Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

AS FÉRIAS DE LOLA - CINCO

AS FÉRIAS DE LOLA - CINCO
Porém Lola começou a dar verdadeiros dribles em Marcelo.
E ele sabia que aquele era um jogo dela. Ela queria brincar. Queria enlouquecê-lo de tesão.
Deixara que ele provasse o sabor do seu sexo, do seu corpo, para enfim levá-lo a um estado de dependência total dela. Marcelo era suficientemente experiente para saber o que se passava na cabeça de Lola.
E Lola, sabendo do seu poder de sedução, fazia de tudo para provocá-lo, usando shortinhos e saias curtíssimas dentro de casa.
Às vezes, Marcelo se refugiava no campo, e muitas vezes, se refugiava no corpo de Verônica.
Fazia amor com a adolescente na cachoeira seguidas vezes. Possuía a garota até a exaustão.
Ela, esperta, percebera aquela mudança nele.
─ Hmmm... a gente já faz há anos, mas é a primeira vez que sinto você assim...
─ Assim como? ─ perguntou ele, acariciando os seios pequenos da namorada.
─ Você anda me comendo como um... um desesperado...
─ Tá ruim?
─ Não mesmo. To adorando... rss

Fernanda e uma colega, Léa, estavam no pátio da escola, quando chegou o porteiro.
─ Fernanda, tem um rapaz lá fora querendo falar com você...
─ Quem será? Ele disse o nome? ─ perguntou Fernanda.
─ Ele disse que é teu parente...
Fernanda então percebeu quem era.
Era Marcelo.
O que ele queria com ela?
Que bobagem, pensou. Ela sabia o que ele queria.
─ Diz... diz pra ele que estou fazendo uma prova...
O porteiro ia se afastar, quando Léa disse.
─ Fernanda, pode ser urgente...
─ Tudo bem, seu Leôncio... espera um pouco...
O porteiro ficou esperando.
─ Vai lá e veja o que é... ─ sugeriu Léa.
─ Vou, mas você vem comigo..
As duas foram até o portão.
O jipe estava estacionado perto dali.
Sem jeito, Fernanda se aproximou, tendo ao lado Léa.
Marcelo abaixou o vidro.
─ Oi ─ cumprimentou ele.
─ Oi. O que aconteceu? ─ perguntou ela, visivelmente sem jeito.
─ Nada. É que precisei vir a cidade, e pensei que você quisesse uma carona.
─ O Jerônimo virá me buscar...
─ Eu falei com ele... estou com o jipe, como pode ver...
─ Eu ainda tenho aulas e...
─ São aulas importantes?
Fernanda ia responder, quando Léa se adianta.
─ Pra falar a verdade, temos aula de Educação Física... e só...
Marcelo sorriu para Léa. Esta gostou de imediato do rapaz.
─ Eu preciso ver se dá pra sair... ─ disse Fernanda, olhando para Léa com raiva.
─ Eu espero... ─ disse Marcelo.
Fernanda e Léa se afastaram.
─ Porque você tinha que falar aquilo? ─ ralhou Fernanda com a amiga.
─ Uai, não quer ir com seu irmão? Você detesta aula de educação física...
─ Mas eu não... ah, deixa pra lá...
Fernanda ficou pensando. Sabia o que Marcelo queria com ela.
─ Vai, volta lá e fala pra ele que não vai dar... ─ pede a Léa.
─ Larga de ser boba, menina. Vai embora pra casa de uma vez.
Fernanda fecha os olhos, cerra os punhos, demonstrando ansiedade.
Léa não entende aquela reação. Fernanda se porta estranhamente.
─ Tudo bem... eu vou... ─ decide, finalmente.
─ Pode deixar que aviso o professor que vc teve um mal estar... rsss
Fernanda pega seu material e sai rapidamente da escola.
Aproxima-se do jipe. Marcelo, a vê-la pelo retrovisor, sai do carro e abre a porta para ela.
Ela entra dentro do veículo sem falar nada. Aperta seu material junto a si.
Seu coração começa a bater acelerado.

Quase uma hora depois, Fernanda recebe as estocadas de Marcelo, por trás.
Ela sente-se penetrada profundamente pelo enorme membro do rapaz.
Ela está de quatro, os cotovelos apoiados no chão fofo, coberto de folhas secas, debaixo da enorme árvore próxima a cachoeira.
Fernanda está nua. Marcelo também. Suas roupas estão amontoadas perto do tronco da árvore.
Ela morde os lábios.
Marcelo entreabre ainda mais suas coxas. Ele quer apreciar, olhar seu falo grosso e comprido entrar e sair daquela gruta encoberta por aquela vasta selva de pêlos sedosos...
Ele se agacha sobre as costas da moça, e começa a sussurrar coisas, coisas que ela não entende, ou se recusa a entender... Ela sabe que são frases chulas, palavras pesadas, pornográficas... Palavras que, pelo simples fato dele pronunciá-los, o excitam ainda mais, pois parece que se membro reage àquilo, tornando-se cada vez mais grosso, mais duro...
Ela retém os gemidos, mas não consegue suportar mais, e seu corpo desaba sobre o chão. Marcelo sai dela, seu membro retesando-se, parecendo enormemente contrariado por ter sido desalojado de tão gostoso e quente abrigo... Marcelo se deita sobre ela.
─ Empina pra mim... vai... ─ pede ele, com delicadeza.
Ela obedece. Não sabe por que, mas obedece.
Marcelo volta a entrar nela com muita vontade. Empurra até onde dá, e ali pára. Da sua boca sai uma imprecação. Segura-se para não ejacular.
A visão do corpo, das nádegas de Fernanda é algo fora do comum.
Lentamente, o corpo da moça reage aos estímulos do rapaz. Ele enfia a mão por baixo, e a toca na buceta. Seu dedo lhe estimula o clitóris. Impossível ela ficar indiferente àquela ousada caricia.
Ela começa a corresponder, e um gemido sai dos seus lábios.
Aquilo é um prêmio para ele, que intensifica seus movimentos.
Fernanda agora geme continuadamente. Não tem mais como segurar.
Seu corpo estremece, e ela chega ao orgasmo... uma, duas vezes...
Marcelo a traz mais para si, abrindo suas coxas o mais que pode.
Entra nela com vontade, sentindo aproximar-se o clímax.
Não tem mais como reter.
Ele não tem como sair dela. A vontade de ficar dentro dela prevalece.
E ele ejacula, derramando-se todo dentro dela.
Ele fica ainda ali, metendo gostoso por algum tempo, até deitar de lado.
Ela vira o corpo pra direção oposta. Sente vergonha dele.
Ela decide então levantar-se, e corre para o lago. Lava-se, rapidamente.
Ele vai atrás dela, mas ela se desvia dele, e recolhe suas roupas.
─ Fernanda... ─ diz ele.
─ Me leve pra casa ─ pede ela, vestindo-se rapidamente.
Ela decidiu ali mesmo que nunca mais cederia aos desejos carnais e incestuosos de Marcelo.







Sobre este texto

Rodrigo

Autor:

Publicação:19 de setembro de 2013 21:01

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Fetiches

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 19/09/2013.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

  • andre
    Postado porandreem20 de setembro de 2013 22:27

    parabens rodrigo! como sempre muito bom. estou aguardando o proximo

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*