Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Me apaixonei pelo amigo do jiu jitso

Meu nome é Arnaldo sempre fui muito tímido e voltado aos estudos, aos 19 anos ainda não tinha namorado, estava trabalhando fiz vestibular porem não passei e ainda não tinha condições de manter os estudos em uma escola particular. Meu avô sempre foi esportista e ate hoje se exercita, faz academia, caminhada, parou de praticar esportes devido e insistência da família, mas fica ligado 24 hs em todo tipo de esporte sempre me criticou por ser sedentário. Em meu aniversario me presenteou com aulas de jiu jitso na academia onde ele se exercitava, disse que não pagaria a academia, pois sabia que eu não iria já à aula o professor ficaria mais atento e eu participaria. Só depois de três meses e com muita insistência resolvi me matricular meu avô para se assegurar que eu iria nas aulas fazia questão de me acompanhar ate a academia e enquanto eu fazia a aula ele se exercitava.
A primeira aula achei que era muito contato físico e tinha o fato de eu ser magro enquanto que os outros alunos a eram bem mais fortes, porem decidi ficar pelo menos um mês para agradar meu avô. O aquecimento me deixava morto e ainda tinha a aula propriamente dita com os movimentos e as lutas, sempre mudávamos de parceiros, mas Laércio disse que iria me ajudar, desde o começo sempre conversando comigo me explicando cada golpe, como fazer os movimentos, achei ele muito legal, prestativo e acabei me sentindo mais a vontade em fazer a aula com ele pois confesso que algumas posições eu ficava envergonhado. Para quem nunca praticou esta luta ela consiste em imobilização, ou seja, o objetivo é imobilizar o adversário sendo necessário usar seu corpo para isso, ficar por cima ou agarrado com o oponente.
O mês passou rápido e apesar do cansaço resolvi continuar, achei as pessoas agradável, percebi a necessidade de praticar um esporte alem de estar gostando da companhia de Laércio que me convenceu a chegar mais cedo para fazermos treinarmos academia para melhorar meu condicionamento físico. Nem preciso dizer que meu avô ficou super feliz com a idéia apoiando-a cem por cento. O tempo passava e gostava cada vez mais de estar junto de Laércio conversávamos agora sobre varias coisas, vê lo levantar peso era um incentivo, alem de poder prestar atenção em seus braços fortes, suas axilas, seu peitoral abrir ao exercita lo, o mesmo peito que me apertava contra o tatame, os mesmos braços que me imobilizavam, as pernas e cochas que me prendiam seu calor seu perfume que se misturava ao seu cheiro de homem, seu suor, aquele quimono quando a faixa alargava e deixava a mostra seu peito e abdomem branquinhos aquilo estava mexendo comigo. E se Laércio percebesse? O que eu faria? O que ele pensaria de mim?
Após seis meses eu já estava com Laércio sempre em meus pensamentos então achei melhor me afastar o que foi em vão ele apareceu em minha casa, quando ele chegou com aquela camiseta cavada branca e seu calção largo azul escuro meu coração disparou eu não sabia o que fazia ele bateu a campanhinha eu já tinha visto, mas fiquei paralisado ele tocou novamente e minha mãe brigou comigo perguntando se eu não estava ouvindo e para eu ir logo atender a porta. Convidei o para entrar ele me deu um abraço apertado e eu senti seu perfume alem de ter seu corpo me envolvendo novamente, me perguntou por que eu não tinha ido a ultima semana disse que estava muito cansado o trabalho estava muito cansativo, pois tinham pessoas de férias. Convidei o para jogar vídeo game ele foi, mas era péssimo mesmo assim nos divertimos com suas tentativas eu dei varias dicas e ensinei algumas coisas afinal ele me ajudava muito no Jiu jitso troca mais que justa. Laércio disse que estava bom e que queria me mostrar alguns golpes disse que lá era complicado não tinha tatame e ele estava sem quimono ele disse que sem problemas poderíamos fazer na sala no tapete e que não tinha problemas eu de quimono e ele sem seria apenas uma brincadeira, concordei.
Não sei se foi por estar mais desinibido por na sala não ter ninguém, não haver outras pessoas por perto e poder me concentrar apenas em Laércio somente de regata e calção acabei me excitando e ele percebeu pos nas tentativas de me derrubar puxando, sobre mim e algumas posições acabava sentindo meu pau duro e ele também se excitou o que percebi muito nitidamente em uma imobilização em que ele ficou em cima de mim e seu pau tocava em minha bunda duro feito uma rocha com sua respiração ofegante em meu ouvido, meu coração voltou a disparar tentava sair de seu golpe, mas ele era forte e quanto mais eu tentava sair mais ele me apertava junto de seu corpo quente suado. Fui salvo por minha mãe que chegou e disse que a brincadeira tinha terminado e que era hora do lanche que ela havia preparado e Laércio ainda levou uma bronca em tom de brincadeira:
_ Assim você quebra meu menininho!
_ Kkkkk menininho de 19 anos? _ Riu Laércio.
Percebi quando ele se levantou e ajeitou seu pau dentro da cueca olhando fixamente para mim e ainda deu uma apalpada, um arrepio percorreu por toda minha espinha, ele tinha percebido, pensei e agora?
Comemos o lanche que minha mãe havia feito e conversamos mais um pouco. Levei Laércio ate o portão, quando nos aproximamos do portão que era todo fechado e com a porta da sala também fechada Laércio se vira para mim segura em meus braços apertando os contra meu próprio corpo me puxa para junto dele e me da um beijo, fico imóvel, não correspondo apenas nossos lábios se encontram e ele da uma chupada em meu lábio inferior.
_ Te espero amanha sem falta na academia.
Diz e vai embora, fico ali estático sem saber o que tinha acontecido. Um beijo Laércio havia me dado um beijo, sonhei com este beijo alem de sua mão percorrendo meu corpo e seus braços me abraçando. A noite toda bati umas três punhetas, acordei todo suado tomei um banho e mais uma punheta antes de ir trabalhar. Meus colegas de trabalho me zuaram o dia todo dizendo querer saber qual era a piada tão engraçada que eu não tirava o sorriso do rosto ou o nome da garota que havia feito este milagre fiquei apenas com um sorriso sem graça e nada respondia.
Como um sonho todos os dias ainda suados saiamos correndo da academia e íamos para um parque perto, entravamos na parte mais arborizada e la nos agarrávamos e nos beijávamos Laércio e eu. Sentir aquele cheiro de macho, seus agarrões fortes e apertados, os chupões de meu delicioso namorado era incrível e delicioso. Como era lindo o sorriso de Laércio.
Um dia Laércio e eu fomos a uma festa, ele estava lindo perfumado, não agüentei muito tempo e disse para ele encontrar um lugar seguro pois queria beija lo antes que eu o fizesse em meio a todos, me perguntou se eu queria ir embora disse que não queria ficar, mas queria que ele achasse um lugar ali na festa mesmo onde pudesse matar meus desejos. A festa era de uma prima de Laércio, ele disse algo para ela sem contar que éramos namorados e que iríamos nos pegar kkkkk e a anfitriã permitiu que subíssemos para um dos quartos, chegando lá meu namorado trancou a porta e começamos a nos beijar e anos agarrar, mas fomos interrompidos, bateram na porta nos recompomos e Laércio abriu a porta e despachou os inconvenientes, estava fechando a porta e eu louco de tesão o beijei o pescoço ele se virou e começou um beijo de língua que foi interrompido pois alguém empurrou a porta já entrando no quarto pois Laércio não teve tempo de terminar de fechar e para nossa terrível surpresa era minha irmã que deu um grito, pediu para que o rapaz que a acompanhava descer fechou a porta e brigando comigo perguntou o que estava acontecendo gaguejando disse que eu e Laércio estávamos...., mas antes que eu concluísse a frase ela disse aos berros:
_ Chegaaaaaa, não quero saber já para a casa conversaremos la e você _ Disse minha irmã apontando o dedo para a cara de Laércio _ Nunca mais se aproxime do meu irmão, Nunca mais ouviu bem?
Minha irmã abriu a porta e me empurrando me tirou do quarto.
_ Você enlouqueceu? Quer matar nossos pais de desgosto é?
_ E você o que você iria fazer com aquele cara que eu nunca vi naquele quarto hem?
_ Quer comparar Arnaldo? Se eu quisesse matar a mamãe o papai e o vovô desceria la agora e perguntaria o que eles achariam pior eu com um cara ou você se agarrando com outro homem numa festa, o que acham que eles iriam dizer hã? Irmãozinho responde!!
_ Você vai contar para eles?
_ É claro que não ne seu idiota não quero ficar órfã, mas se você voltar àquela academia ou se encontrar novamente com aquele cara eu juro, estame ouvindo Arnaldo, eu juro que acabo com você antes de você acabar com nossos pais, esta avisado!
_ Mas o vovô não vai querer que eu pare a academia.
_ Eu me entendo com o vovô, e outra sabe aquela amiga minha a Bruna que e louca por você?
_ O que tem ela?
_ Vocês estão namorando
_ O que você enlouqueceu?
_ Aqui toma o celular liga para ela e diz que quer falar com ela, ela e louca por você com certeza vai aceitar.
_ Não, não vou fazer isso Amanda.
_ Vai Arnaldo vai sim e agora! Ou prefere que nossos pais descubram seu segredinho? Outra coisa cadê seu celular?
_ Para que você quer ele?
_ Me da aqui – Me tomou meu celular tirou o chip e olhando nos fundos dos meus olhos disse: Se você bancar o engraçadinho e der seu novo numero para aquele viado eu vou chamar uns amigos meus da academia vou mandar dar uma surra nele que ele vai ficar um bom tempo sem se mexer e se bobear ate em você eu mando darem um corretivo para você aprender a ser homem ta me ouvindo? Experimenta me desafiar!

Continua...

Autor: Mrpr2

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:18 de fevereiro de 2014 17:35

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 18/02/2014.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*