Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Veado é Tudo Igual!... Será Que Tenho Razão Mesmo?

Veado é Tudo Igual!... Será Que Tenho Razão Mesmo?
Em 15/06/2005 fui passar as minhas férias na fazenda de meus Tios em Goiás. A fazenda está localizada em Alto Paraíso na Chapada dos Veadeiros. Uma propriedade linda com uma fachada moderna e aconchegante, totalmente voltada para o desenvolvimento sustentável. Lembro-me do aroma do campo e dos pastos, das áreas utilizadas para as criações de cavalos e de gado. Muito bonita também era a área utilizada para a agricultura, aproveitando o riacho que corta a propriedade.

Chegamos por volta das 22h00min do dia 15/06/2005, uma data em que não esquecerei jamais, pois minha vida mudou totalmente depois dessas férias. Meus Tios Sandoval e Wanda nos receberam e estávamos tão cansados que fomos logo dormir. Ao amanhecer descemos para tomar o café e nossos Tios nos informaram que estariam ausentes por uns quatro dias para participarem de uma exposição de criadores de gado. Ficaríamos aos cuidados do Capataz Tarcísio, que nos atenderia em tudo, pois era a pessoa de confiança da fazenda. Meu tio mandou chamar o Capataz Tarcísio e nos apresentou:

"TARCÍSIO ESSES SÃO O MEU SOBRINHO MATHIAS E A MINHA LINDA ÂNGELA. SÃO COMO FILHOS. O QUE ELES PRECISAREM TEM QUE ATENDER. VOU COBRAR DE VOCÊ QUALQUER PROBLEMA QUE OCORRER, ESTÁ ENTENDIDO?"

Tarcísio era um afro brasileiro com 1,87m e muito musculoso, parecido com esse pessoal que vive malhando em academia. Com um sorriso mostrando os seus dentes brancos falou: “COM CERTEZA PATRÃO SANDOVAL... CUIDAREI DO JOVEM MATHIAS E DA JOVEM ÂNGELA. PODE FICAR TRANQÜILO. O SENHOR ME CONHECE MUITO BEM. VIAJE TRANQÜILO COM A PATROA WANDA.”.

Meus Tios viajaram e o Capataz Tarcísio perguntou se queríamos cavalgar, minha prima Ângela topou, mas preferi explorar a fazenda a pé. Quando estava chegando próximo ao estábulo, já avistava o galpão com as bancadas de madeira rústica utilizada para ferrar os cavalos, as cercas de proteção que mantinham os animais antes de serem ferrados e algumas lonas. Adoro o cheiro de pasto. Adoro a vida na fazenda. É muito gostoso viver no campo.

Escutei um barulho de cavalos em minha direção, era a minha prima e logo atrás o Capataz Tarcísio. Ângela convidou-me para que fôssemos cavalgando até a área do riacho e depois voltaríamos para a casa grande. Minha prima insistiu tanto que acabei topando. Como só havia dois cavalos naquele momento, tive que ir com o Capataz Tarcísio, pois seu cavalo não tinha sela. O Capataz Tarcísio com medo que eu caísse ou me machucasse, achou melhor que eu fosse montado em seu lugar e afastou-se um pouco para trás, assim fiquei à sua frente. O Capataz Tarcísio perguntou:

"PATRÃOZINHO VOU COLOCAR MINHA MÃO NA SUA CINTURA PARA VOCÊ NÃO CAIR, SE NÃO O SR. SANDOVAL ME MATA... TÁ CERTO?”.

Concordei, pois não vi maldade nenhuma em seu pedido, afinal estava responsável por mim e Ângela. Qualquer problema iria sobrar para ele. Na época era muito jovem e não tinha nenhuma malícia. Quando o Capataz Tarcísio me puxou de encontro a seu corpo e devido eu estar vestido com um calção de nylon e ele com um short de algodão, a sensação do contato de suas pernas grossas, quentes e suadas em minhas pernas e a minha bunda sendo pressionada por seu saco que era bem volumoso, foi muito intensa. Ufa! Essa experiência foi muito forte e fiquei totalmente sem ação sentindo suas pernas coladas às minhas e nunca imaginei o que estava para acontecer naquele dia.

Essa situação era um pouco embaraçosa para mim, pois estava com um homem colado em minhas costas e roçando em minha bunda, isso foi muito estranho mesmo, principalmente porque no dia que conheci o Capataz Tarcísio, ele me encarou de forma forte e direta em meus olhos. Cheguei até a baixar a cabeça com vergonha. Após alguns minutos de cavalgada comecei a sentir sua rola aumentando de tamanho e isso me deixou um pouco angustiado, pois não sabia o que fazer. Cada vez mais sua rola ficava dura e forçando muito minha bunda. O Capataz Tarcísio continuava me apertando de encontro a seu corpo, fazendo com que eu ficasse totalmente grudado em seu corpo musculoso e quente. A sensação desse contato físico com o seu corpo quente e suado me assustou muito, não conseguia falar e nem fazer nada, o que estava acontecendo comigo naquele momento, alguma coisa estava mudando em mim. Observava minha prima sorrindo e divertindo-se muito durante a cavalgada. “PORQUE NÃO SAIR DALI E CONTINUAR A CAMINHADA A PÉ!” Logo após chegarmos ao riacho, retornamos para a casa principal.

Quando chegamos à casa principal da fazenda o Capataz Tarcísio ajudou-me a desmontar, sentia o seu suor em minhas pernas e meu calção todo molhado na parte detrás. Tarcísio não parava de olhar para mim e foi levar os cavalos ao estábulo. Minha prima Ângela foi para o seu quarto tomar um banho. Quando cheguei ao meu quarto, tirei o calção todo molhado pelo suor e notei um molhado viscoso e transparente. Não sabia o que era aquilo e fui tomar um banho. Fiquei inquieto durante o banho e não conseguia tirar de minha cabeça a sensação do contato do corpo dele colado ao meu, o calor de suas pernas, o seu suor e a sua rola dura pressionando minha bunda.

"O QUE TINHA ACONTECIDO COMIGO NAQUELE MOMENTO, PORQUE NÃO REAGIR E SAIR FORA... NÃO SOU GAY...”.

Porque estava tão anulado e passivo naquele dia. Acho ou tento acreditar que foi o medo que sentir de seu olhar penetrante no dia que o conheci. Na época tinha 1,70m, sou branquinho sem muitos pelos e mesmo sem querer minha bunda é um pouco arrebitada e carnuda, apesar de só ter 61 kg. Não sou fortão e sim uma pessoa comum. Depois de almoçar decidi ir a pé ao estábulo e após alguns minutos de caminhada, já avistando o galpão escutei a voz do Tarcísio comentando com os outros peões:

"OLHA MEU AMIGO, VOU DIZER UMA COISA... VEADO É TUDO IGUAL... TENHO UM SENSOR E QUANDO ENCARO UM CARA, SEI DIZER NA HORA SE É UMA BIBA OU NÃO, NUNCA ERRO PODE CRER... A MAIORIA SE FAZ DE DIFÍCIL, MAS É SÓ VOCÊ MOSTRAR A ROLA DURA E SE DESMANCHAM TODAS... AÍ MEU... VOCÊ FAZ O QUE QUISER E TOPAM TUDO SÓ PARA TEREM UMA VARA DURA NO CÚ... QUEREM SER FODIDOS E NÃO RECLAMAM NADA... KKKKKK."

Não posso afirmar se o Capataz Tarcísio me viu chegando, pois continuou falando sem parar, em voz alta e rindo muito:

"TEVE UMA VEZ QUE COMI UMA BIBA TODA DELICADA, LISINHA DO RABINHO MUITO GOSTOSO E MACIO... CARA! O VEADO TINHA UMA BUNDA MUITO PARECIDA COM BUNDA DE MULHER... ANTES DE COMEÇAR A ARREGAÇAR O CUZINHO DELE, O FRESCO COMEÇOU A SE FAZER DE DIFÍCIL... NOTEI NA HORA QUE O VEADINHO TAVA DOIDO POR MINHA ROLA... JÁ ESTAVA DE PAU DURO E COLOQUEI MINHA TORA PARA FORA... NOTEI OS OLHOS DELE BRILHANDO QUANDO VIU MEUS 22 CM DE CACETE DURO... PROMETI FAZER UMA TROCA COM ELE... FALEI QUE DEIXAVA ALISAR MINHA BUNDA E ME COMER DEPOIS... O VEADO TOPOU NA HORA E JÁ COMEÇOU CHUPANDO MINHA ROLA... CARA, QUE BOQUINHA DELICIOSA ELE TEM... CHUPAVA COM UM GOSTO A MINHA ROLA... KKKKK... QUANDO ELE TENTOU ALISAR MINHA BUNDA DEI-LHE UMA TAPA NA CARA E MANDEI PARAR DE ALISAR MINHA BUNDA... DISSE QUE IRIA EMBORA... SE QUISESSE TER A MINHA ROLA NO SEU RABINHO ERA PRA SER DO JEITO QUE EU QUISESSE E PONTO FINAL... KKKKKK... PENSAM QUE A BIBA SAIU... CONTINUOU A CHUPAR MINHA ROLA E DEPOIS COMI MUITO O RABINHO DELA... GEMEU DE PRAZER COM O MEU CACETE TODO ENFIADO NO SEU CUZINHO... PEDIA E IMPLORAVA PARA EU FODER MAIS FORTE E GOZAR DENTRO DE SEU RABINHO... ERA O FILHO DE UM AMIGO DO PATRÃO SANDOVAL QUE TEVE AQUI NA FAZENDA... PUTA MERDA! QUE BUNDINHA MARAVILHOSA AQUELA BIBA TEM... FOI MAIS UM QUE ACERTEI QUANDO BATI OLHO... SABIA IMEDIATAMENTE QUE SE TRATAVA DE UM FRUTINHA... CARA EU NUNCA ERRO... PODEM ACREDITAR... KKKKK...”.

Escutando aquilo tudo, sair de fininho e fui para o riacho... Resolvi tomar um banho nu, não tinha ninguém por ali então aproveitei. Depois de alguns minutos de banho tive a sensação de estar sendo observado. Isso acelerou as batidas de meu coração e com medo sair logo de lá. Resolvi então voltar ao estábulo e no meio do caminho encontrei o Capataz Tarcísio que vinha a cavalo e disse:

"OI PATRÃOZINHO TUDO BEM... ESTAVA ANDANDO POR AÍ NÉ... É LINDA A FAZENDA... JÁ FOI NO ESTÁBULO? SE QUISER TE LEVO LÁ, VOCÊ FALOU QUE GOSTA DE ANIMAIS... QUER IR?”.

Na hora não sabia como responder tantas perguntas ao mesmo tempo, pois me tremia todo com a sua presença e sentia-me magnetizado por ele, sei lá, não consegui entender porque estava agindo assim naquele dia... O que estava acontecendo comigo, nunca fui assim... Ele estirou a mão e disse: "VEM TE AJUDO A SUBIR NO CAVALO..." Subi no cavalo e fiquei novamente em sua frente e fui puxado ao encontro de seu corpo. Dessa vez sentir imediatamente sua rola ficando dura e apertando minha bunda. Estava com minhas pernas coladas às dele e começamos a nos mover no sentido ao estábulo. Sua rola pulsava muito e ele me mantinha colado ao seu corpo e após alguns minutos de cavalgada chegamos ao estábulo. Desmontamos do cavalo e percebi sua rola dura e seu calção todo melado na frente. Caramba! Quando vi aquilo me lembrei de onde tinha vindo àquela mancha em meu calção pela manhã, tinha sido de sua rola. Não conseguia parar de olhar para aquele volume todo em seu calção. O que estava acontecendo comigo, não sou gay e nunca me sentir atraído por homens. O Capataz Tarcísio notou que eu não tirava os olhos de sua rola e sorrindo perguntou:

"QUE FOI PATRÃOZINHO, ESTÁ GOSTANDO?... NOTEI LOGO QUE VOCÊ É DIFERENTE E GOSTA DE COISAS DIFERENTES... NÃO TENHA VERGONHA, EU ENTENDO... VOCÊ QUE VER MINHA ROLA?"

Puxa vida! Que situação bizarra era aquela que estava acontecendo. O que deveria fazer. Porque estava curioso para ver a rola de um homem. Eu continuei calado e me tremendo todo, pois estava com medo de tudo que estava acontecendo comigo naquele dia. Continuei calado e com a cabeça baixa, então o Capataz Tarcísio falou: "BOM PATRÃOZINHO VOU DEIXAR VOCÊ AÍ E VOU LÁ PARA O OUTRO LADO DA FAZENDA, DEPOIS VENHO TE PEGAR...”.

Meu coração disparando, uma tremedeira nas pernas e quando notei que o Capataz Tarcísio começou a se afastar, não consegui ficar mais calado e com a voz trêmula disse: "ESPERA AÍ TARCÍSIO... É QUE EU NÃO SEI O QUE FAZER... ESTOU COM MEDO... ISSO NUNCA ACONTECEU COMIGO ANTES... EU NÃO SOU ASSIM...”.

Poxa vida, será que a TEORIA DO TARCÍSIO DE QUE TODO VEADO É IGUAL E FÁCIL ESTAVA CERTA, bastou falar que ia embora e eu me desesperei pedindo que ficasse e ainda fiquei me justificando. Puta merda! O que acontecia comigo naquele dia e que pensamentos eram aqueles. "EU NÂO SOU GAY". Tinha alguma coisa errada comigo.

Tarcísio imediatamente baixou seu calção e pude ver sua cueca toda melada sendo afastada por sua rola dura. Tarcísio então tirou a cueca e pude pela primeira vez ver uma rola dura, grossa, enorme apontando para o céu. Escorria líquido dela. Parecia que eu estava hipnotizado e não parava de olhar. Tarcísio aproximou-se mais e disse: "FIQUE CALMO PATRÃOZINHO... JÁ SABIA QUE VOCÊ ERA ASSIM... QUE PEGAR UM POUQUINHO?..." Tarcísio segurou minha mão e a colocou em cima de sua rola dura. Puxa! O contato daquela rola dura, grossa, melada e quente em minha mão, foi... Ufa! Caramba! Era muito grande. Muito maior que a minha. Criei coragem e segurei pela primeira vez em uma rola. Continuei segurando e saia líquido dela caindo na grama do pasto. Era muito macia, grossa, dura e quente.

Tarcísio falou de novo: "É GOSTOSO SEGURAR NÉ PATRÃOZINHO?... GROSSA, QUENTE E DURA NÉ?... TODINHA SUA... ESTÁ GOSTANDO MUITO NÉ?... JÁ PERCEBI?... FICA TRANQÜILO SERÁ O NOSSO SEGREDO...”.


Tarcísio ficava falando e sorrindo, mostrando os seus dentes brancos. A rola de Tarcísio era cheia de veias, muito grossa e comprida. Parecia que segurava uma barra de ferro escura e quente. Tarcísio disse: "PATRÃOZINHO VOCÊ QUER SENTIR O SABOR DE MINHA ROLA?... É IGUAL A UM PIRULITO DE CHOCALATE... QUER PROVAR? QUER TENTAR?... VOCÊ VAI GOSTAR MUITO TENHO CERTEZA..." Nesse momento larguei sua rola e fiquei parado me tremendo todo. O que estava para acontecer era algo que nunca imaginei na minha vida. Estava em um estábulo com os animais olhando e eu segurando uma rola negra, grossa e aceitando todas as sugestões do Capataz Tarcísio. Não conseguia acreditar no que estava acontecendo comigo. Tarcísio falou:

VENHA PATRÃOZINHO... NINGUÉM VAI FICAR SABENDO... SERÁ UM SEGREDO NOSSO E NA HORA QUE VOCÊ NÃO QUISER MAIS PARAMOS... "MAS TENHO CERTEZA QUE VOCÊ ESTÁ DOIDO POR ISSO... SEI QUE VOCÊ ADORA ROLA...”.

Tarcísio aproximou minha cabeça de sua rola, eu não fazia nada para impedir e deixei. Meus lábios tocaram sua rola e sentia aquele líquido viscoso melando meus lábios. Tarcísio forçou um pouco sua rola em meus lábios e não consegui mais resistir e muito menos manter a minha boca fechada. Abri a boca e senti minha língua em contato com aquele membro enorme e grosso. Tarcísio gemeu: "ISSO... ISSO... PATRÃOZINHO... QUE BOQUINHA MAIS DELICIOSA VOCÊ TEM... HUUUM...”.

Sentia sua rola grossa e dura latejando dentro de minha boca. Não acreditei no que estava fazendo, mas estava chupando o cacete duro do capataz e escutando os seus gemidos de prazer:

"PATRÃOZINHO QUE DELÍCIA... CONTINUA ASSIM, PERCORRE TODO O MEUS 22 CM COM A LÍNGUA... ISSO ASSIM MESMO... CARALHO! QUE TESÃO SUA BOQUINHA TÁ ME DANDO..." Num certo momento escutei umas vozes, eram os outros peões vindo em direção ao estábulo. Não sei se escutaram os gemidos do Tarcísio. Assustado eu ia parar de chupar, mas o Tarcísio falou: "NÃO! PATRÃOZINHO CONTINUA... CONTINUA QUE ELES VÃO EMBORA... ELES VÃO VERIFICAR AS CERCAS... CONFIA EM SEU MACHO...”.

"CONFIA EM SEU MACHO" Puta que pariu! O que estava acontecendo comigo naquele dia. "PORRA, PORQUE OBEDECIA AO TARCÍSIO"... Não parei em nenhum momento e continuei a sugar sua rola dura e macia. Realmente foi excitante escutar os peões passando ao lado e eu chupando o Tarcísio que se continha para que ninguém escutasse o prazer que sentia com minha boca em sua rola. Ufa! Foi demais a adrenalina daquele momento: "O MEDO DE SER DESCOBERTO E FLAGRADO COM TODA AQUELA ROLA ENFIADA EM MINHA BOCA"...

Percebi a voz deles ficando mais distante. Que merda estava acontecendo comigo naquele dia, estava muito confuso. Porque estava passivamente aceitando tudo que o Tarcísio mandava. Será que ele tinha razão quando falou que veado é tudo igual. "PUTA QUE PARIU! EU NÃO SOU VEADO"... Porque o Capataz Tarcísio estava fazendo aquilo comigo e porque eu aceitava calado.

Num certo momento Tarcísio falou: "PATRÃOZINHO ME DEIXA TIRAR SEU CALÇÃO E OLHAR A SUA BUNDINHA?... SÓ VOU OLHAR PROMETO... SÓ FAÇO O QUE VOCÊ MANDAR E PEDIR... MAS TENHO CERTEZA QUE VOCÊ VAI DEIXAR... SUA LOUQUINHA...”.

Continuei calado e lembro que me tremia todo. Parei de chupar a rola do Tarcísio, quando lentamente tirou meu calção e minha cueca, jogando-os na lona esticada ao lado da bancada de ferrar os cavalos. Em voz alta gritou: "CARALHO!... QUE BUNDINHA MAIS LINDA PATRÃOZINHO... LISINHA, CARNUDA E BEM ARREBITADA... PARABÉNS... ESTAVA GUARDANDO ESSA GOSTOSURA PARA QUEM?... SUA MENINA DANADA...”.

Que perguntas eram aquelas. Chamava-me de louquinha, de menina. Puta merda, invés de falar alguma coisa permaneci calado, aceitando tudo, tudo, tudo mesmo. O Capataz Tarcísio sorria com a sua dominação por mim e pediu:

"PATRÃOZINHO DEITA AÍ NESSA LONA AO LADO, QUE VOU FAZER UMA COISINHA QUE VOCÊ VAI ADORAR... TENHO CERTEZA QUE VOCÊ ESTÁ DOIDA PARA EXPERIMENTAR... PODE CONFIAR NO SEU CAPATAZ TARCÍSIO...”.


As palavras de Tarcísio me deixavam com o coração na mão. Não sabia o que esperar ou o que iria acontecer comigo. Mais uma vez obedeci e deitei de bunda para cima, Tarcísio alisava e beijava minhas costa e bunda. Cheirava, beijava e mordia delicadamente minha bunda, passando sua língua quente e úmida. Alisava delicadamente meus pés, minhas pernas, costas, bumbum e roçava sua barba em meu pescoço. Isso me fazia sentir arrepios por todo o meu corpo. Nunca tinha sentido um homem me alisando daquela maneira. Porque estava permitindo que acontecesse tudo aquilo. Tarcísio estava curtindo muito e falava:

"CARAMBA PATRÃOZINHO, TIREI A SORTE GRANDE DESSA VEZ... VOCÊ É UM TESÃO... TODO LISINHO E MACIO... ESSA SUA BUNDINHA É MUITO GOSTOSA E ARREBITADA... PARABÉNS PATRÃOZINHO VOCÊ É DEMAIS..."

De bruços e aguardando o que o Tarcísio iria fazer comigo, meu coração batia forte no peito. Sem imaginar o que iria acontecer me arrepiei todinho quando sentir sua língua tocando e abrindo espaço, deslizando por meu rego no sentido de meu cuzinho. Caramba! Caramba! O toque daquela língua quente e úmida me fez sentir sensações que nunca imaginei ser possível. Suspirei de prazer e por mais que parecesse estranho e proibido o que estava acontecendo comigo, estava gostando muito e não conseguir mais ficar calado. "SERÁ QUE O TARCISIO ESTAVA LIBERANDO UM DESEJO REPRIMIDO QUE EU NÃO TINHA CONHECIMENTO EXISTIR DENTRO DE MIM." Minhas últimas barreiras de resistência e medo estavam sendo quebradas por Tarcísio e o inevitável estava para acontecer. Tarcísio iria tirar minha virgindade. Só possuía poucos minutos para tentar reagir e fugir dali correndo. Mas não conseguia me mexer. Estava totalmente entregue a Tarcísio, que se deliciava de prazer.

O Capataz Tarcísio sorrindo falou: "NÃO DISSE QUE VOCÊ IA GOSTAR PATRÃOZINHO... SÓ NÃO IMAGINEI QUE VOCÊ FOSSE ADORAR A MINHA LÍNGUA NESSE ANEL DELICIOSO... PATRÃOZINHO ESSE SEU CUZINHO VIRGEM É UMA DELÍCIA... SABOROSO DEMAIS... QUE CUZINHO DOCE PATRÃOZINHO...”.

Sentia Tarcísio forçando a sua língua úmida dentro de meu anel e isso fazia com que eu contraísse mais e mais meu cuzinho. Ufa! Como era difícil resistir àquela língua quente e úmida. Tarcísio continuou chupando, sugando forte e se deliciando com o meu cuzinho. Lambia minha bunda, deslizando sua língua por toda a sua extensão. Aaiiii... Huuuum... Caramba! Tarcísio ficou muitos minutos brincando com sua língua em meu anel. Não tinha pressa, pois continuou alisando e beijando todo o meu corpo, estava realmente curtindo me possuir por inteiro e ter o domínio total da situação. Após um tempo Tarcísio pediu:

"PATRÃOZINHO, POSSO FAZER OUTRA COISA?... NÃO TENHA MEDO... VOCÊ ESTÁ LOUCO POR ISSO... TENHO CERTEZA QUE VOCÊ VAI ADORAR... POSSO?...”.

Já não tinha vontade própria e continuei calado. Além de não saber o que responder o que poderia fazer estando totalmente dominado por Tarcísio. Apenas pensei que se fosse algo parecido ao que ele fazia com a língua em meu cuzinho, com certeza iria acabar gostando, pois naquele momento só conseguia ficar calado e experimentando todas aquelas sensações que o Tarcísio me proporcionava... O que aconteceu comigo naquele dia? Meu corpo estava respondendo a todos os toques de Tarcísio e eu sentia um enorme prazer com tudo aquilo. Tarcísio tinha liberado um desejo talvez reprimido, que não sabia possuir.

Tarcísio pediu que eu ficasse de lado e o contato de seu corpo quente, musculoso e suado com o meu, foi outra sensação que jamais tinha sentido em minha pele antes. Enquanto se posicionava atrás de mim, sentia sua rola dura e molhada tocando minhas pernas e bunda. Tarcísio posicionou sua tora na entrada de meu buraquinho e ao tocar em meu cuzinho... Ufa! Contrair forte o meu cuzinho que ficou todo meladinho. Meu coração estava disparado, pois sentia o Tarcísio esfregando a cabeça de sua rola quente e toda melada em meu anel, deixando-me assustado, mas não conseguia sair dali, sentia-me totalmente dominado e passivo. Tarcísio deixou o meu cuzinho virgem totalmente lubrificado e piscando forte.

Não tinha mais volta, ia acontecer mesmo. Tarcísio começou a forçar lentamente sua rola no sentido de meu cuzinho. Alisava minhas pernas, minha bunda, minhas costas e beijava meu pescoço. Algumas vezes fazia uma massagem na região de meu pescoço, chupando-o e deslizando sua língua. Meu coração acelerava muito e meu corpo se arrepiava todinho. Sentia-o forçando mais e mais seu cacete no sentido de meu anel, tentando vencer a barreira inicial de um cuzinho virgem. Tarcísio tentou, tentou, tentou com muita paciência e após alguns minutos comecei a sentir a cabeça de seu pau entrando devagar... Ufaaa! Aiii! A sensação foi estranha inicialmente, pois estava muito apertado e Tarcísio continuava forçando e parando com muito cuidado e sempre alisando minhas pernas, bunda, costas, lambendo minhas orelhas e pescoço. Isso estava me levando à loucura. Que sensações eu estava experimentando pela primeira vez.

Quando senti a cabeça de sua tora vencendo a resistência de meu anel, não conseguia mais me conter e gemendo soltei gritinhos: AI... AI... AI... AI... AAAAH... Não tinha mais volta. Tarcísio parou um pouco e continuou devagar. Tirava e tentava de novo, fez isso muitas vezes até que sua rola foi entrando bem lentamente, mais e mais, centímetro a centímetro com mais facilidade e após alguns minutos sentir o contato de seu saco em minha bunda, confirmando que a minha virgindade tinha sido tirada e estava totalmente penetrado pelos 22 cm de sua rola. O Capataz Tarcísio falou:

"CARAMBA PATRÃOZINHO! QUE CUZINHO MAIS APERTADINHO... DEMOROU MAIS CONSEGUI ENFIAR TUDINHO ATÉ O TALO... QUE RABINHO MAIS DELICIOSO O SEU... ESTAVA GUARDANDO TUDO ISSO PARA QUEM AMOR?... QUE BOM QUE FOI PARA MIM... OBRIGADO...”.

Sua rola era enorme, grossa e dura. Latejava forte toda enterrada dentro de meu bumbum... O Capataz Tarcísio estava muito suado e sentia todo o calor de seu corpo colado ao meu. Tarcísio continuava beijando as minhas costas e pescoço. Alisava e apertava delicadamente minha bunda que estava com toda a sua rola enterrada dentro. Tentei olhar para trás e Tarcísio soltou um riso de satisfação mostrando aqueles dentes brancos:

"RA. RA. RA. RA. TÁ GOSTANDO MUITO NÉ PATRÃOZINHO... VOCÊ TEM UM CUZINHO MUITO GOSTOSO PATRÃOZINHO... SEI QUE VOCÊ ESTÁ ADORANDO TER MINHA ROLA TODA ENFIADA DENTRO DESSE SEU RABINHO DELICIOSO... SENTE SÓ MINHA ROLA PULSANDO DENTRO DE VOCÊ BONECA... SEI QUE VOCÊ É LOUCA POR UMA ROLA DURA... VEADO É TUDO IGUAL...”.

Caralho! Porque aceitava tudo e não falava nada. Ele já me chamava de veado, de boneca e dizia que era meu macho. Tarcísio me abraçava forte e sentia sua rola dura entrando mais e mais. Não tinha como eu sair dali. Estava totalmente dominado por aquele macho encaixado em mim. Tarcísio não tirava totalmente sua rola de dentro de minha bunda, apenas afastava um pouquinho seu saco de minha bunda e no mesmo instante se movimentava para frente enterrando sua rola todinha de novo. Não estava machucando e sentia seu corpo totalmente colado ao meu, sua rola latejava muito totalmente enterrada em meu rabinho. Tarcísio continuava com esses movimentos de vai e vem lento sem tirar muito sua rola de dentro de minha bunda. Foram muitos minutos e em alguns momentos me deixava de bruços, esticava os meus braços acima dos ombros e segurando meus pulsos enfiava forte sua rola dentro de minha bunda, ficando parado por alguns minutos. Isso arrancava de mim suspiros, pois sentia sua rola totalmente enfiada e pulsando forte dentro de mim: HUUUUM... HUUUUM... HUUUUM... AAAAAAH... Com uma dominação total Tarcísio alternava colocando-me de lado e de bruços, logo depois continuava com os movimentos de vai e vem lento e sem tirar muito sua rola de minha bunda. Ufa! Apesar de não ter muita experiência e ter sido a primeira vez, estava experimentando sensações que jamais imaginei fossem me dar tanto prazer. Não sentia dor e estava adorando ser possuído por aquele homem musculoso que me dominava totalmente.

Tarcísio continuou, continuo, continuou e depois de um tempo segurou meus pulsos esticados acima da cabeça e me virou de bruços, começando a forçar forte sua rola dentro de minha bunda... Tarcísio começou a ficar ofegante e a acelerar os movimentos de vai e vem com certa força, tentando enfiar mais e mais... Tarcísio começou a tirar sua rola totalmente de minha bunda e a enfiar de uma vez com força... Eu não consegui segurar mais meus gemidos: AHHHH... AIIIII AIIIIII... HUUUUM... Tarcísio acelerou mais e mais os movimentos de tirar e enfiar com tudo sua rola dentro de minha bunda... Tarcísio começou a se contorcer todo e senti pela primeira vez a sensação de um homem gozando forte dentro de minha bunda. Tarcísio gemia de prazer:

"PATRÃOZINHO... TOU GOZANDO... QUE DELÍCA DE BUNDA A SUUUAAAAA... AAAAAH... MARAVILHAAAAA..." A pressão que senti dentro de minha bunda e o latejar forte de seu cacete foram incríveis. Meu coração estava disparado e meu corpo reagia a tudo que estava acontecendo.

A rola de Tarcísio parecia que ia explodir dentro de minha bunda, foi incrível, sentir tudo, tudo, tudo mesmo, nunca esqueci. Tarcísio forçava mais e mais dentro de minha bunda... Sentia o jorro de seu sêmen quente dentro de meu rabinho todo preenchido por aquele cacete duro e grosso... Nesse momento sentia também um arrepio quente percorrendo todo o meu corpo e comecei a me contorcer todo, fazendo com que o meu cuzinho se contraísse e apertasse forte a rola de Tarcísio que gemeu:

"AAAAH... PATRÃOZINHO QUE DELICIA DE APERTO... AAAAAH!... APERTA MAIS... ISSO SENTE MINHA ROLA GOZANDO TODA ENFIADA NESSA BUNDA MARAVILHOSA... CARALHO QUE GOZADA MAIS GOSTOSAAAA..." Não entendia o que estava acontecendo comigo naquele momento, mas a sensação de me contrair todo no momento que o Tarcísio gozava forte dentro de minha bunda e esse arrepio percorrendo todo o meu corpo, foi gostoso, muito gostoso mesmo. Nunca tinha provado nada igual.

Tarcísio muito ofegante e ainda com o seu cacete todo enterrado dentro de meu rabinho me colocou de lado e me apertou de encontro a seu corpo. Sentia sua rola ainda dura pulsando forte dentro de mim e o seu corpo totalmente colado ao meu. Eu estava muito ofegante e meu coração batia forte, pois a sensação de me contrair todo apertando forte a rola dura do Tarcísio com o meu cuzinho, exatamente no mesmo momento em que o Tarcísio gozava dentro de minha bunda, foi incrível, incrível mesmo. Isso me deixou muito assustado, pois não compreendia a reação de meu corpo aos toques e ao contato com o corpo quente do Tarcísio.

Tarcísio continuava beijando meu pescoço e alisando minha bunda. Sua rola começava a diminuir de tamanho dentro de meu rabinho. Tarcísio me segurava, mantendo-me todo encaixado ao seu corpo. Sentia seus braços fortes e musculosos me envolvendo. Alguns minutos depois, já sentia meu coração batendo mais lento e a rola de Tarcísio mais mole dentro de mim, Tarcísio quebrou o silêncio:

“PATRÃOZINHO... TENHO QUE IR PARA DAR AS ORDENS AOS PEÕES ANTES DA JANTA... PATRÃZINHO MATHIAS SUA BUNDA É UMA DAS COISINHAS MAIS DELICIOSAS QUE JÁ PROVEI... ADOREI TIRAR O SEU CABAÇO... SEI QUE VOCÊ CURTIU MUITO TAMBÉM... PENSA QUE NÃO PERCEBI QUE VOCÊ SE CONTRAIU TODINHO... VOCÊ SABE O QUE SIGNIFICA ISSO NÉ?... BOM, TENHO QUE IR FOFINHA”...

Tarcísio retirou lentamente sua rola de meu buraquinho... Eu soltei um gritinho abafado: "AIIIII..." Tarcísio beijou minha bunda, minhas costas e roçou sua barba em meu pescoço, deslizando sua língua e chupando-o. Isso me arrancou mais suspiros: "HUUUUUUM... AAAAH..." Puxa vida! Ficava todo arrepiado e Tarcísio sorria de prazer com a minha reação aos seus toques. Tarcísio falou em meu ouvido que seria melhor eu voltar a pé para a casa grande da fazenda. Tarcísio levantou e foi se vestir. Continuei deitado de lado, pois não conseguia encará-lo e as suas últimas palavras não saiam de minha cabeça:

“PENSA QUE NÃO PERCEBI QUE VOCÊ SE CONTRAIU TODINHO... VOCÊ SABE O QUE SIGNIFICA ISSO NÉ?...”.

Tarcísio antes de ir embora falou: "OLHA PATRÃOZINHO... OLHANDO VOCÊ ASSIM DEITADINHO DE LADO, COM ESSA BUNDINHA EMPINADA, ME ENCHEU DE TESÃO... CARALHO! SE NÃO TIVESSE QUE IR, IA COMER VOCÊ DE NOVO, POIS SEI QUE VOCÊ ESTÁ DOIDO POR MAIS ROLA NESSE CUZINHO APERTADO... APOSTO QUE TÁ DOIDO PARA SE CONTRAIR TODINHO DE NOVO, COM O MEU CACETE TODO ENTERRADO EM SEU RABINHO... FICA TRANQÜILO PATRÃOZINHO... É ASSIM MESMO.... VEADO É TUDO IGUAL QUANDO O ASSUNTO É ROLA... KKKKKK..."

Que merda tinha acontecido comigo. Agora que estava voltando à realidade, comecei a pensar porque permitir acontecer. O que ele quis dizer com "SE CONTRAIR TODINHO". Procurei me vestir e a sensação do contato de seu corpo colado ao meu e de sua rola toda enfiada em minha bunda, parecia que não passava.

Durante a caminhada de volta para a casa grande, fiquei relembrando de tudo, estava confuso e ao chegar a meu quarto fui tomar um banho. Antes de entrar no banheiro tirei minha roupa e fiquei olhando minha bunda no reflexo do espelho. Realmente minha bunda estava mais arrebitada e diferente do que em outros dias. Será que foi depois que o Tarcísio me possuiu e tirou minha virgindade. Minha bunda cresceu? Quando me virei notei que um peão estava me observando pela janela. Tomei um susto e com vergonha corri para o banheiro. Logo após o banho fui me deitar e adormeci, só acordando no dia seguinte com minha prima me chamando... (Continua)


Mathias - Alto Paraíso na Chapada dos Veadeiros/GO

Sobre este texto

Misogino

Autor:

Publicação:12 de agosto de 2016 00:20

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 12/08/2016.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Jandir Soares
    Postado porJandir Soaresem17 de agosto de 2016 12:33

    Cara sempre tive dificuldades para comer um cuzinho. Tenho 25cm de tora e minha mulher nunca deixou. Teitei com um traveco e o mesmo deixou só colocar a metade. Aí vêio conheci um carinha todo delicadinho num congresso de informática em Sampa. Caraca vêi empurrei tudo no rabo dele que gemeu muito e aguentou o tranco. Foi uma delicia gozar dentro daquele rabinho macio. Então vêi o peão tem razão. Veado é tudo igual quando está em jogo uma rola. Delícia de conto

  • Marília Jéssica
    Postado porMarília Jéssicaem15 de agosto de 2016 19:06

    Sou físsurada em saber por que os homens curtem tanto o sexo anal. Meu ex convenceu-me e topei. Foi tão carinhoso que passei a curtir também. Mas lendo esse seu relato percebi que sexo anal é muito delicioso entre os homens também. Fiquei louca para conhecer esse peão e dar minha bundinha para ele. Será que ele vai querer? Amei seu conto. Beijos

  • Matos Josenildo
    Postado porMatos Josenildoem14 de agosto de 2016 18:18

    Antes de ler um relato gosto de ler os comentârios primeiro. Os comentários fazer jus ao relato. Não devia ficar envergonhado de gostar de rola. Fica tranquilo e curti essa sua capacidade de gozar intensamente fofinho. Quando vai publicar a continuação?

  • Marcus Santiago
    Postado porMarcus Santiagoem14 de agosto de 2016 17:06

    O Misógino li o seu conto anterior e gostaria muito de lhe conhecer. Quem sabe descobrimos se todo veado é igual. Bem escrito e envolvente. Vai publicar a continuação?

  • Manoel Pedro Alcantara
    Postado porManoel Pedro Alcantaraem14 de agosto de 2016 15:42

    Costumo frequentar outros sites e esse realmente é bem interessante estou gostando de navegar. Sobre você Mathias concordo com os comentários: OLHA A NEGAÇÃO. ASSIM NÃO VAIS SER FELIZ NUNCA.
    Gostei muito do relato e aguardo ansioso a continuação. Posta logo sujeito que não é gay. Kkkk

  • Jonas Ermírio Neto
    Postado porJonas Ermírio Netoem13 de agosto de 2016 20:13

    Levando em conta a sua reação em aceitar tudo realmente a teoria do peão está certa. Mas quando publica a continuação. Adorei essa história e molhei minha cueca.

  • Sandra CD
    Postado porSandra CDem13 de agosto de 2016 14:22

    Sabe tem pessoas que não se mancam mesmo e ficam negando:"Suspirei de prazer e por mais que parecesse estranho e proibido o que estava acontecendo comigo, estava gostando muito e não conseguir mais ficar calado".
    FICA FALANDO QUE NÃO É GAY. PUTA MERDA MATHIAS DEIXA DE NEGAÇÃO BIBA.FICO FULA DA VIDA COM PESSOAS QUE NÃO ASSUMEM

  • Marcondes Oliveira Neto
    Postado porMarcondes Oliveira Netoem13 de agosto de 2016 11:11

    Mathias vamos ser sinceros. Fica colocando que não é gay, que não gosta de homem. Porra cara deixa de frescura e falsidade. Desde o começo teve chanche de colocar o empregado de seu tio no lugar dele. Mas ai o que faz o cara que não é gay: Libera o anel, chupa um pau e goza feito uma menina. Mathias por favor deixa de se enganar. Legal o relato. Quando posta a continuação?

  • Jéssica Antonia
    Postado porJéssica Antoniaem13 de agosto de 2016 01:11

    O Mathias se quiser pode falar pra esse peão tesudo que nem precisa botar o olho eu mim pois dou pra ele na hora e onde quiser. Que tesudo esse peão menina. Amei muito seu relato e mais ainda esse peão gostoso. Beijos biba

  • José Oliveira Neto
    Postado porJosé Oliveira Netoem12 de agosto de 2016 23:55

    Olha é lindo e delicioso o conto mas não concordo de achar que veado é tudo igual. Gosto muito de rola, mas quem manda sou eu. Hora mais. Legal o conto

  • Joana Araújo
    Postado porJoana Araújoem12 de agosto de 2016 18:04

    Ufa! O My God. Quero um peão desses para mim. Adoro ser menina e a vida de campo. Loucura o que esse peão sabe fazer. Safado, Tesudo e Gostoso. Lindo você deve estar super feliz de ter sido inaugurado por um macho desses. Amei o conto. Beijos fofo

  • Robson Caetano Silva
    Postado porRobson Caetano Silvaem12 de agosto de 2016 13:03

    Duas abordagens bem diferentes de remoção de um cabaço, nesses seus dois contos. Mas ambos possuem muita excitação nos enchendo de tesão. Gostei dos relatos. Boa escrita parabéns

  • Franklin José Cardoso
    Postado porFranklin José Cardosoem12 de agosto de 2016 07:10

    Legal essa transa na fazenda no meio do mato com os bichos olhando um veadinho perdendo o cabaço e querendo acreditar que não é gay e não queria. Tolinho. Gostou tanto que não deixou o capataz ir embora até que sua boquinha provasse uma rola e sua bundinha fosse deflorada recebendo uma gozada forte. Fica tranquilo você não é gay. KKKKK.

  • Jorge Tavares Lira
    Postado porJorge Tavares Liraem12 de agosto de 2016 01:36

    Mathias você me surprendeu com seu relato. Não imaginava que sexo anal proporcionasse tanto prazer. Você nos faz ficar ligados em seu relato e é evidente que você sentiu muito prazer mesmo. O peão realmente é muito grosseirão mas curtiu muito tirar o seu cabacinho. Imaginei você segurando a rola dele pela primeira vez e chupando. Você conseguiu me deixar excitadão lendo sua história. Um abraço patrãozinho

  • Gabriel
    Postado porGabrielem12 de agosto de 2016 01:31

    Oi... me add no skype... tbm sou de santos e tenho uma bunda linda...
    Gabriielx16_1 ou me add no facebook.

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*