Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Filhão comedor

Filhão comedor
Ola a todos Meu nome é Romildo tenho um filho chamado Thomas que sempre foi apegado a mim, desde cedo foi assim estava sempre onde eu estava, se eu saia ele queria ir junto, caso eu ficava queria ficar. Minha mulher trabalhava como enfermeira a noite então Thomas acostumou com minha presença, pois a noite eu estava sozinho com ele no jantar, tv, banho ele se acostumou a tomar comigo e como ficávamos só os dois acabei não cortando isso e dormir também ele dormia comigo na cama só não o fazia nas folgas da mãe.
Estava tão acostumado a fazer tudo com ele que nem percebi que ele já estava um homão do meu tamanho, sabe aquela historia que para os pais os filhos nunca crescem? Só percebi quando... bem, antes vou contar algumas coisas que só depois tudo aconteceu é que eu percebi que eram sinais do que estava prestes a acontecer, vou contar em seqüência para que vocês entendam como as coisas evoluíram.
Thomas sempre foi muito brincalhão, mas começou com umas brincadeiras um pouco maliciosas achei que era coisa da idade e resolvi não brigar apenas por um certo limite. No banho ele disse que já tinha muito tempo que não lavava minhas costas concordei realmente havia já algum tempo Thomas começou a esfregar minha nuca, ombros costas e continuou abaixando chegou minha bunda e começou a alisar demais, eu disse que já estava bom, mas ele continuava a passar mais sabão na mão e me alisar a bunda já tinha ate deixado a bucha, pois dizia que a bunda era sensível eu estava a alguns dias sem sexo sabe como é ne nem todo dia a mulher pode, quando pode esta cansada, dor aqui ali, bom meu pau acabou ficando duro e Thomas veio com a mão e pegou fazendo piadinha eu disse para ele parar que aquilo não era brinquedo ele disse que não tinha nada haver e fez o dele que já não estava mole ficar ainda mais duro e começou a se masturbar na minha frente e rindo. Terminei meu banho e disse para ele parar de molecagem e me respeitar, pois eu era o pai dele.
Alguns dias depois estávamos dormindo e sinto algo duro em minha bunda, era o pau de Thomas duro feito rocha já havia sentido antes, mas aquela noite estava mais duro que nunca, me afastei e ele logo se acomodou novamente atrás de mim me encochando e repetimos isso mais duas vezes achei que ele estava acordado e briguei com ele para que parasse de gracinha ou iria faze lo dormir na cama dele. Thomas fez que acordou assustado me perguntando o que, mas ainda acho que ele estava fingindo para não ter mais discussão fiquei de frente a ele, mas minha idéia não surtiu o efeito esperado meu filho puxou minha cabeça e me deu um beijo e colou seu corpo no meu dizendo que estava com muito tesão por mim eu dizida para ele parar mas suas mãos acariciando meu corpo estavam me amolecendo e ele continuava me beijando não demorou muito para eu ceder e começar a retribuir seus beijos.
_ Pai quero comer sua buda.
_Que isso filho ficou louco?
_ Pai sempre tive maior tesão nesse seu bundão me deixa maluco e de pau duraço.
_ Filho sou homem e seu pai.
_ Eu também sou homem, sou virgem pai, mas não é só isso sinto mesmo desejo em comer o senhor desde cedo sinto isso e queria fazer nem que seja uma única vez.
Parei pensei confesso que tinha curiosidade, mas sempre tive medo de ser exposto então resolvi aceitar. Thomas abriu seu sorriso e voltamos a nos beijar, suas mãos havidas por sexo percorriam todo meu corpo com leves apertões. Deitei de barriga para cima e ele veio para cima de mim, e passou a chupar meus mamilos, depois foi descendo e começou a chupar meu pau, mas não demorou muito nele pediu para que eu virasse de costas e ficou um tempo acariciando minha bunda, chegou seu rosto bem perto cheirou, beijou cada uma das partes de minhas nádegas abriu com cuidado e começou a passar a língua em meu rego peludo. Nunca pensei que sentiria tanto prazer com uma língua sendo passada no meu rego mas estava muito bom. Meu filho pediu para que eu abrisse o massimo possível de minha bunda com as mãos e enfiou a língua bem babada em meu cu não agüentei tive que gemer alto ele repetia o ato como se estivesse fodendo meu cu com a língua.
_ Onde você aprendeu isso Thomas você não disse que era virgem?
_ E sou pai, vi em filmes bati muitas punhetas pensando em fazer isso com o senhor.
_ Aprendeu bem safadinho.
Thomas voltou a me lamber e me fuder com sua língua mas agora alternava com dedadas que foram aumentando o números de dedos um, depois dois então disse para ele pegar um lubrificante na cômoda para facilidar pois apesar do tesão estava começando a incomodar um pouco afinal eu era virgem de cu.
Meu filho voltou lubrificou seus dedos e começou novamente chegando a enfiar sua mão fechada em meu cu era uma pressão boa ao mesmo tempo desconfortável com tesão não sei, muitas sensações difícil de explicar o chamei e comecei a chupa lo seu pau seu saco peludo sua virilha , colocava seus bagos na boca e ele gemia de prazer, segurava minha cabeça e a empurrava de encontro a seu membro me fudendo a boca. Percebi que sua respiração estava cada vez mais ofegante e seus gemidos mais próximos e fortes então parei de chupa lo ele tentou forçar minha cabeça, porem disse que se continuasse ele iria gozar em minha boca e não em meu cu, segurei na base de seu pau e pedi para que ele respirasse mais calmo, abracei ele colocando ele de frente para mim em um abraço continuando a apertar a base do seu cacete percebi que ele se acalmou continuando com seu cacete duro voltei para a posição de quatro e pedi para ele me enrabar.
Meu filho colocou a ponta de seu cacete na entrada do meu cu comecei a piscar e ele a forçar a entrada com a quantidade de lubrificante passada e seu pinto um tanto fino entrou dei um pulo para frente mas meu filho foi rápido e me segurou pela cintura e começou a meter. Confesso doeu muito no começo mas logo comecei a sentir prazer quando meu filho manteve um compasso e suas estocadas ficaram mais ritmadas me virei de frango assado e comecei a bater uma punheta não demorou muito para gozarmos ele dentro do meu cu e eu em meu peito.
Meu filho ria encharcado de suor e me agradecia dizendo que eu era o melhor pai do mundo e me deu um beijo com seu cacete ainda dentro de mim. Hoje Thomas esta um rapagão de peito peludo, forte não sarado ele é mais este estilo chaser não é gordo mas e fortinho eu sou gordinho e meu filho me come quase todas as noites meu cu ficou viciado na sua rola e em sua língua.

Autor: Mrpr2

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:13 de junho de 2014 14:14

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 13/06/2014.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*