Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Amor de primos 2 – Amor supremo.

Amor de primos 2 – Amor supremo.
Passou alguns meses liguei para Lucas, mas sua irmã atendeu paralisei e desliguei o telefone quando nos encontramos contei ao meu primo e me beijando me disse para relaxar, pois tinha posto outro nome não o meu, que não atendeu, pois o celular estava carregando e ele no banho.

Éra muito bom estar com Lucas sentir seu corpo no meu, suas estocadas fortes, seus braços em volta do meu corpo seu calor, mas transar por ai era desconfortável, então Lucas me chamou para ir a sua casa. Eu disse que era perigoso, ele disse que estaria sozinho e fui convencido com seus beijos.

A cama de Lucas tinha seu cheiro, meu primo se deitou por cima de mim se esfregando, era delicioso sentir seu peso, seu calor, seus beijos, suas mordidas em minha orelha. Meu primo abriu minha bunda segurei o mais aberta possível para ele fazer um delicioso cunete socando fundo sua língua no meu cu estava literalmente sendo fundido por sua língua e àquilo era muito prazeroso. Lucas colocou seu cacete na entrada e socou ate as bolas retirou deixando a cabeça e voltou a socar, acelerou. Eu escutava seu saco bater em minha bunda não podíamos demorar Lucas gozou em meu cu nos beijamos e saímos, mas na saída fomos pegos por meus tios. Minha prima nos viu entrando e avisou aos pais foi horrível, nos ofenderam xingaram me obrigaram a entrar no carro, Lucas disse que eu não iria sozinho a lugar algum com eles e entrou junto. Meu tio dirigia em alta velocidade brigando e xingando, eu pedia para Lucas colocar o cinto, mas ele não me ouviu.

Bammm foi com tudo que meu tio bateu o carro em uma caminhonete. A ambulância veio rápido minha, prima e eu apenas arranhões e cortes superficiais, meu tio morreu e Lucas ficou preso entre as ferragens, mas o pior descobri depois no hospital.

Todos foram levados ao hospital apesar das dores e escoriações minha tia, prima e eu estávamos bem fisicamente. Minha tia quase infartou quando confirmaram a morte do marido e culpou seu filho e eu por isso quando o medico diz que precisávamos ser fortes e unidos para ajudarmos Lucas eu gelei sabia que algo tinha acontecido. O medico disse que o acidente tinha afetado a coluna e que ele não estava sentindo as pernas, mas que um diagnóstico definitivo era precoce ele poderia recuperar os movimentos e a sensibilidade quando o inchaço no local diminuísse. Minha tia dizia que era castigo e um monte de coisas. Chamei o medico e pedi para ele não permitir a entrada dela no quarto expliquei a situação e ele vendo o descontrole dela disse que naquele momento realmente era melhor, mas como ela era mãe dele somente Lucas poderia proibir definitivamente a entrada da mãe. Os dias passaram meus pais me expulsaram de casa assim que cheguei do hospital, pois minha tia tinha ligado e contado sua versão da historia e me deixaram levar apenas o que eu tinha comprado.

Aluguei uma casa, tinha algum dinheiro e comprei uma cama fogão e geladeira. Minha tia nunca visitou Lucas no hospital, apenas sua irmã. Quando chegou a alta ela nem foi do telefone mesmo disse para a atendente do hospital que ela não o levaria para a casa, o hospital me ligou e fui busca lo.

Meu primo não recuperou os movimentos das pernas, não perdeu o controle fisiológico nem sensibilidade nas genitálias, mas o medico disse que dificilmente voltaria a andar.

Lucas foi para minha casa ficou triste e revoltado com a situação, mas eu fiquei ao seu lado, pois o amava. Foi muito difícil no começo apenas eu trabalhando, Lucas sem querer fazer nada apenas chorava nem queria ir na fisioterapia, eu deixava tudo arrumado para facilitar que ele pegasse tudo quando eu chegava do trabalho arrumava a casa, dava banho nele, o arrumava apesar de todas as

dificuldades e cansaço eu dormia bem deitado no peito de Lucas ouvindo seu coração bater eu adormecia sentindo seu cheiro.

Dois meses depois decidi que já era hora de enfrentar de frente este novo desafio e eu seria forte por nos dois, levei Lucas a um psicólogo conversamos muito em casa tentei puxa lo para a nova realidade e disse que ele teria que me ajudar a ajuda lo. A partir daí as coisas começaram a melhorar, o psicólogo havia conversado comigo em separado e também conversei com o medico e ambos disseram para eu fazer com que ele fosse independente novamente, não permitisse a tendência depressiva dele o deixasse dependente de mim para tudo então decidi ajuda lo começando pela casa ele iria fazer suas tarefas pessoais sozinho escovar, banhar comer, pegar as coisas nos mudamos para uma casa de um único cômodo, mas bem ampla com isso ele poderia se deslocar mais facilmente com a cadeira de rodas, meu primo começou a levar a fisioterapia mais a serio e além disso começou a fazer musculação em uma academia perto de casa.

Toda esta mudança fez bem a Lucas que voltou a mostrar seu belo sorriso novamente, seus braços e peitorais cada dia mais torneados, claro que o elogiava sempre mostrando que ele continuava atraente e que eu não estava com ele por pena seu bom humor estava de volta.

Lucas ainda estava inseguro e desde que saiu do hospital não fizemos sexo, conversei com o psicólogo e ele disse que era normal principalmente por ele ser o ativo da relação ele estava com medo de não me satisfazer com as atuais limitações e desta forma eu deveria ter paciência e aos poucos trazer a confiança dele de volta.

Resolvi então não falar diretamente em sexo, pois toda vez que eu chamava ele dizia não, minha estratégia era excita lo fazer com que ele me quisesse, passei a toca lo mais, sempre que ele chegava da academia eu o beijava e sentia seu cheiro de suor e o elogiava dizendo que eu amava aquele seu cheiro de macho suado e mordia na ponta de sua orelha, resolvi fazer massagens em suas pernas dizendo que estava com ciúmes da fisioterapeuta e não tinha me esquecido de sua galinhagem do passado e que eu mostraria que faria melhor que ela. Percebi que ele ficou excitado de pau duro, vi o desejo em seus olhos, mas ele não disse nada e eu não avancei sabia que seria aos poucos, dia após dia eu ia avançando nas massagens, Lucas voltou a me notar mais e a elogiar minhas roupas meu corpo, tomava banho de porta aberta propositalmente e passei a dormir nu, ele voltou a me tocar mais alisar meu corpo dizendo retribuir a massagem ou fazendo cafuné em meus cabelos alisando meu peito enquanto víamos a algum filme.

Um dia resolvi que eu iria tirar nosso atraso já estava subindo pelas paredes e queria meu homem de volta também na cama. Iniciei a massagem e tocava em seus pontos erógenos, seduzia com meu toque minha respiração, percebi que sua respiração ficava mais forte e ofegante a cada minuto, seu pau já estava duro em ponto de bala mas eu queria enlouquece lo de tesão, massageava suas pernas, ia ate suas coxas passava meus dedos em sua virilha e voltava e repetia, massageava seus braços que estavam mais fortes e torneados, massageava seu peitoral apertava seus mamilos ele gemia, deslizava as mãos em sua barriga e chegava perto de seu pau que ate pulsava, mas não o tocava isso debruçado sobre ele fazendo com que ele sentisse meu cheiro, meu perfume voltei, fiquei ao seu lado passando as mãos em seu corpo disse olhando fundo em seus olhos que eu o amava e sempre foi assim desde quando me entendi por gente e aquele sentimento só iria aumentar. Fui me aproximando e o beijei ele colocou sua mão grande em minha nuca me trazendo mais para junto e meu beijou forte e intensamente, foi longo e cheio de desejo nosso beijo que a tempos não nos beijávamos assim.

O Pau de Lucas pulsava ao sair do beijo peguei em seu pau o masturbei ele se sentou na mesa e eu abri suas pernas me coloquei entre elas e comecei um boquete chupando alternando os movimentos entre intensos e mais leves, rápidos e lentos fazendo com que ele gemesse muito, eu alisava seu corpo apertava seus mamilos me levantei e mamei em seus mamilos duros de tesão enquanto Lucas alisava minhas costas e apertava minha bunda, beijei seu pescoço mordi a pontinha de sua língua.

_ Eu te amo, quero você e sempre vou querer e agora te quero dentro de mim.

_ Não sei se posso.

_ Mas eu sei, tenho certeza que pode e me fará o homem mais feliz do mundo.

Disse eu olhando no fundo dos teus olhos segurando em teu rosto.

Fomos para a cama Lucas deitou no meio dela eu fui para cima dele e comecei a rebolar com seu pau em meu rego sem penetração, esfregava minha bunda em sua pélvis me abaixava e o beijava apertava seu peito e ele gemia.

_ Vem que quero sentir o gosto de sua bunda novamente.

Me virei e iniciamos um 69 onde um mamava seu cacete e Lucas abria e me fazia um cunete delicioso enfiando sua língua babando, lambendo e sugando meu cu. Nossos gemidos enchiam a casa, o cheiro de sexo misturado ao nosso suor imperava no ar, com meu cu aberto por seus dedos e lubrificado com sua saliva me virei coloquei o pau de Lucas bem na entrada do meu orifício e comecei a forçar. Lentamente minha bunda engolia cada pedacinho do falo de meu macho duro viril me trazendo prazer ate que senti seus pelos roçarem em minha bunda eu rebolava mexia meu corpo para frente e para traz gemia alto demonstrando meu prazer comecei a cavalgar meu macho alisava meu corpo eu descia e subia em seu pau me virei de costas e continuei Lucas segurava em minha cintura e me auxiliava a subir e a descer ele anunciou que iria gozar eu disse que queria junto com ele que iniciou uma punheta logo eu estremeci senti o pau de Lucas inchar mais e a explodir em gozo quente e farto dentro de mim eu também comecei a gozar e como meu cu apertava seu pau Lucas enlouqueceu e gozava mais e mais jatos de porra dentro de mim. Deitei exausto suado ao lado de meu primo e ele me abraçou e beijou minha nuca.

_ E então acha mesmo que eu vou deixar um touro deste que me da tanto prazer por um qualquer na rua?

_ Sempre soube que você era especial, você pode ate achar que não, mas quando nossos pais nos separaram eu sofri muito sem você, não vou mentir fiquei sim com muitas mulheres, mas nunca nenhuma delas me completou na cama como você faz, sempre tive muitos amigos, mas nenhum deles me compreendem, me dão um terço da força ou me fazem sorrir como você faz e ninguém nunca me fez me sentir tão amado, útil e completo como você. Nunca vou poder te pagar ou retribuir tudo o que você fez e faz por mim, mas te prometo tentar a cada dia seu o melhor primo, amigo amante marido que você poderá ter.

_ Meu amor você me paga todos os dias com seu amor, só de estar ao seu lado me sinto o melhor ser do mundo! Eu te amo!

A partir deste dia nosso sexo só melhorou se é que isso é possível, rs rs rs, mas descobrimos varias novas posições e complementos para apimentar ainda mais nossas transas, Lucas voltou a trabalhar me ajudando no orçamento da casa e pasmem ate nos afazeres domésticos o que ele nunca fez nem quando morava com sua família, com o trabalho de Lucas e o meu financiamos um terreno e a

construção de uma casa toda adaptada as nossas necessidades o que conseguimos recentemente terminar e ela esta linda. Nossas experiências no sexo virou um livro ideia do lado intelectual do meu macho que percebeu em conversas na fisioterapia que era difícil principalmente no inicio esta volta ao sexo quando as pessoas se deparavam com a situação de cadeirante, além de posições, depoimentos de alguns amigos cadeirantes e seus parceiros sexuais héteros e homos, um pouco de visão de psicólogos e médicos além da nosso próprio depoimento. O livro esta fazendo um grande sucesso e meu amor já pensa em escrever mais. Nos estamos muito felizes e cada dia mais realizados um ótimo dia a todos vocês e lembrem se não importam as barreiras ou as dificuldades se houver amor, determinação, força de vontade e muita paciência tudo é possível.

Fim.

Autor: Mrpr2

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:11 de dezembro de 2014 22:39

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 11/12/2014.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Ricardo
    Postado porRicardoem15 de abril de 2016 23:01

    Parabéns à vocês e boa sorte no casamento muito boa o relato.

  • Luis Lara
    Postado porLuis Laraem6 de julho de 2015 02:00

    Amor tudo ë possivel.
    Obrigado

  • Luis Lara
    Postado porLuis Laraem6 de julho de 2015 01:58

    Amor tudo ë possivel.
    Obrigado

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*