Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Conte-me seus pecados parte II

Júlia não conseguia desviar seu olhar: ele havia saído do banho. Uma toalha branca enrolava-se em sua cintura, contornando assim suas curvas e o abdômen definido.
Todos os dias seu sufocante prazer virara rotina. A janela de seu quarto era em frente à dele, o que lhe proporcionava total vista daquela intimidade. Quantas vezes não imaginara aquela toalha caindo ou ele tirando por vontade própria, pois sempre vestia-se no banheiro, um ponto cego, para ela.
Ela sabia que seu desejo não se concretizaria: Adam estava no último ano do curso de teologia. “Como um homem tão maravilhoso pode estar desperdiçando sua vida? Voto de castidade? Queria eu poder ser aquelas grandes mãos por um dia para convertê-lo!” , os pensamentos não largavam-na. Uma tormenta. Poderia apaixonar-se por qualquer homem que quisesse, porque seus 1,70cm sempre chamaram atenção, misturando-se um corpo definido de maratonista com o lindo cair de seus longos cabelos.
O barulho da chuva caindo sob a janela a distraiu. Seus dedos estavam molhados: masturbava-se, imaginando a língua quente de Adam lhe penetrando, lhe rasgando por dentro, enquanto segurava naqueles cabelos negros.
Adam atrasara-se: andava descontroladamente por seu quarto, afim de acelerar sua saída para a Igreja.
Júlia postara-se em frente ao vidro. Os pingos deduravam a chuva forte caindo. Percebeu uma movimentação estranha: Adam ia e vinha do banheiro. A toalha branca dedurava sua condição. Júlia prendeu seu corpo contra o vidro, como se ali fosse uma forma de estar mais perto dele, que, num pequeno descuido deixou a toalha cair, exibindo o que ela sempre sonhara. Júlia sorriu maliciosamente, sentindo sua calcinha encharcar-se mais.
Adam abaixou-se , recolocando a toalha. O barulho da água batendo na sua janela lhe chamou atenção. Seus olhos desviaram-se para fora e, pela primeira vez viu Júlia. Aquelas curvas o deixaram excitado, não podia controlar.
Júlia achava estar sonhando: Adam olhava fixamente para seu corpo, mostrando todo seu desejo. Um sorriso no canto de seu lábio apareceu, enquanto ia desabotoando seu soutien vermelho. Tocava seus próprios seios imaginando aquelas mãos fortes lhe segurando e ia acariciando os biquinhos, fazendo com que sua outra mão descesse para seu sexo.
Adam, pela primeira vez em anos, sentiu sua mão involuntariamente segurando seu membro.
Júlia massageava seu sexo por cima da calcinha. Já poderia sentir-se completamente molhada, entregue àquele homem. Despiu-se, sem tirar os olhos do vidro, enquanto Adam
sentia seu corpo tremer com os movimentos. O vidro ficara embaçado por sua respiração descompassada. Olhava para aquele corpo nu entregue a sua frente desejando estar dentro dela, enfiando cada vez mais, sentindo o calor do sexo lhe encharcando.
Júlia agarrava o vidro com uma mão e os outros dedos, totalmente rápidos, entravam e saiam de seu sexo, com tocadas rápidas e circulares pelo clitóris. Colava mais ainda o corpo com o vidro, como se pudesse sentir o peso de Adam sob o seu, fazendo com que o bico de seus seios ficassem completamente visíveis, o que o fez gemer. Ela agora gemia descontroladamente, fixando seu olhar , imaginando Adam lhe penetrando tão selvagemente que poderia sentir seu pênis lhe tocando.
Adam deixou-se levar: ela lhe cavalgava, dando sentadas rápidas, rebolando em seu sexo, pedindo para ir mais fundo. Mais mais e mais. Ele chupava seus seios, alternando entre mordidas e lambidas. Ela gemia em seu ouvido, desejando:“Quero sentir seu gozo em mim!”.
Júlia sentia as batidas cada vez mais fortes, a fazendo gozar uma, duas, três vezes! Levantou-se do colo de Adam , sentando-se entre suas pernas, olhando fixamente para seu pênis e levou-o a boca. Chupava todo prazer enquanto lambia a cabeça, explorando com apenas os lábios. Lambeu de baixo para cima, fazendo com que Adam explodisse todo líquido em seu rosto, enquanto ela espalhava e sorria para ele, contemplada.




Os dois chegaram ao clímax. Desfaleceram nas janelas.
Júlia deu outro sorriso no canto dos lábios e fechou a cortina, caminhando para onde seus sentidos agora a levariam.
Adam colocou apressadamente uma roupa saindo de casa afim de chegar ao máximo de prazer.

Sobre este texto

Marimar

Autor:

Publicação:25 de março de 2013 19:28

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Casal

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 141 vezes desde sua publicação em 25/03/2013. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*