Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Despertar de Sensações - Inicio

Despertar de Sensações - Inicio

Eu estava no quarto com meu amigo Mike estudando já estava chato já fazia algum tempo que estávamos ali, então Mike me toma a borracha e diz que não vai me entregar entro na brincadeira e tento tira la dele ele vai para cima da cama e eu o sigo tentando imobilizar suas mãos, mas Mike e rápido, risos e tentativas em vão estou em cima de Mike em cima da cama meu amigo por baixo e eu sentado em suas coxas Mike vendo uma de suas mãos seguradas por mim tenta encontrar uma forma de não se entregar coloca a borracha dentro da cueca e me desafia:
_ Quero ver agora!
_ Acha que não vou?
_ Duvido!
Enfiei a mão entro da cueca de Mike seu pau ja estava duro claro que a intenção do safado sempre foi essa.
_ Vou contar pra geral que pegou no meu pau kkkkk
_ Há é vai contar? Quero ver você contar
Virei Mike na cama tirei seu calção deixando nua aquela bunda empinada dele suculenta pretinha desci meu calção com toda aquela esfregação também estava de pau duro e cravei naquela bundinha deitei por cima dele e falei no seu ouvido:
_ O que vai contar pra geral?
_ Esquece a geral e fode cara!
Quando eu estava bombando na bunda de Mike a porta abre.
_ Mas o que esta acontecendo aqui?
_ Nada tio, nos só estávamos....
Mike pegou suas roupas e saiu correndo, meu tio o segurou e disse antes ele devia se vestir não podia sair correndo na rua pelado o mesmo me mandou fazer e nos deu um bom sermão Mike implorava para que meu tio não contasse nada a ninguém muito menos a seus pais meu tio disse que se nos prometêssemos que aquilo não se repetiria não contaria. Depois que Mike foi embora meu tio me abraçou e disse que algumas coisas iriam ser mudadas meus trabalhos escolares seriam feitos na mesa da cozinha e nada da porta do quarto fechada muito menos trancada.
Ola Me chamo Francisco fui criado por tio Levy o considero um pai afinal ele quem me criou desde que minha vó morreu, meu pai vive pelo mundo como meu tio diz ele é um vagante sem destino, mas as vezes temos um encontro com o destino.
Eu tinha feito 19 anos mês passado quando a campainha toca e meu pai entra cantando parabéns me abraça e me da um pacote embrulhado me desejando parabéns. Agradeço mas o lembro de que fiz o mês passado ele com seu jeito moleque nem parecia ter 38 anos sentou no sofá com as pernas abertas colocando os braços abertos no encosto do sofá dizendo que o importante é que tinha se lembrado dos meus 18 anos que seu pai nem tinha lembrado do dele.
_ Nem você do aniversario do seu filho, irmão!
Disse meu Tio Levy, lembrando a meu pai que eu fiz 19 e que ele tinha enviado mensagens na véspera dos dois aniversários.
_ Hum deve ser o fuso horário.
Argumentou meu pai.
_ Há esquece, o importante é que você esta aqui da aqui um abraço como você esta?
_ Bem e você? Hummm parece que essa bundinha cresceu desde a ultima vez que vi
Disse meu pai batendo na bunda do próprio irmão se aproveitando do abraço.
_ Você não mudou nada.
_ Você acha?
Diz meu pai fazendo poses de fisiculturistas, é um bobo mesmo eu ria feito outro bobo com suas palhaçadas. Eu olhava para os dois conversando era estranho eu sabia que meu tio Levy não era meu pai, mas não conseguia ver meu verdadeiro pai como tal, ele era engraçado, divertido, bonito, mas era como se ele fosse meu tio e meu tio Levy meu pai me sentia protegido amparado por ele era como se eu soubesse que o que eu precisasse a qualquer hora meu tio Levy estaria por mim e meu pai, bom para alegrar uma festa chamar a atenção das gatinhas eu o chamaria.
Durante o jantar meu pai contava suas historias, por onde ele tinha ido, as aventuras que teve e ele não escondia nada contava tudo nos mínimos detalhes meu tio Levy às vezes o interrompia, mas meu pai dizia:
_ Que isso, o Francisco já é um homem se ele não souber o que é isso ta mais que na hora de aprender, sabe o que é uma xoxota garoto, um cacete duro entrando em uma buceta apertadinha molhadinha hummm
E não era só palavras não fazia com interpretação movimentos e gestos, tio Levy ficava louco vermelho feito um pimentão somos loiros então qualquer alteração nas emoções deixa rastros.
Como de costume antes de me deitar tio Levy veio ao meu quarto.
_ E ai feliz com a volta dele? Se divertindo?
_ Sim ele é mo comedia, mas você parece preocupado o que foi?
_ As vezes te acho tão parecido com ele que... Deixa pra la besteira minha, sou muito sei la...
_ Protetor, amoroso, cauteloso, zeloso? Olha só você mesmo eu com 19 anos você toda noite vem conversar comigo antes de eu dormir chegar se estou coberto me perguntar como esta o trabalho, não se preocupe como ele mesmo diz eu sai do saco dele, mas foi você quem me criou e eu te amo tio Levy você fez um ótimo trabalho.
_ Obrigado, você é como se fosse um filho para mim sabe disso.
_ Sei e por falar nisso porque você nunca teve filhos?
_ O que esta fazendo aqui Levy? Colocando um galalau desses na cama? Meu filho ainda não sabe se cobrir sozinho acho que voltei em uma boa hora para fazer dele um homem.
_ Não pai é só um jeito de conversarmos com calma um pouco coisa de pai sabe? Há desculpe você não sabe o que é isso.
_ Olha aqui garoto...
_ Chega, chega é hora de dormir, boa noite Francisco e você vem comigo!
_ Boa noite Francisco!
Percebi que meu tio Levy iria discutir com meu pai me levantei e abri a porta para ouvir.
_ É serio isso? No primeiro dia e você já esta brigando com seu filho que você não vê a 5 anos?
_ Você esta criando o garoto mole Levy, não ta vendo ele parece uma menininha eu não gosto disso, mas também...
_ Mas também o que vai vir me dar palestra de como é cuidar sozinho de um filho? Há essa eu quero ouvir o pai do ano falar, quantas fraldas você trocou dele quantos machucados você cuidou quantas vezes você levou ao medico, sabe ao menos no que ele trabalha papai? Acho que não.
_ Pode ate ser que eu não saiba destas coisas, mas quantos pais mesmo que vivem junto dos próprios filhos sabem? Eu conto nos dedos e agora eu vou levar meu filho comigo vou fazer dele um homem.
_Não vai não!
_ E quem vai me impedir? Eu sou o pai dele você é só o tio alem disso ele é maior de idade ele vai escolher e adivinha o que ele vai escolher viver aqui esta vida chata cheia de regras com você ou vir comigo e descobrir este mundão livre cheio de aventuras, mulheres e diversão? Hã você já foi jovem já teve a idade dele o que você escolheria? Eu vou sair que você já encheu meu saco preciso esvaziar.
Disse meu pau balançando o saco com as pernas abertas para meu tio.
_ E você ta chato demais ta precisando de uma rola bem grande!
_ Sai já daqui!
Meu tio subiu e quando passou para seu quarto o vi com a mão no rosto, ele estava chorando, o estúpido do meu pai fez meu tio chorar, fui para o quarto do meu tio bati na porta perguntei se podia entrar meu tio disse que eu deveria estar dormindo disse que ouvi a discussão dos dois me aproximei sentei na beira da cama estava nu nem me dei conta disso, eu durmo pelado, meu tio também pareceu não se importar estava acostumado disse que não era nada que depois conversaria com meu pai com calma.
Disse que queria dormir ali com ele, meu tio levantou a coberta e eu deitei junto dele o abraçando.
_ Eu que deveria te confortar.
_ Quem esta precisando de um peito amigo hoje e você tio.
Sussurei _ Pai. _ E dei um beijo em sua cabeça.
Meu tio estava com um cheiro tão gostoso, sua pele tão macia meu tio não tinha nenhum pelo no corpo, estávamos de conchinha suas costas quentes sua bunda contra meu pau ele estava só com seu calção curto de dormir.Meu tio já estava ressonando eu não conseguia dormir coloquei seu braço no peito do meu tio trazendo seu corpo mais para perto do meu que instintivamente roçava no dele, beijava seu pescoço, meu tio deu um gemido e se aconchegou em meu corpo como ele estava de costas para mim pensei que ele tinha acordado e que ele estava concordando com meu avanço desci seu calção e meu pau duro já se encaixou em seu rego, continuava me mexendo soltando o pré gozo logo a cabeça do meu pau e o rego do meu tio já estavam lubrificados e comecei a invadir seu cu nossa que tesão forcei meu pau entrou mas isso fez com que meu tio acordasse de fato ele se levantou assustado.
_ O que você esta fazendo?
_ Desculpe tio eu... eu... achei que você estava gostando.
_ Isto é uma loucura Francisco já para seu quarto e esqueça tudo que aconteceu aqui.
Fui para meu quarto meu coração batendo forte, respiração ofegante meu pau pulsante cheio de tesão bati três punhetas seguidas imaginando meter em meu tio, não conseguia dormir mesmo assim virava de um lado a outro na cama as horas pareciam não passar ate que adormeci.
Abri meus olhos e vi meu tio de pe ao lado de minha cama me olhando, lindo com seus olhos verdes, sem camisa seu calção de dormir.
_ Tio me descu...
Fui interrompido por seu dedo em meus lábios, meu tio balançou a cabeça de um lado para o outro como um sinal de que era para eu não dizer nada, sentou ao meu lado na cama eu já estava meio sentado ele aproximou seu rosto do meu roçou seu nariz no meu aproximou seus lábios e tocou os meus aos poucos fomos abrindo eu os meus e ele os dele e nos beijando carinhosamente sentindo a macies dos lábios um do outro aos poucos introduzimos nossas línguas no carinho, minhas mãos tocavam e acariciavam suas costas e as dele meu peito, meu tio desceu sua cabeça beijando o centro do meu peito minha barriga ate chegar em meu cacete que já estava duro feito rocha e o abocanhou, nossa que tesão sentir seus lábios macios e úmidos em meu pau, meu tio com sua mão puxou a pele descobrindo a cabeça do meu pau e ele passou sua língua depois cobriu de novo com a pele e agora com seus lábios brincava com ela me fazendo uma cocegazinha muito gostosa, meu tio foi descendo lambendo meu saco colocando minhas bolas em sua boca quente nossa que delicia depois continuou a descer lambendo meu perimero depois passou a língua em meu orifício quando o fez senti uma maravilhosa sensação, meu tio enfiou sua língua cu a dentro e babou bastante eu implorava para ele me foder quando escuto um barulho alto e forte de porta batendo...

Continua....

Autor: Mrpr2


Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:31 de agosto de 2015 18:06

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 31/08/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*