Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Fetiche de Flavia

Fetiche de Flavia
Já eram seis horas da tarde, o cansaço mental de um longo dia de trabalho me atingia e eu só pensava no que iria fazer agora livre das amarras da rotina. Me levanto rápido da minha mesa e vou para o estacionamento. Ligo meu carro e em poucos segundos já estou rodando pelo centro da cidade, ainda planejando para onde ir.
Sinto um frio na boca do estomago, repasso o meu plano para aquela noite. Aquele era o dia de fazer algo extremamente fora do comum para mim. Me lembro da conversa com a minha esposa Flavia hoje de manhã;
- Hoje vou trabalhar até tarde, muitos documentos pendentes.
- Que horas você vai chegar? – Pergunta minha esposa com as mãos em seus cabelos ruivos.
- Não sei ao certo, mas não precisa me esperar – Respondo em tom firme.
Amo muito a minha esposa, mas a rotina chata do casamento, foi como de costume o tornando tedioso para ambos, e hoje eu decidi que não voltaria para aquela monotonia onde Flavia ficava vendo TV até tarde, enquanto eu navegava na internet esperando o horário de irmos para a cama e talvez teríamos alguma relação sem muita ação.
- Hoje eu quero sexo selvagem – Digo sozinho no carro enquanto rodo pelo centro tomando coragem para realizar uma fantasia proibida.
Olho novamente no relógio, já são 7 da noite e já escureceu. Volta o frio na barriga, a final de contas sempre fui um homem muito conservador e que sempre fez tudo certo. Mas naquele dia sei que isso iria mudar, eu queria algo errado e sujo diante da minha concepção conservadora, queria o prazer do proibido.
Começo a transitar pelas ruas paralelas ao grande centro, a essas horas já começam a aparecer garotas de programa e travestis nas ruas, o clima vai se tornando aquele de cidade grande cheia de pessoas fazendo coisas consideradas erradas e estranhas. Começo a diminuir a velocidade e a observar aquelas “criaturas da noite”, o clima de suspense e de estar prestes a fazer algo errado me excita e vai me deixando ansioso.
- Está na hora! – Digo para mim mesmo, tentando me convencer.
Vou deslizando com o carro analisando aquelas mulheres, todas com pouca roupa e com atitudes vulgares bem no meio da rua. Admiro algumas pernas e seios à mostra, fico indeciso sobre como aborda-las.
Em poucos minutos eu vejo uma em especial que me salta aos olhos. Talvez o cabelo vermelho tenha me atraído inconscientemente já que era tão familiar para mim, ou seja apenas por toda a sensualidade daquela bela fêmea se exibindo em uma esquina. Ela usava um casaco preto bem grande que chegava ao meio de suas pernas, ele estava aberto deixando bem visível um sutiã vermelho em couro e uma saia preta também em couro. Para completar um belo par de botas com salto pretas tornavam aquela mulher cheia de curvas bem desenhadas irresistível.
Aproximo o meu carro da jovem prostituta e como um adolescente ansioso abro o vidro do carro olhando para o lado discretamente.
- Oi gatão, está afim de uma brincadeira? – Pergunta a garota naquele típico tom de prostitutas de rua.
Meu coração acelera e eu tento não parecer nervoso;
- Você é linda, quanto é essa diversão? – As palavras saltam da minha boca, e eu me assusto com a coragem recém-chegada.
- Para um príncipe como você é 100 reais o programa comum por uma hora. Ou 50 só um boquete gostoso. Agora se você quiser um programa completo sai por 200 fofo.
- E o que tem nesse programa completo? – Pergunto ainda nervoso, sinto que devo sair daquele lugar logo.
- Vai ter um boquete bem gostoso, uma foda quente e se seu pau não for muito grande ainda pode rolar um cuzinho amor e sem tempo marcado – Diz a garota tranquila enquanto me seduzia com o olhar.
Paro por um instante, aquela garota estava me hipnotizando com seu “jeito de vadia”, ela era sensual em cada palavra e seu olhar era penetrante com um belo lápis de olho desenhando aqueles olhos marcantes.
- Ok vou querer o completo – Digo decidido, pois já estou receoso por estar naquele lugar tão sujo moralmente.
A garota entra no carro, e eu acelero, sem nem saber para onde ir exatamente.
- Tem um lugar aqui perto se quiser, é bem barato – Diz a jovem enquanto abria as pernas para me provocar.
- Não obrigado, vou te levar em um motel de verdade – Respondo em tom de superioridade.
- Ah que delicia, adoro homens refinados – Diz a garota segurando o meu braço.
Tomo direção de um motel de alto padrão da cidade, não era minha intenção gastar muito com esse programa, mas a euforia fala mais alto.
- E então qual o seu nome? – Pergunto tentando ser menos tímido e desviando o foco dos meus pensamentos.
- Qual nome você prefere? – Pergunta a jovem sorrindo para mim enquanto passa os dedos pelo sutiã vermelho.
- Nenhum em especial, mas isso não vai ser importante – Respondo sorrindo, tentando me soltar naquela situação tão constrangedora e excitante ao mesmo tempo.
- Ok, e o seu nome quer me dizer? – Pergunta a garota com aquele belo sorriso.
- Bruno – Respondo sem pensar se deveria ou não dizer meu verdadeiro nome. Mesmo dirigindo estou hipnotizado por aquele belo rosto.
- Gostei do nome, e você quer algo em especial Bruno?
- Bom, eu quero sexo fora da rotina ... e quero que você me obedeça – Digo olhando para ela.
- Hm, adorei! – Diz a garota demonstrando entusiasmo.
- Adoro ser dominada Bruno.
Faço outra curva e já estamos na entrada do motel mais luxuoso da cidade. Olho para o lado e percebo entusiasmo no rosto da jovem garota que se inclina no banco.
- Adoro esse motel, faz séculos que não venho aqui – Vejo sua animação e peço uma das melhores suítes e em poucos segundos estamos descendo do carro.
- Vou tomar uma ducha pode ficar à vontade – Digo ainda nervoso.
- Ok lindo eu vou te esperar aqui para receber minhas ordens como uma boa menina
Vou para o banheiro e ligo a ducha quente, enquanto me lavo começo a refletir sobre aquela situação. Eu era um homem casado, fechado em um quarto de motel com uma prostituta. A excitação toma conta de mim mais uma vez, penso em como iniciar um contato com ela e se eu realmente vou conseguir me soltar por completo diante dessa situação.
Fecho a ducha e começo a me enxugar, enrolo a toalha na cintura e saio do banheiro, ao abrir a porta me deparo com a jovem garota totalmente nua na cama, ela estava com as pernas abertas deixando bem a mostra sua buceta vermelha, seu belo par de seios rosados empinados me deixaram doido de tesão. Ela se levanta e fica sentada na beira da cama.
- Nossa adorei seu peitoral – Diz a garota que reluzia sensualidade.
- Obrigado – Respondo sem graça, tentando ir direto ao assunto pergunto:
- Quer que eu acerte o valor agora?
- A seria legal – Ela responde em tom de ternura.
A situação me excita ainda mais, estar pagando por sexo era novidade para mim e com aquela linda fêmea que a cada movimento me seduzia.
- Ok – Respondo já pegando minha carteira e entregando o valor combinado.
Ela confere o dinheiro, dobra e guarda em sua pequena bolsa que estava no criado ao lado da cama, depois volta para a cama e já fica de joelhos no colchão, deixando seu belo corpo totalmente a mostra.
- E então o que meu chefe quer de sua escrava? – Aquele olhar submisso e seu jeito totalmente entregue me provocam de uma maneira que jamais aconteceu. Logo chego perto dela e deixo a toalha cair, revelando meu pau já babado e duro.
- Nossa que pica grossa! – Diz a jovem já segurando meu pau e o admirando.
- Nossa com essa não vai rolar anal não – Diz ela olhando para mim.
- Isso quem decide sou eu, agora chega de falar e começa a mamar seu dono - Respondo em tom firme mesmo sem saber qual seria sua reação.
Para minha alegria ela obedece e começa um boquete muito gostoso. Ela chupa o cacete inteiro, ela começa a lamber ele por completo, para de repente para cuspir nele e já volta a chupar com muita preção e velocidade.
Vou me perdendo naquele boquete e meu pau pulsa com toda a destreza da garota de programa, sinto um tesão muito forte e quero comer aquela vagabunda mais do que tudo.
- Se vira – Digo com a voz falhando de tanto prazer.
Ela obedece e logo está de quatro para mim, fico admirando aquela bunda deliciosa empinada enquanto lubrifico meu pau com saliva, mas, quando me preparo para enfiar ela se vira e diz:
- Tem que pôr camisinha amor
Como pude esquecer? Volta ao normal e vou até a mesa central, pego uma camisinha e coloco no meu pau que já está a ponto de gozar por toda aquela excitação.
- Agora sim pode meter – Diz a prostituta empinando ainda mais a bunda.
Aperto aquele quadril com força e enfio meu pau com um único movimento. Ela solta um urro enquanto eu soco nela sem nenhum sinal de piedade. A sensação de domínio e de estar com uma prostitua me leva a loucura novamente, e eu fico metendo com muita força e em ritmo acelerado por um bom tempo. A jovem geme muito gostoso e solta alguns gritos conforme aumento e diminuo o ritmo.
- Aí que pau delicioso meu dono – Geme ela com a voz ofegante.
- Está na hora de mudar vadia – Digo já sem nenhum tipo de pudor nas palavras.
Viro a puta na cama com um único movimento e vou para cima dela, enfio meu pau em sua bucetinha que nesse momento está completamente encharcada.
- Isso me fode meu dono, me fode assim que eu vou gozar - Diz a garota levantando a cabeça e fechando os olhos enquanto mergulhava em um belo orgasmo.
Fico surpreso por um momento, ela gozou bem rápido, parecia que aquela excitação não estava apenas em mim.
- Isso goza sua putinha – Digo ofegante enquanto sinto o corpo dela tremer por completo e ficar mais quente.
Tiro o meu pau da sua buceta e enfio com camisinha e tudo em sua boca, ela mama o próprio gozo por alguns minutos, até que eu resolvo meter mais.
Ficamos naquela posição por mais alguns minutos quando ela começa a gritar novamente:
- Estou gozando de novo, aí caralho que gostoso seu safado.
Me levanto para ver o rosto dela totalmente suado e se contorcendo em outro belo orgasmo.
Viro ela de lado e fico por trás, então vou ao seu ouvido e digo:
- Agora eu quero seu cuzinho.
- Não dá essa rola é muito grossa, vai doer.
- Eu estou mandando – Respondo em tom firme já enfiando meu pau na entrada do seu cuzinho.
A prostituta me para com a mão e vai deslizando para trás para o meu pau entrar nela aos poucos, resolvo esperar pois quero muito comer aquele cu apertado.
- Aí que rola grossa, vai ter que me pagar uma gorjeta por isso – Diz ela tentando acomodar meu pau no seu pequeno cuzinho.
- Tudo bem, quanto a mais? – Pergunto contente por ter conseguido aquilo.
- Quero R$50,00 a mais ok?
- Tudo bem – Respondo animado por estar fazendo aquilo.
Aos poucos ela consegue abrir o cu e meu pau entra por completo, a sensação é maravilhosa, aquele cuzinho aperta tanto que vai tirando a minha camisinha. Aos poucos eu volto a ser tomado por um instinto animal e começo a meter com muita força nela.
- AI MEU CU SEU SAFADO, está arrombando meu cuzinho – Grita a jovem puta me deixando ainda mais doido.
Me levanto e deixo ela de quatro, enfio novamente meu pau no seu cu que agora já está aberto. Volto a socar meu pau com força nela, e ficamos nessa posição por mais alguns minutos até que ela olha para trás e diz:
- Por favor, não aguento mais dar o cu – Sua súplica me dá ainda mais tesão e eu resolvo meter mais forte dizendo.
- Tem que aguentar vagabunda eu estou te pagando para você me dar esse cu gostoso.
- Eu sei, mas não aguento mais, seu pau é muito grosso... aí por favor eu faço qualquer outra coisa – implora a jovem com feição de dor.
Resolvo parar, afinal de contas eu não pretendia machucar ela, tiro meu pau do cuzinho dela e tiro a camisinha.
- Vem mamar mais – falo balançando meu pau para ela na beira da cama.
A jovem não se faz de rogada e volta para um belo boquete até que eu não aguento e digo que vou gozar.
- Na minha boca não, pode ser no meu rosto – diz a prostituta.
- Na sua boca sim, eu poupei seu cuzinho agora você vai beber toda a minha porra – Respondo firmemente.
- Aí ok, eu vou mamar seu leite meu dono - Diz a garota fechando os olhos e abrindo a boca.
Sinto meu corpo esquentar por completo e tenho um orgasmo feroz, enquanto urro vejo todo o meu espera indo para a boca da garota que engole tudo sem reclamar.
- Mama tudo vagabunda – Digo louco de prazer com aquela cena maravilhosa.
Ela termina de mamar engole tudo e fica chupando meu pau e olhando para mim. Eu já extasiado de prazer resolvo sentar na cama.
- Nossa você gozou pra caralho, encheu minha boca – diz a garota rindo da situação.
Ela se levanta e me dá um beijo no rosto e vai para o banheiro. Fico na cama pensando no que acabo de fazer, tive o melhor orgasmo da minha vida comendo uma prostituta de rua.
Pego minha carteira e separo mais R$50,00 que combinamos pelo anal. Quando ela sai do banheiro vem em minha direção e pega a nota dizendo:
- O que mais o senhor quer de mim? – Diz ela com um sorriso safado.
Olho no relógio, já são 11:00 da noite e acho melhor parar por ali.
- Sinto muito putinha, mas tenho que ir embora agora, ou minha esposa vai achar muito estranho.
- Ah que droga estava tão gostoso – diz ela fazendo um olhar infantil de garota magoada.
- Pois é, bom eu pago o seu taxi para você ficar feliz.
- Aí que amor que você é – diz ela me abraçando para agradecer.
Ela se veste e vai para o banheiro retocar sua maquiagem forte, enquanto eu tomo outra ducha.
Ela aparece na porta do banheiro e diz:
- Meu taxi chegou, bye bye meu chefinho gostoso
- Bye safada – Digo rindo por toda aquela situação.
Me arrumo e vou para casa, já é meia noite quando finamente entro em casa, e escuto a televisão da sala ligada, me aproximo e me deparo com a jovem prostituta largada no sofá em um sono profundo. Vejo suas botas ao lado e sua pequena bolsa aberta com os R$250,00 que ganhou de mim naquela noite. Me aproximo e começo a fazer carinho naquela garota de programa safada que na verdade é minha bela esposa.
Esse foi sem dúvida o fetiche mais diferente que fizemos até agora, mas que me marcou muito, afinal de contas adorei pagar por sexo para uma puta que existia no interior da minha safada mulher. E fico muito feliz de saber que aquela prostituta é totalmente exclusiva para mim.

Sobre este texto

Oliver

Autor:

Publicação:19 de abril de 2016 17:07

Gênero literário:Depoimento erótico

Tema ou assunto:Fetiches

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 19/04/2016.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • adriano
    Postado poradrianoem23 de maio de 2016 01:42

    Soy tarado numa bunda de casada 031989517617 watizap adoro corm una puta por tras bem forte goza ña sus bumda meu pau e grosso mais nao e grande nao vai ti machuca muito me liga me chama no zapa sou belo horizonte

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*