Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Olhos da alma – Amor inesperado

Olhos da alma – Amor inesperado
Me chamo Fabrício tinha 22 anos estava em uma fase amorosa difícil, sem namorado ha dois anos e mal encontrava um ficante. Estava já desistindo de procurar, estava cancelando todos meus cadastros em sites de relacionamento, pois neles só encontrava gente que não queria nada serio, sem uma conversa que me agradasse e eu também não parecia ser o perfil de ninguém, pois quando conseguia um encontro nada rolava. Estava no ultimo site pronto para excluir quando um rapaz me chama para conversar, pensei em ignorar, mas para não me arrepender resolvi responder. O apelido escolhido me chamou atenção "olhos da alma" pensei já é diferente não tem um apelido safado, porem se começar falando sacanagem excluo tudo de vez. Parecia um rapaz educado dissemos algumas coisas que gostávamos e iniciamos uma conversa sobre musica, sem perceber ficamos horas conversando sobre vários estilos de musicas trocamos, musicas e cantores que um não conhecia ou não se lembrava foi ótimo o primeiro contato então o adicionei em uma rede social e cancelei meu cadastro na rede de relacionamento.
Seu nome era Ítalo um belo rapaz de 24 anos, vi todas as suas fotos e um detalhe percebi e comentei depois:
_ Alem de musica você também gosta muito de óculo não e?
_ kkkk sim gosto não fico mais atraente? Me respondeu.
Ítalo me pediu meu telefone e depois de algumas conversas apenas por textos aceitei conversar por voz. Meio tímido atendi a ligação fico muito envergonhado, pois minha voz não é grave e não é raro confundirem com voz feminina não que eu afine propositalmente e apenas uma característica que para ser bem sincero não gosto. Como nos textos Ítalo foi extremamente gentil e com sua voz forte grave, mas ao mesmo tempo aveludada disse que realmente meu timbre não era tão comum, mas conseguia perceber que era um homem falando ao telefone e que apesar de grave não era irritante e sim doce para seus ouvidos que eu não precisava ter vergonha de conversar com ele e ouvir minha voz serviu para aumentar a vontade de me conhecer pessoalmente.
Ítalo me encantava a cada contato infelizmente toda tentativa de encontro era frustrada, sempre surgia um imprevisto para Ítalo ou para mim. Sara minha irmã nunca se conformou com minha homossexualidade e dizia que aquilo era o destino me dizendo que minha escolha era errada, como depois de tanto sofrimento, desilusões e traições eu não percebia, ela dizia então eu a rebatia dizendo que relacionamentos ruins eram independentes do gênero. Fora isso ela me apoiava e sempre me aconselhava em tudo.
Estava em uma loja comprando roupas, explicava a vendedora que estilo cor tamanho eu queria quando escuto: - protagonista, e você? Sou eu Ítalo, quando me viro vejo ele lindo, escolhendo roupas também. _ Nossa que conhecidência, bom em fim nos encontramos.
_ Sim, reconheci sua voz, esta e Zilda minha amiga e faz tudo.
_ Prazer Zilda.
_ Já fez suas compras?
_ Ainda não estou escolhendo
_ Podemos conversar um pouco quando acabar? Sim claro, temos que aproveitar esta chance. Achei estranho Ítalo estar de óculos escuros dentro da loja e de dia, mas nada falei. Comprei minhas roupas e fui me encontrar com Ítalo que já estava na praça de alimentação.
Sentei a mesa Ítalo estava só perguntei onde Zilda estava ele me respondeu que estava fazendo compras. Olhando as atitudes de Ítalo me dei conta de algo Ítalo me perguntou se havia algo de errado, pois eu tinha ficado quieto respondi que não, ele procurou minha mão e fazendo um carinho nela disse que precisava me contar algo que eu parecia já ter percebido, ele era cego, foi em um acidente ha 8 anos atrás. Confesso que fiquei um pouco sem reação no inicio, mas logo estava conversando como em nossas conversas pela net. Ítalo me convidou para acompanha los ate em casa e fui. Tudo muito organizado, limpo e em seu lugar. Ítalo sabia onde tudo estava e nem parecia que era deficiente visual.
Em casa contei a minha irmã que tinha conhecido Ítalo, contei sobre tudo e ela disse que não acreditava que eu iria fazer isso com minha vida alem de me envolver com um homem ele era cego, eu estava ficando louco ela me perguntou. Respondi que não tinha nada de errado com minhas escolhas e o fato dele ser cego era apenas uma questão de nos adaptar um ao outro o que estava me encantando era o seu carinho comigo, sua conversa seus pensamentos e comprovei que pessoalmente ele era lindo também, minha altura, branco pela camisa aberta dava para ver alguns pelos no peito.
Passei a me encontrar com Ítalo e a cada encontro saia mais encantado ate que um dia ele que sempre foi super carinhoso ousou um pouco mais em suas caricias e me beijou, foi rápido ele veio de encontro ao meu rosto e encostou seus lábios no cantinho da minha boca, mas a encontrou e me beijou deliciosamente, deslizado suas mãos em minhas costas, disse em meu ouvido com sua voz de macho:
_ Estava ansioso por isso, mas com medo de que você não quisesse afinal já nos encontramos umas 3 vezes e ainda nada tinha acontecido.
_ Sou tímido, também queria muito isso, porem toda vez que ia tentar algo perdia a coragem.
_ Não precisa ficar tímido comigo, quero você pro inteiro só para mim você concorda?
_ sim eu também te quero só para mim.
Ítalo procurou os botões da minha camisa e foi desabotoando um a um, tirou minha camisa a sua e me abraçou, beijou meu pescoço, beijou todo meu peito ate meu umbigo e me deu outro beijo na boca, se virou de costas colocou minha mão em seu ombro e disse:
_ Vem comigo?
Balancei a cabeça dizendo sim, então e novamente me perguntou vem comigo ou estou indo rápido demais?
_ Vou sim, desculpa respondi sem ser com palavras tenho que mudar alguns hábitos.
Quando chegamos ao quarto Ítalo me beijou e disse que iria querer descobrir meu corpo, deitei na cama e ele com suas mãos foi tocando acariciando e deslizado seus dedos por cada detalhe e me dando vários beijinhos. Sentir seu toque foi maravilhoso, senti coisas antes nunca exploradas sendo tocadas por outra pessoa, então percebi o quanto foi superficial meus relacionamentos passados, não eram simples toques, ele tocava e comentava cada nova textura da pele, cada cheiro, cada gosto do meu corpo e eu o retribui, para completar fizemos um delicioso 69.
Ítalo todo safadinho, foi untou com saliva seus dedos e enquanto me mamava foi introduzindo seus dedos em meu anus, fazia movimentos deliciosos com o dedo primeiro na entradinha e aos poucos foi introduzindo de maneira que fui me acostumando de vagar sem me causar dor, depois procurou um lubrificante na gaveta colocou um preservativo e depois com muito carinho de ladinho foi me introduzindo seu pau, seus movimentos eram uma mistura rápidos depois mais devagar e finalmente fortes ate que gozou dentro de mim sem nenhum momento parar de me acarinhar ou passar a mão em meu corpo e no momento de gozar metendo rápido e fundo apertou meus mamilos meu prazer foi a mil e gozei junto com ele.
Ficamos uma semana como apaixonados, porem algo aconteceu Ítalo sumiu da minha rede social não antedia minhas ligações nem minhas tentativas de contato, fui ate sua casa e Zilda me disse que ele tinha viajado e não sabia de nada, insisti depois de três dias ela novamente disse que não sabia dele, mas ouvi um barulho dentro da casa ela me disse que era a tv. Procurei minha irmã e ela me disse que aquilo área um ilusão que tinha sido melhor assim.
Quase um ano se passou estávamos em dezembro e passei em frente de sua casa com minha sobrinha parei fiquei pensativo em frente da casa de Ítalo, vi um homem de costas na janela parecia ser ele uma lagrima caiu então minha sobrinha disse:
_ Tio conhece o moço que mora ai?
_ Conheci meu bem, mas como sabe quem mora nesta casa?
_ Eu vim aqui uma vez com a mamãe ela disse que era um amigo dela, ele tem um cachorro muito bonito.
_ Tem certeza meu amorzinho que foi nesta casa? Lembra o nome dele?
_ Sim Tio ele chama Bob
_ Há deve ser outra pessoa o dono da casa chama outro nome.
_ Não tio, Bob é o cachorro o moço ouvi minha mãe chamando ele de Italiano, Italino
_ Ítalo
_ Isso o senhor conhece?
_ Vamos amorzinho preciso conversar com sua mãe.
_ Sara o que você disse ao Ítalo?
_ Que historia de Ítalo é essa agora Fabrício?
_ Gloria me disse que vocês foram na casa dele.
_ Ela deve estar se confundindo.
_ Sara! Vamos me diga a verdade!
_ Fiz o melhor para você, ele não serve para você Fabrício você precisa encontrar uma mulher ter uma família, alem disso ele e cego sabe o que significa? Que você terá que cuidar de você e dele, nunca terá uma família, filhos nada e quando você ficar velho quem ira cuidadar de você? Acorda meu irmão
_ Sara o Ítalo cuida dele sozinho, ele não e um invalido, ele tem algumas limitações, mas ele faz de tudo sozinho, tem uma pessoa que o ajuda alem disso terei eu que o amo, nos dois um cuidara do outro.
Sai e fui para a casa de Ítalo novamente Zilda disse que ele estava viajando, chorando pedi licença e passei por Zilda a afastando da porta.
_ Ítalo meu amor por favor eu já sei que foi minha irmã que veio aqui cadê você?
_ Fabrício vai embora, não quero que você sofra.
_ Sofrerei longe de você meu amor.
_ Sua irmã é contra, me disse um monte de coisas e ela tem razão, não posso cuidar de você, você e tão especial merece alguém que o faça feliz.
_ E esse alguém é você.
Disse isso e o abracei e beijei, Ítalo chorando também me abraçou forte.
_ Senhor desculpe me meter, mas não o faça isso com vocês, os dois merecem ser felizes juntos, o Sr é um homem independente, honesto, educado maravilhoso e pelo pouco que conheço de Fabrício ele e um amor de pessoa me partia o coração dizer para ele que o sr tinha viajado, me desculpa Fabrício não devia ter concordado.
_ Obrigado Zilda e para de me chamar de senhor.
Dei um beijão em Zilda. Ítalo e eu fomos para o quarto e matamos a saudade, depois ele me mostrou Bob seu cão adestrado que tinha chegado depois do ultimo dia que tinha nos visto.
Os dias se passaram colocamos nossa conversa em dia, praticamente me mudei para a casa de Ítalo, mas para dar sua privacidade decidi pelo menos por um tempo manter minha casa oficial. Passei o natal e o ano novo com Ítalo, Zilda e sua família, pois Ítalo era filho único e seus pais já eram falecidos, depois da virada do ano Ítalo me disse que havia preparado uma noite especial para nos. Voltamos para casa dele e o quarto estava repleto de fotos nossas minha e dele, rosas, pétalas pela cama e chão, um aromatizador cheiroso. Ítalo colocou para tocar uma seleção de musicas românticas que já havíamos montado pelas nossas conversas como nossas musicas preferidas. Disse que queria que eu naquela noite me sentisse mais especial e o sentisse de uma forma mais intensa me perguntou se eu gostaria de usar uma venda o que aceitei e enquanto a colocava em mim me disse que uma coisa era certa com a falta da visão outros sentidos se aprimoram o toque é sentido com maior intensidade e tudo se transforma.
Realmente após alguns minutos com a venda dançando com Ítalo intensifiquei minha atenção em outros sentidos, seu perfume ficou ainda mais gostoso, passei a ouvir ate a batida do seu coração que estava um pouco acelerado, aos poucos Ítalo foi retirando minha roupa, e como na primeira vez tocando em cada cantinho do meu corpo, mas desta vez de varias formas diferentes, deslizava suas mãos quentinhas, depois seu rosto, seus lábios, sua língua a cada forma uma textura diferente, um calor, uma sensação, tentei imita lo, claro que risadas tomaram conta do quarto tudo aquilo me fez relaxar ainda mais, a introdução de seu pau foi deliciosa sem nenhuma dor, seus movimentos ritmados e fortes só me deram prazer, uma sensação maravilhosa nunca antes sentida muito mais intensa do que em qualquer outra transa mas o melhor foi o final. A sensação mais gostosa do mundo foi ouvir eu te amo deitado de conchinha sentindo, o penes dele dentro de mim quentinho, o coração de Ítalo batendo, seu calor em minhas costas, seus braços me envolvendo e seu perfume delicioso isso tudo fez com que fosse meu melhor inicio de ano e o começo de uma linda e intensa historia de amor que estou vivendo a cada dia ao lado do meu amor a dois anos.

Desejo a todos um Feliz ano novo cheio de paz, alegria e muito amor, existe pode ser sentido e aproveitado por todos basta acreditar e dar uma chance.



Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:27 de dezembro de 2013 16:48

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 27/12/2013.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*