Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

A fotografia

A fotografia


Eles se olhavam nós olhos e era como fogo que invadia a alma e o desejo acendia. Eles pouco se conheciam, conversaram por longo tempo na internet. Os assuntos eram diversos e sempre ligados às artes... Mas o desejo de se conhecerem era sem duvidas de ambos e foi em algum desses momentos de atitude que resolveram se conhecer. Ela mulher bonita e elegante de olhos verdes, pele clara e curvas que não lhe entregavam a idade. Um sorriso discreto entregava sua alegria no encontro. Ele um homem determinado e forte, olhava para ela com um sorris largo em seu rosto sem disfarçar a alegria que sentia ao ver como ela era bonita! Foi logo a envolvendo em um grande abraço e com suas mãos fortes a apertou contra seu corpo. Era um abraço amigo e acolhedor, mas isto mexeu com ambos e os corpos se afastaram para um olhar cumplice e um sorriso de ambos. Um beijo terno em sua face selou aquele encontro naquela tarde de um dia qualquer em algum lugar do Brasil.
Click, click, click... Assim foram os primeiros disparos de sua maquina. Era um sorriso tímido e preocupado. Ela acanhada com tudo que estava para acontecer e ele procurando descontrair sua modelo brincava com seu sorriso e seus lindos olhos verdes... Ela tirou a blusa e de costas ainda envergonhada, ele se aproximou e passou em suas mãos o vermelho da pasta de urucum. Uma pasta que os índios no Brasil fazem a partir da semente da fruta do urucum... Jogou um pouco de água e esfregou as mãos uma na outra extraindo a tintura que iria passar em sua pele branca. Ao tocar seus ombros, ainda de costas, um leve arrepio brotou de sua nuca, uma sensação deliciosa e ao mesmo tempo o medo daquelas mãos grandes que aos poucos vou tingindo sua pele de vermelho e explorando seus ombros e costas... Ela se adiantou e fez os mesmos gestos e com suas próprias mãos tratou de se pintar os seios e barriga, um desejo de se deixar pintar toda passou por sua cabeça. As mãos fortes pintavam agora seus quadris e as polpas de suas ancas não deixando nenhum lugar sem o vermelho do Urucum descendo por suas cochas criando uma sensação inebriante em ambos. Pegou uma quantidade grande da pasta vermelha e passou por entre suas cochas de forma lenta a lhe preencher cada pedacinho de suas pernas não se permitindo a invadir seus segredos deixando o prazer se prolongas...
Click, o ensaio começou e seus olhos verdes saltavam daquela pele inteiramente vermelha, ela olhava para as lentes com desejo, com fúria, com prazer, um olhar que buscava nas entranhas de sua alma o ser primitivo que invadia seu corpo a cada click. Olhar que se transformava em fogo, vermelho, desejo e paixão! As cenas criadas iam se moldando a cada click da maquina, as luzes desenhavam seu corpo criando outro ser... Ela se jogava no personagem a cada click e ele se misturava a maquina extraído dali desejos.
Silencio de olhares, cumplicidade, o beijo, beijo, beijo... Ela nua agora desnudava o homem que a pintou de vermelho arrancando-lhe as roupas com ferocidade. Ele agora se entregava ao animal vermelho que explodia em desejos e se entregava como presa. A cada toque ela o pintava em ambos se misturavam ao cheiro e a cor do pigmento desejo. Um urro de prazer ecoou no bosque e ambos caíram ofegantes, o coração disparado foi se acalmando, aquietando e no silencio seus olhos se encontraram... Um sorriso maroto brotou de sua face e seus olhos verdes se iluminaram no entardecer vermelho. Vermelho como seus corpos, vermelho da maçã do rosto que se enrubescia, vermelho que saltava do meio de suas pernas que ainda guardava nas entranhas o falo do amante que se estendia ali vermelho pintado do urucum de seu corpo vermelho!

Sobre este texto

Renato Fotógrafo

Autor:

Publicação:21 de janeiro de 2016 14:25

Gênero literário:Crônica erótica

Tema ou assunto:Fetiches

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 21/01/2016.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*