Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Apaixonadamente seu 3 – Revelações

Apaixonadamente seu 3 – Revelações
Antes de continuar vou dar uma pequena relembrada nos fatos:

Meu nome é sempre fui apaixonado por Henrique que ate seu acidente nunca havia me dado atenção, devido a isto me envolvi com Eliot que se apresentou como alguém que eu pudesse me interessar mas que acabou mostrando sua verdadeira face violenta. Ao prestar auxilio a Henrique finalmente fui notado por ele, mas descartado após sua recuperação e trocado por Ângela por achar melhor não se assumir homossexual. Com o afastamento de Henrique me dediquei ao trabalho e conheci Álvaro que se tornou um amigo, porem não sabia do meu lado homossexual que esta prestes a ser revelado depois que Álvaro me ajudou em um ataque de Eliot. Após Eliot fugir Álvaro começa uma serie de perguntas:



... Álvaro me perguntou se estava tudo bem, o que estava acontecendo, quem era aquele cara, porque estava me dizendo aquelas coisas e porque estava me agarrando.

- Isto é uma longa historia e não estou com cabeça para te contar agora, prometo te contar depois. Vem vou te levar em casa e fazer uns curativos.

Meio relutante Álvaro aceitou, elogiou a casa tomou um banho e depois eu fiz alguns curativos enquanto eu tomava banho Álvaro conversava comigo do lado de fora do banheiro com a porta trancada. quando cheguei na sala após colocar a roupa fui surpreendido com a campanhia pensei que era Eliot fiquei assustado Álvaro me acalmou e disse que provavelmente era a pizza e realmente era. Comemos e Álvaro me perguntou se eu ficaria bem disse que sim e se encaminhou para a porta, quando se despediu de mim apertando minha mão me e disse que minha mão estava gelada e eu estava tremendo, disse que só estava um pouco assustado, mas ficaria bem. Álvaro disse que iria passar a noite em minha casa seria melhor coisa a se fazer disse que não era necessário, mas insistiu ligou para sua casa avisando que dormiria fora, arrumei um colchão na sala trouxe coberta e travesseiro e fui para minha cama. Demorei a dormir, mas finalmente consegui.

Estava dormindo quando sinto uma mão em minhas costas quentinha macia, subindo e descendo estava tão gostoso então abro os olhos e de imediato um dedo é colocado em minha boca com um barulho simmmm para que eu não dissesse nada em seguida sou beijado delicadamente enquanto me viro e me ajeito nu na cama. Álvaro me abraça e diz em sussurrando em meus ouvidos que estava tudo bem e que nada de mal me aconteceria daquele momento em diante que eu seria seu e ele meu. Volta a me beijar acariciando minhas costas, me vira na cama de modo que fico com a barriga para baixo, Álvaro beija minha nuca e vem beijando toda minhas costas ate chegar em minha bunda que é massageada por suas mãos grandes, macias e quentes, meu amigo separa minhas nádegas e começa a lamber e a enfiar sua língua em meu anus me dando muito prazer, lambe suga enfia a língua babando lubrificando meu orifício e em seguida com seu corpo em cima do meu me penetra com seu membro gostoso, rígido e quente, começa lento mas vai acelerando aos poucos me dando mais e mais prazer a cada estocada alem de seus beijos e lambidas em minha nuca e minha orelha, Após algum tempo Álvaro se ajoelha na cama e me coloca de quatro segura em minha cintura e mete forte e rápido me dando muito prazer. Após tanta meteção e gozar em meu rabo chupo seu cacete e o faço gozar novamente desta vez em minha boca.

Acordo no dia seguinte na cama sozinho e vejo que estou com a cueca e a camisa que estava quando fui deitar e percebo que tudo tinha sido apenas um sonho, será que o encontro com Eliot também? Pensei e fui correndo para a sala, não apenas a transa tinha sido um sonho Álvaro estava dormindo em minha sala com os curativos que eu tinha feito, fiz o café e fomos para o trabalho.

Depois do almoço Álvaro volta estranho com uma cara fechada pergunto o que aconteceu e ele me diz que descobriu tudo e eu pergunto o que ele tinha descoberto ele disse que eu era gay e aquele cara que nos atacou era meu namorado que estava se sentindo um idiota entrando em briga de namoradinhos gays, disse que não era aquilo que ele tinha sido meu namorado, mas não estávamos mais juntos e que minha sexualidade nunca havia interferido em nada em minha vida então me mostrou os hematomas e me perguntou se aquilo era nada disse que tinha sido um acidente que ele tinha me ajudado como amigo e ele saiu. Quando voltou não quis mais falar comigo ficou assim por uns dias ate que após o almoço de sexta Álvaro chega me pede desculpas que ele tinha sido um idiota preconceituoso e que nunca mais isto iria acontecer que eu tinha sido um ótimo amigo e que não queria perder minha amizade.

No sábado reunimos uma turma do trabalho e fomos para uma boate, Flavia me disse que Eliot foi internado em uma clinica de recuperação para alcoolicos, fui pegar uma bebida e de repente Henrique e Ângela chegam.

- Há não ele estava tão bem – Diz Flavia minha amiga a anos.

_ O que aconteceu? Pergunta Álvaro.

_ Aquele é o Henrique a paixão insuperável do Armando, tanto lugar para ir ele tinha que aparecer com essa vagaba logo aqui? Olha a carinha dele, estava tão mais tranqüilo agora já esta com cara de choro.

_ Eu vou la.

_ Não, o que você vai fazer Álvaro?

Álvaro chegou me colocando a mão na cintura me perguntando se eu tinha conseguido, achei estranho sua atitude e olhei em seus olhos e ele com um lindo sorriso antes que eu dissesse algo me perguntou quem são seus amigos?

_ Este é Henrique e esta é a sua...

_ Namorada, eu sou Ângela a namorada do Henrique muito prazer.

_ O prazer é meu eu sou o Álvaro amigo do Armando – Disse Álvaro me trazendo para mais próximo do seu corpo me abraçando com um braço e apertando a mão de Ângela com a outra.

O casal entrou então perguntei no ouvido de Álvaro:

_ Enlouqueceu? O que esta fazendo?

_ Calma estou so ajudando um amigo.

_ Eles vão achar que você é meu namorado.

_ Acha mesmo? È esta a idéia.

_ Acho que você não entendeu se você é meu “namorado” significa que você é gay Álvaro e você não é nem uma coisa nem outra.

_ É, mas eles não sabem disso, alem do mais só vou te ajudar um pouco estou te devendo isso depois de tudo que eu te disse.

_ Só não quero prejudicar você, vai perder toda a noite como vai encontrar alguma mulher fingindo ser meu namorado?

_ Relaxa sei o que estou fazendo.

A noite correu no incio esta tenso com a situação, mas depois relaxei como Álvaro me pediu, fomos dançar e ele bem ousado se esfregava em mim bem na cara do Henrique que no começo fez que não estava nem prestando a tenção mas depois vi que ele se irritou principalmente quando fui ao banheiro e o encontrei la.

_ Parece que a fila andou ne?

_ Não sei do que esta falando.

_ estou falando daquela cena la na pista da boate.

_ Não sei de cena alguma estava apenas dançando com um amigo.

_ Se esfregando daquele jeito imagina quando estão sozinhos.

_ É mesmo imagina.

_ Algum problema Armando? Disse Álvaro entrando no banheiro

_ Você demorou fiquei preocupado.

_ Já estava saindo vai usar o banheiro?

_ Sim, te encontro na mesa.

Sai do banheiro deixando Henrique e Álvaro la.

_ Sua namorada é muito bonita.

_ Obrigado, o seu também.

O resto da noite Henrique ficou me encarando e eu fingi que nem percebi, confesso não foi fácil, mas gostei da sensação de pela primeira vez ele estar mais afim de mim que eu dele. Saímos da boate nos despedimos dos nossos amigos e Álvaro ficou conversando comigo, me fazendo rir, brincando comigo, disse que ele estava um pouco alto pela bebida e perguntei se ele não achava melhor dormir la em casa que era perto, Álvaro concordou e fomos para minha casa. Chegando la arrumei o colchão, o travesseiro e a coberta dei boa noite e fui em direção ao meu quarto quando escuto:

_ Porque ele? O que viu naquele cara que te chamou tanta atenção?

Voltei sentei ao lado de Álvaro no colchão e disse:

_ Me perguntei varias vezes e descobri que são varias coisas e ao mesmo tempo nada, é confuso só sei que quando estou perto dele não consigo pensar em mais nada que não seja admirar sua beleza, rir das suas piadas, querer tocar acariciar.

_ Você é um cara muito especial, espero que encontre alguém que te de o valor e o carinho que você merece.

_ Obrigado, você também é muito especial nunca vou esquecer o que fez por mim hoje.

O abracei, sei la o que me deu so sei que quando eu me afastei meu olhar encontrou com o de Álvaro, fomos nos aproximando, chegando cada vez mais perto nossas bocas ate que nossos lábios se tocaram e nos beijamos.





Continua...


Mrpr2

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:11 de setembro de 2013 18:27

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 11/09/2013.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*