Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Amor, amor e mais nada. III

  Amor, amor e mais nada. III
Ola sou o Wesley estou vivendo uma historia complicada, Diogo um amigo do colégio se apaixonou por mim ele é amigo de Natam por quem eu me apaixonei que é namorado de Lorena que por sua vez não larga do pe de Natam que parece estar se apaixonando por mim, mas tem medo desse amor.

Mandei mensagens para Natam, mas ele não me respondeu. No fim da aula encontrei com Natam.
_ Ciúmes?
_ Claro ne, não te respondi para não falar besteiras, (beijo) sei que você não tem culpa.
_ Ele sabe de nos.
_ Como ele descobriu?
_ Não sei fiquei surpreso também.
_ Temos que arrumar um jeito de calar a boca do Diego e te afastar dele.
_ Sabe que eu te amo ne?
_ Claro Wesley (mais beijos), confio em você não confio no Diego! Fiquei com raiva de ver outro cara tocando em você minha vontade era de partir para cima dele, mas ai era perigoso ele nos expor e a bagunça iria ser pior.
_ Conversou com a Lorena?
_ Ainda não, não consegui falar com ela, mas de amanha não passa te prometo!
No outro dia depois do treino de futebol, tínhamos trabalho e nos reunimos na casa de Natam, o clima estava meio pesado só Antonio percebeu, mas todos negamos. Na hora do lanche Diego ficava jogando indiretas para nos e para a mãe de Natam.
_ É agora que o Antonio ficou solteiro, só resta o Natam com namorada.
Diz Diego.
_ Não por muito tempo.
Responde Natam.
_ Esta pensando em separar da Lorena?
_ Não estamos nos dando bem já faz tempo.
_ Não, nossa que ótima noticia, rezava todo dia por isso.
_ E tenho certeza que tem muitos conselhos do Wesley envolvidos nisso.
Diz ironicamente Diego
_ Este garoto é de ouro, merece um abraço.
Fala a mãe de Natam.
_ Que isso Dona Lena, só quero o melhor pro meu amigo.
Dona Lena vem e me da um beijo na testa.
_ Hummm garoto de ouro se derreter será que da o anel? Kkkkk
Antonio e Diego caem na gargalhada, Dona Lena os repreende e para evitar outras gracinhas Natam nos chama para jogarmos videogame.
Diego sempre me encostando, passando a mão em mim eu tirava, ele ria, Antonio punha fogo, Natam o repreendia às vezes e estava com cara feia, ai que Diego ficava mais atrevido, achei melhor ir embora mas antes de ir passei no benheiro . Depois de terminar o que tinha que fazer vi a regata de Natam peguei e senti o cheiro aquele suor cheiroso estava nas nuvens quando a mãe de Natam abre a porta ficamos os dois sem reação.
_ Pensei que já tinha acabado, vim pegar o resto de roupa suja.
_ Já estou indo, não tinha toalha peguei este pano para secar as mãos.
_ Este pano é a camiseta do Natam.
_ Nem percebi, desculpa.
Mas acho que ela não engoliu minha desculpa, pois passou a me olhar esquisito com uma cara fechada. Fui para casa chegando lá fui direto para o banho e lembrando do cheiro de Natam bati uma punheta e gozei muito.
A partir deste dia a mãe de Natam não permitia mais que fizéssemos trabalhos no quarto e nem jogarmos videogame era apenas na sala ou na copa, olhava para mim com um olhar frio e sempre arrumava desculpas para dificultar as saídas de Natam e o mais estranho passou a incentivar o relacionamento de Natam com Lorena e sempre que ele tentava terminar acontecia algo e ele não conseguia.
Estávamos quase no meio do ano os treinos de futebol estavam cada vez mais pesados, pois iríamos ter uma competição antes das férias do meio do ano. No final de um dos treinos me atraso e fico apenas com Diego no vestiário ele começa a me elogiar e se aproximar de mim e quando tenta me beijar Natam chega e grita. Diz que se ele não sair vai chamar o treinador, Diego sai furioso encarando Natam com um olhar fulminante.
_ Você esta bem?
_ Sim estou obrigado.
_ Esta tremendo.
Natam coloca as mãos em meus ombros nossos olhos se encontram começamos a nos aproximar, nossas bocas se abrindo, nossa respiração cada vez mais perto, mais rápida, nos beijamos Natam se levanta sem dizer nada penso que ele vai novamente embora, mas ele vai e tranca a porta do vestiário volta e fica parado me olhando.
Pergunto se ele esta bem e Natam me diz que não e a culpa é minha desde que eu cheguei ele sentiu algo diferente quando me viu e aos poucos fui entrando em sua mente de tal forma que ele não conseguia mais me tirar do pensamento nem quando ia transar com Lorena, muitas vezes enquanto a fodia imaginava estar transando comigo foi se aproximando olhando no fundo dos meus olhos cada vez mais perto que eu podia sentir sua respiração ofegante, mais perto seu cheiro já invadia minhas narinas, mais perto uma mão enlaçou minha cintura puxando para junto do seu corpo enquanto que a outra afagava meus cabelos seus lábios procuravam os meus delicado chupou os de cima os de baixo ficamos alternando ate que encaixam os um beijo e sua língua invadiu a minha boca procurando minha língua. Instintivamente tirei sua camiseta e ele a minha ficamos nos beijando nos cheirando esfregando explorando com as mãos s os lábios um o corpo do outro, tiramos nossas bermudas Natam segurando meus ombros me foi abaixando enquanto eu beijava e lambia cada centímetro daquele tesão de barriga motivo te tantas punhetas descendo ate chegar na altura de seu membro rígido pulsante branco passei a língua olhando para Natam e ele sussurrou
_ Chupa!
Coloquei tudo na boca e tirei repeti algumas vezes ate começar um movimento de vai e vem ritmado com a boca Natam começou a gemer com a cabeça para cima de os olhos fechados desfrutando do meu boquete. Percebendo que estava agradando acelerei e com uma mão massageava seu saco, Natam gemia mais, mas me levantou me beijou e disse que ainda não era hora de gozar. Me deitou na toalha que tirou da mochila e veio por Cima de mim beijando meu pescoço, meu peito, chupando meus mamilos, beijando minha boca. Natam foi me colocando de lado encampou seu pau lubrificou meu orifício com shampoo e ficou brincando na portinha do meu cu passando seu pau de cima para baixo, de baixo para cima, as vezes fazendo pressão para entrar, mas não penetrava enquanto me atiçava respirava forte em minha nuca, beijava meu pescoço, mordia minha orelha até eu sentir uma dorzinha aguda, era Natam me penetrando. Natam colocou tudo dentro de mim colocou uma mão em meu peito e disse em meu ouvido alternando com beijos.
_ Pronto, pronto o pior já passou, respira e relaxa que agora será só prazer
Fui relaxando com os carinhos de Natam e aos poucos foi movimentando seu quadril, Natam me abraçou forte por trás e acelerou as estocadas, ele gemia em meu ouvido aumentando meu prazer. Natam se desconectou de mim sentou e pediu para que eu sentasse de frente para ele.
Apoiado em seus ombros eu subia e descia cada vez mais rápido meu pau esfregava em seu peito, Natam colocou a mão por baixo de minha bunda e foi sua vez de socar eu estava para gozar voltei a conduzir os movimentos e com meu pau roçando em seu peito explodi em um orgasmo nunca sentido antes gozei abundante no peito de Natan em seguida sinto seu cacete inchar e gozar. Deitamos um de frente para o outro sem dizer nada, somente respirávamos fundo descansando, olhando um para o outro.
_ Vou terminar com a Lorena amanha ou vou acabar te perdendo.
_ Nunca vai me perder porque eu te amo!

Continua....

Autor: Mrpr2

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:9 de setembro de 2015 18:03

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 09/09/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*