Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Safados cheios de tesão.

Safados cheios de tesão.

Safados cheios de tesão.

Meu nome e Frederico, mas me chamam de Fred tenho 36 anos e estou em meu 2 casamento. Me casei da primeira vez muito cedo, era muito baladeiro, ainda sou mas naquela época muito mais, para mim não tinha tempo ruim, não tinha festa chata, era chuva ou sol, noite ou dia, se eu estivesse disponível eu estava lá dançando, mexendo, beijando, me divertindo. Estava em uma festa do pijama ficando com uma garota nossa bebida acabou e fui pegar mais, chegando na cozinha encontrei um cara com a cabeça e parte do corpo enfiado no freezer com a bunda empinada para fora apenas com uma cueca samba canção, eu com uma calça de moletom sem cueca já excitado o encochei perguntando com maior naturalidade se ele conseguia pegar uma cerveja bem gelada para mim também, ele não reclamou da encochada e sim rebolou sentindo meu cacete duro por cima da calça pegou a cerveja me deu e em agradecimento beijei o na boca, mas minha ficante viu e não quis mais ficar comigo parti então para a próxima conheci então Angelina, loirinha dos olhos verdes por traz de uma grossa lente de óculos, magrinha, sentada no sofá Todos estavam dançando, bebendo, curtindo menos Angelina que estava sentada com ar de perdida, me aproximei e comecei a conversar no inicio ela se mostrou incomodada, mas com o decorrer da conversa uns elogios e alguns refrigerantes depois Angelina ficou mais à vontade comigo e iniciamos ali o que mais tarde se tornaria um namoro onde lhe ensinei varias coisas pois ela nunca tinha namorado antes, o namoro começou brando mas aos poucos foi esquentando e depois de alguma insistência de minha parte e varias manobras transamos.
Durante nosso namoro principalmente no inicio eu continuava minha vida mundana muitas vezes deixava Angelina em casa e cheio de tesão ia a caça e transava fosse com homem ou mulher. O tempo passou Angelina acabou descobrindo minhas puladas de cerca separamos algumas vezes por conta disso, mas voltamos a ultima volta foi rápida e terminamos na mesma semana, porem teve conseqüências Angelina tinha parado de tomar anticoncepcional e na noite da nossa volta na segunda transa não lembramos do preservativo resultado? Gabriel, Angelina engravidou descobrimos depois quando já estávamos separados eu sabia que o filho era meu por conhecer a índole de Angelina, mas como era muito novo estava com 19 anos meus pais exigiram um DNA que foi feito e comprovado minha paternidade com isso a pressão do casamento foi de ambas as famílias.
Casamos dois meses depois do nascimento de Gabriel por um tempo fiquei quieto, mas meu fogo era maior, por mais que me controlei ver aquelas coisinhas lindas de sainha curta rebolando na minha frente, aqueles caras com maior pinta de boy me dando moral não agüentei voltei a pular a cerca, mais cuidadoso desta vez. Acontece que como o mal feito nunca fica encoberto por muito tempo, começaram a fazer fofoca e minha esposa armou e me pegou. Tinha marcado com uma gatinha no parque, mas ela me deu um bolo, descobri mais tarde que a tal gata era na verdade uma amiga da minha esposa cúmplice da armação, Porem quando minha mulher iria me flagar fui atrás de um rapaz de uns 18 anos branquinho, começando a ficar fortinho, boné para trás, mostrando um pedacinho da cueca branca, pirei e fui na cola dele, mas minha mulher foi nos seguindo sem que ele ou eu percebêssemos. Paramos em um lanchinho dentro do parque ficamos conversando e por fim o bote convidei e o carinha aceitou ir lá para casa. Fui de moto com o carinha na garupa e minha esposa de carro, devido ao transito e ela não querer que eu percebesse sua perseguição cheguei bem primeiro que ela. O carinha e eu demos uns bons amassos nos mamamos gostoso em um 69, lambi bem seu rabo e deixei seu cu bem abertinho com meus dedos e um lubrificante, me posicionei e comecei a meter em sua bunda gostosa, estava quase gozando quando minha mulher entra no quarto, o cara desengatou do meu pau pegou a calça e a camisa no chão e saiu correndo pelado, minha mulher ainda conseguiu acertar uns murros nele mas deixou ele sair pois o alvo principal era eu. Não teve jeito houve o divorcio e eu com apenas 21 anos estava divorciado.
A confusão foi tão grande que tive que tive que mudar para o outro lado da cidade, bom com o divorcio entrei de cara na farra o problema e que como não estava sobrando para pagar a juda com Gabriel ela entrou na justiça cobrando pensão, tive que me dedicar mais ao trabalho, reduzir a farra e para me redimir alem da pensão pagava uma baba para meu filho. Marcelly tinha 20 anos morena dos cabelos negros parecia uma índia, peitos fartos empinados uma bunda empinadinha que me deixava alucinado, claro que desde o primeiro dia comecei a cerca la e não deu outra sempre que ela vinha trazer meu filho nos finais de semana era só Gabriel dormir que eu tomava conta da baba kkkkk.
Minha ex percebeu que Marcelly e eu estávamos de rolo então foi logo fazendo passando meus antecedentes para a baba a fim de acabar com a minha festa, o que minha ex não sabia era que ao invés de me atrapalhar estava me ajudando, pois Marcelly era muito fogosa, gostava muito de sexo, de todas as formas sempre teve carias fantasias, porem não conseguia realizar devido seus namorados não aceitarem.
Marcelly ficou cada vez mais ousada no sexo com as revelações de minha ex. Estávamos transando fazendo 69 quando ela apos chupar meu cacete e meu saco se direcionou ao meu cu lambeu enfiou a língua não encontrando resistência de minha parte começou a brincar com meu buraco enfiando seus dedos me tirando gemidos. Esta brincadeira passou a ser parte de nossas transas então passou para uma segunda faze comprou um consolo que a principio era apenas usado em Marcelly, mas que ela com uma carinha de safada me convenceu a usar também a partir dai sempre rolava em nossas transas o chamado fio terra a penetração do dedo de Marcelly em meu cu e também do consolo. Marcelly me confessou que uma de suas fantasias era de transar com mais de um homem, mas nenhum de seus namorados anteriores toparam inclusive este desejo foi cause de alguns rompimentos e não se importaria se eu quisesse ser comido também ate acharia interessante ver de perto isso acontecer, fiquei um pouco espantado com a sugestão de inicio embora já tivesse feito isso encontrar uma mulher disposta a compartilhar seu namorado com outro homem não é tão comum, mas a disposição não era a toa pois queria algo em troca ter dois homens a penetrando.
A conversa que tive com Marcelly foi no domingo fiquei com aquilo martelando minha cabeça segunda a noite liguei e disse que topava mas teríamos que encontrar alguém de confiança eu não iria sair transando nem dividindo minha namorada com qualquer um, Marcelly disse que já tinha alguém em mente porem iria conversar com ele primeiro. Na sexta feira Minha namorada chegou toda excitada me agarrando e beijando, disse que tinha conversado com um primo dela que era louca para transar com ela, mas nunca tinha rolado nada segundo ela, ele era bisexual, negro todo definido e tinha um volume enorme. Fiquei excitado de imaginar o tal primo mas com medo afinal já não dava a algum tempo então minha namorada me disse para irmos treinando e metemos muito eu em sua bucetinha, seu cuzinho e ela em meu rabo com o consolo assistindo a filmes bisexuais onde os atores faziam uma suruba muito inspiradora.
No sábado conheci Emanuel, a descrição fazia jus ao monumento ébano que apareceu em minha frente que estava trajando uma camisa branca toda preenchida por seu peitoral e sua calça jhins quase explodindo com seu volume tanto na frente quanto atrás. Conversamos um pouco em um barzinho, bebemos algumas cervejas e logo estávamos mais a vontade, Emanuel era muito simpático, já passava a mão na perna e nas coxas de Marcelly que por sua vez me excitava com sua mão em meu cacete por cima de minha calça. Fui ao banheiro, percebi que meu mais novo amigo me seguiu com os olhos em questão de minutos la estava ele no banheiro, já chegou me dando uma encochada segurando firme minha cintura e trazendo para junto de seu corpo, deu uma balançada em um pau para cair as ultimas gotas de urina, se posicionou no vaso ao lado e tirou uma anaconda da calça, aquilo não era real era enorme, não era muito grossa, mas grande, minha boca encheu d’agua um cara entrou eu disfarcei e voltei para a mesa, sentei e já enviei a mão entre as pernas de Marcelly e disse em seu ouvido se prepara pois hoje a noite promete.
Emanuel voltou pedimos a conta e fomos direto para um motel, entramos e enquanto Marcelly foi tomar uma ducha Emanuel e eu nos pegávamos, eram beijos chupados, com sua língua grossa e enorme entrando e saindo de minha boca, passeando por todo meu corpo, e eu não me fazia de rogado e beijava e chupava com o mesmo vigor, após ficarmos totalmente nus iniciamos um 69 delicioso aquela boca carnuda sabia dar prazer a um homem, Marcelly saiu e foi minha vez de tomar uma ducha e logo depois foi a vez de Emanuel, quando nosso amigo voltou Marcelly e eu estávamos fazendo um 69, minha namorada mamava meu cacete e eu sua xaninha Emanuel caiu de boca no rabo de Marcelly enfiava sua língua em seu buraquinho, beijava sua bunda e vinha de encontro com minha boca onde nos beijávamos, Emanuel começou a enfiar seus dedos longos no cu minha namorada o que a fez gemer ainda mais pois eu já arrancava suspiros fazendo oral em sua buceta, Marcelly não agüentou mais e pediu para ser enrabada.
Emanuel deitou e Marcelly encaixou sua buceta em sua anaconda, nunca imaginei sentir tanto prazer em ver uma namorada minha recebendo uma geba daquelas, mas foi lindo ver aquilo tudo sumir em sua bucetinha e ver a cara de prazer que ela estava sentindo, beijei minha namorada e ofereci de pe meu para ela chupar meu pau, depois de algum tempo com Marcelly cavalgando na pica do negão, eu já em ponto de bala devido sua boquinha em meu pau me posicionei atrás de minha namorada pedi para que ela empinasse a bunda e começamos uma dp, Emanuel na buceta e eu no cuzinho de Marcelly que não mais gemia e sim gritava de prazer, depois de algum tempo naquela meteção minha namorada da um beijo em Emanuel e pede:
_ come meu delicinha para eu ver? come?
Emanuel não esperou ela pedir duas vezes, me colocou de quatro e preparou meu rabo enfiando seus dedos, cuspindo e depois cravou sua língua, literalmente me fudeu com aquele cunete, nunca senti algo igual aquela língua quente,áspera e grossa entrando e saindo do meu cu, era fora do normal o tesão que aquilo me deu, Emanuel disse que seria mais fácil a penetração de lado, lubrificou bem meu cu se deitou atrás de mim colocou seu cacete na portinha e começou a enfiar segurando uma de minhas pernas para cima, para me ajudar Marcelly veio chupar meu cacetinho estava um pouco complicado mas ela com a maior boa vontade conseguiu uma posição. Doeu muito mas depois de um tempo já era fodido com gosto por aquele negão gostoso e pedia mais e mais forte o que era atendido, parecia mais feliz com meu rabo que com a buceta de Marcelly, quando anunciou o gozo tirou de dentro do meu rabo, tirou a camisinha e melou todo meu peito com muita porra que foi lambida por Marcelly. Depois de descansarmos e tomarmos uma ducha juntos onde rolou muito beijo, chupação e mão em todos os lugares imagináveis fomos para a segunda parte da noite onde eu comi Emanuel de ladinho enquanto ele comia Marcelly, que rabão gostoso era aquele, meti muito e forte assim como ele tinha feito em mim. A noite foi maravilhosa, meu cu ardeu por uns três dias e ficou bem aberto e vermelho, Marcelly riu muito vendo o estrago feito por Emanuel, ela não permitiu que ele comesse seu cu. Emanuel se tornou nosso amigo intimo e repetimos varias vezes fodas como essa. Marcelly e eu nos casamos e hoje realizamos todas as nossas fantasias juntos sem nenhum taboo, sem preconceitos somente com muito respeito, carinho sem drogas e violência apenas amor, desejo e muito tesão.

Autor: Mrpr2

Bisex, bi, bisexual, dp, 69, mrpr2, buceta, pica, cacete, xaninha, contos do mr pierre, negro, sarado, homem, mulher, Safados, tesão,

Sobre este texto

mrpr2

Autor:

Publicação:27 de novembro de 2013 22:23

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Gays

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 27/11/2013.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*