Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Despertar de Sensações -3- Visão da beleza.

Despertar de Sensações -3-  Visão da beleza.
Despertar de Sensações -3- Visão da beleza.

Devido problemas no trabalho praticamente não trabalhei e voltei para casa ao entrar ouço meu tio discutindo com meu pai queria ouvir a conversa eles começam a descer da escada sem muita opção me escondo atrás da cortina.
_ Você como sempre foi irresponsável Adones sabia que o Francisco trabalhava hoje quem já se viu ir para a boate em plena quinta feira?
_ Besteira Levy a boate estava cheia e a maioria la trabalha são jovens, uma ducha e estão prontos quantas vezes eu não virei noites e noites.
_ O Francisco não é acostumado com isso.
_ E quem é o culpado?
_ Chega não adianta falar com você, tenho planos de aula para fazer.
_ Sabe o que você esta precisando é de uma boa massagem para relaxar um pouco.
Disse meu pai massageando os ombros de meu tio que relutou um pouco, mas acabou cedendo logo meu pai estava apenas de cueca branca sobre a mesa deitado de bunda para cima, meu pai dizendo que ele iria se sentir novo que tinha aprendido essa massagem com profissionais de não me lembro onde, não sei porque mas vendo meu pai ali tocando, massageando o corpo do meu tio semi nu em cima da mesa me deu um sentimento ... sei la ciúme talvez. Meu pai foi massageando os ombros, os braços depois as costas e quando chegou na cintura meu pau já estava duro, minha vontade era de eu estar ali massageando meu tio. Meu pai deu um tapa na bunda do meu tio e foi para os pés logo foi subindo por suas pernas ate chegar no lado oposto das coxas, meu pai colocou as mãos pelo buraco onde passa as pernas por dentro da cueca do meu tio que reclamou meu pai disse para ele parar de bobagem que ele já havia visto muito aquela bunda branca retirou a cueca do meu tio e vi que meu tio estava de pau duro e meu pai claro também ele começou a massagear as duas bandas da bunda de meu tio como se amassasse um pão, meu pai soluçava de tesão de repente meu pai tirou a camisa a calça, subiu em cima da mesa e deitou sobre meu tio que tentou escapar meu pai o imobilizou e disse para ele parar de frescura que sabia que era daquilo que ele estava precisando para acalmar meu desejo era de sair de traz daquela cortina e tirar meu pai de cima do meu tio, mas meu tio se aquietou e passou a gemer na rola do meu pai não parecia ser a primeira vez que aquilo acontecia, meu pai metia em vai e vem rebolando, e meu tio empinava a bunda e rebolava na rola de meu pai. Meu pai se ajoelhou em cima da mesa meu tio virou se de barriga para cima meu pai levantou a bunda do meu tio para cima e encaixou seu pau nela novamente e quicava em cima dele meu sentimento de raiva tesão e ciúme meu tio anunciou o gozo e gozou em sua barriga meu pai ainda meteu mais um tempo mudou novamente de posição e meteu forte de lado depois foram tomar banho juntos, sai de trás da cortina sentei no sofá não estava acreditando no que tinha acabado de ver.
Quando ouviram eu mexendo na cozinha procurando algo para comer desceram os dois meu tio terminando de se vestir e meu pai pelado ainda se secando na toalha.
_ O que você esta fazendo aqui a essa hora aconteceu alguma coisa, você esta bem?
_ Tirando uma dor de cabeça terrível, o estomago meio enjoado e a vontade de dormir por uma semana estou bem tio cheguei agora porque teve confusão no trabalho cheguei atrasado meu gerente já começou a me encher logo depois um cara começou a falar merda eu já com dor de cabeça começamos a discutir quase saiu briga resolvi vir embora já o clima já não estava bom você sabe acho que vou largar esse trabalho não agüento mais.
_ Esta satisfeito Adones? Esta ai o resultado da sua saída.
_ Não ouviu o garoto dizer que já estavam pegando no pe dele? Sei bem como é isso fazemos tudo certo na primeira derrapada caem todos de pau na gente meu garoto fez certo não tem que ficar engolindo sapo de ninguém não, é isso ai filhão.
_ Francamente viu eu desisto de vocês.
Saiu meu tio esbravejando. Eu fui para meu quarto dormir e acabei batendo duas punhetas relembrando a cena que vi la em baixo.
O fim de semana foi so de farra com meu pai que começou na sexta mesmo, saímos sexta, sábado e domingo, dançamos muito me libertei da timidez meu pai me ensinou alguns passos conheci muitas garotas caras legais rolou muita azaração, meu pai e muito foda pra pegar mulher, transei todas as noites com mulheres, beijei e fui chupado novamente por uns carinhas escondido na boate apesar de ter visto meu pai com meu tio a pose de macho do meu pai me dava medo de dizer que eu curtia homens sei la coisa de filho. Transei sozinho, transei com meu pai quer dizer nos dois na mesma cama, mas cada um com uma mulher e dividindo uma não toquei nele nem ele me tocou, mas confesso que em certos momentos desejava aquele cacete me penetrando, porem me concentrava e metia mias gostoso ainda na mulher que eu estava pegando.
Eu estava curtindo esta aproximação com meu pai quem não estava gostando nada desta historia era meu tio Levy.
Na segunda meu pai me acorda e me pergunta o que eu tinha resolvido do trabalho, pergunto porque e quando vejo a hora estou atrasado, meu pai diz que se eu quiser me apóia na decisão de abandonar o emprego e sigo com ele em uma pequena viajem e que seria uma ótima experiência entre pai e filho viajando pela estrada descobrindo novas coisas, fotografando, curtindo as festas, seria uma viajem curta para eu sentir como era a vida dele e se eu gostasse uma pequena temporada de exploração pelo Brasil e alguns paises sulamericanos. Pensei, ponderei, eu estava mesmo precisando de umas férias e nada melhor que alguém como meu pai para curtir umas férias bem divertidas quem não iria ficar muito feliz seria meu tio Levy, mas as coisas entre nos estavam diferentes talvez eu precisasse de um tempo longe dele para colocar minha cabeça, meus sentimentos no lugar.
Levantei tomei meu banho arrumei minhas coisas e fui conversar com meu tio Levy achei por bem eu conversar com ele. Tudo explicado em casa passei no trabalho pedi demissão e seguimos viagem. Seguimos para o litoral pois meu tio disse que teria uma festa de alguns dias em uma cidade que ele precisava fotografar. A profissão do meu pai era fotografo free lancer ele saia por ai fotografando paisagens, acontecimentos, pessoas comuns, famosas e vendia as fotos tinha livros, um blogue, contatos com revistas, jornais, emissoras, e ate agencias publicitárias e de modelos disse que ate já teria me lançado como modelo, mas meu tio disse que isso iria atrapalhar meus estudos.
Paramos em uma praia meu pai queria mijar, mas depois de mijar na beira da pista vejo ele descendo ate o mar e tirando a roupa, saio do carro e vou ate ele.
_ Seu louco e se vir alguém?
_ Você esta vendo alguém aqui?
_ Vem, vem dar um mergulho também.
Tiro a roupa, mas fico de cueca e entro no mar, meu pai sai depois de um tempo da água mas eu continuo la. Depois de alguns mergulhos olho para a praia e não vejo meu pai saio do mar olho para um lado para outro e vejo algumas pedras vou ate la e me deparo com um carinha pagando boquete para meu pai.
_ Pai?
Meu pai que estava com os olhos fechados escorado na pedra chupando um picolé com uma das mãos e a outra atrás da cabeça curtindo o boquete abre o olhos e na maior naturalidade do mundo me pergunta:
_ Que foi eu estava com vontade de chupar um picolé o Vitor estava passando ele estava querendo chupar outra coisa então... chega mais quer um?
Me aproximei e Vitor olhou para mim viu meu pau duro dentro da cueca molhada nem perguntou nada já foi logo tirando meu pau para fora e colocando na boca.
_ Chupa bem o garoto não?
_ So gemi confirmando.
Gozei na boca do rapaz que aceitou gozar em sua boca, mas cuspiu a porra. Sabe onde encontro uma cervejinha por aqui Vitor?
_ Meu tio tem um quiosque não muito longe daqui se quiser trago umas cervejas para o sr.
_ Senhor não cara assim você me quebra me chame de você ou de Adones este é Francisco. La tem algo para comer Vitor?
_ Tem uns petiscos um peixe frito.
_ Amo peixe frito acompanhado com batatas?
_ Sim, vamos te mostro o caminho.
Pegamos nossas roupas o carro e fomos. Estava muito gostoso o peixe Vitor ficou um pouco conosco depois foi embora. Meu tio tirou muitas fotos do por do sol, do mar, minhas dos pescadores ao longe contra a luz do sol se pondo ficaram lindas usei pela primeira vez o presente que ele me deu de aniversario atrasado uma câmera fotográfica profissional. Ele me deu algumas dicas e também tirei altas fotos. Já estava noite era cedo, mas estávamos cansados acho que pelas noites anteriores perdidas fomos para o carro dormir não tinha pousada ali.
Era madrugada o sol estava nascendo quando meu pai me acorda dizendo que Vitor estava nos chamando para surfar.
_ Vitor? Que Vitor pai me deixa dormir cara.
_ Acorda dorminhoco e trás a câmera olha que luz linda para fotografar, vamos dar uns clic’s nos surfistas.
Voltamos para o ponto onde estávamos ontem na praia alem de Vitor estavam mais dois garotos todos com 18 anos.
Vitor era negro magro cabelos enroscadinhos negros, lábios grossos muito gostosos tanto para chupar um pau quanto para beijar, e um cacete maior que o do meu pai, mas mais fino Gil e Bil eram irmãos gêmeos os dois loiros cabelos parafinados lisos, brancos queimados do sol magros, sem um pelo no corpo, bem estilo surfista todos pelados disseram que naquela hora a praia era deserta principalmente naquela parte e quase todos os dias iam surfar pelados ali alem de fazer uma festinha.
Meu pai tirou varias fotos, do nascer do sol, das dunas, das pedras, dos garotos surfando contra a luz, eu nunca surfei mas os rapazes me emprestaram a prancha e me deram algumas dicas e ate consegui surfar um pouquinho meu pai que me impressionou o velho manda bem na prancha de surf tirei altas fotos dele surfando peladão. Logo os garotos estavam na praia um chupando o outro se beijando ate os gêmeos que deitaram e fizeram um 69 cheio de tesão meu pau endureceu na hora Vitor me chamou e então ficamos duas duplas fazendo 69 enquanto meu pai chupava os gêmeos viram se separaram e se aproximaram de nos cada um enfiou o pau na boca de um de nos enquanto se beijavam e se acariciavam, fomos na água tiramos a areia os garotos tinham trazido toalhas estendemos na areia Bil me pegou por traz me encoxando e beijando meu pescoço, Gil já metia em Vitor que estava de quatro na toalha, Bil me disse para me apoiar na pedra e empinar a bunda ele enfiou a língua em meu cu, dedou depois enfiou seu pau em meu cu seu pau todo babado entrou como se fosse uma estaca incandescente no meu rabo, era minha primeira vez dando pedi para ele parar ele forçou mais um pouco e senti ele passando a cabeça do pau e encostando a pélvis na minha bunda segurou em minha cintura e disse que iria esperar eu me acostumar beijando meu pescoço. Meu pai se aproximou e deu seu pau para Vitor mamar enquanto recebia sem do a rola de Gil. Ver aquela cena Vitor dando para Gil e mamando meu pai me encheu de tesão, virei de quatro e Bil voltou a meter em mim e eu rebolando em seu cacete Gil veio e colocou seu pau em minha boca. Agora era eu quem estava com os dois irmãos gêmeos cada um metendo em um buraco meu, um no cu e o outro na boca e se beijando. Meu pai metia em Vitor que gemia alto.
Bil Gozou e deu lugar a Gill, Bil foi se lavar no mar, Gil logo gozou em meu cu também e foi se lavar com o irmão Logo foi a vez de meu pai e ficamos Vitor e eu deitados nos beijando acariciando um ao outro descansando depois de um tempo fomos nos lavar no mar. Foi lindo ver aqueles belos machos fodendo um ao outro com toda aquela belíssima paisagem de cenário.
Comemos peixe frito com refrigerante, meu pai cerveja. Eu estava faminto, meu pai se aproximou de mim e me perguntou como eu estava disse que bem eu sabia o que ele queria saber e disse que tinha sido minha primeira vez como passivo ele me abraçou e me deu um beijo na testa. Mais tarde mais foda e desta vez eu comi Vitor, Bil e Gil fizemos trenzinho e 69, meu pai foi apenas ativo, eu ativo e passivo como Gil e Bil e Vitor apenas passivo.
No outro dia chegamos após nos despedirmos dos nossos novos amigos trocar telefones, watts, contatos de redes sociais chegamos a cidade onde haveria a festa que já estava se aprontando, meu pai já saiu do carro fotografando a decoração. Disse que estava com fome meu pai me deu um dinheiro e mandou eu ir comprar um café da manha, nos hospedamos em uma pensão bem modesta, meu pai tirou muitas fotos, enviou para os contratantes, publicou algumas em seu blogue, tiramos fotos, conversei com meu tio a noite ficamos ate tarde na festa em dado momento me perdi do meu pai tentava ligar para ele mas ele não atendia. Deve ter encontrado alguém pensei estava voltando para pensão quando vejo pessoas correndo e gritando era uma confusão, uma briga como os outros comecei a correr mas as ruas eram de pedra acabei tropeçando e cai um rapaz não me viu e caiu sobre mim.
_ Aiiiii que dor.


Continua...

Autor: Mrpr2

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:2 de setembro de 2015 18:06

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 02/09/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*