Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Fui pego pela minha mulher.

Meu nome é Jorge tenho 23 anos, pele branca, pelos bem finos no peito que dessem pelo centro formando um caminho pela minha barriga ate meu pau de 17 cm, aparo os pelos pubianos, das axilas e raspo o saco e o cu, cabelos lisos castanho ate a nuca. meu maior sonho sempre foi ser pai, porem desejos homosexuais pareciam me afastar disso, pois já existe a dificuldade de encontrar um homem que queira um relacionamento serio com outro ainda mais difícil é este cara ainda querer adotar além das dificuldades, demora e burocracia do processo.
Após algumas tentativas de relacionamentos homosexuais que não se enquadravam no que eu desejava encontrei Silvia.Tínhamos uma ótima sintonia, gostos semelhantes inclusive por homens, mas preferi não mencionar para ela este detalhe, enfim tanta coisa em comum resultou em casamento.
Algum tempo depois de casado eu já estava subindo pelas paredes querendo uma rola, mas não me sentia a vontade em trair minha esposa.
Eu estava tomando banho meu tesão a mil logo veio ideias, Sílvia tinha saído mas acabou chegando e sem prévio aviso entrou no banheiro e me pegou enfiando um tubo de shampoo no cu. Eu estava de costas para porta ou seja quando ela entrou deu de cara com meu bundão engolindo o tubo roliço. Meu mundo caiu naquele momento, eu gaguejava, não encontrava palavras, justificativas para meu ato, Silvia apenas disse que precisava usar o banheiro usou saiu e ficamos em um clima pesado no ar. Entrei para o banheiro terminei meu banho e quando cheguei no quarto Silvia estava arrumando uma mala olhou para mim e antes que eu perguntasse Silvia disse:
Não estou me separando agora, só preciso de um tempo para organizar meus pensamentos é melhor termos uma conversa de cabeça fria para não nos arrepender depois.
Foi sair do quarto e eu a abracei pedi desculpas beijei seu rosto e disse que a amava e que em nenhum momento desde nosso namoro eu a havia traído, Silvia disse que acreditava e por isso queria pensar para não ser injusta comigo ou com ela.
Alguns dias se passaram e nenhuma noticia de Silvia, minha vontade era de ligar ou ir atrás dela, mas tinha medo que isso acabasse de vez com nosso casamento. Eu que nunca fui de beber fui a um bar depois do trabalho era sexta feira. Tomei duas doses de algo que nem me lembro o nome, mas sei que era forte comprei uma garrafa de vodca e fui para casa minha barba estava por fazer andando meio cambaleante, meu vizinho percebeu e me perguntou como eu estava, sobre Silvia, eu respondi que ela tinha ido viajar percebi que ele notou a garrafa de vodca, mas nada falou nos despedimos e entrei no meu AP. Coloquei uma música, me livrei de minhas roupas e comecei a beber apenas de cueca na sala. Algum tempo depois meu amigo e vizinho Celso toca a campainha perguntando se eu não queria acompanha lo em uma pizza rejeitei, mas ele insistiu e já foi entrando.
Celso era muito gente boa separado, 35 anos, sempre com seu cavanhaque aparado, loiro, pouquíssimos pelos pelo corpo, cabelo cortado a maquina, super simpático.
Conversa vai conversa vem comendo pizza Celso tomando cerveja e eu mais bebendo que comendo acabei contando a Celso o que de fato aconteceu ele muito compreensivo foi me consolando dizendo que tudo daria certo enquanto eu chorava como um garoto perdido.
_ Vem vamos tomar um banho tirar esse futum de álcool, suor, relaxar o corpo você dorme e pensara bem melhor amanhã eu te ajudo.
Celso me levou para o banheiro ligou o chuveiro e eu fiquei em baixo apenas deixando a água cair. Celso percebendo minha inércia pegou a bucha e o sabonete e veio me ensaboar. Eu estava já algum tempo sem sexo e com o contato de Celso em meu corpo e a bebida logo me excitei, envergonhado me virei de costas.
_ Nossa estou me molhando todo, importa se eu tirar essa roupa?
Balancei a cabeça em sinal negativo Celso ficou apenas de cueca e voltou a me ensaboar. Meu tesão só aumentava na medida em que Celso me ensaboava e principalmente descia a bucha. Celso pulou a bunda e lavou as pernas, mas quando levantou eu continuei virado Celso me virou lavou meu peito, meus braços, minha barriga e viu meu pau duro fez uma piada e desceu lavando minhas pernas subiu me entregou o sabonete e me disse para lavar meu pau, ele percebeu que eu não conseguia desviar o olhar do seu cacete que começou a crescer dentro daquela cueca molhada e então disse para que eu me virasse novamente pediu o sabonete de volta e senti agora suas mãos ensaboarem minha bunda. Começou de forma tímida logo parou, porem algo fez com que ele voltasse a ensaboa lá desta vez com mais vigor, vontade e com movimentos que parecia que Celso queria abrir minhas nadegas para ver meu cu. Instintivamente empinei minha bunda e Celso passou o dedo em meu rego me arrepiei todo, novamente ele passou o dedo e desta vez parou no meu buraquinho e ficou fazendo círculos sem penetra lo. Meu cu começou a piscar e Celso o invadiu com seus dedos me apoiei na parede e empinei ainda mais minha bunda. E Celso enfiando cada vez mais números de dedos e mais fundo em meu cu. Aquilo estava muito gostoso meu pau babava e eu gemia baixo. De repente sinto algo quente me tocando, era Celso pincelando meu rego com seu cacete para cima e para baixo, meu cu piscava mais que lâmpada pisca pisca de natal, então senti uma pressão era seu cacete tentando me invadir senti um pouco de dor e recuei, Celso pegou o shampoo e untou seu pau ai foi beleza colocou na portinha fez a pressão e ploft entrou a cabeça e aproveitando o embalo Celso colocou tudo senti sua pélvis tocar minha bunda e Celso rebolar mexendo seu cacete dentro de mim quentinho gostoso melhor sensação que já havia experimentado ate então, mas as surpresas só aumentavam. Celso iniciou o vai e vem segurando em minha cintura logo já socava forte e gostoso meteu por alguns minutos assim intenso então diminuiu o ritmo novamente rebolou e desta vez eu também rebolei sentindo ainda mais prazer. Celso encostou seu peito em minhas costas sua boca em minha orelha e disse:
_ Isso rebola na pica gostoso, vai rebola.
Celso dizia e apertava meus mamilos ai sim gemi feito puta. Depois disto voltou a meter forte pegou em meu pau e socou uma punheta, gozei forte e fartamente nunca gozei tanto na vida com meu cu apertando seu cacete Celso gozou enchendo meu cu de porra.
Terminamos o banho Celso foi embora e eu fui dormir. No outro dia Celso me chama ao seu apartamento me convidando para jantar, fui, jantamos e ate o momento tudo estava como antes e não tocamos no assunto de transa da noite anterior. Celso fecha a janela e dizendo estar calor tira a camisa ficando só de calção que mais parecia uma samba canção curto e com as pernas largas e pano fino. Sentou no sofá de pernas abertas, deu uma coçada no saco e ficou alisando a barriga vendo tv. Meu tesão foi a mil vendo aquele homem que tinha me comido no dia anterior, meu vizinho e amigo naquela situação. Aos poucos Celso foi descendo a mão ate que ela ficasse em cima de seu pau e passou e acaricia lo por cima do shorts. Eu nem olhava mais para a TV apenas para aquele macho semi nu em minha frente. Seu cacete duro formava uma barraca armada e pelas pernas largas do shorts dava para ver que ele estava sem cueca e seus bagos a mostra. Celso então desvia seu olhar da TV e passa a me encarar massageando seu caralho e o tira para fora, minha boca enche dágua meu coração acelera um calor invade meu corpo o que me faz tirar a camisa quando escuto um comando:
_ Vem!
Sem que Celso precise repetir fico de joelho em meio a suas pernas e inicio meu primeiro boquete em meu amigo, um pouco nervoso no inicio, mas relaxo e consigo fazer Celso gemer em minha boca. Como era bom mamar uma rola quentinha e saborosa, Celso alisava minhas costas afagava meus cabelos ate que pediu para eu sentar em seu cacete.
Celso já estava programado pegou um lubrificante na rack lubrificou seu cacete eu subi no sofá e fui sentando. Apoiado em seus ombros eu subia e descia em seu cacete ate cansar então foi sua vez me virei de costas Celso colocou a mão por baixo de minha bunda para apoiar e iniciou a meteção eu fui as nuvens desta vez ele estava inspirado e me comeu de frango assado e de quatro os dias posteriores foram todos iguais jantávamos e depois Celso me fodia.
Silvia uma semana depois me ligou dizendo que precisávamos conversar. Minha mulher disse que pensou muito e quer continuar com nosso casamento, viu como alguns maridos tratavam suas esposas, como viviam e percebeu que não era ilusão tínhamos um ótimo casamento e não queria jogar isso fora.
Ambos com os olhos cheios d'água nos abraçamos e nos beijamos estávamos com muita saudade um do outro. Tiramos nossas roupas e transamos com muito desejo. Enquanto eu metia em Silvia ja perto de gozar ela me disse que andou assistindo alguns filmes que haviam desapertado algumas idéias, dito isso minha esposa alisou minhas costas descendo ate minha bunda e enfiou seu dedo em meu cu não aguentei e comecei a gozar em sua buceta sentindo meu cu piscar em seus dedos.
Silvia se surpreendeu com minha reação disse que eu nunca tinha gozado tanto com ela.
Não contei a minha esposa sobre Celso e tentei parar nossos encontros, mas eu ja estava viciado em seu cacete e depois de duas semanas o evitando eu cedi, fui para o apartamento de Celso e dei muito para ele quando chego em casa uma grande noticia Silvia disse que estava grávida comemoramos muito.
Silvia comprou alguns consolos e ate uma cinta nos transávamos eu a comia depois ela me comia ou enquanto eu metia em sua buceta ela me penetrava com um consolo e ate quando estávamos em 69 ela me penetrava passou a gostar da brincadeira, mesmo assim não conseguia mais parar de visitar Celso e ter um cacete de verdade enfiado em meu cu, mamar um caralho e receber sua porra direto em minha boca. Quando meu filho nasceu convidamos Celso para padrinho e uma amiga de Silvia. Hoje meu filho esta com três anos e ate hoje não contei dos meus encontros com Celso as vezes me sinto culpado como se estivesse traindo Silvia, Celso diz que temos duas saídas uma é contar a minha esposa e torcer para ela ser compreensiva não terminando comigo e podendo ate entrar na “dança” ou não dizer nada e continuarmos como estamos. Celso diz que não estou traindo Silvia estou apenas encontrando em outra pessoa o que ela não pode me oferecer alem do mais não corro o risco de perder meu casamento e a chance de ver meu filho crescer e vocês o que acham? Devo contar ou não a Silvia do meu romance com Celso?

Autor: Mrpr2

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:26 de junho de 2015 16:26

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 26/06/2015.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Makevelyn
    Postado porMakevelynem19 de agosto de 2015 09:44

    Eu acho que VC deveria tentar conversar com ela sobre esse assunto, mas se VC perceber que ela não quer fala sobre isso deixe pra lá e viva a tua fantasia. Bjks e boa sorte

  • yan
    Postado poryanem7 de julho de 2015 13:08

    N VC n deve contar nada vai que ela n compreende desta vez uma ate vez mais duas eu acho muito dificil ...

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*