Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Enrabado pelo chefe no escritório.

Meu nome é Reinaldo com um pouco de timidez venho contar a vocês como foi minha experiência homossexual com meu chefe. Estava com 18 anos e a procura de emprego ou estagio remunerado, o que não estava fácil de encontrar, fui chamado a uma entrevista em um pequeno escritório de contabilidade onde nervoso escutei a proposta da empresa e apresentei minhas referencias. Alem do nervosismo normal pela circunstancia fiquei ainda mais apreensivo pelo comentário de um dos sócios do escritório Rodolfo que me achou com a aparência muito jovem, realmente apesar de já ter 18 anos parecia ser um rapaz de 16 anos, apresentei minha identidade, minha carteira de reservista com a dispensa e meus comprovantes de conclusão de ensino médio e matricula já efetuada para a faculdade de contabilidade que começaria em Fevereiro comprovando minha idade, disponibilidade e qualificação juntamente com os diplomas de cursos de informática e auxiliar de escritório já concluídos.

Fiquei um pouco mais tranqüilo, pois pareceu ter impressionando Rodolfo, mas alem disso outra coisa me deixava um pouco incomodado na sala, era Ricardo também sócio e irmão de Rodolfo que tinha 38 anos, formado, estava de social, apresentava um corpo malhado de academia não exagerado apenas torneado pelo que se podia ver, pele clara, cabelos curtos estilo social castanho claro, olhos castanhos claros com um leve sorriso em alguns momentos. Nunca tinha me sentido tão atraído por um homem como naquele momento, mas não podia demonstrar, tinha que controlar meu nervosismo, minha atração e mostrar que eu era o melhor candidato ao cargo apesar da pouca idade. Após responder todas as perguntas e apresentar todas as minhas qualificações a entrevista terminou e fui embora com a promessa de um retorno telefônico informando a resposta e caso fosse positiva já começaria no trabalho segunda feira.

A partir daquele momento fiquei com a imagem de Ricardo em minha mente, apreensivo aguardando a resposta fiquei imaginando o que faria se fosse aprovado, queria trabalhar lá, poder ver aquele homem todos os dias, mas ao mesmo tempo como faria para não demonstrar meu interesse, me concentraria em meu trabalho vendo aquele sorriso, aquele corpo?

O telefone toca no fim da tarde e a secretaria me diz que fui aprovado e que segunda feira deveria estar no escritório com toda minha documentação, vestindo social pronto para iniciar o trabalho. Fiquei em estase fui conferir minhas roupas e achei melhor comprar mais duas calças e camisas sociais, pois tinha apenas uma não gostava muito deste estilo para mim apesar de achar muito atraente nos outros, mas eu achava que minha bunda ficava muito amostra, empinada e mais destacada neste tipo de calça. Não dormi direito todo o fim de semana pensando em Ricardo.

Segunda feira é chegado o dia, vou ao escritório e quem me recebe é Kátia a secretaria muito simpática me leva a uma sala e pede para que eu aguarde. Pouco tempo de espera chega Ricardo logo que chega mostra um sorriso, me cumprimenta e diz que vai me passar o que devo fazer, eu sentado na cadeira em frente ao computador e Ricardo atrás, quando ele se emborcava para me mostrar algo no monitor eu sentia seu perfume , seu rosto a centímetros do meu mexia com meu corpo, desfarçava mas já suava, Ricardo me perguntou se estava bem disse que sim apenas um pouco de calor e fui beber água, estava bebendo água e virei rapidamente e acabei esbarrando e derrubando água na camisa branca de Ricardo. Ainda mais nervoso, tremulo, pedia desculpas, enquanto Ricardo dizia que não tinha problemas, e começou a tirar a camisa.

Nossa que peitoral , largo, barriga trincada, branquinho com poucos pelos lisinhos em seu peito e um caminho que sumia dentro da calça, fiquei por uns instantes parado olhando nem pisquei.

_ Reinaldo? Tudo bem, passando mal?

_ Não nada, desculpe vou ajudar o senhor.

Falei pegando uma toalha de papel no banheiro

_ Não precisa eu faço sozinho

Mas eu nervoso nem ouvi direito voltei correndo tropeço no carpete quase caio me apoio em Ricardo, peço desculpas e começo a passar a toalha de papel no peito de meu chefe.

_ Calma rapaz para que tanto nervosismo, esta tremendo.

_ Não é nada seu Ricardo, desculpe.

_ Certo chega de me pedir desculpas, esta tudo bem, vou em casa trocar de camisa e volto. Conseguiu entender o que é para fazer?

_ Sim, isso é fácil. Faço sem problemas.

Apesar deste primeiro dia desastroso os demais que se seguiram foram normais, mas sempre que estava sozinho com Ricardo meu nervosismo me deixava ainda mais atrapalhado, e eu esbarrava, trombava, tropeçava, sem querer já estava com muita vergonha.

Após um mês de trabalho já estava indo embora, todos já tinham ido Kátia, Rodolfo, o boy, so estava eu no escritório terminando um relatório, quando Ricardo entra, ele estava diferente, me cumprimentou como sempre mas notei um cheiro de álcool , não estava completamente bêbado mas um pouco alto. Ricardo elogiou meu trabalho, me elogiou como pessoa, disse que estava feliz com o escritório, mas que estava triste pois sua noiva tinha acabado com o noivado, dizendo que ele era muito mulherengo, realmente, Ricardo tinha essa fama, mas eu tentando amenizar disse que eles iriam voltar, que ela so estava nervosa, que ele era um bom chefe, uma boa pessoa e comecei a elogia-lo, Ricardo veio se aproximando, chegou bem perto de mim segurou em meus braços e perguntou:

_ Por que você fica tão nervoso quando chego perto de você? Olha para mim e me responda

Falou levantando meu queixo, pois estava com a cabeça baixa tentando não encara-lo

_ Impressão sua senhor Ricardo, sou assim desajeitado mesmo.

_ Não fica pior quando estou só eu e você.

_ Senhor Ricardo, ric.. senh.

Tentei falar mas gaguejando não saiu nada com Ricardo aproximando de mim seu rosto, eu sentindo seu cheiro, minhas pernas bambearam, Ricardo me segurou e me puxou para um beijo e que beijo, já foi tirando sua camisa, desabotoando a minha, me virou de costas me apoiei na escrivaninha, enquanto Ricardo me encochava e sussurrava em meu ouvido:

_ Sabia que era isso que você queria desde o primeiro momento que me viu.

_ Não senhor Ricardo o que esta fazendo

Disse gaguejando

_ Te dando o que você quer!

Disse isso e abaixou minha calça, cuspiu em seus dedos e enfiou em meu buraquinho.

_ Hummm apertadinho, como eu gosto, virgem?

_ Si si simmm senhor.

_ Vai gostar, vou devagar.

Agachou abriu minhas nádegas labéu meu cuzinho, mordeu de um lado e do outro, e enfiou a língua no meu botãozinho. Como aquilo era bom, melhor que eu imaginava, meu corpo todo arrepiado, Ricardo levantou e começou a enfiar dedos em um buraquinho e a me punhetar devagar, empinava instintivamente minha bunda e me abria todo quando ele parou e colocou sua rola na portinha do meu cu e começou a pincelar, su pau que babava em meu rabinho, me virou de frente e pediu para eu chupar, comecei meio sem jeito mas quando relaxei foi mais fácil, Ricardo já gemia com minha boca em seu pau, pediu para deixar bem babado, sentou no sofá e me pediu para sentar. Meu cu foi engolindo cada centímetro de sua rola doía mas dava prazer ao mesmo tempo, ardia mas uma onda de prazer irradiava em todo meu corpo quando finalmente entrou tudo Ricardo me puxou ao seu encontro e senti seu peito em minhas costas que delicia relaxei anda mais com seus beijos em meu pescoço. Ricardo me levantou um pouco e começou a meter, sentia seu cacete entrar e sair do meu cu, estava me deixando louco, parou uns instantes e eu comecei a subir e a descer, senti seu pau inchar em meu cu e derrepente vários jatos quentes de porra inundaram um cu. Nossa que delicia.

Paramos um pouco, bebi água Ricardo também, seu pau já estava duro novamente ajoelhei entre suas pernas e paguei um novo boquete lambendo dessa vez ate seu saco, coloquei todo em minha boca, deslizava minha língua em seu cacete e passava ele em minha bochecha por dentro, Ricardo levantou me fez apoiar na escrivanha e metu em mim de quatro mais forte desta vez mais intenso sentia o seu suor pingar em minhas costas.

_ Deliciaaaa, mete, mete gostoso esse pau no meu cu. _Eu Falava.

Ricardo derrubou alguns papeis no chão me deitou na mesa do escritório e me comeu de frango assado, metia forte ate o talo, seu saco batia em minha bunda que escutava ate o barulho, pegou em meu cacete e me punhetou meu cu começou a apertar seu pau e gozamos juntos hurrando de prazer.

Ricardo parou tirou seu pau do meu cu, sem falar nada, pegou sua roupa vestiu e saiu. Me vesti arrumei a sala tranquei o escritório e fui embora.

No outro dia Ricardo não foi ao escritório, estava com medo de sua reação, dois dias depois Ricardo aparece me cumprimenta e faz como se nada tivesse acontecido, tudo volta ao normal, fico sabendo que sua noiva o perdoou e reatou o noivado, uma semana depois na sexta feira Ricardo pede para eu fazer um relatório extenso na hora do almoço, chega a hora de ir embora e ainda não terminei, todos vão embora, resolvo ficar mais um pouco para terminar, Ricardo de repente entra, não fala nada so me puxa, me beija e me sussura em meu ouvido:

_ Desculpa mas prefiro que seja assim tudo bem para você?

Como recusar simplesmente abaixo desabotôo sua calça tiro seu membro para fora e chupo, lambo e mordisco

_ Não sabe como me controlei para não te comer essa semana toda, olhando essa bundinha que será só minha.

_ Sim, ela é so sua patrão.

Ricardo me comeu e passamos a tranzar quase todos os dias, me formei, Ricardo se casou, continuei no escritório, Rodolfo montou um escritório em outra cidade e eu me tornei sócio de Ricardo e Rodolfo. Também me casei e tranzamos ate hoje, as vezes ate envolvemos um ou outro estagiário nas nossas tranzas.



Já aconteceu algo parecido com você? Tem vontade que aconteça? Simplesmente gostou do conto comente.





Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:14 de janeiro de 2013 23:18

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Este texto foi lido 771 vezes desde sua publicação em 14/01/2013. Dados do Google Analytics

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Luiz
    Postado porLuizem31 de março de 2015 19:04

    Nossa amei esse conto, meu cacete babou do início ao fim... Delicia... Quem dera eu participa dessa transa dlç...

  • diogo
    Postado pordiogoem29 de março de 2013 14:12

    eu amei agora voou a o banheiro me masturba beijos ricardao eu bem que queria um transa com voce.

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*