Conto Erotico | Historia Erótica

Publique seu texto gratuitamente!

Autores mais lidos
Loja História-Erótica
Conto erótico no isntagram
conto erotico no youtube
conto erotico no tumblr
Imagens Eróticas
Do fundo do baú

Novinha

Por Sir Greatnight

Há muito tempo tenho vontade de passar pra outros o que aconteceu de mais excitante comigo. Hoje tenho 34 anos e o fato aconteceu quando eu tinha uns 18 anos. Começando, tinha uma garota bem bonitinha, morena seios empinadinhos e um bumbum bem grande (era a coisa mais linda nela), seu nome era Érica, morava perto da minha casa, vivia mexendo comigo quando eu passava, alguns meses depois ela mandou um bilhetinho dizendo que queria falar comigo num canto escuro de uma determinada rua, pensei bem e resolvi ir ao encontro, chegando lá ela tomou a iniciativa e um pouco nervosa me disse que estava afim de mim e faria qualquer coisa pra ficar comigo.

Eu fiquei feliz em saber que estava despertando uma paixão em alguém e me entreguei aos seus desejos, abracei-a, beijei-a, bolinei-a, mas, ficamos por aí, chegando em casa pensei muito nos seus beijos, na minha mão nos seus seios durinhos e na bunda e que bunda que ela tinha, decidi que iria comer essa gatinha e fazer loucuras com ela.

Eu estava passando por momentos ruins em casa, meus pais bronqueados com o meu comportamento agressivo e desrespeitador (normal num adolescente da minha idade) não me davam um centavo sequer pra eu satisfazer as minhas necessidades como cigarros, cinema, lanches, roupas transadas, etc. Deixando esses problemas familiares de lado por enquanto, resolvi marcar um novo encontro com a Érica no mesmo local e quando cheguei ela já estava lá, vestia um shortinho que as polpas de sua bela bunda ficavam expostas, era uma visão linda, fiquei com tesão na hora. Sem falar nada a abracei, dei-lhe um beijo demorado e os meus dedos foram em busca daquela bundinha de deusa que ela tinha, desabotoei seu short e ela ameaçou impedir, mas logo concordou, tirei seu shortinho e ela ficou só de calcinha, um pouco envergonhada voltou a me beijar, tirei meu pau pra fora e coloquei na mão dela, ela me punhetou e o meu pau em segundos ficou duro com uma pedra, tirei atabalhoadamente sua calcinha deixando-a nua, coloquei-a sentada numa mureta, abri as suas pernas e posicionei meu pau na entrada de sua bucetinha, foi difícil (ela era virgem) mas aos poucos foi entrando e de repente estava com o meu pau todo atolado dentro dela, foi uma foda rápida, mas gostosa, na hora do gozo tirei o pau pra fora e gozei na barriga dela.

Quando estávamos nos vestindo ela me disse:

- Amor, todo dia quero ter você dentro de mim.... Adorei sentir o seu pau duro..... Eu vou ser sempre sua e farei qualquer coisa por você...

Me surpreendi com as palavras que ela utilizou (pau duro), mas pensei e entendi a fase tímida dela havia passado. O tempo foi passando e todos os dias a comia e as fodas foram ficando cada vez mais gostosa, às vezes íamos para a casa dela e enrabava (metia na buceta) ela na cozinha com os pais assistindo televisão na sala, comia ela no banheiro, na varanda, era só eu ficar sozinho com ela que enfiava o meu pau. Teve um dia em que ela ficou menstruada e teve que me dar o seu cuzinho, foi até hoje a foda mais excitante da minha vida, só de imaginar fico louco, o meu pau enfiado naquele rabinho majestoso. O pior é que gostei tanto que só queria comer a bundinha dela, já fudíamos de todas as formas, ela chupava o meu pau, eu chupava a sua buceta, comia o rabinho dela e tudo mais.

Teve um dia que ela queria ir ao cinema, mas disse a ela que não dava pois estava sem dinheiro (os meus pais continuavam a me boicotar) ela disse que tinha algum e dessa vez fomos, inclusive dei um jeito de, no escuro do cinema, enfiar o meu dedo na sua bucetinha e ela gostava. O dinheiro ou falta dele nos impedia de realizar mais loucuras e chegamos até a brigar algumas vezes por conta disso numa noite, sozinho em casa depois de passar a tarde toda comendo a bunda dela, fiquei pensando numa forma de conseguir dinheiro. Será que arranjo um trabalho? Será que dou uma assaltada nos meus pais? Todas as respostas eram negativas, porém, veio um estalo na minha cabeça, uma idéia que poderia valer alguns trocados, lembrei dos meus amigos de farras e eram muitos, eles eram loucos por mulheres como todo adolescente, porém boa parte deles eram feios e barrigudos e jamais conseguiriam uma mulher bonita e gostosa pra satisfazê-los. Pensei que se a Érica colaborasse poderíamos satisfazer os desejos deles. A idéia era de propor a eles a Érica mostrasse o seu bumbum imenso e eles se punhetassem, porém, não poderiam tocar nela. Fui falar com a Érica e para a minha surpresa ela não colocou obstáculos e até adorou a idéia, no entanto ela perguntou se caso um dos garotos quisessem algo a mais, até onde ela poderia ir? Disse a ela que não se preocupasse, pois estaria sempre ao lado dela. Projeto aprovado, fui atrás da clientela, escolhi de primeira o Carlinhos, um gordo dentuço e tinha muito dinheiro, com um pouco de receio, pois ele conhecia a Érica, mas topou e marcamos numa construção abandonada, chegamos eu e ela, porém, ele se demorou, imaginamos que ele tinha desistido, mas pouco tempo depois ele chegou, disse pra ele que ele tinha 20 minutos pra admirar bunda dela e podia bater uma punheta, ele confirmou com a cabeça e eu virei a Érica de bunda pra ele e tirei seu short, ele tirou o pau pra fora e começou a bater. Quando ele estava quase gozando pediu pra ela se curvar e quando ela baixou ele não aguentou e gozou e um pingo voou na batata da perna da Érica que riu descontroladamente.

O Carlinhos deu o dinheiro e foi embora e nem preciso dizer o que aconteceu né? Enfiei sem dó no cuzinho da Érica. No outro dia convidei o Pablo, um garoto feio de dá dó, era cheios de espinhas. A Érica também o conhecia e de início não queria ele, pois ele era meio tarado e muito feio, além de conhecer a família dela, mas, a convenci e fomos pra mesma construção do mesmo jeito arriei o short da Érica e ele começou a bater a punheta, logo ele me perguntou se podia pegar na bunda dela e eu disse não, ele insistiu e disse que pagaria mais, pensei e deixei, quase desisto pois via ele enfiar o dedo no cuzinho e na rachinha, mas aquilo estava me dando tesão e não o detive.

A Érica debruçada e gemia baixinho como se estivesse adorando aquilo, de repente ouvi um barulho fora da casa e fui checar, quando retornei de mansinho, vi o Pablo com o pau pela metade na buceta da Érica e ela nem reagia, empurrei e ele caiu, lhe disse que aquilo não estava no trato, mas, ele falou que havia pedido da Érica e ela tinha deixado. Perguntei se era verdade da Érica e ela confirmou! Fiquei aborrecido, mas decidi dizer pro Pablo que se ele quisesse meter só a cabecinha do pau tinha que dobrar o valor do acordo, ele de imediato concordou e deixei. Ele foi enfiando só a cabecinha do pau e o dedo invadia o cuzinho da Érica, aquilo estava me matando de tesão.

Um garoto horrível de feio enfiando a cabeça do pau naquela garota linda e de bunda maravilhosa, ela jamais seria para o bico dele, tirei meu pau pra fora e comecei a bater uma punheta, invariavelmente fechava os olhos e numa das vezes que abri vi que o Pablo estava com o pau todo enfiado na buceta da minha gatinha e ela gemia cada vez mais alto, num determinado momento ele tirou o pau pra fora e sem reações por parte minha e dela enfiou com muito cuidado na sua bundinha divina, foram várias socadas, algumas até violentas, enfim ele gozou e ela se virou rápido e parte do esperma espirou no seu top, é claro que também gozei. A partir desse dia, vi que eu tinha uma putinha ao meu dispor e que fazia aquilo não por dinheiro, nem por amor a mim, mas por gostar de fuder, de ter uma rola grossa e dura dentro de si, logo após esse dia aprontamos outras sacanagens que relatarei em outra oportunidade. Aguardem um novo conto...

Sobre este texto

Sir Great Night

Autor:

Publicação:6 de agosto de 2014 16:04

Gênero literário:Contos eróticos

Tema ou assunto:Jovens

Compartilhe este conto erótico com seus amigos
Ainda não há estatísticas de leitura deste texto, pois ele foi publicado em 06/08/2014.

Comentários

Novo comentário

Os comentários serão moderados. Não serão aceitos comentários agressivos ao autor e/ou que divulguem sites comerciais. No campo nome só aceitaremos nome de pessoas. Se tiver interesse comercial Fale conosco para saber nossa política de publicidade.

Não há comentários até o momento. Seja o primeiro!

Deixe seu comentário abaixo

*Campos com esta marca são de preenchimento obrigatório.
*

Seu endereço de e-mail não será publicado

Mova o seu mouse para fechar essa ajuda.
*