Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Meu irmão, meu tezão.

Meu irmão, meu tezão.
Meu nome é Gabriel sempre curti esportes futebol, basquete, natação brincar de bete na rua cresci brincando com estas brincadeiras e hoje sou um profissional do interior, ganho dinheiro com o que gosto ainda não tenho a fama a gloria muito menos a grana dos mais conhecidos que jogam em times grandes, mas jogo minha bolinha. Tenho um irmão chamado caio que é mais novo que eu diferente de mim caio não era muito fã de esportes o único que ele gosta é natação. Caio sempre foi na dele, tímido as vezes penso que o protegi, mimei demais principalmente depois que nossa mãe nos abandonou, sumiu no mundo com o vizinho nos deixando com meu pai que nunca foi um cara carinhoso com nossa mãe , conosco nem mesmo com nossa madrasta que ele arrumou um mês depois que ficou separado.
Meu irmão é meigo e carinhoso alem de lembrar muito minha mãe creio que este conjunto fazia com que a ira de meu pai fosse maior e sempre que ele fazia alguma arte ou as vezes apenas por meu pai estar irritado partia para cima dele e eu claro o defendia. Como nosso pai passou a beber mais frequentemente e por diversas vezes o peguei no quarto do meu irmão batendo nele achei por bem traze lo para dormir em meu quarto e muitas das vezes ele dormia junto comigo.
Muito carinhoso principalmente quando estávamos a sos acabei permitindo varias coisas que talvez não devesse principalmente tomar banho juntos, a dar selinhos e dormir abraçadinhos de conchinha, mas ao mesmo tempo queria que ele tivesse um pouco de afeto carinho e confesso que aquilo também me fazia bem, porem com o tempo percebi que a coisa estava ficando mais seria. Digo isso, pois comecei a me excitar no banho e enquanto dormíamos de conchinha com meu pau duro encostando em sua bundinha arrebitada, Caio por sua vez nem se mexia no começo, mas em algumas ocasiões fazia certos movimentos como se rebolando em minha pica dura o que me fazia sair correndo e bater uma punheta no banheiro para tentar dormir. Nossos selinhos começaram a ficar mais longos e aos poucos se tornar beijos, que só aconteciam quando estávamos a sos era gostoso, mas ao mesmo tempo depois vinha um gosto de culpa.
Para tentar tirar pensamentos que eu não queria em minha cabeça e achava errados iniciei um namoro com Isadora uma garota bonita, estilo “Maria chuteira” que me acompanhava já a algum tempo eu já havia ficado com ela algumas vezes, porem não tinha intenção de namorar com ela, mas nesta situação pensei que ela fosse a melhor opção afinal ela era muito fogosa, safada e gostosa que homem pensaria em outra coisa namorando com ela eu pensei. Este meu namoro me afastou um pouco de Caio no inicio ele ficou chateado nitidamente e ainda mais recolhido me dizendo que eu o havia abandonado, expliquei para ele que sempre estaria com ele, mas que eu precisava de alguém na minha vida e ele também, Caio logo mudou de assunto, mas antes de dormirmos disse que tudo bem que se ela me fizesse feliz que ele ficaria feliz por mim também me deu um beijo na boca e se aconchegou no meu peito se laçou com meu braço logo iniciou seu sono comigo de conchinha com ele.
O tempo passou logo percebi algumas mudanças em Caio, demorava mais a chegar em casa, quem nunca saia passou a ter passeios ate mesmo no meio da semana, sempre no celular escrevendo mensagens ou falando baixo pelos cantos estranhei pois antes nem gostava de atender o telefone dizendo que não era para ele eu perguntava e ele apenas me respondia que eram amigos e quando eu o apertava dizia com um sorrisinho que Isadora estava me chamando.
Um dia cheguei em casa e corri para o quarto pois desde a porta ouvia choro e gritos era meu pai batendo em Caio, eu perguntava o que estava acontecendo e tentava segurar meu pai, mas ele estava fora de si tentando escapar para bater mais em caio gritando que ele era um safado, viado, que não tinha criado filho bixa. Gritei para caio sair, fugir que logo o encontrava. Depois que convenci meu pai que iria conversar com Caio o deixei sob vigia de nossa madrasta e pedi que caso meu pai saísse ela me ligasse.
Encontrei Caio no clube o vigia me disse que havia deixado ele entrar pois ele estava chorando e tremendo muito e cheio de marcas no corpo. Cheguei correndo e o abracei ele gemeu de dor beijei sua testa e perguntei o que estava acontecendo. Caio me disse que nosso pai havia o pegado na cama com seu namorado, ele estava insistindo muito e como Caio também queria resolveu ir la para casa pensando que meu pai iria chegar tarde porem se descuidaram da hora e quando nosso pai chegou guiados pelos gemidos de Caio que tinha esquecido a porta do quarto aberta pegou o namorado metendo em sua bunda. Caio disse que nosso pai arrancou o cinto no mesmo instante e saiu dando cintadas nos dois seu namorado conseguiu pegar somente a calça e saiu pulando debaixo de cintadas, mas ele não teve tanta sorte nosso pai o encantou e se eu não chegasse ele não sabia o que poderia acontecer. Em prantos me abraçou com cuidado pelos ferimentos do cinto. Caio disse que depois que chegou ao clube tentou contato com o namorado mas ele não atendeu mandou então mensagem e recebeu apenas uma dizendo que não queria mais vê lo, não queria problemas nem nosso pai louco na cola dele e para Caio não o procurar mais. Disse a ele que aquilo era apenas raiva do momento e que depois eles se acertariam com mais calma.
Os dias se passaram mas a convivência em casa era cada dia pior meu pai olhava com ódio para Caio e tudo o que meu irmão fazia parecia irritar mais meu pai eu já não conseguia me concentrar no trabalho ou em meu namoro com medo de que meu pai fizesse algo contra Caio em minha ausência resolvi comprar uma casa e me mudar com Caio.
Caio ficou muito feliz com a noticia, mas Isadora não gostou de não permitir que ela viesse morar conosco. O namorado de Cio realmente sumiu nem voltou para a natação. Isadora começou a implicar com Caio e comecei a perceber que ela “dava moral” a outros jogadores o que me fez decidir pelo termino de nosso namoro.
Caio e eu passamos a morar juntos, mas como tinham dois quartos e meu pai não moraria ali decidi que cada um dormiria em seu quarto. Eu chegava do trabalho ele estava fazendo a janta o cumprimentava com um beijo que ele fazia questão de ser na boca, fazia massagem em minhas costas e nas minhas pernas, os dias passando e sem uma mulher para descarregar a punheta não estava fazendo mais efeito já estava subindo pelas paredes sempre de pau duro e percebia que Caio enchia a boca d’gua e vidrava no meu volume, porem fingia não ver.
Um dia chovia e relampejava muito caio apareceu em meu quarto queria dormir comigo disse que não, era melhor ele dormi no seu quarto ele disse que não queria dormir sozinho e um relâmpago fez ele vir se esconder em meu peito.
_ Um marmanjão destes com medo de uma chuvinha um riozinho deste? Kkkkkk
_ Bobo, não é medo só me assustei.
Caio fez aquele biquinho mais lindo e não resisti dei um beijo nele, nos aconchegamos de conchinha sua bundinha arrebitada acordou meu cacete tentava não pensar não pensar naquilo, mas ele mexendo levemente como se estivesse rebolando me dominou e tentei levantar com intenção de ir me masturbar no banheiro um trovão fez com que Caio se segura se em mim dizendo para eu não o deixar sozinho e escondeu seu rosto em meu peito, logo começou a beijar meu peito eu me excitando mais e mais a cada segundo, caio passou a mamar em meus mamilos mordiscando na pontinha dele me fazendo gemer de prazer , foi descendo com sua boca macia ate chegar em minha cueca, a retirou segurou o meu cacete e ficou masturbando queria dizer para ele parar mas as palavras não saiam, Caio tirou o prepúcio deixando a mostra a cabeça de meu pênis rosada e brilhante por já estar babando para fora e lambeu aquilo me alucinou iniciou uma chupada na cabeça do meu pau e logo já o acomodava todo em sua boca quente e macia, lambia minhas bolas minha viria subiu em cima de mim e me beijou ,nos beijamos como nunca havíamos feito antes com carinho, mas com tesão com vontade , meu pau brincava em seu reguinho ele o excitava esfregando sua bundinha nele, estava excitante gostoso esfreguei a cabeça melada do meu pau na entradinha do cu de Caio e aos poucos fui invadindo seu buraquinho, Caio abria sua bunda com as mãos e sentava ate encostar sua bunda em meus pentelhos e começou a rebolar em meu cacete jogava seu corpo para frente e para trás subindo e descendo em meu caralho cavalgava gostoso. Segurei sua bunda e movimentei meus quadris em direção a sua bunda metendo rápido Caio gemia e pedia mais, então levantei o coloquei de frango assado abri suas pernas e as segurei olhando para seus olhos meti freneticamente ele gemia mais e mais ate gozar em meu peito sem ao menos tocar em seu pau logo depois eu gozei enchendo seu cu de porra e cai sobre ele. Caio me abraçou e disse estar muito feliz, pois era o que ele mais queria.
Hoje moro em outra cidade com Caio ninguém sabe de nosso envolvimento sexual, como Caio todos os dias me viciei em sua bunda e sua boca chego em casa louco de tesão o encocho na beira do fogão o viro de frente e dou um beijo ardente em meu irmãozinho. Amo quando estou sentado de pernas apertas só de short no sofá e Caio vem se ajoelha entre minhas pernas e me paga um delicioso boquete. As vezes penso ser errado o que fazemos, penso em arrumar uma esposa e pedir para Caio tentar fazer o mesmo ou que seja arrumar um namorado que não seja eu mas ai olho em seu rostinho de anjo sinto meu coração bater mais forte e vejo que tenho um carinho maior do que de um simples irmão, que ninguém vai respeitar e protege lo como eu, que não é apenas desejo é um sentimento maior é amor.


Autor: MrPr2

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:19 de agosto de 2014 19:20

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 19/08/2014.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • Jeyson Gambeta
    Postado porJeyson Gambetaem4 de novembro de 2014 19:08

    Olá tenho 23 anos e vou te falar uma coisa do coração você não pode se sentir culpado pois você não o pegou forçado e está na casa que vocês se amam mas se você quiser que ele arrume um cara de boa trabalhandor aqui estou nunca namorei sou.

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*