logo uma outra senhora retrucou: - Minha querida, o teu posto já ficou para trás a muito tempo. Estamos indo para a nossa sede e lá serás inscrita como a nova sócia... temos certeza que gostarás muito do que te espera.
- Minha senhora, peço que façam meia volta e me deixem no posto! Eu não posso e não quero ser sócia de clube nenhum, ainda mais contra a minha vontade.
- Sara querida...eu sou a Camila, e lhe afirmo, que no início, todas dizem a mesma coisa, mas depois de alguns dias, passam a gostar do nosso tratamento.
- Vocês estão assustando a moça...mas não lhe dizem do que se trata! Sara, meu nome é Norma e também sou uma das adeptas do que fizemos no clube. Você por acaso conhece os termos "bondage e "sadomasoquismo"?
- É claro que conheço, não sou nenhuma idiota! É uma forma de perversão sexual, praticado por gente doente da cabeça e sem nenhum sentido de decência e honra.
-Pois é minha linda... a nossa associação é um clube de sadomasoquismo e nos 8 não somos malucos sem moral, apenas apreciamos as formas diferentes de sentir e dar prazer e você, depois de ser uma das nossas sócias vai também gostar.
- Pelo amor de Deus, vocês são uma turma de malucos, me deixem ir embora. Eu não quero fazer parte do hospício de vocês.
- Agora é tarde para isso, garota, desde o momento que entrou na nossa van, não tens outra saída…agora serás uma das nossas "pacientes"
Antes que pudesse emitir mais protestos, sentiu que uns dos homens, sentado no banco atrás dela, lhe aplicou uma gravata a imobilizando e a tal de Camila, lhe injetou o conteúdo de uma ampola na coxa direita. Sinto muito querida, mas você não pode saber onde fica o nosso clube, vais dormir por um bom tempo.
Quando sara, acordou do seu longo sono, provocado por um poderoso sedativo, já era a tarde de sábado. Com a cabeça bastante confusa, de imediato não se deu conta de onde estava, mas aos poucos foi se dando conta do acontecido com ela, e isso a encheu de terror.
Sara estava totalmente nua e amarrada de uma forma absurda, com braços e pernas presos a barras de ferro, equidistantes, de forma a manterem suas coxas demasiadamente abertas, o mesmo acontecendo com os braços. As braçadeiras que prendiam seus pulsos e tornozelos eram de couro, revestidos com algo macio, de modo que mesmo com a forte tração, não sentia dor. Em seu pescoço um grosso colar, também de couro, forçava sua cabeça a se manter ereta.
Sara estava presa na vertical com os pés quase não tocando o piso. A sua frente, um enorme espelho, refletia a sua imagem e ela pode ver, apavorada que estava totalmente depilada. Sua xoxotinha estava mais lisa que bunda de bebê.
Pode perceber que o local onde estava, era amplo e bem iluminado e com boa ventilação. Não notou a presença de nenhum dos 4 casais, mas pode ler um enorme cartaz, ao lado do espelho, que dizia:

"Sara, você agora faz parte do nosso clube e vamos te ensinar tudo a respeito de BDSM, que nada mais é do que... Bondage e Disciplina, Dominação e Submissão, Sadismo e Masoquismo. O BDSM tem o intuito de trazer prazer sexual através da troca erótica de poder, dominação e submissão, que pode ou não envolver dor, tortura física e psicológica, cócegas e outros meios". Você, querida, nos dias que estiveres conosco, vai ser introduzida em cada uma destas formas de dar e sentir prazer e temos certeza, querida, que vais ficar viciada por esta forma de prazer "

Sara estava aterrorizada, totalmente apavorada, simplesmente não podia crer no que estava acontecendo. E o pior de tudo é que ninguém tinha noção de onde ela estava, nem ela mesma. Eles falavam em alguns dias...tinha certeza que não ia aguentar e que ficaria maluca, bem antes deste tempo.

Continua em: Sara escravizada pelo sexo sádico- parte 2.

Sobre este texto

Marcela

Autor:

Publicação:20 de janeiro de 2015 22:31

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:BDSM

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 20/01/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Andrea
    Postado porAndreaem19 de março de 2015 16:32

    Fiquei super curiosa vou ler o outro

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*