Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

O namorado da minha amiga – A primeira vista.

O namorado da minha amiga – A primeira vista.
Não sei bem como começar, mas tentarei contar como tudo aconteceu. Tenho 21 anos me chamo André sou branco, cabelos e olhos castanhos, magro, com 1,75 de altura, sem pelos. Tinha acabado um relacionamento de um ano e meio, fui demitido e apesar de minha mãe me apoiado sempre a família do meu pai não aceitava minha homossexualidade. Diante desta situação resolvi me mudar para outra cidade com aprovação de minha mãe. Tive muita sorte, já no ônibus conheci Péricles um rapaz muito bonito moreno, 1,80, forte, muito simpático, sentado ao meu lado começamos a conversar ele disse que seu pai alugava casas em uma colônia e pelo preço eu conseguiria pagar sendo o melhor que era perto da faculdade que consegui transferência. Chegamos conheci a casa gostei e aluguei.
Uma semana depois com toda minha mudança me estabeleço na nova cidade, na terça vou ao meu primeiro dia de aula na faculdade, logo na chegada me deparo com um rapaz lindo, branco, 1,90 de altura, braços fortes, peito e ombros largos, que preenchiam toda sua camiseta branca, calça jhins, com um volume que me deixou de boca aberta, mas que logo se fechou ao ver tudo aquilo ser abraçado e beijado por uma garota que devo admitir era bonita. Achei por bem tirar aquele cara da cabeça e seguir em frente com meus estudos, andei pela faculdade em círculos e acabei novamente no mesmo local resolvi perguntar onde era a sala, pois já estava na hora de entrar a garota que perguntei chamou a que tinha beijado o rapaz, que por sua vez foi super simpática e revelou que estava na minha turma de matemática 2 e outras duas matérias, pois como eu vinha transferido algumas matérias já havia feito e outras não ficando em varias turmas soltas.
Lorena me chamou e me apresentou seus amigos e seu namorado, me arrepiei quando Dener me olhou, nos olhamos um dentro dos olhos do outro e senti uma descarga elétrica atravessar em meu corpo, apesar que Dener não foi como Lorena e mal me cumprimentou. Lorena pareceu ter gostado de mim logo de cara e queria saber tudo sobre mim. Conversamos muito entre as aulas que tínhamos juntos, sempre com Dener por perto calado, quando falava era para concordar com a namorada. Duas semanas depois Lorena não desgrudava de mim, nos tornamos um trio e percebendo que Dener não estava muito satisfeito resolvi falar com Lorena meio sem jeito que era melhor eu conversar com ela quando estivesse sozinha, porem minha mais nova amiga disse que era questão de tempo e que logo eu e Dener seriamos amigos o que em minha mente disse que aquilo não poderia dar certo.
Dener parecia não gostar de mim e o fato dele ser o namorado da minha amiga me fez tentar tira lo da minha cabeça e faria isso com a ajuda de Péricles que se mostrou muito interessado e era bem interessante não seria sacrifício algum me envolver com ele. Dener comprou um carro usado, Lorena ficou super empolgada, pois facilitaria o transporte e nem se importou do fato da beleza exterior do veiculo. Realmente o carro não estava muito conservado esteticamente, mas a nivel de mecânica estava bom, mas como na vida social o que vale para muitos e a aparência o carro foi motivo de piada o que não abalou Lorena, mas deixou Dener chateado. Em um fim de semana voltava para casa e encontro Dener com o capo do carro levantado e Lorena em pe encostada na porta. Cumprimentei Lorena que me disse baixo quase sussurrando que o carro tinha estragado e Dener estava nervoso, pois não sabia concertar e não tinha encontrado mecânico aberto por perto pois era domingo. Cheguei perto cumprimentei Dener e perguntei o que havia acontecido, nervoso disse que não sabia que estava tudo certo quando saiu de casa e do nada não queria pegar perguntei se podia ajudar e respondeu que sim sem me olhar olhando para as peças com olhar de perdido foi impossível não contemplar sua beleza com a camisa no ombro seu peito a mostra, suor escorrendo pelo corpo ja nem estava prestando atenção a nada ao meu redor hipnotizado pelo seu corpo, entretido com uma gota de suor que brotou em sua nuca e foi descendo por suas costas ate se perder em sua calça e foi ela entrar e Dener se virar para mim perguntando se eu entenda de carro, sai do transe com sua pergunta e meio gaguejando respondi que sim ele fez uma cara de bravo para mim pois percebeu que eu o olhava então rapidamente olhei para as peças e logo percebi o defeito. Tinham invertido os pólos da bateria pedi para que ele desse a partida com cara de incrédulo foi e o carro funcionou, vi seu belo sorriso brotar, me pediu desculpas e agradeceu e Lorena também me agradeceu alem de me dar um abraço e beijo no rosto disse que não foi nada, me ofereceram carona e eu aceitei pelo caminho contei que meu pai teve vários carros antigos e aprendi muitas coisas. Pela primeira vez conversamos com Dener me respondendo mais que apenas confirmando ou sendo monossílabo. A partir deste dia Dener mudou um pouco, antes parecia que nem notava minha presença e agora ja conversava um pouco ainda retraído e conversas rápidas, mas esta pequena aproximação já deixava minha amiga feliz, pois dizia se sentir incomodada com o desprezo de Dener por mim uma vez que eu era seu amigo. Lorena estava a cada dia mais a vontade comigo e se abria cada vez mais me contando inclusive coisas intimas me pedindo opinião, pois por ser homem minha visão era diferente das suas outras amigas e não sabia explicar, mas se sentia confortável comigo. Suas confissões mexiam comigo ao ponto de me imaginar sendo protagonista de suas historias com seu namorado era inevitável me excitar durante nossas conversas e me desdobrava para disfarçar e batia varias punhetas ao lembrar dos fatos.
Apesar de estar me relacionando com Péricles me pegava diversas vezes olhando para Dener me controlava ainda mais quando estava na aula com Lorena, mas quando ela não estava a coisa ficava mais complicada, ver aquele maço se espreguiçando, colocando seus braços fortes para o alto e depois atrás da cabeça onde fazia com que a camiseta levantasse um pouco deixando um pedacinho de sua barriga perfeita aparecendo eu quase babava, que vontade de sentar em seu colo de frente para ele e beija lo a idéia era tão forte que me imaginei diversas vezes fazendo isso, meu pau pulsava dentro da roupa e meu cu piscava, mas afastava logo esses pensamentos.
Em um sábado a noite estava eu e Péricles em um bar jogando sinuca e por conhecidência Dener aparece com uns amigos sem Lorena pensei que nem fosse me cumprimentar, mas ele se aproximou e falou comigo naturalmente peguei em sua mão e perguntei por minha amiga e obtive a resposta que ela estava fazendo um trabalho da faculdade e hoje era noite de folga com um sorriso de lado, lembrei o com tom de brincadeira que a namorada dele era minha amiga Dener riu e me perguntou com espanto se eu sabia jogar, respondi que sim, pois meu pai tinha um bar e questionei o porquê de sempre se espantar comigo jogar ou entender de carros ele riu desta vez meio sem graça olhando para baixo e disse que eu apenas não tinha cara de que fazia estas coisas resolvi mudar o assunto apresentando Péricles como sendo um amigo e o convidei para uma partida. Jogamos, bebemos conversamos como se fossemos grandes amigos o nome de Lorena não foi mais lembrado por toda a noite, pude contemplar aqueles dois belos exemplares de homem se debruçar, esticar, sorrir demonstrar alegrias e frustrações em volta de mim o que me levou excitação e logo a cerveja começou a fazer efeito e idas freqüentes ao banheiro o que me rendeu pela primeira vez a oportunidade de contemplar a beleza do cacete de Dener seme ereto não sei se foi a cerveja, mas após terminar de urinar ele me deu uma olhada depois olhou para seu membro e uma bela chacoalhada e o guardou, custei a mijar depois de uma cena destas. No fim da noite transei feito louco com Péricles tamanha minha excitação. Não sei se Péricles percebeu algo, mas naquela noite ele estava diferente, com uma pegada mais forte, me beijava intensamente, me chupava com mais vontade, me puxava para junto de seu corpo me fazia chupar seu cacete ate o talo, mamou gostoso em meu pau enfiando dois dedos em meu cu onde quase gozei, seu cunete também foi o mais incrível ate o momento literalmente me fudendo com sua língua toda enfiado em meu cu babando bastante para finalmente me cravar seu caralho duro feito rocha bombando freneticamente, forte e fundo me fazendo gozar duas vezes.
Depois desta noite não sei se foi impressão minha, mas Dener começou a me olhar diferente, começou a conversar mais comigo e pela primeira vez estava puxando assunto. Lorena dizia que agora estava mais tranqüila, pois seu namorado e seu melhor amigo estavam se dando bem. Dener chegou a me chamar para sair fiquei ate sem saber o que dizer de tão pasmo na hora disse que queria repetir a noite da sinuca só homens e para eu convidar meu amigo também fiquei em duvida, mas resolvi pagar para ver e aceitei.
Dener estava diferente, mais solto, descontraído bebendo um pouco mais que o normal, mas pensei que fosse pelo fato de estar longe da presença da namorada e estar mais confiante em mim. Pericles também estava especialmente mais desinibido me abraçando, alisando, chegando a passar a mão em minha bunda claro que briguei com ele mas foi em vão todos caíram na risada pericles, Dener e Julio que estava fazendo dupla na sinuca com Dener, apartir dai as coisas saíram um pouco do controle, os outros dois já um pouco altos pela bebida entraram na brincadeira de Péricles e a cada tacada realizada era um abraço, uma passada de mão e ate aperto de mamilo rolou já estava um pouco tarde o parceiro de jogo de Dener foi embora, mas ele queria continuar no bar ficamos mais um pouco, porem decidi que estava na hora de irmos embora fui no banheiro e em seguida Péricles chegou. Péricles começou me agarrar dentro do banheiro pedi para parar, pois alguém poderia aparecer ignorado o afastei com um empurrão bem na hora que Dener entrou ele não viu Pericles me agarrando pensou que ele estava brincando comigo como fez antes na sinuca fez uma piadinha Pericles riu e saímos. Dener disse que iria se despedir de uns amigos em outra mesa pericles e eu saímos do bar. Pericles me puxou para um beco e me encostou na parede me agarrou por trás e ficou me sarrando falando safadezas em meu ouvido. Sentia seu cacete duro em minha bunda e com tudo que havia acontecido meu tesão foi as alturas me virei e o beijei.
_ Eu sabia! Alguém gritou

Autor: mrpr2

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:20 de dezembro de 2013 12:44

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 20/12/2013.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*